terça-feira, 25 de outubro de 2016

Picante pergunta

A partir de que altura é que uma pessoa abandona a categoria de engraçada com fino sentido de humor cáustico e integra a categoria de tremendamente inconveniente e mal educada?

36 comentários:

  1. :DDDDD

    Mas isto agora é assim? Pergunta Pedro, pergunta Paulo, toda a gente pergunta! E usarem a cabecinha para pensar, está fora de questão? Pensar?! Não, é mais fácil perguntar e deixar os outros responder em vez de dar uso aos neurónios!
    Olha, estudassem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então... Mas para que servem os blogs? Não é para aprender coisas? As pessoas que vão mais longe, nisso da aprendizagem são curiosas e perguntadeiras. Agora toda a gente pode perguntar menos eu, querem lá ver?

      Eliminar
  2. há uma linha que separa...fininha, muito fininha... e por isso nem todos sabem bem onde ela está! ;)

    Carla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lembrei-me agora que tenho essa rubrica, "a linha", uma pena não me ter lembrado antes, teria sido mais apropriado.
      (agora já está...)

      Eliminar
  3. ... e a peninha que eu tenho dos crocodilos?...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora, lady Kina... podemos sempre contar com quem podemos contar.
      A previsibilidade é tão bonita, pois é?...

      Eliminar
  4. este blog passou de blog que nalguns dias até se lê bem, para blog chato como a potassa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me diga uma coisa dessas, olhe que fico deprimida, como é possível? Ser-se tão cruel?

      Eliminar
  5. Não sei bem...mas é algo que realmente deves perguntar a ti própria. Foi exatamente o que passei a sentir aqui. Passaste de alguém com sentido de humor e sarcasmo para uma ressabiada mal educada (e ordinária, que utiliza calão a despropósito). Para mim tem muito a ver com o ser genuíno ou representar um papel. Normalmente a máscara acaba sempre por cair.

    ResponderEliminar
  6. Pode ser o princípio de uma depressão. Sabes que isto de se ter blogs é muito duro para a maioria das pessoas. Pensar, escrever, receber a turba diabólica dos anónimos mauzões... A pessoa às tantas, poing, desce do salto e olha, esbodega-se toda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha querida Uva, um blog é mesmo só um blog. Mas quem é que liga ou se importa com a opinião de desconhecidos disfarçados de anónimos?
      Dou-te o exemplo do imbecil que comentou imediatamente antes de ti. Mas aquilo ofende ou aborrece alguém? A sério que as pessoas se aborrecem com comentários que se vêem à légua serem feitos unicamente para aborrecer?

      Quanto ao que dizes, a pessoa até pode descer do salto e levar tudo à frente. Não é faz é por sistema e malcriadamente, digo eu.

      Eliminar
    2. Ora, Uva, não tem que ser assim tão duro. Também se pode fazer simplesmente copy paste de outros blogues. Não é preciso pensar nem escrever muito.

      Eliminar
    3. Acho que a Uva se está a referir à pressão da crítica anónima.

      Eliminar
  7. Diria que é quando o blogger se esquece que tem uma máscara.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos nós, bloggers ou não, usamos máscaras e filtros. O trato social assim o exige.

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Como, quem? A pergunta é clara. Que é isso de quem?

      Eliminar
  9. No seu caso deve andar ali pela altura dos posts a chamar parva de merda e coisas do género. Tem graça falar nisso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem graça eu nunca ter chamado isso a ninguém. Tem mesmo muita graça vir dar-me esse exemplo. Tem graça e é revelador.

      Eliminar
    2. Podemos pegar então naquele lindo poema acabado com puta que pariu as feministas, se preferir.

      Eliminar
    3. Isto era tão mais fixe quando as parvas de merda eram unha com xixa...

      Eliminar
    4. Por acaso continua a ter muita graça ir buscar o exemplo de um post que eu escrevi na brincadeira, num blog que não era o meu e claramente a imitar um estilo de escrita que também não é o meu. Tem mesmo muita graça.

      Mas continue à procura, pode ser que um dia chegue lá. Força, hã? Não desista.

      Eliminar
  10. Pipocante Irrelevante Delirante25 de outubro de 2016 às 15:29

    Depende de quem lê

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também. é um facto que a benevolência (ou falta dela) do leitor condiciona.

      Eliminar
  11. Na altura em que o silêncio substitui a gargalhada. Esta é fácil ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem sempre, nem sempre.
      (mas concedo que é uma boa medida)

      Eliminar
  12. A partir do momento em que tem um teclado moderno com muito tempo livre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sério? Quem não tem tempo livre não pode ser mal educado?

      Eliminar
    2. Pode,mas ainda assim precisa de teclado moderno.

      Eliminar
  13. Eu diria mesmo que depende de quem lê e de quando lê, que nós não temos a mesma disponibilidade mental todos os dias e a todas as horas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também mas não só.
      Mas tem razão, não temos a mesma benevolência para com quem não nos é querido.

      Eliminar
    2. Pois... Quando é com os outros, achamos muita piada, mas depois quando cai no nosso quintal, nem por isso, não é? Vá lá, isto são só blogs e tu nem a conheces de nenhum lado. Aquiloo ainda são restos do pós-parto ou alguma alteração da tiróide. ;)

      Eliminar
    3. Não conheço quem? Quando é «com os outros o quê? Nosso quintal? Este comentário faz imenso sentido, sério que faz.

      Eliminar
  14. Já que estamos numa de perguntas alguém que me explique o que é uma embaixadora online. Por favor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alguém que dá a cara por alguma coisa. É uma expressão muito usada.

      Eliminar
    2. Mas porquê online??

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.