sexta-feira, 22 de abril de 2016

Short Story

Era uma vez uma menina que passava a vida a gritar que era da paz, enquanto atirava pedras à janela dos vizinhos. Na verdade as pedras não passavam de pequenos bocados de gravilha, os vizinhos limitaram-se a fechar as portadas que davam para o quintal da menina e esta lá continuou sozinha, com o seu cão e gato rafeiros, a gritar que era da paz, enquanto atirava pequenos bocados de gravilha.

36 comentários:

  1. Quem é a menina, tu? "Eu sou pela paz, isto é uma brincadeira e são só blogues, gosto de dizer mal dos outros, mas sou pela paz". É do mais pacífico que há, a maledicência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz o roto ao nu "porque não te vestes tu?!", não é? Porque isto do socialmente correcto, dá-nos assim logo um estatuto de género evangélico "só estou a dizer isto porque sou uma pessoa de extrema educação e nível" sendo que, no entanto, sempre se está a dizer aquilo.
      Só que aquilo, de acordo com as suas bíblia, não é dizer mal. É purificar a atmosfera. Claro.
      Paciência, santos deuses...

      Eliminar
    2. O meu comentário das 13.49 deveria ter sido escrito aqui.

      Eliminar
    3. O seu bom amigo? Ah, o seu bom amigo é bom mas só para ameaças a terceiros

      Eliminar
  2. Por aqui, dona Maria?
    Sim, claro que sou eu. Na blogosfera toda a gente é livre de dizer as maiores barbaridades menos eu. Gozar com as barbaridades não se pode, é das regras. Está escrito.

    ResponderEliminar
  3. Eu conheço uma está sempre com sete pedras na mão, para atirar a quem discordar das suas certezas absolutas (mesmo que seja leiga no assunto). E também continua com o seu cão e gatos rafeiros. Será a mesma?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não pode. Isto é só uma história. Curta, ainda por cima.

      Eliminar
    2. Também conheço mas a história é longa. E chata.

      Eliminar
  4. A Picante percebeu mal... a menina não dizia que era da "paz", dizia que era da "pás"! Pás, pás, pás!

    ResponderEliminar
  5. Para quem ostenta o título da mais picante, devo dizer que não chega lá a mensagem. Como qualquer outra sua.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As minhas mensagens chegam a todo o lado. Como é que não sabe isso?

      Eliminar
    2. Pela sua insignificância. Simples

      Eliminar
    3. Caramba! Insignificância? Céus!
      Eu tenho sentimentos! Insignificância? Céus!

      Eliminar
  6. Ah ah ah, regras! Olha quem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também passa muito por aí o feminismo exacerbado, agressivo e violento. As regras.
      Todas se danam por terem de as suportar sozinhas.

      Eliminar
    2. Não tem roupa para lavar, Zézito? Ahhhh espera... a Maria lava né? Vá então beber uma cerveja e desapareça. Sendo irónico ou não, é aborrecido. É tipo carraça.

      Eliminar
    3. Eu acho piada ao Zé. Quer um café, Zé? Acabadinho de fazer...

      Eliminar
    4. Pipocante Irrelevante Delirante22 de abril de 2016 às 16:15

      Eh, 'tão???
      Ando aqui há mais tempo e não oferecem nada. Com'é??

      (para mim é chávena aquecida, e sem açúcar)
      (faxavore)

      Eliminar
    5. Obrigado Picante, fico agradecido como se o tomasse.
      à anônima não vou responder porque se está mesmo a ver que é uma feminista raivosa que odeia os homens verdadeiros, mas que o marido põe no lugar.

      Eliminar
    6. Algum dos senhores deseja um Bushmills? Black Bush?

      Eliminar
    7. Exactamente!!!! A anónima agora não pode vir mais, porque eu o marido, não deixa e porque o pequeno almoço não se faz sozinho!

      Eliminar
    8. Um lady não bebe isso. Somente água.

      Eliminar
    9. Dalmore 15 anos. Suave para conversas longas

      Eliminar
  7. Mas essa menina tem outra particularidade. Quando vê que a gravilha não resulta e lhe fecham as portas e janelas, vai pôr-se a acenar através do vidro de todas as janelas que conseguir. Tenta fazer um sorriso forçado até lhe abrirem de novo as janelas e aí volta a gritar que é de paz e lá voltamos ao início...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Palco tem ela é público. Ao contrário de outras que dão a vida pelo fel.

      Eliminar
    2. Quer aplausos, tal como vê nos palcos alheios. E quer rentabilizar a encenação. O problema é que a produção dela é muito pobrezita. Falta-lhe um bom guião, uma iluminação profissional, um bom figurino. E, acima de tudo, talento.

      Eliminar
    3. Eu acho só que é uma enorme chata. Uma chata a querer buzz, desejosa de poder dizer que lhe fechei o blog. Temos pena, por mim mantém aquela chatice até à eternidade.

      Eliminar
    4. tu também fechas blogs? ena, que importante

      Eliminar
  8. Oh Picante, para short story não cativa. Pode elaborar mais? uma versão longa para dummies?

    ResponderEliminar
  9. tá furiosa né picantezinha, ela não lhe lambe as botas

    ResponderEliminar
  10. Mas desde quando é que a Picante é importante o suficiente para fechar blogues? O meu não fecha aliás nem lá entra... Só com os olhinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois não sei. Vá lá fazer essa pergunta a quem me imputa esse feito.
      Eu acho só estupido mas isso sou eu que insisto em escrever o que me apetece, como e quando me apetece.

      Eliminar
  11. Oh pah, podes estar a falar de tanta gente que até estou "caufusa"

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.