quinta-feira, 30 de março de 2017

Isto anda tudo ligado

Estava eu a dar uma volta pelos blogs, mais especificamente por Tanganica, quando me deparo com uma recomendação, não sei o quê sobre o melhor post da manhã, ou lá o que era. Carrego no link e vou dar com a minha querida afilhada a dissertar sobre a problemática da estupidez, coisa sempre muito pertinente que infelizmente se reproduz como os coelhos, cada vez encontro mais gente parva convencida de que é a última Coca Cola do deserto. Li o post com muita atenção, sorrindo com a indignação da Nê perante o desprezo do ignorante pelo conhecimento, já deixei de me aborrecer com essas menoridades, mas dizia eu que enquanto a Nê falava sobre a importância do método, e se ela fala senhores!, de repente me veio à memória uma conversa recente que tive com um dos progenitores lá daquele ginásio que a minha filha frequenta, onde é torturada quatro horas todos os dias.
A título de preâmbulo, adianto que a senhora é uma desportista falhada, queria muito ter feito ginástica e teve de se contentar com uma espécie de ginástica. Vê na filha, uma miúda com algum jeito mas é que é mesmo só isso, algum jeito, não sei se já disse, a próxima Biles e tem objectivos muito claros para a criança. Ela.
Pois que a Matilde se lesionou, está há quase seis meses sem treinar e a coisa está longe de estar perto de se resolver. Em virtude disso (eu tenho as minhas teorias sobre o acompanhamento médico que a miúda teve mas isso agora não interessa nada), dizia eu que em virtude disso a Matilde não só não progrediu como foi ultrapassada por outras ginastas, uma das quais mini Picante que está a evoluir a uma velocidade que nunca pensei ser possível. Daqui não viria mal nenhum ao mundo não fosse a mãe da criança achar que a prática de ginástica, a este nível, só vale a pena havendo objectivos claros de integração na selecção com consequente experiência internacional. E dado que  a coisa se afigura cada vez mais improvável, digo eu que sou uma incorrigível optimista, disse-me o que já tinha dito à filha, que a ginástica para ela estava acabada, que andava ali a perder tempo e o melhor era escolher outra coisa. Assim mesmo, com a delicadeza de uma besta.
Ora eu que não tenho nada contra objectivos ambiciosos, muito pelo contrário, acho muito bem que as miúdas sonhem com as olimpíadas. Acontece que também acho avisado que elas tenham a noção da realidade e vai daí que vou doseando a coisa, é aquilo das quedas amparadas, sempre a decepção será menor. 
De maneiras que lá estava eu a dizer que não, que a ginástica podia valer muito a pena só pelo gozo da evolução, de fazer mais e melhor, de competir contra elas próprias numa óptica de "isto ainda não está perfeito, embora aí tentar mais um par de vezes". E lá me contrariava a mãe da Matilde, que não, que ou era a sério ou não valia a pena, que não entrando na selecção o melhor seria desistir já. E não adiantou de nada explicar que os objectivos têm de  ser das miúdas, que elas ficam felizes pela evolução e aperfeiçoamento, que conseguir entrar na selecção é só a cereja em cima do bolo, que isto lhes ensina persistência, resiliência, perfeccionismo, organização, foco e mais um sem número de coisas, que enfim, o resultado é o que menos importa, em causa está apenas e só o processo (vês, Nê? O processo!...).
Não serviu de nada, claro. A mãe da Matilde subitamente ficou de cenho franzido a ver o novo esquema de trave de mini Picante, olhos muito fixos na série de flics que a miúda acabava de aprender a fazer, foi até bastante mal educada.
Resumindo, o que eu queria mesmo dizer é que estou com a Nê, a matemática comanda a vida e cada vez mais me falta paciência para gente estúpida.

terça-feira, 21 de março de 2017

Porque lês blogs, Picante?

Porque, em lendo blogs, fico a saber que há quem leve isto das maratonas tão a sério que resolva ir correr com lesões no joelho.
(as boas notícias são que a Teresa do Ran Tan Plan voltou a escrever, sempre há uma ou outra novidade pela blogolândia)

quinta-feira, 16 de março de 2017

Nunca serei alguém nisto dos blogs

A vossa Picante toma duche todos os dias. No verão duas vezes ao dia, muitas vezes no inverno também, basta que vá correr, a hipótese de sair de casa sem duche é coisa para me deixar com o nervoso.

(e os dentes? será que lavarão os dentes todos os dias?...)

terça-feira, 14 de março de 2017

De todas as coisas hilariantes

A mais cómica será assistir à indignação das pessoas que escarrapacham a sua vidinha nas redes sociais e se incomodam com o facto de terem estranhos a opinar sobre aquilo que elas próprias contam a desconhecidos.
Como diria mini Picante... coisas!

quarta-feira, 8 de março de 2017

Entre 1926 e 1974 as pessoas não podiam debater tudo o que queriam debater, acho que se chamava a isso censura, tinha qualquer coisa a ver com fascismo, não sei

Em pleno ano do Senhor de 2017, a perigosa esquerdalha, faz pressão sobre o reitor de uma Universidade estatal para cancelar uma conferência, por achar que o grupo que a organiza é colonialista, racista e nem sei mais o quê. A dita conferência, “Populismo ou Democracia: O Brexit, Trump e Le Pen”, seria feita por Jaime Nogueira Pinto. Seria. Já não vai ser porque em AG vários estudantes fofinhos consideraram o tema inadequado, surgiram ameaças de violência e a reitoria decidiu ceder às pressões dos estudantes fofinhos.
No meio deste escândalo todo só tenho uma dúvida - caso tivessem sido membros do PSD ou JC a fazer esta mesma pressão a perigosa esquerdalha estaria aí aos gritos a chamá-los fascistas, não estaria? A gritar que a revolução conquistou o direito à liberdade de expressão? Era isso, não era?...

Mais aqui e aqui

quarta-feira, 1 de março de 2017

Picante também fala de si na terceira pessoa ou a "gaffe" de Picante

A Picante hoje acordou maldisposta derivado das parcas horas de sono de que pôde usufruir. Aborrecida que estava a Picante de ter de fazer as coisas que tinha de fazer, que isto a vida é como é e até a Picante tem de trabalhar para poder desfrutar do que pode desfrutar, mas dizia eu que Picante estava enfadada e vai daí que Picante resolve abrir o blogger, qual não é o espanto de Picante quando se depara com um extraordinário e erudito post.
Picante ficou indecisa. Reformulo: Picante está tremendamente indecisa e não sabe do que gosta mais, se daquilo da papa cor de rosa no cérebro com toda a arrogância e pedantismo que a coisa implica, se da finura das bolinhas do motorista ou se, last but not the least, disto de falarmos de nós na terceira pessoa. Que maravilha de escrito! Picante decide fechar a lista de leitura e não ler mais nada, afinal tudo o que viesse saberia a pouco depois desta pérola de finíssima literatura. Picante está maravilhada.