sexta-feira, 8 de abril de 2016

Aleluia irmãs!

Depois do professor de blogues, o que quer que seja isso de professor de blogues, essa fabulosa empresa formadora na área da comunicação que é a Palavras Ditas apresenta-nos a sua mais recente, e ouso dizer tremendamente brilhante, iniciativa:
O primeiro curso de feminismo do universo. Txaraaaaaannn!

Eu bem digo que esta gente está apostada em deixar-me sem palavras mas, antes que fique afónica de  vez, sempre vou dizendo que espero que a Ritinha não tenha esquecido os módulos "esganiçanco de voz I, II e III".


42 comentários:

  1. Sou feminista, concordo que existam "cursos" que ajudem as pessoas a terem noção dos seus direitos, a protegerem-se, a não perpetuarem determinados tipos de comportamentos sei que sou privilegiada, mas também tenho a noção que só porque a informação está disponível não é por isso que chega a todos. Agora falando da Rita, ela dá mau nome ao feminismo, posso estar muito errada, mas ela procura um protagonismo do género "olhem para mim, estou aqui, estou aqui", não tem conhecimento dos problemas a fundo, tem é conhecimentos (factor C) e bons. Tem uma postura condescendente e paternalista do tipo "deixem cá mostrar-vos a luz, porque vocês não percebem nada". Infelizmente o que a Picante diz é capaz de ser verdade, ela é mais capaz de dar os módulos esganiçando a voz I,II e III, atirar conceitos chapa 5, do que fazer uma verdadeira análise do problema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cursos, formações, informação, colóquio, tudo o mesmo...

      Eliminar
  2. Isto é o vale tudo, até arrancar olhos.

    É deprimente, pior ainda, perceber que as pessoas vão nisso...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, eu acho que quem é suficientemente estúpido para perder uma série de horas e ainda pagar 120€ para ouvir aquilo, realmente merece a estucha que vai apanhar.
      Consigo lembrar-me de tantas maneiras melhores de estoirar 120€...

      Eliminar
  3. Deve ser a versão light do feminismo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei o que é. Mas tenho curiosidade. Não andasse eu tão assoberbada e ainda lá ia, dariam uns posts deliciosos.

      Eliminar
  4. Pipocante Irrelevante Delirante8 de abril de 2016 às 11:22

    Não há palavras para as acções "formativas" que por aí andam.
    Ainda se queixavam dos cursos de esteticista ou boas maneiras (taxistas e peixeiras) dos aúreos tempos cavaquistas.

    ResponderEliminar
  5. Lembrei-me daquela do Bon Jovi "you give love a bad name", sabe-se lá porquê...

    ResponderEliminar
  6. Aquilo parece ser extremamente rasca, sim.
    Mas não vejo qual é o mal de haver um curso de feminismo. Foi importante ao longo da história, há imensas figuras feministas às quais devemos muito (por exemplo as sufragistas) e não faz mal nenhum ter esse conhecimento se assim se desejar. Era o mesmo que dizer que um curso específico acerca das descobertas é estúpido. Não, é uma parte interessante e importante da nossa história, que até diz muito acerca do mundo de hoje em dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está a dizer-me que a História é importante? Concordo, que sim que é. É por isso que é dada na escola. E na universidade. E que há milhares de bons livros sobre o tema.

      Eliminar
  7. Quando vejo no site aquela fotografia do conjunto de profissionais que dão formação... Não sei se ria, se chore: Isabel Silva (vulgo Bélinha), Teresa Guilherme, Nuno Eiró, o jornalista da TVI24 que traduziu Eagles of Death Metal para "anjos da morte" e a Joana Latino...
    Bem sei que há público e gostos para tudo, mas enfim!

    ResponderEliminar
  8. E com esta me despeço http://palavrasditas.pt/portfolio/fotografia-para-smartphones/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aquilo deveria ser proibido de tão enganoso que é.
      Pobreza de espírito.

      Eliminar
  9. Fui ver o site dessa empresa e fiquei parva com o que li. É com cada curso de pouco mais de meia dúzia de horas para aprender a enganar os outros que até me pergunto como é possível alguém ir nisso. Então aquele com dois ridículos apresentadores de pobreza televisiva, que nem para eles sabem... Fico estupefacta, pois que fico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahah tão bom! É verdade :D é mesmo daquelas empresas de "dinheiro fácil" para enganar totós.

      Eliminar
    2. Mas o que é certo é que aquilo continua alegremente a debitar "cursos" para o mercado. Deve haver mercado...

      Eliminar
  10. Pipocante Irrelevante Delirante8 de abril de 2016 às 21:15

    Tanto curso bom que nem sei por onde começar

    ResponderEliminar
  11. "Ao contrário de muitas atrizes, que têm preferido falar um discurso pronto para evitar polêmicas, Maisie williams questionou o assunto do momento: feminismo. Ela contou em entrevista à Entertainment Weekly que os repórteres começaram a perguntar se ela, ou sua personagem, era feminista antes mesmo dela saber direito o que a palavra significava (ela tinha 12 anos), e hoje, obviamente esclarecida, tem seus próprios pitacos para dar.
    “Eu lembro de pensar ‘mas não é todo mundo assim?’ E então eu me dei conta de quem nem todo mundo é feminista, infelizmente”, lembrou-se. “Mas também sinto que deveríamos parar de chamar as pessoas feministas de ‘feministas’ e simplesmente começar a chamar as pessoas que não são feministas de ‘machistas‘ ou ‘sexistas‘ – e então todo o resto é simplesmente um humano. Ou você é uma pessoa normal ou é um sexista”, opinou.
    É um ponto bem interessante. As pessoas recebem rótulos quando são ruins. Como homofóbicos, transfóbicos, racistas. Não há uma palavra pra designar as pessoas que não o são. Porque não ser nenhuma dessas coisas é o mínimo que se espera de um ser humano digno"
    In Petiscos

    Só porque me pareceu um pensamento bem importante

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E pareceu-lhe bem! :)

      Eliminar
    2. É um ponto com o qual me identifico inteiramente. Obrigada!

      Eliminar
  12. Este pseudo feminismo mete-me um nojinho... Enfim.

    ResponderEliminar
  13. O curso é ridículo, mas faz-me confusão a Picante ter tanto medo de ser feminista.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Medo? Inês, este ano, na neve, tive medo que os meus filhos morressem. Esse tipo de coisas é que me mete medo.

      Eliminar
    2. Não seja patética! Quem levou os seus filhos para a neve, a vizinha?

      Eliminar
    3. Não seja idiota. Vou à neve há mais de 20 anos, nunca tive problemas. Este ano foi diferente.

      Eliminar
  14. E custa 120 euros, o mesmo valor de uma contra-ordenação grave. Parecem querer deixar claro que, se uma pessoa achou boa ideia ir àquilo, merece mesmo ser castigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim sendo acho que deveria custar 300€. Já paguei 300€ por uma porra de uma multa de excesso de velocidade.
      Ah Picante! Sua assassina, ias a 300km /hora, não? Pois que não. Ia a 87km/h.

      (olha quem é ele...)

      Eliminar
    2. Se a via tivesse como máximo 30km/h ou 40 ou 50, digamos que ias a alta velocidade.

      Eliminar
  15. E um erro ortográfico no sub-menú http://palavrasditas.pt/quem-somos/, é do melhor.
    Como é que quem dá formação dá erros ortográficos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É inadmissível, sim, mas importa ressalvar que esses menús são feitos por técnicos de informática, não por essas pessoas que dão formação. Não desculpa, claro, a obrigação deles é exigir de imediato que seja emendado, mas acho importante ressalvar este aspecto.

      Eliminar
    2. os ditos informáticos devem fazer copy past dos textos que recebem, alguém devia ser revisor do conteúdo para evitar erros.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.