segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Às vezes apetecia-me recorrer à violência e resolver a coisa na base da bofetada

Gente que acha normal bater em automóvel alheio, deixando marcas evidentes da colisão e ir à sua vidinha, assobiando para o lado, ai que a marca já ali estava, não tenho nada que ver com o assunto.
É isso e tiazorras, colete de cavaleira vestido, que negam ter batido porque, e cito, não deram por nada, não ouviram nada, não sentiram nada. A pessoa enche-se de paciência perante o rol de alarvidades proferidas pela tia loura de colete de cavaleira, que por acaso até tem seguro e que podia muito bem não ter, que a carta verde é o papel da inspecção, que preenche a declaração mas afinal não, que berra enquanto exige que eu chame a policia e me acusa de desonestidade porque ela nem estava a fazer marcha atrás, eu não estava parada, não buzinei e claro, ela não bateu, só ficou muito próximo.
Não lhe dei uma bofetada mas tenho pena, o máximo que consegui fazer foi dar-lhe um berro enquanto lhe chamava muitos nomes feios mentalmente. Respirei fundo e baixei imediatamente o tom de voz enquanto lhe dizia que chamasse a policia se lhe aprouvesse mas que me dissesse de uma vez, que a porra da declaração amigável ainda dava trabalho a preencher e eu queria saber em que ficávamos.
(e a tipa lá me disse para preencher, passados 2 minutos já berrava que não, que queria era a policia, estivemos quase uma hora nisto...)
Boa semana, pessoas!

26 comentários:

  1. Estás a falar a sério???!!! Ahahahahahahahah Não posso... hoje também comecei o dia a estraçalhar o meu carro e o de terceiros. Só assim, para começar bem a semana. (Se tive culpa?!... Nem sei bem... O facto de o outro carro estar estacionado não é vinculativo nisto da atribuição de culpas, ora não?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahahahah segundo a tiazorra de colete à cavaleiro, não.

      Pah que tipa mais idiota, caramba, ela nem ia a guiar, ia a filha, a meio da discussão pergunta-me se não tenho vergonha de estar a prejudicar uma jovem com carta há ,emos de 1 ano. Esta então quase me matava.

      Eliminar
    2. Pipocante Irrelevante Delirante21 de novembro de 2016 às 15:10

      Uma vez uma senhora, a fazer marcha-atrás ao sair do lugar onde estava estacionada, bateu em cheio na porta de um tipo que tinha parado (há muito) a fechar-lhe a saída.
      Explicar-lhe que, mesmo mal estacionado, o senhor não era culpado do acidente...
      (lá está, teve de vir o senhor do cacetete, farda e boina)

      Eliminar
  2. Faz-me lembrar uma situação que aconteceu comigo há uns três anos quando estava num quiosque de rua. Um homem a ser atendido e dois na fila, incluíndo eu. Chega uma quarentona( uma armada em tia), estaciona o carro mesmo em frente ao quiosque, fica ao lado da pessoa que estava a ser atendida e como não quer a coisa começa a falar com a dona do quiosque a perguntar-lhe se tinha a revista encomendada. A tal quarentona tira o dinheiro da carteira e a outra já pronta para lhe entregar a revista. Pus a dita tia no seu lugar, disse-lhe para ir para a fila e que era um mal educada. Ficou de olhos arregalados a olhar para mim, engoliu um sapo e aguardou pela sua vez. Há pessoas que não se tocam!

    ResponderEliminar
  3. A quantidade de vezes que já vi/ouvi dizer sobre pessoas que a sair do estacionamento batem nos carros do lado é assustadora.
    Uma vez vi uma tipo que estava com muita pressa. Saiu com muita pressa. Mas levou a parte lateral do carro ao lado com ela!!! O pessoal que estava no parque foi logo ter com ela, mas quantas e quantas vezes olham a ver se ninguém vê e bazam.

    ResponderEliminar
  4. queira ou não, a tia pode (e deve) ter policia e declaração amigável pois uma não invalida a outra, uma completa a outra e é SEMPRE a melhor opção, concordem, discordem, admitam, assumam ou não

    Policia + Declaração amigável (SEMPRE)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só se for para ter a polícia como testemunha ou para ajudar a preencher a declaração amigável, porque depois o croqui do acidente tem de se pagar (mais uma despesa). Quando se começar a pagar à polícia para ir aos acidentes resolver assuntos de tias, essa mania de os chamar por tudo e por nada, acaba.

      Eliminar
    2. Quando À acordo (declaração amigável) vai chamar a polícia para quê? eles podem ser mais importantes em outras situações e vão estar "presos" por acidente sem nada de extraordinário. Faz lembrar as pessoas que por uma constipação em vez de irem ao centro de saúde vão às urgências do hospital e tornam aquilo um caos para atender os casos de verdadeira urgencia

      Eliminar
    3. Já me deram vários toques Inês, apenas uma vez tivemos de chamar a policia e foi porque houve um possível ferido (uma chicotada no pescoço..). As coisas sempre se resolveram com a declaração amigável e posterior peritagem.

      Eliminar
  5. Este sábado... estava eu no meu "micro jardim" e vejo um tipo a estacionar, de repente só oiço um barulho e penso para comigo, "pronto! já bateu", nisto levanto-me e só vejo o tipo/a, a ir-se embora. Vi parcialmente a matrícula e que carro era. Não sendo nada comigo, fui a dois sítios onde este grande exemplo de civismo poderia estacionar. Encontrei o carro, certifiquei-me que era ele, tirei foto. Agora é só entregar ao meu vizinho, o carro que ficou riscado é o dele. Há gentinha muito, mas muito mal formada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje em dia, bater e ir à vidinha é o pão nosso de cada dia. É incrível.

      Eliminar
  6. Pipocante Irrelevante Delirante21 de novembro de 2016 às 15:09

    Uma hora a discutir?
    Ainda se perguntam o porquê dos homens e tal mandarem nisto tudo...

    Quer assinar a declaração? Sim, vamos a isso, não, chama-se a Autoridade.
    A única vez que um senhor não quis assinar a DE, que a culpa era partilhada (embora ele estivesse a mudar de faixa, mas como "batemos os dois", era 50/50), eu disse que nao concordava, e que ia ver se o polícia partilhava a minha opinião ou a dele. Foi na hora.
    Andar em bate-boca? (...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi bem uma hora a discutir, foi uma hora a ignorar os berros da senhora que tanto dizia que sim que era para preencher, como mudava de ideias e exigia a policia. Mas recusava-se a fazer a ligação.
      Eu já assinei uma declaração sem que chegássemos a acordo, ali ninguém tem nada que concordar, os peritos são pagos por alguma razão.

      Eliminar
    2. Exactamente! Não há nada para concordar - é só fazer o desenho e deixar os contactos. Até podemos escrever que somos nós os culpados, mas são as seguradoras que decidem (discordando, podemos sempre ir a tribunal, claro).

      Eliminar
    3. Pipocante Irrelevante Delirante23 de novembro de 2016 às 01:26

      Não é bem assim.

      A própria descrição do acidente (e desenho) são indiciadores de quem é a culpa. Se a 2ª parte discordar da descrição ou desenho, ha que chamar a polícia.

      Eliminar
    4. Sou mulher e foi exatamente assim que fiz quando um motorista de autocarro veio para a minha faixa de rodagem e embateu no meu carro. Vi que ele não estava para assumir a culpa e de imediato chamei a polícia, embora eles não tenham dado razão a ninguém, limitaram-se a fazer o croqui. Também não houve acordo, assinei eu a declaração e enviei para a seguradora sem a assinatura dele. A vantagem da polícia foi ter o croqui que "testemunhava" a posição dos carros e como eu (e o autocarro) estava quase 1 m dentro da minha faixa.

      Eliminar
  7. Que situação péssima, o melhor era chamar logo a polícia

    ResponderEliminar
  8. Eu fiquei sem espelho retrovisor na semana passada porque uma criatura decidiu que o meio da estrada é que é bom... Eu não me consegui desviar mais porque ou era a criatura ou um muro e pimba, lá se foi o retrovisor! Não é preciso dizer que a criatura não parou, pois não? Sendo já noite, nem vi que marca de carro era, nem matrícula, nem nada.

    ResponderEliminar
  9. Haja paciência. Paciência e obrigatoriedade da introdução de sensores de estacionamento no equipamento-base dos automóveis.

    ResponderEliminar
  10. Mas a polícia agora não vai só quando há feridos? Vai só por chapa? isso não era dantes?

    Eu às vezes uso colete, e sou tia e até vivo em Cascais, será que sou uma tiazorra cavaleira???
    Céus, os cavalos são animais majestosos, mas altos e caros e eu nem tenho nenhum...
    E as tiazorras não usam botas altas por fora das calças? é que isso eu não uso. Ah e normalmente não bato em carros estacionados e nunca fujo e preencho Dec Amigáveis, às vezes até as ajudo os outros quando estão nervosos.
    Ai que trauma com que fiquei Tia Picante, bolas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A policia vai quando é chamada.
      Quanto ao resto... a senhora era tias dos seus sobrinhos caso os tivesse e.. e...

      Eliminar
  11. em agosto uma p.., gaja, partiu-me o espelho esquerdo do bólide por tentar ultrapassar outro gajo numa curva de uma nacional, mandando-se para cima de mim, e nem sequer parou, a p.., gaja. e se partiu o espelho do meu bólide de certeza que o dela, da puta, não escapou a ficar em bocadinhos.
    um gajo tem seguro contra danos próprios mas fica fora de si com o tempo que perde nestas merdas e toma mais pastilhas.
    foda-se, é tirar a carta a estas p.., gajas, e impedi-las de se deitarem com um gajo durante um mês.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. isso é válido para ambos os sexos, meu caro. Asseguro-lhe.

      Eliminar
  12. Infelizmente usar colete, vestir sacoor, ser loira e andar bem "montada" não carrega consigo uma coisa conhecida como seriedade e bom senso. Boa sorte

    ResponderEliminar
  13. Are eu estou com vontade de lhe bater. Há pessoas que realmente são clicas espertas e se acham melhor que as outras.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.