quarta-feira, 20 de abril de 2016

Cara Rita Ferro Rodrigues

Li o seu artigo, será que lhe posso chamar artigo? Provavelmente não. Recomeço. Li o seu desabafo, o seu grito de revolta, ou qualquer outra coisa que lhe queira chamar, com muita atenção. Bom... com a atenção que merece, vá...
E tenho apenas a dizer-lhe que aquele #Tchauquerida não é para mim. De todo. E sabe porquê, Rita? Não sabe mas também não faz mal que eu explico. Ora tente lá afastar da sua cabecinha todos os preconceitos com que se debate há anos e que a fazem ver, em todo e qualquer acto, uma discriminação à mulher.
Preparada? Então aqui vai: não fui eu quem ofereceu um cargo a um amigo, apenas para parar um processo judicial por corrupção. Não cometi uma série de falcatruas para beneficiar certos e determinados lobbies. O meu dinheiro está aqui em Portugal, depois de ter pago todos os impostos que tinha de pagar. 
A Dilma está a ser corrida porque há sérias probabilidades de ser uma grande vigarista. Não por ser mulher. A Rita, caso tenha um mínimo de honestidade intelectual reconhecerá que as palavras"tchau querida" referem-se a uma conversa entre Lula e Dilma. É um "tchau vigarista". Não tem nada a ver com misoginia ou machismo.
Mas a Rita não é capaz de ver para além disso, pois não? Em tudo vê ataques às mulheres. Diga-me, Rita... Quem é que lhe fez mal? Ou será que quer apenas dar nas vistas? Fica a questão.
Sabe, Rita? São essas reclamações claramente exageradas e sem racionalidade que fazem com que tanta gente revire os olhos quando ouve falar em feminismo, que fazem com que tanta gente associe à palavra feminista as palavras histérica ou esganiçada. E é uma pena, Rita. Eu acho mesmo que vale a pena lutar por direitos iguais.

84 comentários:

  1. Pois é para mim, quando para justificar um voto contra uma mulher, independentemente do que possa ter feito ou não, se refere elogiosamente o homem que a mandou torturar e enfiar-lhe ratos na vagina.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim também é! Obrigada pelo seu comentário.

      Eliminar
    2. O outro anormal não é toda uma assembleia, ou é?

      Eliminar
  2. http://www.brasilpost.com.br/carol-patrocinio/tchau-querida-deputados-dilma_b_9731884.html

    ResponderEliminar
  3. É isto...

    "Ora tente lá afastar da sua cabecinha todos os preconceitos com que se debate há anos e que a fazem ver, em todo e qualquer acto, uma discriminação à mulher."

    Muito bom, picante.

    ResponderEliminar
  4. Ouçaaaa, você é muito chata.
    Deixe lá as feministas em paz. Abençoado o dia em que as mulheres não tenham de lutar, berrar e gritar pelos seus direitos.
    E uma mulher com tanto ódio às feministas só pode ser muito limitada.
    Infelizmente, todas temos a obrigação de defender o feminismo enquanto formos descriminadas pelo simples facto de nos perguntarem numa entrevista de emprego se tem filhos pequenos ou pretende engravidar. Conhece algum homem a quem tenham feito esta pergunta?
    Então, pense nisso.
    Até lá não seja tão amarga lá porque a horrorosa esquerdalha está no poder.Vai ver que não lhe vão tirar a quinta de família (que provavelmente já não tem ou nunca teve), nem proibi-la de nada...até lhe devolveram os feriados religiosos, veja lá...
    Quanto ao Brasil, apenas pergunto: conhece a realidade? Morou e trabalhou lá?
    Eu morei e trabalhei. O PT é um partido corrupto, mas os outros são tão maus ou piores. 80% dos deputados que acusam a Dilma estão a ser investigados por corrupção. O problema da "classe dirigente" brasileira é que não perdoa ao PT os direitos sociais que atribuiram às classes desfavorecidas, nomeadamente, serem obrigados a pagar segurança social e férias ao exército de "criadas" que tinham em casa. Aconselho- a a ver o filme "A que horas ela volta?" para perceber o que se passa no Brasil.
    E beba qualquer coisa, que esse azedume passa.
    Mariana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até que enfim alguém que põe os pontos nos is.

      Eliminar
    2. Eu (feminista) que até já me queixei há uns dias da questão da pergunta dos filhos nas entrevistas, reservo-me o direito democrático e constitucional de dizer que concordo a 200% com a Picante no que a este assunto diz respeito.

      Mais ou menos como na questão do "cartão de cidadão"/"cartão de cidadania".


      Ps: o problema de muitas supostas feministas é acharem que resolvem alguma coisa ao atirarem o "machismo" para todos os lados, histericamente, e esperarem ser levadas a sério e serem consideradas sérias. É o que se domina na gíria de "feminazi" e o nome por si só explica muito bem o mau nome que dão ao feminismo.

      Eliminar
    3. Desde sempre perguntavam às mulheres solteiras se pretendiam casar e ter filhos. Essa história já chateia. Há quase 30 anos era assim. Eu sou contra discriminar mas vamos imaginar uma coisa: você tem uma pequena empresa, contrata alguém que ao fim de 3 meses (após a formação, portanto) engravida. Essa pessoa vai-se ausentar e ainda não rentabilizou sequer o seu trabalho. Contratará alguém para a substituir temporariamente, sendo que essa pessoa não se integrará minimamente pois não ficará no emprego, ou não renova o contrato e admite outra pessoa a quem oferecerá um emprego com caracter permanente e estável?

      Eliminar
    4. Boa resposta.
      Aqui há muito azedume. Ou isso, ou soberba.

      Eliminar
    5. Anónimo das 23:58: porque não contratar se for a melhor candidata para a função? Independentemente se for mulher ou homem? Conheço até empresas, ainda que poucas, que contrataram mulheres grávidas, sabendo de antemão do seu "estado de graça" e não veio daí mal ao mundo.

      Eliminar
    6. Ó Mariana, ganhe lá juízo, eu que até concordo com a lógica por detrás do cartão de cidadania, acho muito bem que despachem a Dilma, a mulher vai ser demitida por ser uma vigarista que se deixou apanhar, nada mais.

      Eliminar
    7. Desde sempre? E, por isso, não vamos mudar, certo?
      Sabe que uma mulher pode avançar com uma queixa contra um empregador por lhe fazer essa pergunta?
      E quem é que diz uma mulher em 9 meses não consegue "rentabilizar" o seu trabalho? E que quando quando voltar da licença de maternidade está ainda mais empenhada em "rentabilizar" o seu trabalho no seu horário reduzido porque quer chegar a casa a horas para tomar conta do seu bebé e não alinha em cafézinhos, fumaradas e conversas de corredor? Pois... Tanto preconceito e o mais triste é que parte de mulheres contra mulheres...Assim , é que não vamos lá...só com alterações legislativas que penalizem fortemente empregadores com mentalidade arcaica como fazem na europa "dita civilizada" onde as mulheres podem ficar entre 1-3 anos em casa sem perderem o seu posto de trabalho e regalias.
      Dou o meu exemplo: trabalhei numa multinacional em Portugal. Optei por gozar 5 meses de licença de maternidade + 1 mês de férias. A minha chefe portuguesa insurgiu-se, obviamente, porque ia estar meio ano fora efez-me a "vida negra".
      O meu chefe alemão perguntou se em Portugal ia gozar 1 ou 2 anos ou mais. A mulher dele na Alemanha ficou 3 anos de licença por cada filho: 6 no total e voltou ao seu posto de trabalho normalmente. O meu chefe inglês quando me viu numa acção de formação no estrangeiro ao fim de 6 meses, perguntou-me como é que tinha coragem de deixar 1 bebé tão pequeno em casa...a mulher tinha ficado 1 ano de licença.
      Quem está mal? Os alemães e os ingleses?

      Eliminar
    8. Anónima das 11:17, se estava tão empenhada em contar o seu caso pessoal, podia ao menos ter lido tudo o que escrevi. Acha mesmo que numa pequena empresa o tempo que essa mulher estiver fora colmatado mais ou menos por uma temporária valerá o esforço do patronato? Eu dei o exemplo de uma pessoa que acaba de chegar a uma empresa e engravida quase de imediato. Pequenas estruturas não têm que se sujeitar a decisões pessoais. E as decisões pessoais são isso mesmo.

      Eliminar
    9. Anónimo das 10:11. Não tenho nada contra contratar mulheres grávidas. Neste caso há uma planificação sabendo de antemão o que irá acontecer. Eu dei o exemplo concreto de uma pequena estrutura empresarial. Discutir-se a problemática da gravidez assim no geral tem como falha uma avaliação errada de casos concretos e foi esse exemplo que tentei demonstrar. É ler bem o que escrevi, só isso.

      Eliminar
    10. "O meu chefe inglês quando me viu numa acção de formação no estrangeiro ao fim de 6 meses, perguntou-me como é que tinha coragem de deixar 1 bebé tão pequeno em casa"

      Não entrando pela injustiça que é a falta de opção de ficar mais de 6 meses em casa com o bebé, que realmente não concordo com ela e acho que uma mãe devia poder escolher entre ficar 6 meses, 1 ano, ou até mais, esta pergunta é de um machismo absurdo. Porque uma mulher pode não querer ficar do que 4 ou 6 meses de licença, e devia ter tanto direito a isso como uma mulher que quer ficar 3 anos, sem ser julgada. Gostava de saber se esse chefe inglês faria a mesma pergunta a um trabalhador do sexo masculino.

      AnaC

      Eliminar
    11. Mariana, que fazia no Brasil? Trabalhava numa estrebaria?...

      Eliminar
    12. Mariana, com toda a honestidade e sem querer ofender ninguém, mete-me nojo este histerismo todo à volta do "feminismo", seja lá o que isso for, porque a esta altura já não me parece luta de direitos nenhuns, parece-me apenas histerismo e nada mais e isso sim, mete nojo.

      Fala uma mulher que há cerca de 13 anos (para mais) entrou num mundo de homens, onde praticamente não existiam mulheres (agora é diferente), que se integrou, que hoje é vista como igual e que teve que suportar e contornar muita coisa por ser mulher e licenciada (num mundo de poucos ou nenhuns licenciados, homens. Imagine!). NUNCA precisei de andar aos berros e a abrir os braços tipo galinha, estou aqui e sou mulher, respeitem-me, porque o respeito não se exige conquista-se. Quis os mesmo direitos, lutei por eles, fazendo por isso, não andando com textos histéricos, nem a exigir que mudassem o nome no cartão, que é no masculino e continuará a ser, porque isso não altera nada, o respeito e os mesmos direitos já os tenho. O que é que as histéricas (histéricas e não feministas) fizeram para mudar isso além de textos histéricos?

      Algumas mulheres, depois do que eu lutei para ter direitos iguais, envergonham-me.

      Eliminar
    13. Não, querida... numa padaria. Afinal, todos as padarias são de portugueses no Brasil. E obviamente tenho bigode, sou gorda, feia, fufa, como todas as feministas. Um bom feriado da horrorosa revolução de 74 também para si!

      Mariana

      Eliminar
    14. Mariana..."horrorosa revolução de 74"?????????? Só se for para si e depois disto não é preciso dizer mais nada.....

      Eliminar
    15. Numa padaria? Homessa! Pela maneira de se dirigir às pessoas fui levada a pensar que era numa estrebaria. As minhas desculpas.

      Eliminar
    16. Sim, porque a Picante é sempre educadíssima quando se dirige a quem de si discorda. Pontapés nos dentes e tal? Finérrimo.

      Eliminar
    17. Pois sou. Aquilo não se tratou de uma discordância. Deveria ser óbvio.

      Eliminar
  5. É isto. Subscrevo na íntegra este post.

    ResponderEliminar
  6. 👏👏👏👏👏👏

    ResponderEliminar
  7. 2 palavras pwra a Ritinha: daddy issues

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois...coisas por provar :( enfim, mas muito tristes

      Eliminar
  8. Olha outra: "Se a linguagem não é ideológica – nem sexista – porque é que o masculino de puta não tem qualquer sentido pejorativo? Qual é o masculino de puta? É puto? E porque é que esta palavra tem uma carga ideológica – sim, ideológica – quando dita no feminino?",a propósito do cartão de cidadão/cidadadina, no mesmo site. Mas que ca***** é isto?!
    Está tudo a ficar maluco, ou sou eu que estou a ver mal a coisa?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gigolo. Também não existe "gigola". E todos sabem o que é um gigolo e todos os encaram de forma pejorativa.

      E o sinónimo de prostituta (não puta, que puta é gíria) é prostituto e tem exactamente a mesma conotação.

      Eliminar
    2. Porque não existe masculino de puta, ó chica esperta. Puta é puta e mais nada.
      O significado de feminismo quando aplicado às machonas que andam para aí como umas galinhas esganiçadas a gritarem por direitos iguais, metam as bocas ao caminho e comecem também vocês a piropearem os trolhas.
      Feminino é significado de delicadeza, feminista é significado de gaja mal amada que com raiva das femininas bem amadas tornam-se machonas tipo mulher durona cabra macho.
      ide-vos curar.

      Eliminar
    3. Ai Zé mas tu deves ser muito homem para amar as feministas todas.
      Adoro ver os machões a falar sobre feminismo, cago-me a rir. Fofo, beijinho <3 não te preocupes, aqui não há raiva. Só condescendência.

      Eliminar
    4. " Feminino é significado de delicadeza, feminista é significado de gaja mal amada que com raiva das femininas bem amadas tornam-se machonas tipo mulher durona cabra macho. "
      Tão bom.

      Eliminar
    5. A Zé viu muito a Cinderela, em criança?

      Eliminar
    6. O Zé! E muito bem!
      Quê quê isso da a Zé?
      Ou também já foi apanhada pela moléstia do feminismo fanático e vem tratar-me por igual.
      Distância menina. Homem é homem e homem que se preza fica no seu poleiro.
      Eu dava-vos o feminismo se mandasse. Mulher já pá cozinha.

      Eliminar
    7. Este Zé da Fisga e outros como ele (e não sao assim tão poucos, são a razão pela qual o feminismo continua a ser tão necessário como pão para a boca.

      Eliminar
    8. O Zé quererá dizer que homem que é homem fica no seu raminho de pessegueiro, não é?

      Eliminar
    9. Custou-me a descobrir, cara Picante.
      É mesmo isso. No seu raminho de pessegueiro e numa manifestação de repúdio pelo feminismo, esgalhá-o.

      Eliminar
  9. Bom, lá terei de ir ler a Maria Capaz. Já cá volto. Ou não, depende do que ler.

    ResponderEliminar
  10. Concordo contudo, excepto na parte "a Dilma está a ser corrida porque há sérias PROBABILIDADES de ser vigarista...". As instituições e certos mecanismos não devem funcionar à base de probabilidades. Nunca morei no Brasil, só tenho amigos brasileiros que vivem e moram lá. Todos me dizem que contra a Dilma não há uma acusação formal. Já aqueles que a pretendem tirar de lá e ocupar o lugar dela estão formalmente acusados de algum crime.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O facto de ter tentado proteger o Lula, só por si, é evidência de que a senhora não prima por grandes valores de ética e isso é uma falha grave para o mais alto representante da nação.

      Eliminar
    2. Exacto. Para mim, tanto tem razão a Picante com o que diz aqui, como certas coisas que a Rita diz no post dela. Não há santos nesta história. Nem a Dilma, nem os que a querem correr do lugar, muitos deles também com "culpas no cartório" e que durante este processo todo mostraram ser uns trastes.

      Eliminar
    3. Anónimo das 10:16,

      Concordo, em parte, consigo. Desnecessário oferecer o cargo ao lula só para que não fosse julgado por um determinado tribunal. Por outro lado, e embora eu não o ache um santo (opinião pessoal, também não tenho provas de nada), tanto quanto sei (de conversar com amigos meus brasileiros, volto a dizer), ele teria sempre de ser julgado, mas por outro tribunal (o juiz Moro quer a sua condenação à força, mesmo sem tendo provas).

      Nenhum deles tem ética, carácter, valores. Mas lamento, contra a Dilma r o Lula conseguem zero provas de corrupção. E, como tal, não chega para os tirar de lá, com base em "sérias probabilidades". E o impeachment também não serve para a finalidade que está a ser usado (dito pelos tais amigos e colegas juristas brasileiros, que eu o sistema jurídico brasileiro conheço muito pouco). Quanto ao opositor da Dilma, aquele que a quer tirar de lá à força toda, pesquise por Bolsonaro pfavor, pai e filho. Acho que era isso que a Rita se referia. Mas deixo lhe ficar aqui um link:

      http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/08/as-10-frases-mais-polemicas-de-jair-bolsonaro.html

      Eliminar
    4. O Lula ia ser julgado por corrupção e branqueamento de capitais. Oferecer-lhe um cargo só para o livrar das malhas da justiça diz muito de uma pessoa. Quanto a mim diz que nenhum dos dois deveria ocupar qualquer cargo público.
      Os que querem correr com ela também são corruptos? É ir atrás deles...

      Eliminar
    5. (o parlamento não é apenas essa besta, seria como dizer que todos os republicanos são iguais a Trump. E não são)

      Eliminar
    6. O Lula não se ia livrar das malhas da justiça. Ia sim ser julgado num tribunal superior (o nosso equivalente ao STJ), evitando que fosse julgado por um tribunal inferior, uma vez que estão a ser fabricadas provas para o incriminar (há quem afirme que pelo próprio juiz Moro). Novamente, o que aqui escrevo é o que me é feito chegar por quem mora no Brasil. Se sou contra oferecer um cargo a alguém para que possa ser julgado por um outro tribunal, porque o tribunal onde se deveria ser julgado não garante um julgamento imparcial? Sim... mas como cidadã tenho um certo receio destes juízes que estão com um pezinho na política. E espero sinceramente que a moda não pegue por cá.


      De todo o modo, deixo um apontamento de humor sobre o que escrevo:

      https://www.youtube.com/watch?v=m92wwsCxk7k

      Eliminar
    7. Parece-me que o que se está a passar no Brasil é muito triste, partidos à parte.
      (já vi, obrigada)

      Eliminar
  11. Esta sua análise até estava muito bonita, não fosse dar-se o caso de 80% dos deputados que querem derrubar a Dilma estarem envolvidos em casos de corrupção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É indiciá-los e julgá-los. Uma coisa não tem nada que ver com outra.

      Eliminar
    2. Ai não que não tem.

      Eliminar
  12. Posso saber onde anda o artigo da RFR? Já pesquisei e não encontro.

    ResponderEliminar
  13. Mas tu achas que a Rita te vai ler? Oh, minha santinha...!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério que achou que a Picante estava a escrever para a Rita? Há mesmo gente assim?

      Eliminar
    2. pensei a mesma coisa
      esta picante não se enxerga

      Eliminar
    3. Mas ela sabe ler?
      Sabe ver as letras mas compreender a lição que levou aqui não vai compreender nada.
      É no que dá só ler a Margarida.

      Eliminar
    4. Não vai? A sério que não vai? Mas... Mas...
      Como sobreviverei sabendo agora que a Rita Ferro Rodrigues não me vai ler? Que mundo cruel, Deus meu!

      Eliminar
  14. Na minha opinião, a Rita quer apenas dar nas vistas. E, esperta como é, sabe que pegar na bandeira do feminismo dá visualização, porque estamos num país onde ainda há muito para fazer nesse campo, verdade seja dita.
    Agora, ela é daquelas que tem o que tem não por ter subido na horizontal (coisa rude para o feminismo) mas por ser filha de quem é, e isso não tem género.
    Pessoas como ela causam-me asco, não fazem nada de produtivo mas tentam a cada passo fazer barulho. O problema é que é um barulho semelhante ao de uma criança traquina: não serve para nada e não leva a lado algum.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas o problema é que eu acho que são este tipo de atitudes que desvirtuam uma causa que é justa e deveria ser de todos nós, mulheres e homens.

      Eliminar
  15. ..."grandes probabilidades de ser uma grande vigarista"... e você tem provas dessas vigarices da Dilma, por acaso? Pelos vistos você, tb emprenha pelos ouvidos, julguei que fosse mais inteligente... (e não, não gosto particularmente da Rita Ferro Rodrigues nem desses feminismos exacerbados que por aí proliferam). Isabel Vasconcelos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh por favor, mas as pessoas são parvinhas?

      Por mim, uma pessoa no poder, à frente de um país, seja no Brsil ou cá em Portugal, seja de direita, esquerda, centro (ou o raio), que inventasse um cargo só para impedir que um amigo fosse julgado por crimes (sejam eles quais forem), nem tinha hipóteses de mais nada, era logo OLHO DA RUA, mas andam a gozar com o povinho? E o pior é que algum deixa e gosta muito, ainda é capaz de se baixar mais e por o rabinho a jeito!
      Isso até haveria de vir na Constituição, brasileira ou portuguesa, que isto vai tudo pelo mesmo caminho.
      Suspeita-se que o homem tenha cometido crimes, tem que ser investigado e julgado, e cumprir pena se houverem provas, como você (anónimo das 16:48) seria, a não ser que seja um da corja e aí compreende-se que concorde!

      Eliminar
    2. Mesmo que não tenha feito mais nada de condenável, o simples facto de ter chamado Lula para Ministro para evitar que respondesse no processo em que é suspeito de corrupção já é indício suficiente de ser uma grande vigarista.

      Eliminar
    3. Pipocante Irrelevante Delirante22 de abril de 2016 às 11:15

      Julia?

      Eliminar
    4. Pipocante Irrelevante Delirante22 de abril de 2016 às 14:09

      Ah, a Calpurnia.

      Eliminar
  16. Mudando completamente de assunto, desculpa.
    Quanto tempo se disse aqui que a loja da pipoca ia durar aberta ao público? Dois, três, cinco anos? Alguém deve ter acertado, porque está fechada e já deve fazer algum tempo, dado o aspecto sujo e abandonado que aquilo tem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ainda bem que é para provar as feministas que eu tenho razão. Onde é que uma mulher é uma boa gestora? Nas grandes empresas de Portugal vocês as feministas assanhadas vêem gestores ou gestoras? Gestores porque se fossem as mulheres a dirigir estavamos como um país dos mais pobres do terceiro mundo.
      Armou-se em gestora que sabia e so se esperava mesmo que desse no que deu e faliu, mas se fosse o marido a mandar ia tornar a loja produtiva.
      ide tratar do look que é para isso que vocês servem e deixem-se das manias estupidas da igualdade.

      Eliminar
    2. Zé, está a ver se me pega fogo ao pedaço? Se instala aqui uma luta campal?
      ahahahahahhaha

      Eliminar
    3. Ai Zé... que pena tenho de si :))

      Eliminar
    4. Zé, quem vê a gerir o País? Homens ou mulheres? Pois, e está a ver onde estamos agora, não é?! I rest my case!

      Eliminar
    5. Verdade, Zé.
      Ja dizia o Arquitecto, ha sempre um grande homem por trás de uma grande mulher.

      Eliminar
    6. Estamos assim porque as mulheres armaram-se em feministas e também quiseram mandar e deram com os burrinhos na água, porque antes quando a mulher cumpria as suas obrigações da cozinha e da celha de roupa, os homens é que mandavam e o país andava muito bem e era rico.
      Informe-se da história como deve ser para ver quem tem razão.
      Metem-se em tudo e depois vai tudo para o charco e depois lamentam-se. Deixem-se de feminismos estúpidos e voltem às origens que vão ver se o mundo não melhora logo.

      Eliminar
    7. O grande homem se está por trás é porque se prepara para lhe desapertar o soutien.

      Eliminar
    8. Diz-se batalha campal;-)

      Eliminar
    9. O Zé, tenha lá paciência mas eu não tenho obrigações de cozinheira nem de parideira. Sou o que quero, e sou livre e feliz. Tente ser também.

      Eliminar
    10. Ó Anónimo das 18.12 descreva-me lá esse sentimento tão elevado que a faz dar pulinhos de contente pelo fato da loja da Pipoca estar fechada. Ó meu deus, que gente é esta que pulula por aqui?Com tanto cotão que têm para limpar, ai ai,ai...

      Eliminar
  17. Pipocante Irrelevante Delirante21 de abril de 2016 às 19:23

    Eu percebo a Rita. Ela queria ser Jornalista, daquelas levadas a sério.
    Eu também queria ser jogador da bola. Por isso é que de quando em vez escrevia umas cenas na NET cheias de substrato, a falar mal do Ronaldo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda mais? No ar já anda ela.

      Eliminar
  18. Se alguma de vocês for algum dia violada , irão ter que responder a esta pergunta: de certeza que que não deram sinais de que queriam? De certeza? Pensem lá bem, vá lá, não queriam mesmo?
    Afinal têm que responder a mais que uma.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.