sexta-feira, 29 de abril de 2016

Daquilo dos taxistas lixarem meia Lisboa

Acabei de instalar a aplicação da Uber. 

36 comentários:

  1. A minha alma está parva... a concordar com a Picante uma vez na vida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pergunta sincera: se a Nádia nunca concorda com os pontos de vista e opiniões da Picante, pq é que a lê?

      Eliminar
    2. É preciso concordar com um blogger para a ler/seguir? A Nádia não sei, mas eu não concordo em muita coisa com a Picante e nem por isso a deixo de a ler. Não concordar com a picante não significa que não goste dela ou que ela não traga (nos textos mais sérios) argumentos interessantes de discutir.

      Eliminar
  2. Ahahah Tão bom! Tb eu :)

    ResponderEliminar
  3. Pipocante Irrelevante Delirante29 de abril de 2016 às 18:51

    Não sou pró-taxista.
    Mas a uber é uma empresa que presta serviço de transporte de passageiros sem o ser.
    E isso devia ser, e é ilegal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Uber não é uma empresa que presta serviços de transportes de passageiros. A Uber é uma plataforma que liga empresas de serviços de transportes de passageiros a clientes. Como o Booking, o AirBNB, o OLX, o Skyscanner e por aí fora. Essas empresas também são ilegais?
      As empresas de transportes já existiam antes de a uber cá chegar, só ficaram mais "à vista", e têm todas as licenças em dia, seguros e impostos para esse efeito. Presta um melhor serviço e o consumidor prefere-o ao dos táxis? que peninha... é o mundo da concorrência a funcionar e a funcionar bem.

      Eliminar
    2. Concordo em absoluto (e sempre que andei de táxi nunca fui bem atendida). Existir uber sim claro, mas regulamente-se. Nao nos esqueçamos que é a profissão e o ganha pão deles. Admitir que alguém preste o mesmo serviço que eles, não estando sujeito as mesmas obrigações (licenças, etc.), é concorrência desleal pura e dura. Chamar à uber "motorista privado", em vez de transporte de passageiros é apenas uma fora de evitar o cumprimento de todas aquelas obrigações legais.

      Eliminar
    3. Correcto, a uber é uma plataforma, não uma empresa, que liga motoristas privados.
      A questão é: esses motoristas privados, ao não cumprirem as mesmas regras de licenciamento (entre outras) que os taxistas estão ou não em concorrência desleal? Sim. A atividade da uber (ou esses motoristas privados) precisa de ser regulamentada. A não ser que todos os taxistas daqui a pouco deixem de ser taxistas e passem a ser "motoristas privados". Parecendo que não, deve acabar por ser mais vantajoso. Eu cá acho que devem estar as duas classes sujeitas às mesmas regras de licenciamento etc etc etc. Aí sim, se depois o cliente prefere um táxi ou um motorista privado é com ele.

      Eliminar
    4. Pipocante Irrelevante Delirante30 de abril de 2016 às 12:29

      E eu a pensar que, motorista privado, me podia registar na uber e fazer transporte de passageiros. Pago. Ah, não, levar pessoas de um lado para o outro no meu carro. O que é diferente.
      O tuga é engraçado... quando poupa uns tostões adora o mercado e concorrência, quando é a loja chinesa ou o hiper a roubar-lhe os clientes, venha regulação.

      Eliminar
    5. Pois eu cá acho é que haveriam de acabar com o monopólio dos alvarás e liberalizar o mercado dos táxis. Arranjar táximetros que passassem facturas automáticas, evitando a fuga ao fisco. Aplicando as mesmas regras a todos acabava esta palhaçada.
      É um facto que há muitos, demasiados, taxistas a prestar serviços abomináveis.

      Eliminar
    6. a uber não liga motoristas privados mas sim empresas de transportes de passageiros que já existiam e já operavam em Portugal e dentro da lei. porque agora cresceram e fazem concorrência maior aos táxis passaram a ser ilegais? acho que não...
      e o problema das licenças que os taxistas tanto falam foi única e exclusivamente criado pelos próprios uma vez que vendem licenças que, já agora, são propriedade das câmaras municipais ao preço que bem entendem. licenças que não chegam a custar 500€ estão à venda por 100, 120, 150 mil euros. a culpa da expeculação que eles próprios criaram também é da uber?

      Eliminar
    7. Os taxistas levaram-se a eles próprios à decadência, o monopólio sugou-lhes a alma.

      Ah e "é o ganha pão deles"? A sério? Ninguém diria. Pelos anos que andaram a aldrabar, a enganar e a maltratar os clientes ninguém diria que eles querem clientes e que querem trabalhar. Eu já não uso táxi há anos, prefiro mil vezes alugar 1 carro, com cadeira para criança incluída, sem ser de fumador e não tenho que levar A) com a aldrabice B) com a falta de educação D) Com o humor ou E) com os esquemas deles.

      Os taxistas, tal como o restante mercado tem de se mexer e de evoluir. Não me admira nada que já existam centenas no desemprego nem do facto de virem a existir muitos mais. É a lei da oferta e da procura. Eles ofereceram um serviço miserável durante décadas, agora que a concorrência está a ganhar peso querem bater o pé? Força nisso! Que batam o pé a serem competentes, a despedirem os que roubam, a despedir os que vão fazer mais 10km ou mais só para ganhar dinheiro, que despeçam os que assediam as mulheres quando elas vão sozinhas e por aí fora... que não permitam que os taxistas fumem dentro dos carros quando estão com crianças, que todas as centrais sejam obrigadas a facultar cadeiras auto para os bebés e crianças até aos 12/13 anos (como as normas e leis portuguesas/europeias, etc).

      A Uber, como já foi dito, não contrata e quem trabalha para a UBer está egal. A partir do momento em que estao legais (ou se não estão é dar-lhes ferramentas e formas de ficarem e não tirá-los das negociações). Se entretanto os taxistas forem todos à falência? È sinal que o serviço prestado não prestava e não era necessário. É a ordem da vida e dos negócios.

      Eliminar
  4. Reação imediatista. Coisa pró básico. O meu vizinho que é trolha e pouco instruído fez o mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Básico e trolha mas não tanto quanto o seu comentário.

      Eliminar
    2. Adorei !!! E sabe que mais, trolha näo é sinónimo de pouco instruído e básico !!

      Eliminar
  5. Funciona lindamente. Não vais querer outra coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só ando de taxi à noite. Agora passarei a usar estes.

      Eliminar
    2. Sempre que andei de Uber foi à noite. Sem qualquer problema.

      Eliminar
  6. Pipocante Irrelevante Delirante29 de abril de 2016 às 22:27

    Não suporto taxistas.
    Também não gosto de empresas que operam à margem da lei.

    Os senhores da Uber são educados, asseados... têm carteira profissional? Respeitam as regras impostas pelo Estado aos condutores de empresas de transporte de passageiros? Não é concorrência desleal?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eles não operam à margem da lei. Aproveitaram foi as malhas da lei. É diferente. Mas sim, as regras deveriam ser iguais para todos. Só não acho é que a solução deva passar por correr com a Uber, mas sim mudar as regras de jogo.

      Eliminar
  7. Se fosse possivel dar uma palavrinha aos estivadores e à sua greve,
    que lixam não meia Lisboa, mas Portugal inteiro e não um sector de actividade mas, novamente, Portugal inteiro...
    Agradecida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. talvez seja mais apropriado falar com o Ministro.
      (eu não conheço estivadores...)

      Eliminar
    2. Já agora acabar com as greves, nÃo? O que vale é que não vais precisar dela , ,pois serás sempre alguém sem esse direito hahaha

      Eliminar
  8. E não é caso único, infelizmente. Mas é dar tempo ao tempo e logo se revelarão, tão ou piores que os taxistas. A não ser que os da Uber sejam de outro planeta. http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2016/02/21/motorista-do-uber-e-preso-apos-matar-seis-pessoas-em-michigan-nos-eua.htm

    ResponderEliminar
  9. Toda a razão que possam ter é apagada com as atitudes que têm tido. As agressões a carros e motoristas da Uber, e até a cidadãos comuns que são confundidos com UBER, só têm sido excelentes veículos de despromoção da classe. Eles na verdade não precisam da Uber para lhes lixar o negócio uma vez que eles fazem esse trabalho lindamente. Desde sempre pelo generalizado mau serviço que sempre prestaram e agora com estas manifestações trogloditas que só confirmam e reforçam a péssima imagem que toda a gente tem deles.

    Quanto a mim, não tenciono voltar a andar de taxi. Viva a Uber.

    ResponderEliminar
  10. Os taxistas gastaram milhares de euros num alvará e num curso de formação... entretanto... é feito tábua rasa para beneficiar uma multinacional.
    .
    Acontece por todo o lado:
    - legislação é feita à medida das multinacionais... milhões de empresas familiares vão à falência.
    .
    .
    -» Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins... que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
    .
    .
    .
    P.S.
    Pelo Direito à Sobrevivência das Identidades Autóctones:
    -» http://separatismo--50--50.blogspot.com/


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Finalmente alguém informado. O resto é só bitaites. Pensa esta gente que discordando dos taxistas serão gente elevada, gente que ambiciona Ambrósios. Mas não. Se repararem, estas coisas só acontecem em países atrasados ,onde o vazio da lei dá direito a tudo, menos à justiça.

      Eliminar
    2. É isso mesmo, a UBER uma multinaional de 20 bilhões de dólares, cujos investidores sao o Google, Amazon, Goldman Sachs, com acionistas bilionarios que nao respeitam qualquer lei de mercado, nem juridia dos paises onde entram , manipulam tudo.......e o consumidor acha que no final é ele que escolhe, acha que é ele que tem o poder.
      A vida nao funciona assim, quem tem poder é quem tem o dinheiro, o cliente nao escolhe nada, inconscientemente deixa-se escolher pelos grandes, é diferente.

      Eliminar
    3. http://irritado.blogs.sapo.pt/inadequacao-814668
      Filipe Bastos:
      – « Voltando à Uber, a regulação doce estende-se ao costume: aos lucros obscenos que mama de um “simples” software, onde o trabalho é feito por milhares de funcionários voluntários, sem encargos para a Uber, e aos impostos que esta (não) paga.
      Os offshores são o corolário, a cereja no bolo desta era. Um mamão paga os impostos que quer. E todos aceitam este estado de coisas, a começar pela carneirada, que encolhe os ombros e descarrega mais uma app.
      Depois, lentamente, os condutores da Uber percebem que ganham cada vez menos – pois há cada vez mais – enquanto o lucro da Uber é sagrado. Sempre para paraísos fiscais...»

      Eliminar
    4. é verdade... os atrasados são aqueles que acham que serem atacados por uma horda de gente em fúria quando vai buscar uns amigos à estação ou ao aeroporto não é agradável. Os taxistas estão cobertos de razão e então atacam pessoas inocentes no meio da rua. E os atrasados são os outros.

      Eliminar
    5. "Pelo Direito à Sobrevivência das Identidades Autóctones"

      A sobrevivência de uma classe nunca é somente a responsabilidade do outro. SE os taxistas se modernizassem e prestassem um bom serviço não estariam com problemas de "sobrevivência", aliás nem teriam problemas em ter concorrência.
      Façam estudos de mercado e vejam qual é a opinião que o mercado tem acerca da vossa postura e forma de trabalhar. Mas se quiserem eu até vos poupo uns milhares: é péssima. Não há ninguém que não tenha uma história com um taxista que não seja péssima. A última engraçada era quererem obrigar a qualquer pessoa que saísse do aeroporto dar logo 20€ somente por ir usar o vosso serviço, fora as taxas pelos km...ora, expliquem-me como se eu fosse muito burro porque é que alguém vos iria querer dar 20€ só pelo acto de olhar para vocês?

      Chama-se a isso falta de visão (e óbvia falta de noção). Foram sempre uma classe protegida e sem concorrência. A Uber nem precisa de ser muito boa para vos tirar os clientes porque os taxistas são tão maus que qualquer pessoa irá pelo menos experimentar a Uber só para ver se eles conseguem ser melhores qualquer coisa.
      E cá entre nós, para prestar um serviço melhor que a maioria dos taxistas faz não é preciso muito. E vai muito além do dinheiro da viagem...mesmo muito além. Foi uma classe que parou no tempo e em vez de querer modernizar, não, prefere somente acabar com a concorrência mas sem perceber que quem está a acabar com a sua própria subsistência são eles próprios.
      É o mal de muitos, acham sempre que o problema é dos outros.

      Ps: Uma pessoa que deixou de usar táxi e que quando não tem veículo próprio prefere alugar 1 carro a ter de lidar com taxistas. E isto já vem muito antes da Uber e à minha volta não conheço ninguém que use os taxis com agrado, só o usam em último recurso.

      Eliminar
    6. Inteiramente de acordo com o anónimo de 2 de Maio às 17.13 hrs. Uma história verdadeira sobre taxistas. Tenho uma cunhada que quando tinha que passar à porta da Antral, nas Olaias, apanhava uma carga de nervos porque os "rapazes dos táxis" encostados à parede, entretinham-se a mandar bocas de fino gosto às mulheres que tinham o azar de passar por eles. Um dia, foi dia de Sta. Maria...Ela vinha do supermercado, passou por eles e ouviu as ordinarices cabeludas do costume. Contou-me que lhe passou uma onda vermelha à frente. Pousou tranquilamente os sacos, dirigiu-se aos energúmenos e pregou uma chapada em cada um! Acontece que como não estavam à espera, desiquilibraram-se e foram contra a porta. Tal foi o ruído que vieram pessoas de dentro para ver o que se tinha passado. E ela aproveitou e disse-lhes que a formação também devia incluir aulas de civismo.
      Outra história verdadeira. Há uns anos um amigo meu chegou ao aeroporto, meteu-se no taxi e deu uma direcção nos Olivais, muito perto dali. O taxista espumou de raiva todo o caminho e ao chegar a cerca de 40 metros da porta, parou. O meu amigo disse-lhe, inocentemente, que era um bocado mais à frente. Resposta do taxista "Também quer que suba com o táxi no elevador?". Podia passar horas a contar histórias também passadas comigo, mas o "testamento" já vai grande.

      Eliminar
    7. Primeiro , quem sao "voces" esta a assumir que sou taxista?
      Segundo, independentemente de haver maus profissinais numa area, seja transporte de pessoas, restauraçao, advocacia , lojas de roupa etc, Isso em nada minimiza corrupçao e manipulaçao provoada por multinacionais.

      Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.
      Eu sou a favor de despedimentos, retirar carteiras profissionais, fiscalizaçao severa, e criminalizaçao judicial de qualquer procedimento menos correcto de qualquer trabalhador de qualquer area.
      Sem exceçoes.
      No entanto tambem me mete nojo que multinacionais entrem nos paises sem cumprir qualquer lei desses paises e até tenham a arrogancia de defenir como é que querem que a lei seja feita (que é o que esta a acontecer em Inglaterra) e com isto tudo parte da populaçao ainda acha normal !!! nao vê o perigo que isto é.

      Que há taxistas maus? sim
      Que ja deviam se ter modernizado há muito ?sim
      Que houveram episodios de brigas em que os taxistas deveriam ter sido presos? sim
      Que concorrencia é boa em qualquer area ?sim

      Mas não desta forma.
      Esta forma que as multinacionais têm de fazer as coisas é a mais destrututiva e agressiva para todos nós, é assim que eles fazem as coisas, sempre , e nós consumidores só nos resta ver as coisas a acontecer e ser engolidos.
      As anonimas focam-se no taxista mauzinho que é rude e mal criado (que até tem um lado de verdadae) e recusam-se a ver que voces nao escolhem a UBER, foi a Uber que vos escolheu.

      Foram os acionistas bilionarios , a Google, Amazon, Goldman Sachs todos donos da UBER que decidiram como é que querem que as coisas sejam feitas, quem é que é o cliente, e como é que ele se vai comportar.
      Os pequenos nao escolhem nada. A vida nao funcionada assim.

      Eliminar
    8. Eu nao escolho a Uber porque ainda não a usei. Em caso de a necessidade, se a escolha for entre a Uber ou os táxis eu vou usar a Uber, aliás qualquer outra opção irá ser preferível aos taxistas e foi somente a isto que o meu comentário se referia.

      Não acho bem que uma empresa entre no país e faça o que bem entender, acho bem que se imponham leis e os obriguem a cumprir a lei. Mas sou sim contra a total anulação da possibilidade de entrarem no país sem sequer os chamarem para negociações à partida.

      As multinacionais não têm de ser um bicho papão, aliás sem multinacionais provavelmente ainda hoje a maioria dos portugueses nem teria qualquer tipo de literacia tecnológica porque não tinha acesso a nada (seria tudo excessivamente caro).

      Quanto aos taxistas, pela forma como colocou a questão da "sobrevivência" pareceu. Por mim a questão da Uber/qualquer outra concorrente ou a sorevivência dos táxis não seria sequer uma questão se o serviço que prestam fosse bom.
      De uma forma global e futura, é muito provavel que os taxistas se tornem completamente prescindíveis e obsoletos, as atitudes e formas de estar no mercado (que vem desde há décadas para cá) só irá acelerar cada vez mais esse processo.

      Eu não uso táxis. E não é por causa da Uber. Eu não uso, nem nunca usarei um táxi excepto se não puder evitá-lo por causa dos taxistas.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.