quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Picante prova como veio ao mundo para mostrar a luz

Estais desesperados com o que pôr nas marmitas de vossos pequenos rebentos? Bufais de indecisão ante a perspectiva de enviar batatas fritas da véspera ou um saboroso arroz de tomate? Não sabeis que complicada ementa elaborar para uma requintadíssima festa de aniversário? Não tem problema nenhum, a Tia Picante explica.
Comprais termos com dupla divisória, encheis uma caixa com sopa e a outra com as sobras do jantar do dia anterior, o qual deve sempre ser confeccionado tendo em mente isso mesmo. Pondes tudo no frigorífico  e no dia seguinte aqueceis no microondas. Mandais uma peça de fruta à parte, tendo o cuidado de evitar bananas no Verão, ficam todas moles com o calor, os vossos petizes não gostam de bananas moles e pisadas (nem vós, não é?...). Podeis ficar sossegados, pequenos infantes não andam à solta pelo refeitório, as auxiliares encarregam-se de verificar que eles comem tudo e sim, comem, até mesmo aquilo que se recusam a comer em casa. Uma vez por semana podeis fazer um miminho e enviar uma gelatina ou um pudim caseiro. Hambúrgueres, omeletes, douradinhos ou croquetes deverão ser confeccionados de manhã, ainda estais vós com um olho aberto e outro fechado. Nunca por nunca enviar restos de pizza, ficam uma verdadeira nojice.
Para as festas de aniversário podereis confeccionar sandes ou pães de leite com fiambre e queijo, salada de frutas (espetadas, se tiverdes paciência ou empregada), bolos secos tipo iogurte ou mármore, pipocas, gomas e batatas fritas. É sucesso garantido e não dá trabalho absolutamente nenhum.
Agora ide em paz e que o Senhor vos acompanhe, não sei que seria de vós sem a Tia Picante, escusais de agradecer, ide e deixai-me sossegada.

167 comentários:

  1. E salame de chocolate? Noto que esse ícone da doçaria festiva anda esquecido. Uma vez que agora a moda é o retro-chique parece-me que está na hora de o recuperar. A bem dizer, cá por casa nunca deixou de se fazer salame, mas na qualidade de mãe de criança em idade escolar que a acompanha às mil e uma festas de aniversário dos coleguinhas, reclamo a reposição do salame de chocolate nos menus festivos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como é que me fui esquecer do salame? É sucesso garantido, não sobra uma fatia.

      Eliminar
    2. eu sou a que faz sempre o salame para as festas da escola... e é coisa que filhinha querida gosta de fazer com o seu rico pai. E ai de quem não a deixar partir as bolachas e os uvos! (Tem 7 anos)

      Eliminar
    3. É fazer salame em bolinhas em vez da fatia e espetar um coiso daqueles dos cake pops ou colocar nas forminhas dos chinocas (quer dizer, das lojas de especialidade) e está feito! Fica muito mais chique!

      Eliminar
  2. Agora mais a sério.
    Quanto custa uma refeição quente e acabada de fazer (sopa, prato e fruta) na cantina escolar? Sei que nas escolas públicas os meninos pagam de acordo com os rendimentos do agregado. Compensará mandar almoço de casa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na do meu 1,46 é o que pagam todos os pobrezinhos que lá andam, não sei se para os miseráveis será menos. A comida na cantina é francamente má, fornecida por uma empresa qualquer. Mas se eu lhe sugerisse levar uma marmita, o rapaz acharia que eu perdera o resto de juízo que me sobrou...

      Eliminar
    2. Aliás, nem sei como é que ainda "aceita" levar um lanche para comer em um dos intervalos... estou mesmo a ver que qualquer dia me vem dizer que já não tem idade para isso e não sei quê da autonomia...

      Eliminar
    3. Mas há quem pense mandar marmitas para crianças de escola almoçar?
      Uma refeição na cantina não chega a custar 2€...

      Eliminar
    4. 1,46€ - não dá para o trabalho!

      Eliminar
    5. Os almoços são 1,46€, os lanches variam de preço mas o máximo que se pode cobrar é 0,61€.

      Eliminar
    6. Menos de um euro e meio

      Eliminar
    7. Com filhos na escola pública não compensa mandar almoço de casa. O máximo que se paga pela refeição, na escola da minha filha, não chega a 2 euros (o valor varia porque são fixados pelas Câmaras Municipais).

      Eliminar
    8. Fica, ou ficava, bem menos que um Happy Meal. Existe é a problemática da qualidade. Fiz o meu percurso escolar obrigatório em 3 escolas diferentes, mas como naquele tempo só tinha aulas de manhã na primária (é estranho pensar que isso é possível nos dias de hoje), só cheguei a ir por vezes à cantina das outras duas. Uma era bastante boa, não tenho nada negativo a apontar. Outra só era boa uma ou duas vezes por período (geralmente em dias especiais). Relembro com uma leve sensação de nojo profundo, uma espécie híbrida de omelete/panado de peixe com cenoura lá no meio que não só parecia que uma senhora pássara tinha mastigado aquilo para nós passarinhos comermos. O "look" era "greg da queima das fitas" o sabor também era semelhante. Note-se que pode ter melhorado, mas depois de uma breve chinca a custo nunca voltei lá nos dias de peixe (e comia por vezes carne a custo).

      P.S. Peço perdão pelo excesso de descrição. Tentei ser o menos violenta possível, mas tenho trauma.

      Eliminar
    9. Eu pago 90 euros por mês; não faço ideia de qt custa noutras escolas. Mas os menus têm 2 snacks e almoço completo (com sopa e fruta e peixe e até opções vegetarianas). O mais velho leva termos com jantar da véspera e frutas e iogurtes líquidos. É muito mais barato mandar de casa; mas o pequenino ainda não está adaptado e prefiro que ele coma. Assim que se adaptar, leva o mesmo que o irmão.

      Eliminar
    10. Quem não tem escalão paga 1 euro e pouco. Sopa, prato, pão, água e fruta. De acordo com as instruções de nutricionista. Não vale a pena.

      Eliminar
    11. Creio que só compensa no privado, em que almoçar e lanchar na escola custa praticamente metade da mensalidade.

      Eliminar
    12. Caros todos,

      Nas escolas públicas o almoço fica a 1,46€ e isto no escalão mais elevado. Quem tem SASE nem paga. O lanche acho que é qualquer coisa como trinta cêntimos, nem sei. Na maior parte deles acho que as crianças nem sequer podem levar marmita, ou comem no refeitório ou vão almoçar a casa.
      Acontece que no privado os almoços são qualquer coisa como 150€. 300€ no caso de terem dois filhos. Apesar da taxa de refeitório que se paga (à roda dos 40€), compensa largamente enviar cesto de casa.

      Eliminar
    13. 1.46 na escola da minha filha.

      Eliminar
    14. Uma amiga minha tem a filha numa creche privada (num colégio, que é mais chique dizer assim!) e paga um balúrdio para que ela coma lá, mas, se mandar a comida de casa, tem de mandar um papel com os ingredientes todos que a comida dela e pagar um "subsídio de cesto" (ou seja, pagar à educadora que vai dar a comida à criança). Nos colégios é tudo extra e para chular mais os pais!

      Eliminar
    15. colégio com associação
      é esse euro e tal
      (isto para não pensarem que é tudo rico)

      Eliminar
  3. percebe-se agora a obesidade infantil em Portugal
    gomas. batatas fritas. pudim. hambúrgueres. douradinhos. croquetes. pizza. pães de leite com fiambre e queijo. bolo mármore. pipocas
    se quereis refeições saudáveis para os vossos pequenos rebentos favor consultar blog de Tia Picante

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é para as festas de aniversário, não é para levar para p almoço. Lê o que lá está escrito, burra! A não ser que haja festas todos os dias não me parece problemático que de vez em quando se comam guloseimas.

      Eliminar
    2. Sim, tem a razão. Também partilho do ser ponto de vista, é por isso que em todas as festas de aniversário eu sirvo pescada cozida com cenoura e feijão verde.

      Eliminar
    3. Os meus comem hambúrguer regularmente. De vaca ou peru grelhado, acompanha com arroz e salada. O drama! Que refeição de gente gorda!...

      (é tão bom quando vêm aqui contrariar e fazer figura de parvos...)

      Eliminar
    4. O comentário anónimo das 13:51, representa a estupidez deste país. Deve ser uma das pessoas que organizou o workshop.

      Bom senso, gente. E já agora aprendam a ler.

      Eliminar
    5. O comentário anónimo das 15:44, representa a boa formação deste país. Deve ser uma pessoa que organiza o workshops de inteligência.

      Bom senso, pessoa das 15:44. E já agora aprende a não lamber botas.

      Eliminar
    6. Lamber botas? Por dizer que um comentário estúpido é efectivamente estúpido?

      Eliminar
    7. Anónimo de 30-09-2016 às 10:31

      Continue lá com o workshop, faça lá os seus trocados com as ovelhinhas cor de rosa.

      Já agora, dou-lhe de barato, outro workshop! Nunca sei o que vestir aos miúdos! " Como vestir a sua criança com o outfit que todos adoram!

      Vá com Deus.

      Ass: Anónimo das 15:44

      Eliminar
    8. Anónimo de 30 de setembro de 2016 às 12:37
      Tia Picante a comentar o seu próprio blog como anónimo. hilariante AHAHAHAHAH
      nada que a blogomundo não desconfiasse

      Eliminar
    9. Isto é como tudo na vida, tanto pode ser verdade como não. Neste caso eu até sei que estou aqui a comentar a favor da opinião dela e eu existo mas vocês anónimo das 12.37 e das 19.59h podiam ser a mesma pessoa. Aliás nós os 3 até poderíamos ser a mesma pessoa, não é?

      Eliminar
    10. É isso, é.nunca tenho quem fale comigo e como tal comento o meu próprio blog em regime de anonimato. Aliás o seu comentário também é meu.
      Como adivinhou?

      Eliminar
  4. Há as mães que não sabem o que por na marmita dos filhos e depois há estas que nos tiram do sério (e as dos comentários ainda pior)...

    http://amaeequesabeblog.blogspot.pt/2016/09/fui-abencoada.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O drama! A tragédia! O horror! Um bolo de aniversário com açúcar e manteiga!

      (Bela porcarias de bolas que devem ser esses...)

      Eliminar
    2. Foda-se isto és demais!!! 1 vez por ano, no aniversário...ter um bolo com açúcar, é o fim?

      Pessoal de extremos. Muitos preferem trocar o açúcar por adoçante, aspartame que faz tão bem à saúde...not.

      Eliminar
    3. Está tudo a ficar maluco! É por isso que a maioria dos casais hoje em dia só tem 1 filho, com tanto histerismo à volta desse nem têm tempo para pensarem noutro! E se por acaso tiverem outro ficam doidos (doidas, é mais as mulheres!) varridos e têm que ser internados!! Haviam de falar aqui com uma amiga (ou comigo, que não sou nada histérica, mas ainda só estou grávida do 2º, não tem o mesmo impacto!) que tem 4 filhos, a ver se ela tem tempo para essas paneleirices e eles estão aí saudáveis!!

      Eliminar
    4. Eh pá, eu partilho gelado com a minha sobrinha que tem um ano e pouco. A minha irmã qualquer dia pede uma ordem de restrição.

      Eliminar
    5. A depressão pós-parto nada tem de ridículo. Tendo em conta que as mulheres acumulam o seu emprego com a maioria do trabalho de casa, ter mais de um filho pode ser uma grande carga, sim.

      Eliminar
    6. Não querendo ser advogada do diabo... Não me parece tão descabido assim. Há miudos com intolerâncias alimentares em que até os bolos têm que see especiais. Na crechr do meu, por exemplo, há uma miuda com intolerancia à lactose, os bolos têm que ser sem manteiga, mesmo aquele bocadinho com que se barra a forma, sem leite ou derivados. Claro que há um super exagero, uma super proteçao contra os açucares, mas tbm poderá haver outra situação.

      Eliminar
    7. É por então isso que eu, com os meus três putos, estou praticamente com os pés p'ra cova! :D
      Mas que estão todos saudáveis, lá isto estão! Que Deus mos conserve assim!
      E até fazemos parte dos pobres que apenas têm dinheiro para um almoço escolar a 1,46€ cada miúdo.
      Somos pobres, mas felizes e genuínos. Ah...! e muito asseadinhos também... ,isto é... quando não calha aparecer uma cabeça com piolhos, ou duas, ou três... ou quatro! Sim porque eu também já os tenho apanhado...

      Eliminar
    8. Mas que depressao pós parto? Alguém por acaso falou em depresso pós parto? Acho fantástico como conseguem ler coisas que não foram escritas em lado nenhum...

      Eliminar
    9. Caracol, no caso de crianças com intolerâncias, que são um mínimo, isso claro que se justifica. Nunca apanhei nenhuma, nas turmas dos meus petizes. Já mães esquisitas...

      Eliminar
    10. Sim, disso também há. Com demasiada fartura. ;)

      Eliminar
    11. O meu filho é intolerante à lactose e eu acho aquele post ridículo até ao tutano, assim como aquela mãe que chama os outros de egoístas e parvalhões porque não fazem bolos a pensar no seu petiz. Santa paciência! Eu cá sei bem quem acho parvalhão e egoísta...

      O meu filho desde os seus 3 aninhos que sabe o que pode comer e o que não pode. Se lhe custa? Claro. Se lhe faço um bolo de anos (com açúcar), com gluten e sem lactose ou derivados? podem querer que sim. E arranjo sempre forma de ele não ficar a olhar para o bolo dos outros sem nada para adoçar a boca.
      O horror de mãe que eu sou?! Pois...e vocês nem imaginam que, tendo em conta que ele não corre o risco de ter um choque anafilático também já o deixei comer um daqueles bolos que ele não pode comer... se depois passo a noite com ele na casa de banho e as dores de barriga e outras coisas? Claro que passo... e ele sabe que aquilo vem do bolo e ainda assim volta e meia permito que ele escolha se prefere a dor de barriga e o mal estar descomunal (e eu vejo como ele sofre) ou prefere não comer. E, a maioria das vezes, ele opta por não comer.

      Se ele corresse o risco de morrer com um choque anafilático ou se a reacção fosse adversa ao ponto de colocar em risco a saúde dele seria óbvio que não poderia fazê-lo. Se um bocado de açúcar, com bom senso lhe faz mal? Eu acho que pior fazem essas mães...

      Eliminar
    12. Picante

      Eu até respondi a esse post no tal blog.
      No meu caso tenho um miúdo com alergia muito grave a determinados alimentos (com risco de choque anafiláctico).
      A alimentação do miúdo segue as restrições necessárias, o resto da família come normalmente. O miúdo foi habituado assim e não tem problemas com o facto de não poder comer o que os outros comem (ele nem nunca provou, sabe lá se é bom ou mau).
      O miudo não tem problemas e eu estou completamente na boa.
      Mas, nos comentários daquele post percebi que há muitas mães que têm imensos problemas com isso. E que acham que todos os pais deveriam saber as alergias (ou exigências alimentares) dos seus filhos. E que é uma falta enorme de empatia e compaixão não agirem desse modo.
      Há gente muito maluca!

      Eliminar
    13. Há muitas mães completamente parvas, nada a fazer. Óbvio que as outras mães não têm obrigação de saber das alergias dos outros. Eu confesso que nunca soube de nenhum caso nas turmas dos meus (mas também nunca me lembrei de perguntar).

      Muitas felicidades às duas, se alimentação sem qualquer restrição já é uma dor de cabeça, imagino o que será quando eles têm restrições severas.
      Um beijinho e tudo a correr bem.

      Eliminar
    14. Aconselho algumas mães por aqui a se informarem com os seus médicos de família/pediatras sobre o que são alergias e intolerâncias alimentares, são coisas muito diferentes.As intolerâncias alimentares não são potenciais causadoras de choques anafiláticos. As alergias sim.Ambas são uma chatice e com ambas há que ter cuidados. Bem hajam.

      Eliminar
    15. Caro anónimo das 12.47h eu, a anónima das 23:28h, acho que ainda posso confiar naquilo que a pediatra especialista em gastroenterologia diz que o meu filho tem ou deixa de ter :)
      Mas se for especialista na área posso-lhe enviar o caso dele todo documentado, uma vez que todos os especialistas de 3 grandes hospitais não conseguem decifrar o caso dele por completo... pode ser que os ajude a chegar a uma conclusão.

      Eliminar
  5. penso que não compensa levar almoço de casa... os almoços em cantinas ou em ATL têm um preço mais do que justo e , no meu caso, não acho que as refeições sejam de má qualidade.
    Eu também voto para o regresso do Salame nos eventos festivos dos nossos petizes!
    Lili

    ResponderEliminar
  6. Nem sei como a minha mãezinha me criou sem ler blogs e/ou fazer workshops acerca do assunto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu safei-me que ia almoçar a casa!
      (odiava, despachava-me sempre mais tarde que as minhas amigas, perdia a maior parte do intervalo...)

      Eliminar
  7. Pipocante Irrelevante Delirante29 de setembro de 2016 às 15:12

    Esgotado... A keyword é "esgotado".
    F d s
    Sem palavras...

    Nem sei como sobrevivi, que a minha mamã nunca foi a um workshop de nutrição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Decerteza que o PID fazia como eu e almoçava em casa, é a única explicação.

      Eliminar
    2. Pipocante Irrelevante Delirante29 de setembro de 2016 às 15:39

      Estamos realmente entregues a uma geração de anormais. Um exército de carneiros.
      O problema é que os carneiros, quando conduzidos por um mau pastor, podem fazer estragos.
      Não sabem que comer, não sabem que vestir, não sabem como se comportar, não sabem dar uma cagada no wc sem recorrer a um workshop a um livro escrito por uma "especialista".
      Pôr a criança a arrotar é elevado a ciência.
      Tenho muito medo do que aí vem...
      É que hoje, e sem ironias, "ensinam" a comer, amanhã são bem capazes de "ensinar" a votar ou coisa parecida.

      Eliminar
    3. Já faltou mais, já. Triste povo o nosso, estúpido como as portas.

      Eliminar
    4. Eh pá se há pessoal a comprar porque a fulana A diz que gosta muito, e nunca usou o produto....vale tudo.

      Eliminar
    5. PID ao poder! Não posso concordar mais, está tudo dito.
      Que cambada...

      Eliminar
    6. Os nossos blogs não são nada comparados com os anglo-saxónicos, verdadeiramente assustadores, começando nos anti-vacinação e terminando naqueles que prescrevem tratamentos criminosos para crianças com cancro.

      Eliminar
    7. PID quando abre o seu blog?

      Eliminar
  8. Pipocante Irrelevante Delirante29 de setembro de 2016 às 15:16

    Marmita?
    Que cena pelintra...
    O meu leva a bimby de casa já com os ingredientes lá metidos, é só ligar à ficha, premir o botão, e voilá, sai uma refeição completa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim sim! Rapaz desenrascado! E a mochila não vai muito pesada? Leva tudo num carrinho de mão?
      Vou tratar disso na próxima segunda, leva a varoma e faz um peixe cozido ao vapor com legumes!
      Obrigada pela sugestão

      Eliminar
  9. Pipocante Irrelevante Delirante29 de setembro de 2016 às 15:19

    2ª) feijoada à transmontana ou cozido à portuguesa (resto do fim de semana)
    3ª) sopa (dos restos dos restos do fim de semana) e soufle de camarão
    4ª) duas chamuças, um rissol de leitão e dois croquetes
    5ª) sushi (as vossas crianças não comem sushi?)
    6ª) caldeirada à fragateiro ou arroz de tamboril

    Todos os dias, uma salada de alface, tomate e beterraba, com molho de iogurte magro e sementes

    ResponderEliminar
  10. Mirone

    No 1º ciclo do básico 1,46Euros. No 2ª e 3ª ciclo também é perto desse valor.
    A questão que se põe é " a qualidade" da refeição.
    A minha miúda é boa boca mas nesta nova escola detesta os pratos de peixe. Para já nos dias em que é peixe leva comida de casa (sopa, prato e fruta). Não me custa nada arranjar as coisas de manhã e a miúda fica muito mais satisfeita.
    É porque há dias em que tem aulas das 8:30 às 18:00 e ela que tem de estar bem alimentada, se não comer bem ao almoço (e comer bem é sopa, carne/peixe+arroz e legume - sandes, pizzas whatever, não é comida para a minha filha, não a deixa satisfeita), dizia eu, se ela não comer bem ao almoço fica rabugenta e impaciente o resto da tarde.
    Não faço ideia para que blog é a critica, mas neste assunto acho que levar comida ou comer na escola, são ambos opções mais que normais. Não vejo nenhum mal nisso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém critica nem quem almoça na escola, nem quem leva almoço.
      (e tem toda a razão, normalmente os pratos de peixe são muito mauzinhos, pequenos Picantes nesses dias até se torcem, ou torciam que agora vão muitas vezes almoçar a casa da avó...)

      Eliminar
    2. Perguntei mesmo por não saber quanto custava. Na escola da minha filha os lanches e almoço estão incluídos na mensalidade e a qualidade da comida é bastante boa (grande parte dos miúdos até pede para repetir!). Há dias em que cheira tão bem que até eu fico com vontade de lá almoçar. A minha filha teve sorte. Eu andei num colégio e a comida era uma bodega, a maior parte dos alunos preferia trazer de casa ou comer uma sandes no bar do que comer a comida feita na cantina.
      Acredito que a qualidade varie de escola para escola, consoante seja cozinhada lá ou contratada uma empresa de caterIng, e que nem todas as refeições de cantina sejam deliciosas (ainda que do ponto de vista nutricional cumpram todos os requisitos), mas por 1,46€ não se podem fazer milagres.
      Não havendo grandes queixas quanto à qualidade da comida, acho que por esse valor não compensa levar marmita de casa.

      Eliminar
    3. Mirone, a questão dos almoços de cesto só se põe no privado. Nas escolas públicas nem é permitido (na maioria, pelo menos)

      Eliminar
    4. Picante

      Na escola da minha filha há microondas na sala dos alunos, para eles aquecerem a comida. E depois podem juntar-se aos colegas na cantina.
      O ano passado ela ainda aguentou a cantina o ano todo (se bem que havia dias que chegava a casa e comia de enfiada 2 pratos de sopa, e um belo parto de arroz/massa+carne - mesmo que fossem 16h.
      Este ano ela pediu-me para levar comida nos dias em que fosse peixe e não me pareceu nada do outro mundo.
      Se a miúda fica mais satisfeita e se sente melhor, não é por aí que vem mal ao mundo (e não me custa nada tratar do almoço dela de manhã - também levo o meu).
      Em relação a workshops para ementas de marmita (é disso que estão a falar , certo? - ainda não dei com o blog), nem há comentários para o ridículo da coisa.
      (eu acho que esta gente frequenta esses "mais do que inúteis" workshops para poder dizer que conhecem a bloguer "tal". E que são muito "in" porque já falaram com a CCnaF ou PMD. Enfim, é verdadeiramente estúpido, mas não me parece que haja algum interesse em aprender o que quer que seja.

      Eliminar
    5. Foi uma publicidade (acho) que a MD fez.

      Uma sorte, isso do microondas, acho que no público não é muito comum.
      (se bem que Deus me livre de voltar aos cestos, se havia coisa que me aborrecia era ter de arranjar os cestos)

      Eliminar
  11. Sinceramente picante, nem sei o que pensar quando li sobre o tal workshop. A que ponto chegamos? Que é isto?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exploração até ao tutano de gente mesmo idiota. É a única explicação para se frequentar um curso que ensina o que pôr na marmita das crianças.

      Eliminar
    2. Eu tenho 38 anos picante, e mesmo não tendo a melhor alimentação do mundo, tenho cuidado, ainda mais cuidado com o meu filho. Todos sabemos o que é errado. É uma questão de bom senso. A educação que nos deram.

      Não pode ser 8 ou 80.
      Estou chocada. E pior, se houver pessoas a ir...bem os mercaditos estão cheios, pelo que ... n tenho palavras.

      Eliminar
  12. O meu está no privado. 3,80€ por refeição com redução de 5% se pagar às refeições do ano todo. Nunca vi a comida, mas a ementa parece bastante razoável e ele como sempre tudo ( coisa que jamais acontece em casa). Leva lancheira com o lanche da manhã e da tarde. Pão, fruta, iogurtes, queijinhos ... É que, acho que não tem muito que saber...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas no público as ementas também são muito razoáveis. O maior problema são os pratos de peixe, aquilo é subsidiado mas ainda assim elas não conseguem fazer milagres, a maior parte das vezes o peixe é mau.

      Eliminar
  13. Cambada de pobres! €1,49 é nas escolas publicas! O workshop é só para quem tem filhos em escolas privadas e leva na marmita!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipocante Irrelevante Delirante29 de setembro de 2016 às 16:51

      banana mole... salame... leva na marmita... este post começa a ficar recheado de expressões de duplo sentido.

      Assim não dá...

      Eliminar
    2. E os "indinheirados" (parece que é aí que quer chegar) são acéfalos? Não sabem o que é uma alimentação saudável? Precisam de workshops?
      Poupem-me, é descabido.

      Eliminar
    3. Lava na marmita??? Pobres crianças, levar na marmita é agressão.

      Eliminar
    4. Hahahahah "leva na marmita"!!! Devia pensar, primeiro, no que escreve. A língua portuguesa é muito traiçoeira. :D

      Eliminar
    5. Mas que rica escola de "ricos" que nem a qualidade mínima aceitável conseguem ter num prato de comida para as crianças que lá estão a um preço acessível. Vê-se bem a preocupação da escola "dos ricos" para fazer dinheiro...ups, com as melhores condições e a melhor educação dos nossos queridos e "ricos" filhos.

      Eliminar
    6. Ajahahshahahah
      Poderia ser muito pior, PID, a ementa poderia vir em castelhano... Olhe lá o dia das espetadas...

      Eliminar
    7. muito se ri a Tia Picantezinha com o PID

      Eliminar
    8. Pipocante Irrelevante Delirante30 de setembro de 2016 às 11:31

      o PID tem esse efeito nas mulheres
      Excepto em situações excepcionais, aí a reacção é de espanto e admiração, e posterior êxtase, e não de riso.




      (refiro-me claramente ao acto de passar a ferro as calças vincadas)

      Eliminar
    9. (põe um paninho por cima para não ganharem lustro, não é?)

      Eliminar
    10. Pronto, ok... tanta coisa porque usei o termo levar na marmita! Quem não quiser levar na marmita, leve no pacote!

      Eliminar
    11. Todo um nível de classe superior. Levar na marmita ou no pacote. De facto, pode-se tirar uma pessoa da lama mas a lama não se tira de uma pessoa.

      Eliminar
    12. Espetada diz-se brocheta, cara anónima.
      (Pensei que gostasse de saber...)

      Eliminar
  14. Parcerias a quanto obrigas... sinceramente, já devia ter 2 dedos de testa para recusar fazer certas cenas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O dinheiro fala mais alto.

      Eliminar
    2. Pipocante Irrelevante Delirante30 de setembro de 2016 às 00:37

      Eu, para escrever aquilo teria que:

      - estar desesperado por dinheiro
      - aviar uns bagaços antes de começar a teclar
      - ser suficientemente estúpido para acreditar no que estava a digitar

      Eliminar
    3. Reparem bem no número de comentários aceites a esse post.

      Eliminar
    4. Pipocante Irrelevante Delirante30 de setembro de 2016 às 11:28

      Cara Picante

      Uma pessoa quando sobe de estatuto na vida, ganha certos hábitos, vamos chamar manias, ou gostos.
      Do mesmo modo que um tipo aos 18 anos avia tudo o que lhe aparece pela frente, porque não sabe ou pode mais (e refiro-me a comida e bebida, suas marotas), com o correr da idade ganha algum requinte, de maneira a que a certa altura recusa um copo de vinho porque não se adequa aos seus requisitos.
      Assim, uma blogger que atinge um certo patamar deveria poder recusar certas parcerias. Um trambolho iniciante como eu, tivesse um blog, escreveria posts a elogiar o Porf Bambo ou a referir Vilar de Perdizes como um Centro Médico de referência, mas sendo quem é... a não ser que falemos de fortunas, e aí claramente estou no negócio errado. Ou lá está, acreditando no que escreve.

      Eliminar
    5. Mas para isso uma pessoa tem de ter princípios dos quais não abdica. Não é para todos, meu caro.

      Eliminar
    6. envia-se um comentário que não publicas a falar no PID e o PID aparece. Mirone também aparece. espalham-se à força toda. já deu para perceber tudo tia Picantezinha. ainda diz que não é estúpida AHAHAHAHAHAH

      Eliminar
    7. Isso é porque a Picante, o PID e eu somos uma e a mesma pessoa!
      Não se deixe enganar, anónimo, não há coincidências, já dizia Margarida Rebelo Pinto.

      Picante, deixa o anónimo desenvolver a sua teoria, se ele cá voltar. Tenho a certeza de que deve ser uma coisa em grande.

      Eliminar
    8. Pipocante Irrelevante Delirante1 de outubro de 2016 às 12:53

      Somos?
      Pensava que a teoria era de que partilhávamos uma comuna.
      Afinal trata-se de um caso de múltipla personalidade. Eu sou o Glen, a mirone é a Glenda. A picante é a Joaquina.
      Prontos, acabei, pode vir outra usar o computador.

      Eliminar
    9. Hey! Que é lá isso de eu ser Joaquina?
      PID, a joaquina, é ali a anônima que também sou eu.
      Esperem!...
      (Só gente doida, caramba...)

      Eliminar
    10. Comékié, apareço agora ou espero por um comentário não publicado sobre o PID?

      Eliminar
    11. Pipocante Irrelevante Delirante2 de outubro de 2016 às 16:22

      #JeSuisMirone

      (@praiadomeco)

      Eliminar
    12. Ahahahahahahahahahahahahah!

      #jesuismicheltheló
      (Assim você me mata€

      Eliminar
  15. Com os 28€ dá para os putos comerem a semana inteira! Mas isto digo eu...
    Quero acreditar que o esgotado é porque só havia assim umas 10 vagas.

    ResponderEliminar
  16. Boa tarde.

    A minha filha começou a pré e apesar de ser um pouco esquisita para comer diz que a sopa e fruta são óptimas e quanto ao prato principal come melhor que em casa. A comida da cantina é elogiada por quase todos. E o preço é 1,49€.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depende imenso das escolas, os meus até têm uma excelente boca mas é frequente ouvir queixas.

      Eliminar
    2. O meu filho é esquisito (e ainda por cima alérgico à lactose) mas não se queixa dos alimentos que lhe dão na escola (é feita por uma cozinheira).
      Além da comida ser bastante elogiada por todos, todos os docentes almoçam na mesma (o que nunca acontece quando a comida não presta).
      Por fim, a cozinheira é extremamente cuidadosa e chega ao ponto de tudo o que leva manteiga, leite ou qualquer derivado dos mesmos, ela faz uma refeição idêntica mas sem lactose para o meu filho e para outra criança com a mesma condição.
      [A escola é pública e não pago mais por este tipo de tratamento especial, apesar de lhe dar mais trabalho]

      Eliminar
    3. Eu também me queixava, então quando era peixe... blhac! O que não quer dizer que a comida fosse de má qualidade, as pessoas não podem é gostar todas do mesmo!

      Eliminar
  17. E eu que já deito ténis personalizados pelos olhos?!? Esta gente é tão cansativa... A bloga anda chata, chata, chata!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não deve ter visto a outra que levou o casaco de pijama para a rua, com jeans e Ali Star...

      Ou a outra, cuja bebé de um mês queria dormir a sua merecida sesta, e mamãe pavoneou, num vídeo cheio de "cortes", sua bebé e suas pestanas (já não as posso ver! as pestanas, claro) para mostrar os seus quartos e os produtos resultantes dos patrocínios. Estas mães já nem deixam as crianças descansar a troco de figuras ridículas!!

      Eliminar
    2. E lancheiras saudaveis mas publicidade ao McDonald's a aparecer quando se abre o blog?
      E responderem que têm de fazer publicidade porque precisam de ganhar dinheiro e que nas revistas e na tv também fazem e ninguem diz nada?
      O verão torrou muito neurónio por essea blogs fora...

      Eliminar
  18. Parece-me que os pobrezinhos do público ou almoçam na cantina, ou vão a casa (é o caso da minha filha, e para isso ser possível tenho eu e o pai de fazer uma ginástica que nem vou aqui descrever para não vos cansar), ou "petiscam" no bar da escola, ou levam umas sandochas de casa.
    Os meninos ricos do privado ou almoçam no restaurante da escola, ou vai o motorista do paizinho buscá-los para os levar a almoçar a casa ou ao restaurante mais próximo. Os pelintras que andam nos colégios, a fingir que são ricos, levam marmitas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tem nada a ver com pelintrice. Os almoços são à roda de 150€, adicionais à mensalidade. Acho um roubo, se quer saber. No meu caso eram 3000€ por ano a mais. Prefiro gastá-los em férias, acho mesmo que não se justifica.
      (e nem vou falar das pessoas que fazem um enorme sacrifício para ter os filhos nos privados por não haver escolas públicas de qualidade na sua zona de residência.... Olhe que não são poucas...)

      Eliminar
    2. Tem toda a razão, anónimo das 22:57. Só os pelintras a fingirem-se de ricos é que levam marmita; o resto, poucos, é como diz, o motorista leva-os ao restaurante.

      Eliminar
    3. Ai está picante, graças a Deus que alguém me entende! Tenho dois filhos com menos de 3 anos no privado porque não tive opção! Os infantários "públicos", que não o são, são ipss, porque não há infantários públicos, da minha área estavam todos cheios e têm critérios de selecção muito duvidosos. Segundo as directoras tudo o que recebe rsi, famílias apoiadas pela ss, pais desempregados, têm prioridades na entrada. Em quatro inscritas não tive lugar para os dois em nenhum porque os pais até trabalham! Solução única : pago 800€ por mês pelos dois ,mais de metade do nosso orçamento mensal e é um sacrifício enorme. Desses 800€, 350€ são só para alimentação (almoço e lanche de um bebé e um miúdo de 3 anos) e é obrigatório! O infantário não aceita que os pais levem comida de fora. Não gosto de falar de política, mas a minha realidade leva-me a crer que neste país quer-se uma tentativa de igualdade (muitas vezes de pessoas que nada querem fazer da vida e recebem subsídios a torto e a direito) que acaba por ser discriminatória da classe média baixa,que trabalha no duro para ganhar uma miséria (falo por mim, que sou licenciada e ganho menos do que muitas empregadas de limpeza, não menosprezando a profissão), que não recebe num tipo de subsídio ou abono (ainda que com dois filhos com menos de 3 anos, mas a ganhar 900€ sou rica! ) e tem que pagar todas as suas contas (sem casa dada por câmaras ou tarifas sociais de electricidade ou o raio que os partam!). No final do mês sobra zero, mesmo zero, e como nós, há muitas famílias da classe média baixa assim. Desculpe lá o desabafo gigante picante... Tudo por causa de workshops de marmita... What The hell?

      Eliminar
    4. Que mente tão "pouquexinha" esta de se achar que nos colégios só andam meninos ricos e no público menino pobres!!!

      Eliminar
    5. Não é verdade, tem razão. Nas escolas públicas também andam riquinhos, que na sua rebeldia quiseram deixar o privado e foram para o público. Mas lá está, vão ao restaurante comer. :P

      Eliminar
    6. A minha irmã andou num colégio e os meus pais fizeram um sacrifício tremendo para a ter lá, os motivos não interessam para aqui, só a eles dizem respeito. Trabalham imenso, sempre trabalharam, classe média/baixa (mais baixa agora!).
      Não são só ricos nos colégios, é pena as pessoas terem uma mente tão fechada e não procurarem saber/conhecer outras realidade, além daquelas que imaginam nas suas cabecinha fechadinhas.

      Eliminar
  19. O meu filho anda na escola pública e leva marmita, tal como outros miúdos da escola. O refeitório a pedido da associação de pais possui microondas, comprado pela escola. As refeições fornecidas pelas escolas (públicas ou privadas), são regidas mais por uma questão orçamental do que nutricional, sendo que a qualidade dos produtos e/ou da confeçao deixam muito a desejar. Para mim e para outros pais que se preocupam com aquilo que os filhos comem a marmita é uma opção. Não fazia sentido para mim ter determinados cuidados com a alimetação feita em casa e a minha e a do meu marido (também nós levamos marmita, cada um para o seu local de trabalho, os quais também tem refeitórios com empresas diferentes mas de qualidade duvidosa igual) e o meu filho comer no refeitório (ou fingir que comia, que o puto tem a mania que é crítico gastronómico).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem sorte, na maior parte das públicas isso não é permitido, ninguém lhes aquece nada ou da pratos e talheres)

      Eliminar
    2. Mas que raio se passa hoje em dias nas cantinas das escolas?! Eu sempre comi em cantinas de escolas e ainda sou viva, saudável e bem constituída! Está certo que tenho 33 anos, muita coisa pode ter mudado, mas... Mudou?!

      Eliminar
    3. Quando andava na primária o que era oferecido era apenas o leite (com fábulas escritas no pacote) que no inverno era intragável porque o aqueciam nos aquecedores do hall. Horrível, mesmo.
      No preparatório havia cantina, mas como geralmente tinha 2/3h de almoço ia a casa, quando não tinha comia na cantina, mas os pratos eram péssimos. Molho a encher o prato ( eu que não nutro simpatia por molhos), peixe esmagado etc etc.
      Hoje em dia as refeições podem ser baratas mas o valor nutricional é horrível, e não me digam que há nutricionistas envolvidos!
      Na universidade, a comida continuou horrível. Eu, que sempre me marimbei para o que achariam de mim, passei a levar o meu "cesto" com comida saborosa. Almoçava e lanchava enquanto lia um livro ou me ria com colegas.
      Simples, não?
      Bom fim-de-semana, Picante :)

      Eliminar
    4. Eu tenho 27 anos, não sei se a anónima das 17.44h estava presente quando os almoços deixaram de ser feitos pelas cozinheiras das escolas e passaram a ser feitos por empresas de catering que oferecem somente umas lavagens mal amanhadas a que chamam de comida. Apresentavam-nos coisas que eu nem ao meu cão daria para comer.
      Isto aconteceu quando andava no secundário e o "engraçado" é que os professores que comiam quase todos na nossa cantina deixaram de o fazer (e criticavam abertamente a qualidade e o sabor da comida).
      Até nós preferíamos ir a uma padaria perto da escola que abriu uma espécie de self-service só porque queriamos poder comer comida em condições (um prato de comida normal, ou sopa ou salada, etc) do que comer a mistela apresentada. É que era "giro" trocar a comida por umas sandes ou por um cachorro de vez em quando mas comer porcaria todos os dias? Nem por isso.

      Portanto, eu apanhei os dois e pelo que me parece a grande diferença começou na minha época. Felizmente na escola do meu filho (e em todas da minha cidade) a Câmara Municipal contratou cozinheiras e mandou as empresas dar "uma volta ao bilhar grande", pelo que a alimentação é boa e saborosa.

      Mas se o meu filho tivesse de comer aquilo que eu tinha para comer no secundário, eu também preferia mandar marmita ou pagar para o irem buscar à escola para ele comer em casa dos avós. E, se a qualquer momento a alimentação dele passar a ser aquela porcaria horrível que nos serviam na minha escola é mesmo isso que vou ter de fazer.

      Eliminar
    5. Pois, tenho 33, só apanhei as cozinheiras das escolas.

      Eliminar
  20. Tem toda a razäo . É uma pouca vergonha ! Näo sei como há tantas pessoas que se deixam levar assim na "cantiga do bandido " Um dia destes uma Joaquina lembra-se e faz um Workshop do género : "Está a pensar casar ? Näo sabe como funciona o noivo ? Nao se preocupe, a Joaquina explica e exemplifica tudo . Custo 50euros ...ah ,se o noivo for assim muito jeitoso , Traga-o que a Joaquina exemplifica gratuítamente ..." Com certeja que ,tb, esgota...ahhahhh

    ResponderEliminar
  21. Ora então, de borla:
    Peq-almoço (SEMPRE em casa): torrada com manteiga e leite (com chocolate, sim que é tão bom!).
    Lanche da manhã (envio na lancheira): iogute liquido e uma peça de fruta, INTEIRA e com casca, mas lavadinha, não há cá espetadas nem paneleirices dessas.
    Almoço: o que a escola fornecer por 1,46€
    Lanche da tarde (envio na lancheira): 1 leite com chocolate (lá vem o chocolate outra vez, sou mesmo uma péssima mãe) e um pão (pão a sério, não cá bimbos e afins) com fiambre ou queijo.
    Antes do jantar e depois das actividades: 1 peça de fruta e 1 queijinho
    Jantar: o que me der na cabeça.
    PS: ameaçar as crianças que não vão comer chocapic no sábado caso a fruta vier para trás e avisá-los também que, embora não esteja na escola com eles, SEI sempre tudo o que eles fazem. So far, so good!

    E prontoS, workshop dado.

    De nada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mande o nib, ainda ganha uns trocos.
      Que seria de nós sem os blogs?...

      Eliminar
    2. Sabe sempre os que eles fazem? Sabe, sabe... Hahahahahahah Fie-se na virgem e não corra!

      Eliminar
    3. Eheheheheh já somos duas :) adoro a ementa ao jantar se bem que eu por vezes alterno com o cravar à Mãe ;)e em dias de loucura (minha claro...) também mando Bongos!

      Eliminar
    4. Espetada de fruta???!! "Terrorista" como o meu miúdo é era bem capaz de espetar o pauzinho num coleguinha e vazar-lhe uma vista!! Não sei onde este pessoal cria os filhos, numa redoma?! Tá certo que o meu pequeno ainda só tem 3 anos é mais difícil de lhe explicar que se as vistinhas forem vazadas não voltam a encher, mas por favor, espetadas de frutas para levar para a escola?!

      Eliminar
    5. Mas vocês não sabem ler? Isso tudo é burrice ou vontade de dizer mal só porque sim?Espetadas de fruta é nos aniversários.

      Eliminar
  22. Mas será que só na escola da minha filha é que há cantina??? Então e para os lanches que tal sandes, iogurtes, leitinhos e frutas??? Quanto mais rápido prático e saudável melhor! Paneleirices só nos fins de semana!

    ResponderEliminar
  23. Diga-me em que é que as suas ementas, sobretudo aquelas que são confecionadas de manhã, são saudáveis.

    ResponderEliminar
  24. Isto é tudo muito bonito mas e a outra de pijama? Isso sim é de valor!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba, já na Palmier li sobre os pijamas e não sei do que falam.

      Eliminar
    2. Lol tudo com muita pinta e top top top, quanto a oysho não deve ter pago para andar na rua naquelas figuras, ainda se fosse uma clínica de estética a patrocinar um peeling....

      Eliminar
    3. Alguém lhe diga que aquilo não é um casaco...

      Eliminar
  25. Para quando o seu workshop, Picante? Para onde envio a inscrição antes que esgote?

    ResponderEliminar
  26. A Picante é que devia entrar lá naquela coisa delas das mulheres inspiradoras. Vou propor-lhes que a convidem...

    ResponderEliminar
  27. A questão é, quem é que paga 28€ para aprender a fazer receitas para as lancheiras??!! A sério?! Ahhh se não fossem agora os workshops de tudo e mais um par de botas, não sei o que seria da civilização....

    ResponderEliminar
  28. Mas está tudo doido?! 28€ para ensinar a fazer lancheiras? Mas há mm quem pague isto?!! Aliás há! Pelo que percebi o primeiro está esgotado! Esgotado minha gente, como um concerto! Estas mães não tem vergonha? Não sei como as gerações anteriores sobreviveram! Esta geração de mães só podem ter um grave problema de TOC, cambada de obcecadas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em primeiro lugar, leia sobre o que é obsessão-compulsão.

      Depois, tendo em conta que escreve sempre o mesmo comentário, releia o que é o TPC.

      Eliminar
  29. Outra que coisa que me faz confusão é que toda a gente se prenda à questão das lancheiras- não, as pessoas não são todas idiotas - e não mencionem o mais importante. A Pipoca, que não é vegetariana, está a publicitar um workshop organizado por uma clínica especializada em medicina alternativa, cujo objectivo é promover o vegetarianismo e angariar clientes. Isso é que é grave, não que as pessoas pretendam aprender a cozinhar outras coisas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem reparei nisso. Que bloggers promovam alimentação que nem comem é uma coisa. Que uma empresa as contrate é outra. Não sou vegetariana, mas se fosse ia ficar aborrecida com a hipocrisia da empresa (aliás, já fico um pouco, pois revela que a empresa vende os seus supostos valores só por uma boa PUB).
      Além disso, é preocupante pensar que várias rosinhas e apoiantes vão a um workshop vegetariano e depois inventar as suas marmitas. Espero que o dito workshop tenha uma boa base de informação nutricional para os miúdos não saírem prejudicados, pois pelo que vejo de amigos vegetarianos e vegan é preciso uma alimentação bem cuidada para não haver carências alimentares e é muito mais que meter um bocado de salada com massa e fruta em cada refeição.

      Eliminar
    2. Vocês são é umas invejosas.

      Eliminar
    3. Sim tudo inveja. Incoerência extrema? Inveja. Parvoíce? Inveja. Alertar para os perigos de uma má alimentação vegan ou vegetariana? Inveja.

      Vá fazer um check-up ao cérebro...para ver se ele existe.

      Eliminar
    4. Realmente sou mesmo invejosa por me preocupar que pessoas que nunca foram vegetarianas possam prejudicar os seus filhos por não terem o conhecimento necessário para lhes fornecer os nutrientes necessários.

      Minha cara/o, segundo o Priberam Inveja significa:

      1. Desgosto pelo bem alheio.
      2. Desejo de possuir o que outro tem, geralmente acompanhado de ódio pelo possuidor.

      No comentário original, refere-se meramente a falta de coerência em patrocinar-se estilos de vida que não se seguem. No meu, apenas reforça-se a falta de ética (não que deva conhecer essa palavra, pois atira, tal como muito tuga sem argumentos, a palavra inveja quando é óbvio que desconhece o seu significado) da empresa e preocupação pelo outro.
      Mas pronto, se quiser continuar a pensar que é tudo invejoso fique na sua. Como se gastar dinheiro num workshop com coisas que facilmente se descobriria (e com mais informação) na internet fosse motivo para se ter dor de corno de algo. E antes que pergunte, não, não tenho inveja nenhuma de bloggers, aliás detestaria ter uma vida tão publica como a delas e felizmente tenho tudo o que quero e preciso, logo também não preciso de cobiçar o que é dos outros.
      Talvez a inveja exista mesmo naqueles que gritam "Inveja!" por tudo e por nada, pois ao dizerem isso estão a admitir que na vossa mente aquilo que estão a ver é motivo de cobiça.

      P.S - Picante, entendo se não aceitar este comentário pois foi realmente extenso, mas a maneira fácil como se utiliza a palavra inveja sem tentar-se argumentar irrita-me profundamente.

      Eliminar
  30. Oh pá, só falam das creches e das escolas... Pois bem, sou agora mãe de um aluno universitário que descobriu, aos 18 anos, que é cool levar a marmita para a faculdade. Toda a vida almoçou nos refeitórios das escolas públicas onde andou, e sem queixas, a partir dos 11 anos passou a lanchar no bar, fez parte da emancipação. Agora chega-me a adulto e lá anda ele de lancheira. Então diz que é cool, que todos os colegas levam, especialmente os que estão deslocados, que é assim que se poupa, que se não levar o almoço não tem companhia no refeitório, que a sala do micro ondas é que é. Um mundo novo isto da marmita para a faculdade. Aguardo o workshop.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso também sempre levei marmita para a uni: refeições melhores, mais saudáveis, ao meu gosto e poupava 2,5€ diariamente.
      Para quem sabe cozinhar parece-me o ideal (e não saber cozinhar aos 18 anos parece-me grave - seja rapaz ou rapariga).

      Eliminar
    2. Gravíssimo, tenho a dizer-lhe. Aliás, o seu comentário salvou-me. Eu faço o jantar de maneira a que haja marmita para todos para o almoço do dia seguinte, o rapaz vive cá em casa, é meu filho, mas olhe, vou deixar de contar com ele. Obrigada anónimo.

      Eliminar
    3. Em 1997 quando fiz Erasmus em Paris toda a gente levava marmita. Havia uma sala com 6 microondas e uns bancos corridos em escadinha para nos sentarmos a comer...por cá ía à cantina da cidade universitária e nunca vi ninguém levar marmita. Mas sim, já foi há muito tempo. Actualmente levo marmita para o trabalho é já o faço há 18 anos!

      Eliminar
    4. Já há mais de 2 anos que a maior parte dos "miúdos" trazem a marmita para a universidade.
      E nem é por ser cool. A maior parte deles precisa mesmo de poupar os 2-3 euros do almoço. Ao fim do mês faz-lhe diferença.
      E depois comem melhor.
      No laboratório onde trabalho todos os estagiários de licenciatura/mestrado/doutoramento e bolseiros de investigação trazem comida de casa. O preço do almoço na cantina são 4,10Euros, mas é um valor considerável para quem não ganha nada ou ganha muito pouco.

      Eliminar
    5. Eu não disse que achava grave que ele levasse a sua comida, acho mesmo gravíssimo que alguém aos 18 anos seja incapaz de cozinhar. Para mim é o equivalente a não saber vestir, a não saber fazer a sua higiene diária, etc. Se ele não comer não vive, supostamente não terá a maezinha para lhe fazer a comida a vida toda, certo? Eu também tenho um filho (filho, rapaz) bem mais novo que o seu e ele está a aprender a cozinhar e sabe o básico. Para mim isso é fundamental para qualquer pessoa que queira ser independente.

      Eliminar
  31. a newsletter do pingo doce vem com ideias para lancheiras, ainda não as vi mas é de borla

    ResponderEliminar
  32. Onde? Onde? Onde é o workshop? Elucidem uma pobre alma que anda aos papeis.

    ResponderEliminar
  33. Não sei qual é o espanto, depois dos workshops de papas de aveia já espero tudo.

    ResponderEliminar
  34. Realmente não há como os incoerentes... ainda há pouco meses os seus filhos andavam numa escola pública, agora já andam numa privada. Mudam todos os anos, é?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó imbecil... E onde é que eu digo que andam no privado?
      E já agora, iluminada, podiam perfeitamente ter andado o ano passado no público e este ano no privado. Já aconteceu, veja lá como são as coisas...

      Eliminar
    2. Sempre cheia de classe. Não diz que andam no privado mas diz isto num comentário acima: "ão tem nada a ver com pelintrice. Os almoços são à roda de 150€, adicionais à mensalidade. Acho um roubo, se quer saber. No meu caso eram 3000€ por ano a mais. Prefiro gastá-los em férias, acho mesmo que não se justifica.
      (e nem vou falar das pessoas que fazem um enorme sacrifício para ter os filhos nos privados por não haver escolas públicas de qualidade na sua zona de residência.... Olhe que não são poucas...)".

      Eliminar
    3. O comentário e raciocínio subjacentes são mesmo imbecis, realmente a vontade de me apanhar é mais que muita, não é? Pena é não conseguir.
      Não que tenha de lhe explicar mas os meus filhos já frequentaram o ensino privado. Vai daí que sei muito bem do que falo, posso com todo o conhecimento de causa, fazer comparações.

      Eliminar
  35. dica gratuita de uma mulher que aos 19 anos saiu de casa sem fritar um ovo e agora leva almoço lanches e jantares saudaveis e económicos ... pinterest

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.