sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Falamos pois

A Ritinha acha realmente grave que, no leque das apresentadoras escolhidas para apresentar a Eurovisão, não haja uma única mulher negra. Reparem que ela louva o facto de terem sido escolhidas somente mulheres, coisa que eu acho uma discriminação para os homens mas pronto, é a vida.
Eu tendo a concordar com a Ritinha, é extremamente grave que, de entre tantas apresentadoras não caucasianas que temos em Portugal, nenhuma mulher negra tenha sido eleita para mostrar ao mundo que nós damos oportunidades às minorias, especialmente sendo elas tão qualificadas para o lugar!.. É quase tão escandaloso como escolherem apresentadores chineses na China, ou negros em África, uma autêntica discriminação racista.
Todavia acho que a Ritinha poderia ter ido mais longe, nesta luta inglória pela igualdade das minorias! Eu proponho que no leque de apresentadores da Eurovisão sejam também incluídos um hermafrodita, um transgénero e uma ameba. Obviamente que a escolha da ameba não  trará qualquer problema, agarramos na Ritinha et voilà! Problema resolvido.

26 comentários:

  1. A sério que ela levantou esta questão??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fui ver. Não sei o que me choca mais, a proposta estapafúrdia ou o nível das respostas que ela dá

      Eliminar
    2. A Rita devia ser obrigada a andar de autoclismo atrás, cada vez que abre a boca cheira mal.

      Eliminar
    3. oh picante... “twitter”.

      Eliminar
    4. Caramba nem tinha visto e não ver o que escrevo não é desculpa que isto não foi correcção do tm

      Eliminar
  2. Pipocante Irrelevante Delirante12 de janeiro de 2018 às 12:38

    Quantas minorias étnicas estão representadas na bancada parlamentar do BE?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Étnicas não sei mas lésbicas há com fartura...

      Eliminar
    2. E estão lá por serem lésbicas? Esteja calada.

      Eliminar
    3. Pipocante Irrelevante Delirante14 de janeiro de 2018 às 20:13

      Lésbicas porque nunca me conheceram.



      (vinde Capazes, vinde. A mim!!)

      Eliminar
  3. Pipocante Irrelevante Delirante12 de janeiro de 2018 às 12:40

    Eu acho que falta uma mulata. Afinal, é um legado lusitano ao mundo. Devia ser património mundial.
    E alguém coxo, ou maneta. E um invisual, não esquecer.
    E as gordas? Estão representadas, ou vamos estar restringidos à classe das elegantes com vestidos decotados e de curvas bem delineadas?

    ResponderEliminar
  4. E a questão é:

    A "apresentadeira" negra ia com ou sem a Sweat da H&M?!?!

    valha-me a nossa senhora das cabecinhas queimadas pela cannabis!!!

    ResponderEliminar
  5. Depois põem aquela Ana Sofia a apagar os fogos todos.

    ResponderEliminar
  6. Eu, feminista, envergonho-me da Rita. A moça está cheia de boa vontade, mas depois falta-lhe contextualização, estudos de caso, e tristemente às vezes fala só por falar. Pega em casos no geral e tenta aplicá-los no particular. É pena, porque com a visibilidade que tem, poderia fazer um trabalho bastante melhor, mas para isso teria que dedicar-se de corpo e alma, em vez de fazer o trabalho medíocre que tem vindo a fazer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Ritinha que ponha o lugar dela na SIC à disposição de uma apresentadora negra. Aliás, para fazer as figuras que ela faz basta sair à rua e abordar a primeira negra que se encontrar, não há-de fazer pior.

      Eliminar
    2. Eu também sou feminista e, por sê-lo, não me revejo minimamente nesta coisa mentecapta das Capazes.

      Eliminar
    3. Ai agora é q adorei - é q é mesmos isto. Ponha o lugar dela à disposição!

      Eliminar
    4. A mim choca-me chamarem de moça a uma mulher que já passou dos 40...

      Eliminar
    5. Chamam-lhe moça, das duas uma:
      1. Porque tem a maturidade e capacidade de argumentação de uma adolescente.
      2. Porque moço era a categoria mais baixa de qualquer profissão. Mesmo antes de sequer se ousar chegar a aprendiz do que quer que fosse começava-se como moço.

      Eliminar
    6. Eu como feminista faz-me confusão muita coisa. Acho que se perdeu o intuito do feminismo de querer igualdade para se almejar mais direitos que os atribuídos aos homens.

      Eliminar
    7. Acho que poucas mulheres não serão feministas, no sentido de sermos todas por direitos iguais. O problema é que estas histéricas arrebanharam a bandeira do feminismo. Hoje em dia há muita gente com aversão à palavra por causa delas.

      Eliminar
  7. Sim porque os europeus são todos obviamente não caucasianos...

    Em vez de mandarem portuguesas com características físicas europeias deviam mandar brasileiros (mulata, só), uma asiática (macau) e uma preta/negra (escolham o termo que menos vos ofende) - obviamente esta representante de Angola... E fica coberto o leque de possibilidades. Só não mandem brancas!!

    ResponderEliminar
  8. Essa Rita, por ter um apelido "abre portas" julga que pode dizer tudo. Ela tem é uma grande dor de cotovelo por não ser CAPAZ de apresentar a Eurovisão. Só sabe arranjar paleio para que os idosos que ainda a vêem torrem o que têm em chamadas de valor acrescentado.

    ResponderEliminar
  9. A Ritinha presta um péssimo serviço à causa que pretende defender,tornando-a uma caricatura,o que é uma pena.

    ResponderEliminar
  10. Pipocante Irrelevante Delirante15 de janeiro de 2018 às 15:57

    OFF

    Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens (CNPDPCJ) considerou hoje “existir um elevado risco” de o programa da SIC ‘Supernanny’ “violar os direitos das crianças”, nomeadamente o direito à reserva da vida privada.

    Qualquer coincidência com a blogosfera é mera coincidência

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.