quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Podia perfeitamente ter um blog com dicas* de poupança

Em tendo filhos pequenos podem poupar muito dinheiro se souberem comprar roupa. Afastem-se dos mercados e mercadinhos, aquilo é um roubo, as marcas chegam a cobrar mais em mercados que aquilo que cobram nas lojas, físicas ou on line.
Façam listas. Vejam exactamente quantas camisolas, calças, saias ou calções é que precisam e comprem tudo com um ano de antecedência, nos saldos. Com paciência obtêm descontos até 70%. No início da estação podem comprar uma ou duas peças daquelas que sabem que não vão chegar aos saldos e das quais gostem mesmo. Optem por comprar os básicos nas Zippys desta vida, não há necessidade de comprar meias a 15€ havendo iguais a 5€.
Entre os 3 e os 6 ou 7 anos, bastará terem umas duas ou três mudas de roupa daquelas mesmo giras, mais carotas e mimimi, a partir dessa idade dificilmente as meninas quererão vestidos e saias. Não se esqueçam que a roupa dificilmente dura mais que duas estações, não façam como eu que um dia abri o armário da minha filha e contei alguns 15 vestidos de doze meses, dei alguns ainda com a etiqueta.
Tentem não ceder aos desejos de consumo, para isso o melhor é pensarem que já têm 4 casacos de malha, que efectivamente aquele do pom pom beige que ficaria tão amoroso caso comprassem umas meias da mesma cor e uma camisa aos quadrados em tom de azul e beige, para dar com o vestido de fazenda azul sem mangas que lá têm em casa, não é de todo preciso, até porque já têm quadro conjuntos a fazer o mesmo feito...


* e o que me custou escrever a palavra, Senhores? Sabem lá vocês o que eu odeio esta palavra, quase tão má como... bem, como... hum... pois é isso.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Picante pergunta

A partir de que altura é que uma pessoa abandona a categoria de engraçada com fino sentido de humor cáustico e integra a categoria de tremendamente inconveniente e mal educada?

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Podia perfeitamente ser uma mummy blogger

Mas depois teria de fazer uma série de beicinhos e boquinhas e olhinhos e trejeitinhos e o caracinhas e, em verdade vos digo, que acho os tiques "ai eu sou tão gira e engraçada" um nadinha ridículos em demasia. 
(só um nadinha, hã? nada de muito grave...)

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Podia perfeitamente transformar isto num baby blog

Minhas boas e queridas amigas, vinde aqui à Tia Picante que tem uma importante dica para partilhar convosco. Não é tão bom? Isto de partilhar coisas de grande utilidade e mistério? Mas, minhas boas amigas, dizia eu que tenho uma importante dica a partilhar, para vosso esclarecimento e minha satisfação em fazer o bem a troco de nada. Preparadas? Então aqui vai, em os vossos gordinhos e gordinhas tendo o nariz entupido não desesperem por não valer a pena passar-lhes um lenço para a mão, afinal eles são sobredotados mas não se sabem assoar, não é? Calma! Tranquilas! A Tia Picante ensina como resolver este importante drama que aflige tantas mamãs. As minhas queridas e boas amigas apenas têm de dar umas esguichadelas de soro fisiológico para dentro das narinas dos babies. Caso eles se encontrem mesmo muito constipados podem substituir o soro por água salgada, a qual existe à venda em farmácias, mais ou menos ao preço desse néctar maravilhoso que é o champagne, mas está também disponível em casa: é só ferver água e sal, esperar que arrefeça e... tcharan! Água salgada ao preço de água!
Podem também fazer vapores às criancinhas, nem que seja pô-las na casa de banho enquanto vocês próprias cuidam da vossa higiene diária, ou massajar-lhes o peito e costas com uma loção / pomada à base de hortelã. Eu usava, e ainda uso, Transpulmina em mini Picantes, sempre com resultados muito satisfatórios, mas perguntem aos vossos pediatras, antes de seguir os conselhos de uma blogger qualquer, armada aos cucos, ainda que essa blogger seja a vossa querida Tia Picante.
E por hoje é tudo, minhas boas amigas, não foi tão bom?

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Praticamente sem tempo para blogs

A pessoa anda numa roda viva, os problemas quando aparecem fazem questão de vir aos pares, a pessoa anda meio adoentada e tem aproveitado para se deitar cedinho, vai daí que, minhas boas amigas, vai daí que quando a pessoa finalmente resolve dar uma volta pelos blogs pensa que está no meio de um livro da Condessa de Segur. Mas que caralho se terá passado que agora toda a gente é de Rosbourg e Fleurville?

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Pobre Martim, havias de ser meu filho e levavas era uma tareia das antigas

E daí talvez não fosse necessário chegar ao ponto de lhe dar uma sova mestra e de o pôr de castigo aí até aos 36 anos, mais coisa menos coisa, afinal eu nunca fui pessoa de desculpabilizar as asneiras do meu rico filho, sempre lhe ensinei que cada acção gera uma reacção, que há uma linha clara que separa o certo do errado, que a sociedade condena as acções erradas, que ele inclusive há acções que, se praticadas a partir dos dezasseis anos, são susceptíveis de dar cadeia por entrarem da categoria de crime.
O pobre do Martim, tão injustiçado que é pelos professores, tem como entretém criar contas de facebook com o nome e fotografia dos colegas de quem não gosta, de maneira a injuriar de puta para cima algumas das meninas. Quando finalmente entra na sua própria conta tem por costume dizer que comeu esta ou aquela "gaja", a qual invariavelmente é uma puta. Mordi a língua para não dizer ao meu filho que as gajas que o Martim come se chamam, na melhor das hipóteses, mão direita, em vez disso disse-lhe apenas que os rapazes que se gabavam das suas conquistas, além de serem uns imbecis mal formados (coisa plenamente corroborada pelas infracções legalmente puníveis que faz no facebook), normalmente não conquistavam era mesmo nada.
O ano promete.

(e vocês? também têm livre acesso aos chats das turmas dos vossos filhos?...)

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Temo verdadeiramente pelo futuro desta geração

E lá estava ela, indignação da voz, enquanto defendia o seu rico filho questionando as medidas e regras da escola, que aquilo não servia para nada, que era contra-producente, uma vergonha, completamente anti-pedagógico, onde já se viu? Um professor a fazer chantagem com os alunos, a ameaçá-los de falta disciplinar caso não se calassem e não seguissem a aula em silêncio, que o seu pobre filho tinha sido muito injustiçado, pois que tinha sido mandado para a rua ainda nem a aula se tinha verdadeiramente iniciado.
E lá estava eu, a virar-me para trás, olhos arregalados, ao ouvi-la dizer que não podia ser, que o pobre do Martim já contava seis ou sete faltas disciplinares, ainda nem um mês de aulas se tinha ultrapassado. Revirei os olhos quando uma mãe se queixou que era frequente a filha não perceber exactamente que trabalhos de casa passava uma das docentes e arfei quase audivelmente quando reparei que vários dos pais passavam as datas dos testes e horários de aulas de dúvidas. 
E lá voltei eu, a levantar-me apressadamente, no segundo em que a directora dava a reunião por encerrada, sou sempre a primeira a sair, continuo em modo "tirem-me deste filme", gosto muito de reuniões de pais, não sei se perceberam.

(O Martim? Oh!... pobre do Martim, estou para aqui capaz de dizer umas coisas sobre o Martinzinho, desculpabilizado pela sua mãezinha, mas pensando melhor acho que isto é coisa para merecer um postezinho inteirinho de maneiras que fica para amanhã)

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

E este texto? Também o vais copiar para o teu mural?

Lido bem com teimosos, perdão, gente tremendamente persistente e de fortes convicções, sorrio para os egocêntricos enquanto penso que a vida se encarregará de lhes mostrar que afinal não é bem assim, canso-me a explicar aos obtusos que as coisas são como são, perco horas a mostrar a luz aos cegos, faço-me de surda perante os ordinarões, tolero bem os exibicionistas e até mesmo os cínicos.
Mas, por Deus, poupem-me aos idiotas que insistem em plagiar textos alheios com o maior dos despudores, aos asnos que são apanhados a reincidir enquanto mostram vidas alheias.
Em verdade vos digo que a Maria José Portugal Portugal nem irritar consegue, depois de um primeiro momento "whar the hell?" a pessoa abana tristemente a cabeça e não consegue deixar de sentir alguma piedade por quem só consegue ser engraçada, sensível ou inteligente por interposta pessoa.
 
 
 
Eu poderia fazer um comentário mesmo contundente sobre a figurinha mas não há necessidade, já é triste o suficiente a pessoa vestir-se aos cinquenta anos qual miúda de vinte, isso e ser inteligente apenas por interposta pessoas, não sei se já disse.