sábado, 31 de dezembro de 2016

2016 em retrospectiva e 2017 em antecipação

Bla bla bla bla bla bla
Beca beca beca beca beca beca
Yada yada yada yada yada yada

Who cares? Sejam felizes, pessoas, que 2017 nos traga, a todos, muita paz e saúde. O resto virá por acréscimo. Até para o ano.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

E então minhas queridas?

Que me dizem do novo header? É bonito, pois é? Vem totalmente a propósito da resolução que tomei para o ano vindouro, a qual passa por doutrinar todas as minhas boas amigas na problemática que é essa situação de usar vários talheres à refeição. Em calhando também explicarei aquilo dos copos.
A tia Picante está quase transformada na Paula Bobone dos blogs, não é tão bom?

Podia perfeitamente viver só disto


(em menos de nada aparece por aí alguma sumidade da bloga a dizer, muito inteligentemente, que a minha mesa não é minha. Apostamos?...)

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Nunca expliques um post

Estaria capaz de apostar que as mesmas pessoas que se insurgem com o facto de eu ter muita gente a comentar-me em modo anónimo vêm, elas próprias, largar aqui umas pérolas em modo "dona Joaquina". Mas que sei eu? Eu sou daquelas pessoas que pensa sempre que, quando uma mulher chama "maricon" muitas vezes a um homem, ainda que a despropósito e completamente off topic, é derivado da situação de ter levado uma valente nega...

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Em 2017

As parvas continuarão a ser parvas, as mal educadas continuarão a puxar do seu vernáculo brindando-nos com pérolas de educação na tentativa de se afirmarem muito bem resolvidas, tão bem resolvidas que nem ligam às convenções da vida em sociedade, as que gozam com não assuntos continuarão a puxar não assuntos e a rir muito, sem que ninguém perceba muito bem do que riem, as gordas continuarão a ser gordas, por mais dietas que façam, as que vivem de mostrar as criancinhas continuarão a devassar a vida dos seus filhos, mostrando-nos as suas gracinhas, que são tão lindos e inteligentes (e nós a ver que não...), a Isabel Moreira continuará a brindar-nos com as suas diarreias mentais, é caso para dizer que filho de peixe nem sempre sabe nadar.
E nós, os dos blogs classe A superior, continuaremos a divertir-nos com a patetice alheia. Tudo igual, portanto.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Em verdade vos digo

Não há qualquer necessidade de culparem o Natal e o ano novo derivado daquilo de não caberem nas portas calças. Vocês já eram gordas no Verão.

O Natal é quando uma mulher quiser

(don't) Wake me up before you go-go because this was your Last Christmas. Mais um dos que me fazem fazem que se foi, estupidamente cedo. Resta-nos Madona, Adams, Bruce, Bono e pouco mais. 
So long.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

De todas as coisas que não sei

É como qualificar alguém que me entra blog adentro para deixar informações privadas sobre um comentador, como seja o seu nome e local de trabalho.
Querida anónima, desejo que o menino Jesus lhe ofereça uma coluna vertebral.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Coisas

Fico pasma com a quantidade de pessoas que acham que os talheres de peixe são coisa do antigamente, dizem-no com convicção, convencidas que nos amofinam, acho que são só parvas.
Cansei-me de gente tremendamente frontal que se orgulha de ser muito emotiva e honesta e não se inibe em ofender o próximo porque, lá está, é tremendamente frontal. Quanto a mim é só gente tremendamente mal educada, o filtro é coisa de valor.
Estou farta de blogs, hoje dei uma vista rápida a meia dúzia deles, agora querem convencer-nos que o take away do Pingo Doce é a ultima coca cola do deserto, a ementa ideal para a ceia de Natal. Caramba, preferia ir comer uns croquetes ao Tico Tico, eventualmente uma tosta mista em casa, descobri que as tostas mistas barradas com manteiga e cobertas com oregãos são um manjar dos Deuses.
Vi um vídeo muito lindo sobre o Trump, na verdade era sobre o Obama que toda a gente adora, eu inclusive, pela calada fez quase tudo aquilo que censuram/temem ao Trump. A política é muito linda, pois não é?
Tenho, na minha lista de leitura, um blog extraordinariamente chato, só tem meia dúzia de comentadores que disputam com a autora o Óscar de "tipo mais chato que eu não encontram". Aquilo é um guilty pleasure, a autora acha-se muito engraçada e irónica e tudo, na verdade é só tremendamente chata.
Não tenho a menor paciência para gente que insulta outra gente, não é fixe recorrer ao insulto, é só básico e mal educado.
Vou aborrecer-me seriamente com a professora de Inglês do rapaz, pela quantidade de trabalhos manuais que lhes passa fiquei convencida de que é uma artista frustrada. A coisa nem seria assim muito grave se, nos intervalos de lhes corrigir a porra dos trabalhos manuais, lhes ensinasse algum inglês, mas não, afinal que interesse tem a gramática inglesa? Hoje resolveu obrigá-los a desistir da hora de almoço para ir ouvir o coro da escola, saiu-me um "imbecil" entre dentes, espero que a criança não tenha ouvido.
A minha mais nova deixa-me a rebentar de orgulho, cada conquista que faz é fruto de um enorme esforço e muito trabalho, agora aprendeu a fazer flics na trave, aquilo tem dez cm de largura e um metro de altura, qualquer dia vou vê-la aos jogos olímpicos. Nunca pensei vir a ter uma campeã nacional em casa mas a verdade é que tenho.
O meu rapaz está a dar os primeiros passos nisto das competições à séria, pouco percebo do que faz, não sei se é bom ou não que tanto ganha como perde, o treinador diz-me que sim, que tarda nada está a ir a competições internacionais, por agora compete quase todas as semanas em sítios tão giros quanto Aveiro, Coimbra ou Braga. Havia era de os ter posto a jogar à bisca.
Acho um piadão a gente que fala de si na terceira pessoa, fico sempre sem perceber se aquilo é a brincar ou se são só tremendamente pedantes. Alguma das minhas boas e queridas comentadoras me pode elucidar? Ficaria tremendamente agradecida.
Não me esqueço das pessoas do passado, ainda que não as queira no presente ao meu lado, lembro-me sempre, com uma certa saudade, das gargalhadas que trocámos, dos bons momentos que passámos, acho uma tolice isso de apagar pessoas com borrachas.
Vi uma reportagem sobre Aleppo, vieram-me as lágrimas aos olhos ao ver a miséria humana em pleno ano do Senhor de 2016 mas depois pensei que tinha de me despachar, afinal tinha de marcar a viagem à neve e ainda tinha este post para escrever.

Feliz Natal minhas queridas!


terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Do fim de semana

Chuva a cântaros de tal maneira que achei ir ficar com o automóvel empanado, acabámos por não ir à missa.
Casa pronta para o Natal, com direito a árvore, presépio e calendário do advento. Este ano resolvemos construir o nosso próprio calendário, cada dia até ao Natal tem uma boa acção a cumprir. Certifiquei-me que Dezembro será um Santo mês, tem lá muitos dias em que pequenos Picantes não podem discutir e têm de obedecer aos pais logo à primeira, vou parar ao inferno, eu sei, subornei-os com uma caixa de Godiva.
O primeiro jantar de Natal com muita gente a rir à volta da mesa.
Scones e bolachas de manteiga daquelas feitas em casa. Bolo de chocolate daqueles que engorda só de olhar, tudo isto acompanhado de chá e chocolate quente, a substituir o jantar de Domingo.
Bolo alimentar, quimo, quilo, coroa, raiz, tubo digestivo, democracia ateniense,  Egípcios e Fenícios.
Filmes, mantas e chuva a cair lá fora. Flics e mortais à retaguarda. 

(quase que punha aqui um bom dia Dezembro. Quase...)

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Podemos sempre contar com quem podemos contar

Ele são os grunhos do BE que revelam sempre o quão mal educados são. É isso e a falta de coluna vertebral que faz com que não hesitem em aplaudir um ditador assassino mas se abstenham de levantar os pandeiros das cadeiras face à presença do mais alto representante do nosso parceiro mais importante. Ele é o casaquinho da primeira-ministra por casamento, nas costas da cadeira, a revelar a total falta de noção de saber estar, que isto realmente quem nasceu para cavador só devia é lidar com batatas.