quarta-feira, 20 de julho de 2016

Das coisas que me fazem sorrir condescendentemente

Perder mais que meio dia. Um dia vá... a organizar uma festa de aniversário de crianças. É que fico sempre com uma sensação esquisita de que a festa é mais para as mães que para os filhos. Mas que sei eu? Tenho sempre uma dúzia de crianças felizes em casa, gomas, batatas fritas, pães de leite e bolo feito pelo aniversariante. Não percebo nada dessas festas para mãezinhas.

130 comentários:

  1. Amén! Então e agora não há bolos sem serem aqueles todos cobertos de uma pasta de açúcar nojenta? Já não há festas de anos sem um tema? Que parvoíce! Quem deve estar a lucrar à grande são todas essas empresas de organizações de eventos, que fazem essas fetsas todas iguais, mas com temas diferentes e hoje em dia as mãezinhas e os paizinhos parece que ficaram sem tempo ou sem capacidade de comprar meia dúzia de coisas, fazer outra meia dúzia e ter uma fetsa normal para os seus filhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa pasta, credo, que coisa mais horrível,realmente os bolos ficam muito bonitos mas aquilo é intragável.
      Nisso sou muito forreta, faz-me muita confusão gastar um ordenado mínimo numa festa de anos, acho um verdadeiro abuso.

      Eliminar
    2. Correcção: DOIS ordenados mínimos.
      Mas olhe, aquela pasta é optimaaaa, nunca experimentou? Em vez de comer (so é permitido sementes de chia ou goji com iogurte natural não açucarado!) como dizia: colocá-lo na cara, faz um bem desgraçado as malditas Rugas que teimam em aparecer. Faz de cola! É top! E depois tem tantas cor giras para escolher. Maravilha!

      Eliminar
    3. Queridas não tem mais nada que fazer. E estão mais preocupadas em fazer coisas para ser top e mostrar no instagram do que em aproveitar os momentos. Como diz o Miguel Esteves Cardoso já havia estupidez mas hoje em dia com as novas tecnologias parece que aumentou...

      Eliminar
    4. Uma? E três como aquela do my happy blabla. Uma para o colégio, uma para os amigos, uma para família. E com o gato e com o presidente da República. Uma sem os pais...enfim. Top! Top

      Eliminar
    5. Essa pasta já está Out, desde o ano passado a grande tendência são os naked cales (a sério, é mesmo assim), sem cobertura, apenas com creme entre as várias camadas. :)))))

      Eliminar
    6. Naked? Está certo, o português deve estar out

      Eliminar
  2. Somos duas, gosto das festas à moda antiga e os miúdos estão-se borrifando para os mimimis desde que haja bolo de chocolate e espaço para correr.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este ano tivemos luta de balões de água, a excitação das crianças era indescritível.

      Eliminar
    2. Ah...isso é que levava os meus miúdos ao rubro! O único momento em que uma festa meteu água quase me metia em maus lençóis com a administração do condomínio. Um dia, resolvi o problema num parque da cidade...mas resolvi não repetir a proeza :)

      Eliminar
  3. Para ser visto, mostrar que tem a festa TOP do mês, quiça do ano. Gastar imenso nos kits mais vips e vipes, fotografias supé chic com as indumentárias impecavelmente brancas. Tudo um must!
    (eu pessoalmente iria adquirir aulas de português, é que frases com TOP, MUST e outras variantes, são muito "turnófe")

    Boas férias P.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu juro que até a nuca se me eriça quando ouço falar em "kits". A sério, esta gente não terá noção do ridículo?
      (obrigada)

      Eliminar
    2. Tudo dito. E a carneirada vai atrás, porque precisam que alguém lhes diga onde devem gastar o dinheiro.
      Por mero acaso (e pouca sorte) passei uns dias de férias no ano passado num aglomerado de pessoas Top, olhando em volta parecia que tinham sido produzidas em série. Vi ao vivo cores o que conhecia só da blogosfera... não é uma lenda urbana, elas andEm aí. Ainda estou em recuperação.

      Paula

      Eliminar
    3. Quer saber? Não.

      Eliminar
    4. Uma vez levei o meu pequeno pirata vestido de camisa branca a um casamento. Só vos digo que, as mães de top devem carregar uma mala de camisas brancas! Aquela bela indumentária nem chegou à igreja!!

      Eliminar
    5. A Picante não tem coração! É impossivelnao adorar o kit, eu pelo menos gostava muito de ter um carro que me viesse buscar à porta quando eu o chamasse pelo relógio.

      Eliminar
    6. E o Michael? N dar tempo eu gostava dele.
      Ahahahah

      Eliminar
    7. É verdade, há todo um conjunto de followers que mimetiza na sua vida o que vê nos blogs! Vivo em Lisboa e os meus colegas que têm filhos pequenos chamaram-lhes Bernardo, Lourenço, Matilde, Caetana... mostram-me fotos dele e são os irmãos a combinar e com aquelas roupinhas dessas marcas portuguesas que surgiram como cogumelos nos últimos anos, as festas são todas com esses cake pops e cupcakes, numas mesas todas coordenadas, os miudos andam todos com aqueles colares de âmbar, lacinhos no cabelo, fofos, jardineiras... tudo super uniformizado e igual! Quem começou isto tudo acho que foi a Fe, mas agora está espalhado por todo o lado...

      Eliminar
    8. Hum... Isso não é bem assim. Diria que a Fê imitou um conjunto alargado de pessoas. A única moda que lançou foi na bloga.
      (Mas a bloga ainda é muito pequena...)

      Eliminar
    9. Lançou a moda da carneirada na blogosfera e ser top usar os filhos como adereços. Ou achas que as marcas eram sustentadas se já não houvesse Mercado?

      Eliminar
  4. Meã culpa.
    Todas as festas do meu piqueno levam dias a preparar.
    A mãe adora festas temáticas e o petiz ainda mais (bem como os amigos que se habituaram a caças ao tesouro pelos parques da cidade, piqueniques ou noites de halloween, organizados por esta mãe trabalhadora e dona de casa com total apoio dos pais, que ali se juntam, felizes).
    Faço tudo ao pormenor, desde a decoração aos comes e bebes que mais gostam ... até o bolo, o rei da festa.
    Adoro, os pais adoram, os miúdos ainda mais e todas as festas são um sucesso, fazendo valer a pena as horas que perco.
    Isso não faz de mim má mãe, pois não? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De todo, faz de si uma quase santa. As festas cá em casa também têm tema, é sempre o mesmo, as crianças recusam variar: pijama party.
      (aposto que os comes e bebes não têm aquele ar plastificado das festas top e must...)

      Eliminar
    2. Ai não têm mesmo!!!
      Acredita que me pedem uma festa de pijama há anos, a que ainda não acedi?
      Medo. Muito medo destas pestinhas...

      Eliminar
    3. Todos os anos eu digo que foi a última. A ver se é desta...

      Eliminar
    4. Não deixe de fazer, se pode. Crescem rápido. Se ainda não fiz foi porque me arrependi da última vez que fiz festa (halloween) no apartamento. Esquecera-me que tinham crescido. A partir daí é sala e jardim privado do condomínio...para desgraça do administrador. Mas, como se paga o aluguer e a mãe sabe limpar, depressa se esquece o estrago da relva ao redor do campo. :)

      Eliminar
    5. Cá em casa o tema da festa é escolhido de um ano para o outro. Da última vez saiu da festa a dizer que tinha tido uma ideia fantástica para a próxima festa: Halloween. Ainda um destes dias me falou nisso, é de ideias fixas.

      Eliminar
    6. Isso mete abóboras. Desventradas. Tem noção do dificil que é desventrar uma abóbora? Boa sorte...

      Eliminar
    7. Não é nada, Mirone. :)
      Fácil, fácil.

      Eliminar
    8. Eu sei, é até acho que vai ser bem giro. Os miúdos estão numa idade em que vão achar piada.
      Eu própria já andei a ver coisas giras para fazer.
      Ela desde pequenina que gosta de ser diferente e por isso nunca quer nada que esteja na moda (não ligou às febres da violeta, nem frozen, nem nada dessas coisas). Nas três últimas festas tem sido ela a escolher o tema é são sempre engraçado. O último pediu uma festa havaiana. Muitas espetadas de fruta, gelatinas coloridas, sumos, pães de leite e uns folhados. Só gastei dinheiro nos colares de flores para dar aos convidados, mas não foi nenhuma fortuna. O difícil foi encontrá-las porque no fim de outubro está tudo preparado para, tcharan, o Halloween! Corri todas as lojas de chineses que me lembrei e consegui uma que tinhas uns restos no armazém me fez um euro por colar (30).

      Eliminar
  5. EU também concordo consigo Picante!
    hoje em dia parece existir um Dictat das festas de aniversário das crianças.... eu não alinho.. prefiro a festa para eles ... com simplicidade e muita brincadeira!
    lilas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, não é? Basta uns elásticos, um lenço, giz para a macaca ou uma bola e eles ficam verdadeiramente felizes. Sem pinturas faciais ou insufláveis alugados. As festas custam-me apenas paciência para estar com eles algumas 24h, além da comida, quase toda feita em casa. Só encomendamos os salgados.

      Eliminar
    2. Confesso que acho as festas bonitas. E até tenho condições para pagar mas acho tão disparatado. Especialmente em crianças que não usufruem nada. Tipo dois anos? E tenho tratado de tudo e modéstia a parte bem giras. Mas depois confesso que me sinto mal e até pior mãe. Porque na verdade, mesmo as pessoas inteligente e que raciocinam e tem pensamento crítico. São pessoas. É ambíguo.

      Eliminar
    3. Não tem nada que se sentir mal, era o que mais faltava. Mau é gastar alguns 400 euros em duas horas de festa quando eles se divertem igual por 50.

      Eliminar
  6. Ah ...esqueci.me de dizer que quando era tia (fui mãe aos 36 e já tinha 3 sobrinhos), era dos poucos adultos presentes na festa que não criticavam as loucuras das cunhadas, vivendo os momentos com a mesma paixão das crianças que lá estavam.
    Sempre achei que já não seria mãe,logo vivia em pleno tudo o que respeitava os sobrinhos.
    Hoje, ninguém me diz que repito as mesmas asneiras ( passar dias a tratar de um aniversário é loucura, mas é um ato de amor porque não se compra-o único que comprei não ficou na memória do meu filho) por perceberem o quanto o faço feliz.
    E já lá vão 9 anos ..
    (Beijo da leitora e filhote que bem conhece -continua especial, sim:))

    ResponderEliminar
  7. Mas as rosinhas não perdem mais de 5 minutos. É só fazer uns telefonemas e está feito. Além de que não pagam um tostão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aí é que reside a maior diferença entre mães tolinhas como eu que passam dias a concretizar sonhos de miúdos e aquelas que pegam no telefone e mandam fazer.
      Mas, para tudo é preciso gostar. E eu gosto! E gosto ainda mais dos sorrisos e abraços deste miúdo especial, em cada festa. Muito orgulho da mãe. :)
      ( Por vezes as festas fazem.se para as crianças, sim.)

      Eliminar
    2. Isso não é bem assim, parece-me que a maior parte delas tem mesmo de pagar, há duas ou três que se vão safando, o resto paga e não chora.

      Eliminar
    3. A doce duvido que pague, é só publicidades. Depois há as outras que choram, choram...que não tem quem faça o bolo e mimimi, mas essa provavelmente vai ter de pagar. Mas também quer lá chegar...quiçá um dia com tantas poletes.

      Eliminar
    4. Estou expectante, em agonia mesmo, por ver a cor da mousse este ano.

      Eliminar
  8. Eu cá olho para aquelas mesas aprumadas e bolos que apelam apenas à vista, e não tenho vontade nenhuma de os comer. Parece tudo feito de plasticina.

    Laura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é tudo cheio de açúcar e corantes, não é minimamente apetecível! Já as mesas do "antigamente", com salgadinhos, pães de leite, salsichas cocktail, gelatina, doces de taça, etc... yummy!

      Eliminar
    2. Cá em casa as mesas mantêm a tradição, a única coisa que juntei foi umas gomas e caramelos, de resto é tudo como manda a norma, gelatinas, croquetes e empadinhas em vez de cup cakes e bolos plastificados.

      Eliminar
    3. Sim porque salgadinhos e salsichas é do mais natural que há, mega saudável. Ninguém vai a festas para comer "bem". Agora o estilo da comida, isso já são preferências. Não percebo estas críticas. Se há mais que querem fazer algo diferente, mais especial, é assim tão mau?

      Eliminar
    4. É mau, é. Já provou aquelas porcarias? Não sabem a nada.
      Quem é que está a falar de comida saudável, pelo amor da Santa?

      Eliminar
    5. Anónimo20 de julho de 2016 às 13:12, não é natural, nem mega saudável, mas é certamente melhor que cupcakes e cakepops cobertos de pasta de açúcar cor de rosa! E essas coisas nem sabem bem, são bonitas à vista, mas não são boas de comer.

      Mães que querem fazer algo diferente, mais especial? Eu diria que, hoje em dia, quem faça as festas como antigamente e ponha os tais salgadinhos e salsichas é que está a fazer algo diferente e especial! Porque TODAS as festas dos miudos agora são iguais e com essas mesas com um tema, cooredenação de cores, comida plastificada. E nem estou a falar só de bloggers. Vejo conhecidos meus que têm aniversários dos filhos ou baptizados e é tudo assim também!

      Eliminar
    6. Sem dúvida anónimo das 14h07. Especial quando é tudo igual? Os cupcakes os cake pops e o raio são só acuçar mais nada. É que se ainda fossem comestível mas nem isso. Mesmo só para a foto é omissos passam o dia a tirar fotos cheios de fome. B

      Eliminar
  9. O pessoal vive num mundo de fantasia. Até o baptizado do Quaresma e filhos foi feito para aparecer. Não sei se viram o pormenor da pia baptismal. Sei de um padre que simplesmente proibiria essas fantasias. Como ele diz quando querem enfeitar a igreja em excesso " ou vêm por Deus ou se é para transformar isto numa brincadeira, procurem outro lugar".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou ver isso, não abri a notícia.

      Eliminar
    2. Mas isso foi uma forma de publicidade/marketing à igreja, que está a "cair em desuso". É natural que o padre tenha deixado, a ver se chama mais fiéis lá.

      Eliminar
  10. Eu gosto sempre de fazer alguma decoração, faço bandeirolas em casa com imagens que tiro do Google, uso papel crepe para fazer umas fitas para pendurar pela garagem e junto-lhe uns balões. Dependendo do que eles escolhem para bolo, uso essas cores. Por ex, este ano ele pediu um bolo da Guarda do Leão por isso vou fazer isto em tons de laranja e verde. Dá algum trabalho mas faço mesmo por gosto, acho piada. Já copos, toalha de plástico e pratos decorados recuso-me a comprar, acho caríssimos e um desperdício. É tudo corrido a plástico branco eheh Em relação ao bolo, gasto algum dinheiro mas não em bolos de cake design, até costumo ser eu a fazê-lo mas depois compro bonecos do tema para colocar em cima. Fica giro e depois são brinquedos que eles usam muito tempo. Para as 5 personagens da guarda do leão, gastei 40€ na loja Disney. Mas, do mal o menos, dão-lhes uso a seguir e conta como prenda. A comida é tradicional - salgados, bolos caseiros, batatas fritas, bifanas, leitão.
    Costuma correr bem. Mas quando eles vão a festas mais elaboradas também corre, desde que haja brincadeira estão na boa. Não ligam nenhuma aos doces e cake pops com imagens a condizer, isso acho que é mesmo show off para pais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na verdade, qualquer coisa lhes serve, desde que haja bolo e brincadeira. É mesmo por isso que não entendo estes mega preparativos que custam centenas de euros. Acho que é deitar dinheiro à rua, faz-me confusão.

      Eliminar
  11. E não esquecer as fotografias do Pau mais não sei quê...

    ResponderEliminar
  12. Eu já tenho 25 anos e continuo a preferir as festas em casa :) Ainda cheguei a fazer jantares, mas não gosto nada. De há alguns anos para cá que celebro sempre em casa, com as mesas postas como sempre se fez, tudo feito em casa, a correria habitual na cozinha para tudo estar pronto quando os convidados chegarem. Entre amigos - só os chegados - e a família que acaba sempre por aparecer em dobro ou triplo vinda de longe! O ano passado convidei os amigos de sempre e apenas 2 primos que têm mais facilidade em aparecer e não é que me apareceram 14 pessoas da família em casa? :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso era coisa para eu ter um ataque. 12 convidados surpresa? Céus.

      Eliminar
    2. Desde que tragam uma garrafita, sejam bem vindos (tou a brincar).

      Eliminar
  13. Também só sabe falar da PMD...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hã? Toda a gente hoje em dia faz essas festas! Bloggers e "desconhecidos"... porquê associar apenas à PMD? Eu até diria que a primeira que vi fazê-lo nos blogs foi a Fe.

      Eliminar
  14. Nem gelatinas, nem salsichas, nem fritos. Só tarte de limão merengada, cheesecake, mousse, baba de camelo, pavlova e salada de frutas; às vezes arroz doce. Churrasco de carnes e/ou peixe, salada, arroz e massa; no inverno caldo verde. Para beber sumos: água com montes de fruta lá dentro. Só se faz anos uma vez por ano... Com sorte, uma vez de quatro em quatro anos.

    A Filipa anda por aqui?
    Deve ser do calor, ou dos óleos que ela descobriu agora, mas anda anda a falhar com a Tininha, anda, anda!
    http://dailycristina.com/2016/07/a-pedir/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é para os adultos. Adoro um bom churrasco. Os meus ainda estão nas pizzas e cachorros.

      Eliminar
    2. Há quem tenha filhos que não sendo adultos, já são mais crescidinhos. ;) E há crianças que gostam imenso de peixe grelhado. Se a festa for de várias horas, convém comer, para além dos doces.

      Eliminar
  15. Ainda hoje comentava isso com uma amiga: há festas que custam 4 digitos... No fim os miúdos nem ligam. Eu sou das que perde horas na organização e planeamento, gosto de ter tema e uma decoração engraçada. Mas sou totalmente a favor das festas à antiga com variedade e doces a sério, nada de pop cakes oh cupcakes em carrosséis n nada dessas mariquices. No meu caso eu faço tudo porque gosto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós também fazemos quase tudo em casa, deixo os miúdos confeccionarem as suas próprias pizzas e cachorros. Adoram! É um dia constantemente em cima deles, chego ao fim derreada. Mas não tenho nenhuma dor de cabeça a pensar em temas durante 3 semanas e não custa quase nada.

      Eliminar
  16. Por aqui continuamos a festejar da maneira mais simples. Jogos tradicionais, a pinhata, pijama party [mesmo em dias em que não há aniversário :)]...

    Felicidades, Picante. Parabéns à mãe.
    Tchim-Tchim

    ResponderEliminar
  17. Pessoalmente gosto de festas temáticas...mas faço tudo ao nosso jeito, não quero cá malta d efora a organizar nada que nós é que sabemos o que queremos (embora me perguntem qual foi a empresa que organizou...eheheh)...e não podem faltar os pasteis e salgadinhos da minha mãe,e pasteis de nata, arroz doce, gelatinas e batatas...e tudo o mais que venha, para a fotografia, é verdade, mas acima de tudo para nosso regalo e dos convivas.Quando o meu marido fez 40 anos fizemos uma festa espanhola em honra das suas raízes, até um cortador de presunto e sevilhanas tivemos, uma paella gigante...era tapas por todo o lado misturadas com as nossas comezainas..ainda hoje se fala na festarola! Mas cá está, tudo comestível, tudo homemade ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também há as tive temáticas. Encomendava o bolo no Luanda (maravilhosos bolos) com o boneco pretendido. O resto era balões, chapéus e guardanapos a condizer.

      Eliminar
  18. Eu não percebo as festas de hoje em dia, juro. Nem é tanto as de jardim... Pagam uma nota para irem para um armazém por uma hora e acham que é a festa mais top de sempre! E depois ai de quem repetir algum programa! e com festas a toda a hora, já ninguém sabe onde levar os miúdos...
    As nossas festas duravam a tarde toda em casa e toda a comida era feita por nós, a decoração resumia-se aos packs que se comprava no supermercado de copos+pratos+chapéus+convites de uma bonecada qualquer e o bolo de anos, o único que vinha de fora (sem contar com batatas fritas e smarties) era sempre com bonecada nossa, playmobiles ou pinypons, e era a minha mãe que 'desenhava'. Fazia um esquema que entregava na nossa pastelaria de confiança e eles faziam, coisas super simples como pôr creme verde a fazer de relva ou azul a fazer de água.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cá em casa ainda são assim. Os miúdos nem querem ouvir falar em fazer fora

      Eliminar
  19. Cá por casa também há sempre festa.
    Este mês todos os fins de semana há festa de piscina.
    Tudo feito em casa. Bolos (faço sempre imensos bolos, só porque gosto), queques (ou cupcakes, ou bolinhos, ou lá como raio se chama) - estes são feitos pêlos miúdos, bem como as bolachas.
    E depois há as gelatinas, mousses, pudins, pizza, folhadinhos, sandes - tudo feito em casa - e muita, muita fruta (cereja, morangos, melão, melancia, ananás, pêssego - os miúdos adoram - faço mesmo muitas taças de fruta e é das primeiras coisas a acabar).
    Nos aniversários é o mesmo só que numa quantidade muito maior... São sempre muitos miúdos (e adultos) e comem bastante. Farto-me de fazer comida.
    O bolo de anos é que é comprado, na minha pastelaria preferida (onde sempre encomendei os bolos) - um simples pão de ló com doce de ovos, mas que faz as delicias de toda a gente.
    Boas férias
    MT

    ResponderEliminar
  20. A pequena Laura ainda não há-de ter usufruído da sua festa! Já o Mateus, sendo um tema que ele goste, deve ter-se divertido. Esperemos pelo supra sumo do Top e cenas! A baby Minho penso que faz anos em breve! (perdi mais alguma coisa?) Estou como a Picante! A minha filha diverte-se imenso com os amiguinhos a fazer bolos, bolachas, pizzas! Uma festa! Mas realmente não é fácil toda a logística e planeamento anterior à festa e a organização de tudo após a mesma! As rosinhas poupam-se a esse trabalho e ainda ficam com fotos dignas de serem mostradas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Laura é a da mini saia!

      Eliminar
    2. A filha da que usa saia curta. :)

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
    4. A Laura é a da Monica Lice

      Eliminar
    5. A Laura é filha da Monica da Mini Saia, também mostrou a festa mas não tem nada a ver com estas "top".

      Eliminar
    6. Deve ser a bebé da mini saia, que festejou agora o seu 1º aniversário.

      Eliminar
    7. Uma das encardidas? Que caralho quer isso dizer? Nem sei como a Picante deixou passar isto.

      Eliminar
    8. Aprovei alguns 30 de uma vez, não me lembro de sequer ter lido aquilo. Vou remover.
      Para que conste nem sei de quem falam, tenho visitado nem meia dúzia de blogs.

      Eliminar
  21. São festas para o instagram

    ResponderEliminar
  22. Eu tenho uma visão ligeiramente diferente. Sou avessa à contratação de alguém para organizar uma simples festa de aniversário ou de gastar muito dinheiro com o aniversário do miúdo. Mas por outro lado adoro cozinhas e experimentar coisas diferentes para as crianças.
    A decoração vai sempre de acordo com o pedido pelo miúdo, ele pede um tema e se for exequível faz-se. No tempo do pinterest nem faltam ideias para actividades baratas, diferentes e engraçadas (confesso que a esse nível além de forreta não tenho grandes ideias próprias). Por vezes até se imprimem umas coisas da internet e montam-se para as actividades.

    O meu filho tem a particularidade de ser alérgico à lactose e tendo em conta que as padarias às quais pedia bolos sem lactose acabavam por dar o dito pelo não dito quando eu lhes dizia que era para uma criança alérgica (ou seja diziam que faziam bolos sem lactose só para depois "confessarem" que teriam de usar manteiga e mimimi).
    Cá por casa já se fez um bolo (do Mcqueen) em pasta de açúcar, algo que ele queria mesmo muito e eu experimentei fazer. Fiz um carro em 3D que para mim ficou "torto" para ele e os amiguinhos da pré estava tão lindo que alguns miúdos choraram no momento de o cortar. Para mim foi enternecedor como é óbvio. Valeu a pena as horas todas "perdidas" de volta do bolo, mas só o consegui fazer porque na época estava desempregada.

    Nos restantes anos já fiz bolo de cenoura com cobertura de chocolate (aquele "famoso" que leva no orgininal barrinhas de kitkat nas laterais), bolo de chocolate húmido sem grandes enfeites, bolo arco-iris, mármore, bolo de chocolate com recheio de morangos e chantilly, etc ... adoro experimentar estas coisas mas tenho sempre em consideração aquilo que ele quer (a festa é dele) e garanto também que nada do que coloco leva lactose. Claro que o facto de ser sem lactose encarece as coisas mas paciência.

    O resto das coisas vai variando. Gosto de experimentar e sinceramente não vejo mal em ter uns queques decorados no meio de uma mesa com coisas tradicionais. Na minha por exemplo até para recorrer aos tradicionais "pães de leite" tenho de ir para a cozinha fazê-los sem lactose. Dá-me tanto trabalho fazer isso como fazer uns queques.

    Eu não vejo mal em ter a mistura entre a moda antiga e o novo/actual. E até percebo porque alguns pais recorrem aos já referidos "armazéns", os que eu conheço recorrem muitas vezes a isso por terem uma casa pequena/apartamento sem jardim e por os filhos fazerem anos nos meses de inverno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho esses armazéns caríssimos e super banais. Algumas 50 festas ao mesmo tempo...

      Eliminar
    2. A minha casa era pequena não tinha jardim e faço anos no inverno, mas tinha todos os meus brinquedos e era isso que importava. Também não é preciso convidar meio mundo, nós tínhamos um número limite de convidados (todos crianças! Nada de pais, também não percebo essa moda...) e não foi por isso que as nossas festas foram mais tristes. Acho os armazéns horríveis e caros, como disse a picante.

      Eliminar
    3. Não conheço grandes armazéns, talvez um "problema" de quem vive numa cidade pequena? Os locais que eu conheço fazem todos entre 1 festa a 2 festas no máximo.
      Um dos "armazens" da minha cidade é num espaço que eu considero agradável, além de só terem espaço para 1 festa de cada vez, tem mesmo bom ar, tem zona exterior própria isolada e as pessoas que lá trabalham dinamizam mesmo muito bem as coisas. Não sei se foi "sorte" mas de todas as vezes que o meu filho teve lá aniversário fizeram sempre coisas diferentes (caça ao tesouro, pinturas faciais, experiências, etc)
      Se calhar também vem do facto de ser de uma cidade pequena mas o próprio preço não é nada de extraordinário tendo em conta que incluem bolo de aniversário à escolha da criança, alimentos, bebidas (e decoração e o "brinde" - apesar de eu dispensar bem essa parte). Além de que aqui falaram que é só 1 hora e por aqui fazem 2h30. Não é um dia inteiro mas também não é só 1 hora.
      Ora ainda há uns dias uma mãe comentava comigo que gastou 100€ nessa festa num armazem, e haviam lá mais de 10 crianças. O preço ronda entre os 8€/criança e os 10€/criança pelo que tive conhecimento e fazem coisas engraçadas e diferentes... eu não considero caro. Eu gasto mais ou menos isso a fazer o básico em casa. Tudo bem que podem ficar cá o dia todo mas usualmente passam cá só meio dia.

      Eliminar
    4. As minhas festas eram em casa com a comida tradicional.
      40 putos (minha rica mãe!), comida e brincadeiras no jardim.

      Eliminar
    5. Para o anónimo das 9:04

      Nas minhas festas de aniversário em miúda havia sempre adultos, e muitos, (a família: tios, padrinhos, avós e os amigos mais próximos dos meus pais), agora continua igual. Nas festas dos meus filhos há muitos adultos: os meus irmãos (e respectivos pares), os irmãos do meu marido, os avós, os padrinhos e também alguns amigos, daqueles que estão sempre nos nossos convívios.
      Sim, os anos dos miúdos são mais uma das ocasiões em que aproveitamos para juntar cá em casa toda a nossa "família", aqueles com quem gostamos de estar e de partilhar o nosso tempo.
      Se a si lhe parece estranho e uma "moda", a mim parece-me normal e como disse, desde miúda (e já estou nos 40) que sempre foi assim.
      Em relação a convidar "meio mundo", por aqui convidam-se os primos (com 3 irmãos de ambos os lados, temos 16 primos - e os miúdos adoram-se, pijama party com os primos é recorrente, férias com os primos também, e por aí a fora). Para além dos primos há os amigos da escola (os que eles querem convidar): 5 ou 6. E por fim os miúdos "do prédio", os vizinhos com quem brincam sempre: mais uns 5-6.
      Feitas as contas temos sempre uns 28 miúdos (por vezes há mais, pois uns amigos dos pais podem trazer os filhos, e também há os "primos" dos primos, i.e., os primos do outro lado da família, e que também já são da família. E por isso, sim, juntamos muitos miúdos cá em casa)
      Não é moda, já era assim no meu tempo e continua assim.
      Aqui a festa é em casa, e sempre que possível na rua (temos a sorte de ter um jardim perto de casa onde os miúdos adoram brincar). E a comida é caseira (sim, uma trabalheira fazer comida para tanta gente - mas como disse desde miúda que me habituei a isso), e há sempre lugar para mais um.
      Em casa dos meus pais havia sempre lugar para mais um.
      ( e para que conste, família classe média, T3 nos Olivais, escolas publicas etc - nunca houve luxos, mas havia sempre espaço para mais um).

      Ana Rita N
      Se isso lhe parece estranho, então

      Eliminar
    6. Cara Ana Rita N, uma coisa é família, outra é os pais dos convidados, e era disso que estava a falar.
      Quando fazíamos anos normalmente fazíamos duas 'festas', no dia dos anos propriamente convidava-se a família para um bolo depois de jantar e depois havia a festa dos amigos, essa ficava para a tarde de fim de semana. Não tenho uma família muito grande, é certo, mas o que é que acha que por exemplo a minha prima que é uns 6 ou 7 anos mais velha gostava de ir fazer para as minhas festas sem mais ninguém da idade dela? Ou o meu único primo rapaz, mais novo?
      Sim, parece-me estranho que hoje em dia haja muitas mães/pais que vão atreladas/obrigadas para festas dos amigos dos filhos.
      E eu também vivia num T3 e fazia as minhas festas num T3, como já disse, e não, na nossa casa não cabia sempre mais um porque não tínhamos nenhum jardim próximo nem a altura em que faço anos sequer seria propícia a isso.

      Eliminar
    7. A sério que não compreendo estas comparações. Cada família é um caso. Existem famílias grandes que estão sempre juntas nas festas. Isso é feito com alegria, sem obrigações. Existem famílias mais pequenas, onde os hábitos são outros. Ou até o contrário: famílias tão grandes que se dispersam ou tão pequenas que são sempre os mesmos. Comparar festas e intervenientes é como comparar pilinhas, se é que me faço entender.

      Eliminar
    8. Não há aqui comparações.
      Foi só uma questão: "agora têm sempre a mania de convidar adultas para as festas".
      Eu apenas disse que sempre vi adultos em festas de miúdos. E digo mais, quando era miúda as poucas festas de aniversário que havia tinham sempre bastantes adultos.
      E quanto ao "privilégio" de ter um jardim perto de casa, fique a saber que esse "jardim" é o Vale do Silencio. Um jardim que toda a gente conhece nos Olivais, e para onde vamos com a miudagem para eles brincarem (e para onde sempre fui em miúda).
      E no que diz respeito à diferença de idades, as mais velhas (16-17) vêm às festas sim, e gostam de estar com os primos e adoram os mais novos (2-3 anos). Em família temos de nos "habituar" todos uns aos outros.
      Era o que mais faltava, a miúda, ou o miúdos, não vir porque não têm ninguém da mesma idade. Nunca foi assim comigo e não é assim com os meus filhos de certeza.
      Festa de família é para estar a família reunida. Não há cá preocupações se todos os miúdos têm crianças da mesma idade para brincar ou não. O aniversariante têm alguns amigos convidados, o resto da família convive.
      Ana Rita N.

      Eliminar
  23. Ena, tantas mães modelo a criticarem outras mães modelo. Se tivessem poder as primeiras purgavam as segundas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque não está a criticar?

      Eliminar
  24. A mim, o que me faz confusão é a comida contadinha. Se repararem colocam meia dúzia de cup cakes super manipulados, mais meia dúzia disto e meia dúzia daquilo. Bolachas que andaram nas mãos de sabe-se lá quem e parecem de plástico. No fundo são mais os enfeites do que a comida. Se convidam meio mundo têm mesmo é que os entreter com karaokes e ilusionistas, se não os miúdos comem tudo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas se aquilo é só para ver... Fazer mais para quê?

      Eliminar
    2. Vocês não percebem nada. A mesa catita é só para as fotos. Há outra mesa, que não aparece nas fotos da festa, com a comida a sério.

      Eliminar
  25. Este tipo de escrita é de revirar os olhos, tenho um colega que fala assim, (fala) e depois olha para nós e diz: "Não perceberam?", face à nossa expressão de vómito e de wtf por ser absolutamente forçado e desmesurado. Detesto, e é claro que a maioria das pessoas aplaude, e diz que isto é "escrever bem"...
    Agora, se se quer redimir (já a sigo faz alguns anos) terá que escrever um "textozito", "chique a valer" sobre as suas titas, a sua infância e os seus avós... ai que não posso com esta "ilitiricite aguda" que me está a dar uma coisa, ai que não posso... preciso de uma passagem d'Os Maias... um bocadinho de Eça... por Deus Palmier... esc...cre...va...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Palmier?
      Ahahahah
      Palmyyyyyy! Ó Palmy!!! Anda cá que tens aqui uma leitora!

      Eliminar
    2. É a minha hater de estimação. Só tenho esta, tenho de a preservar :D

      Eliminar
    3. Não, Palmy... É um comentário simpático, a propósito do post que fizeste sobre o plágio. A leitora devia ter os dois blogs abertos e por engano deixou-o aqui. Esta anónima é fofinha.

      Eliminar
    4. Ah, ok. Já percebi tudo! :DDDDDDD Pensei que te estava a pedir a ti para escreveres um texto a gozar com as minhas tias :D


      Eliminar
  26. Pipocante Irrelevante Delirante21 de julho de 2016 às 11:30

    Eu gosto de festas temáticas. Ainda na outra noite, o tema era bibliotecas. A esposa era a bibliotecária, e eu tinha deixado passar o prazo de entrega do livro, e por isso tive de ser castigado...
    Mas regressando à criançada... sou completamente parcial, porque não aprecio este tipo de festarolas, mas estes hapeningues são idênticos aos casórios. Festa para terceiros, e para mostrar figura. Nada mais que isso. A diversão daqueles que deviam ser o centro da festa fica para segundo plano. Quando se faz um evento, qualquer evento, para a foto, fica tudo explicado quanto às prioridades.
    Se as crianças gostam? Pois sim, acredito... afinal, a criança é moldada pelo ambiente, e se a única coisa que conhece é camisa branca, ambiente esterilizado, pinturas faciais e posar para a máquina, certamente que aprecia (especialmente porque ainda não consegue perceber que, é o centro das atenções na teoria, mas não na prática). Eu também só passei a gostar de chafurdar na lama (em sentido literal) depois de experimentar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ei pá, este homem existe mesmo?! "Ainda na outra noite, o tema era bibliotecas. A esposa era a bibliotecária...", o que eu me ri!! Rio-me sempre com o PID, bem haja!

      Eliminar
  27. Sempre fiz festas em minha casa só mesmo com as pessoas mais próximas (a miúda é pequena e nunca manifestou interesse em ter outras crianças além dos primos... ainda) e a decoração era sempre com um bolo de um boneco que ela gostava, balões e chapéus.
    O ano passado, porque o aniversário calhou no fim de semana e em pleno verão, aproveitei a casa de praia dos meus pais para fazer uma festa maior, convidando família e amigos mais próximos... o que já dava uma multidão dado que a os primos próximos já são casados, já têm todos filhos, etc. Ainda assim e apesar de ter comprado a maior parte das coisas fora (de outra forma não conseguiria alimentar aquela gente) - numa senhora de confiança e que faz tudo de qualidade e caseirinho - fiz questão de ser eu a decorar o espaço... claro que não fica tão lindo e imaculado, mas deu muito mais gozo e foi mais apreciado com toda a certeza!

    ResponderEliminar
  28. Umas pecam pelo exagero, claramente, outras pela forretice. O que dizer do bolo de batizado da mais nova do Socorro?? Aquele bolo, sim, é motivo para pedir socorro. É um bolo de batizado, caramba.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Socorro? Por Deus, que é essa, agora?

      Eliminar
    2. Rita Ferro Alvim do Socorro, sou mãe

      Eliminar
    3. Não sigo o blog.
      O bolo... Ahahahahahah

      Eliminar
    4. O bolo, as unhas, os pés... Só aquele post dá para tanto...

      Eliminar
    5. Ai, aquele bolo. Aquilo foi encomendado?! Ahahahah.

      Eliminar
    6. nem me diga nada, há tres dias que nem durmo a pensar nisso...

      Eliminar
  29. Só há uma coisa que não percebo: porque surgem estes Posts apenas quando se trata da festa de aniversário da filha da PN.

    O ano passado, a Palmier escreveu sobre o mesmo, na mesma altura.

    É que também há as festas das C e etc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque me apetece. E em me apetecendo...

      Eliminar
    2. E, a mim, apeteceu-me comentar que é sempre na mesma época e sempre apontando à mesma pessoa.

      Talvez até nem seja esse o caso, mas é a impressão que me dá.

      Eliminar
    3. Mas faz tudo anos agora? Bem, os baby bloggers são planeados ao milímetro! Até para fazerem anos na época alta!

      Eliminar
    4. Já a mim apetece-me dizer-lhe que não tenho rigorosamente nada a ver com os posts que a Palmier escreveu o ano passado, dos quais nem sequer me lembro.

      Eliminar
  30. Quem é a PN? Pensei que estavam a falar da FcF...Talvez não...Elucidem me sff.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu estou a falar de todas as festas plastificadas, feitas por encomenda e que custam pequenas fortunas. Há muita gente que faz isso, fora ou dentro dos blogs.

      Eliminar
  31. Eu dedico algum tempo a organizar as festas da miúda agora que já liga a essas coisas. Mas sou muuuuito prática. Faço festas com tema. Festa com tema de sereia? Pinipon sereia em cima do bolo, pratos de plástico em azul e verde, uns peixes recortados pela aniversairiante em carolina colados pelas paredes e umas tiras de tule azul e verde pendurados a fazer de algas. Festa com tema de baile de máscaras? Avisa-se a miudagem para vir mascarado e põe-se musica. Não é preciso muito para os miúdos ficarem impressionados. E a comida é sempre a mesma. Na loucura, posso fazer a gelatina a condizer com o bolo e usar os enfeites de açúcar em cima dos queques a condizer com as "cores" da festa. Pronto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essas são festas out. Onde já se viu? Não gastar uma fortuna e contratar uma empresa?...

      Eliminar
    2. Melhores conselhos que já recebi (mesmo para festas out): os putos comem batatas fritas, gelatina e pizza, não te esforces a inovar e espeta o boneco preferido em cima do bolo. é o que tenho feito e, imagine-se, os miúdos adoram as festas cá em casa

      Eliminar
  32. O que eu acho é que vc não tem filho por isso é uma pessoa amarga . Deveria pensar em ter um blog para conhecer pessoas e fazer amizade , pq este q vc se colou a bloguers de sucesso parece um manicómio lol até me custa a acreditar q velhotas se prestem a este papel de recalcadas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1º ciclo. Faça isso, vai ver que não se arrepende...

      Eliminar
    2. Adoro o raciocínio: quem não tem filhos é uma pessoa amarga. Caramba, eu seria amarga se tivesse filhos.

      Eliminar
    3. Está boa. Quem não tem filhos é amargo. Quase tão boa como o quem não quer ter filhos não gosta de crianças ou o uma mulher só é completa se for mãe.
      Ser mãe é muito bonito, cara anónima, mas não faz de ninguém melhor ser humano nem especial de corrida. Biliões de mulheres são, foram e vão ser mães. Não é, por muita felicidade que traga, nenhum estatuto especial e muito menos um traço indicativo de personalidade.

      Eliminar
  33. "vc não tem filho por isso é uma pessoa amarga" ? Oi?!

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.