quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Aos tipos da Padaria Portugesa...

...não bastava ter aqueles Pães de Deus que parecem nem sei quê, um pão de borracha e uns croissants que deviam ter outro nome de tão maus que são. Não, os tipos da Padaria Portuguesa ainda gostariam mesmo era de alterar o limite de horas de trabalho, pôr os funcionários a fazer mais horas extra e não sei quê.  Os tipos da Padaria Portuguesa ainda por cima são ignorantes, nem devem saber que já existe isso da isenção de horário, eu sempre a tive, acontece é que também sempre recebi bem por a ter. Os tipos da Padaria Portuguesa precisam urgentemente de contratar um RP, eu se fosse sócia daquilo proibia o tal do Nuno Carvalho de falar em nome da empresa. Ou isso ou haveriam de equacionar mudar o negócio para a Índia ou assim.

34 comentários:

  1. Pipocante Irrelevante Delirante26 de janeiro de 2017 às 13:58

    Haverá sempre portugueses que defendem que a malta deve é trabalhar, e que têm de agradecer o facto de alguém lhes dar emprego. Mais razão dariam ao Padeiro-Mor se este referisse que com o aumento do smn o preço do papo-seco vai aumentar em 5 cêntimos.
    O mais irónico é ver pessoal que trabalha das 9 as 17 durante a semana, a divertir-se no fds, em cafés, lojas ou restaurantes, e negarem a quem não tem esse tempo livre o ressarcimento desse sacrifício.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o tipo já voltou à carga, deu nova entrevista. Mas quão palerma se pode ser?

      Eliminar
    2. Pipocante Irrelevante Delirante27 de janeiro de 2017 às 11:41

      Será que é palerma?

      Eliminar
    3. Um tipo que criou um negócio com a dimensão e crescimento da Padaria Portuguesa estará longe de ser um palerma, e saberá bem do que fala com toda a certeza.
      Já a malta que comenta aqui no blog dá-me vontade de rir. Tentem criar um negócio, gerar emprego etc que depois falamos...

      Eliminar
    4. O facto de ser palerma numas coisas não quer dizer que seja todo ele palerma. Noção de RP não tem, lamento.

      Eliminar
  2. Ainda bem que não sou a única a achar aqueles pães de deus, uma coisa horrorosa, mal amanhada, mal cozidos e que de apetitoso não tem nada. Quanto ao Nuno Carvalho, é o patronato que temos, não generalizando evidentemente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Nuno Carvalho não é o patronato que temos e ainda bem. Se há vários Nunos Carvalho por aí, também há uma série deles que são exactamente o oposto.

      Eliminar
    2. Por serem mal cozidos é que adoro os pães de deus, mas é a única coisa!

      Eliminar
  3. Uma máquina daquelas já justificava um profissional de comunicação, já.
    (as coisas passavam a ser ditas de uma forma mais "suave", mas duvido que a opinião do senhor mudasse).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A questão aqui nem é a opinião dele, com a qual eu também não concordo, as pessoas não podem ser exploradas como se estivessemos na revolução industrial. A questão é a falta de noção que o homem tem, essas coisas não podem ser ditas.

      Eliminar
  4. Eu - pessoa que não vive em Lisboa - nunca fui a uma Padaria Portuguesa. Mas pelo mal que ouço falar, também nunca irei.
    Como é que aquilo é famoso se eu sempre ouvi mal?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marketing bem feito.
      Quanto a mim aquilo é a pior e mais cara pastelaria de sempre.

      Eliminar
    2. Quem não gosta não volta. Se o negócio continua a crescer só me parece que as pessoas continuam a voltar apesar de muitas outras opções que têm. Porque cafés/pastelarias não faltam. Quanto aos preços não me parece mais caro do que a maioria das pastelarias em Lisboa.

      Eliminar
    3. isso mais cara também não me parece. têm um menu de pequeno almoço com sumo de laranja, por exemplo, que em qualquer lado seria o dobro do preço

      Eliminar
    4. Pipocante Irrelevante Delirante27 de janeiro de 2017 às 11:42

      É o que se chama uma "brand".
      O que não falta são porcarias sem qualidade alguma e que as pessoas comem (literal ou metaforicamente) porque não conhecem as opções ou, simplesmente, se deixam enganar por modas. Perdão, trends.

      Eliminar
    5. Antes da padaria portuguesa já existiam pastelarias parece-me portanto que as pessoas conhecem e bem as opções. Se continuam a ir porque é modo? Também não me parece viável mas pode ser. Acredito que vão porque gostam do serviço. Não é por eu não gostar que os outros também não gostam.

      Usualmente não frequento pastelarias mas não me parece nada mais caro.

      Eliminar
    6. Ahahaha... dizer que a padaria portuguesa é "cara" só mesmo que quem não vai lá.
      Picante olhe que concordo consigo quase sempre, mas esse comentário é mesmo ao lado. Tem preços bem melhores que a maiorias das pastelarias do género.

      Eliminar
    7. Mas eu acho que tem uma relação preço qualidade péssima. acho mesmo cara para o que vende. Não é tão cara como a mexicana ou a versailles, é certo. Mas é mais cara e pior que várias pastelarias onde vou.

      Eliminar
    8. Cara em relação qualidade preço para quem não gosta ainda acredito. Agora cara em relação às pastelarias mais comuns em Lisboa não acredito. Vou ficar bem mais atenta (achava que já estava).

      Eliminar
    9. Onde eu vou diariamente o café é a 55 centimos. E é delta. E os bolos são caseiros, feitos pela querida dona Isabel...

      Eliminar
    10. Picante (sou a anónima das 12h38) repito que a padaria portuguesa pode ter defeitos. O preço não é um deles. Tem menus de pequeno almoço a 2,5 que inclui sandes, sumo de laranja natural e café. Estaremos de acordo de 2,5 é o que se paga normalmente por apenas um sumo de laranja natural em qualquer pastelaria de Lisboa. Igual para menus de lanche. Eu acho a maioria dos produtos bons (variedade de pão, croissants, croquetes, pão com chouriço, quejadas). Têm copos para take away que a maioria dos sítios não tem. Tem um serviço relativamente rápido. Coisas más: aquele pão de de deus que precisa de mais 30 min. de forno, mas um dia alguém se enganou outro alguém gostou e assim se criou uma imagem de marca. Não acho que as saladas e sandes tenham grande aspecto, mas na realidade nunca as provei. Os doces de Natal são médios. Honestamente acho que eles foram extremamente cuidadosos no conceito e foi uma ideia vencedora. E os números estão aí para o provar. Não acho que a concorrência deles seja uma Versailles ou uma Mexicana, acho que foram preencher um vazio entre pastelarias para tios e tias e pastelarias que nunca ousaram melhorar e que na maioria das vezes têm atendimentos sofríveis. Não é o meu sítio de eleição, mas vou algumas vezes e continuarei a ir. Sobre as declarações: já li e reli mil coisas sobre o tema, na realidade acho que só não vi mesmo as declarações do senhor... That said, provavelmente só disse o que a maioria dos empresários pensam. E alguns empregados. Eu trabalho por conta de outrém e bem gostava de ver mais flexibilidade que permitisse dar trabalho a quem realmente quer, precisa e dá o litro (e sim, é uma fronteira ténue e difícil... é uma discussão dura, para estar longe das redes sociais).

      Eliminar
  5. Detesto a padaria Portuguesa. Aparência sem conteúdo

    ResponderEliminar
  6. Estou mais descansada....achava que era só eu que penso que aquilo é só fogo de vista! Pura estética...
    Já para não falar dos acontecimentos recentes, claro!

    ResponderEliminar
  7. Eu vivo muito longe de Lisboa e quando lá vou tenho mais o que fazer que ir à padaria Portuguesa ,mas dando ouvidos a certas sras. dos blogs aquilo é mesmo muito bom ...

    Maria -Viena .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As senhoras dos blogs também gostam da Planta com sabor a manteiga, do leite mimosa para intolerantes à lactose, usam pastilhas específicas para a louça dos bebés, acham que a linha da Nivea para a cara é o supra sumo da batata... É preciso continuar?...

      Eliminar
  8. E não é que desta vez até concordo por inteiro consigo? Este ano de 2017 parece prometedor =P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó meu Deus! Será milagre? Um prenúncio de fim de mundo?
      ahahahahah

      (alguma vez teria de ser...)

      Eliminar
    2. Quem sabe, quem sabe. Pelo sim, pelo não, faça tudo o que lhe der na real gana antes que a "festa" se acabe... =P

      Eliminar
  9. Abriram uma dessas coisas no Cacém e, muito sinceramente, ainda nem entrei lá. Não me parece que o faça, especialmente depois de tudo isto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estão em todo o lado, parecem mosquitos, apre.

      Eliminar
    2. Pois... realmente, assim parece. E a única vez que sugeri ir lá, descartaram a ideia, porque era caro. Então, para ser caro no Cacém...

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.