quinta-feira, 14 de abril de 2016

AH AH AH AH AH AH AH

Acabei de tomar conhecimento de que o Bloco de Esquerda, esse ex libris da defesa dos direitos da mulher, arranjou uma nova preocupação tremendamente relevante. Pois que o que preocupa agora aquelas cabecinhas é a nomenclatura do cartão de cidadão, a qual não respeita a identidade de género. Deveria passar a chamar-se cartão de cidadania.
E depois admiram-se quando lhes chamam esganiçadas...

29 comentários:

  1. Pois eu acho que deveríamos referendar os 25 dias de férias como ex libris mais unissexo!

    ResponderEliminar
  2. Sim, e têm razão. Da mesma forma que não digo "o Homem", mas sim "a espécie humana".
    Vide: https://acordoqueerografico.wordpress.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caraças, tanta confusão ness cabecinha... Portanto, isto é só um exemplo... Um senhor é assaltado por um individuo do sexo masculino, a notícia no jornal deverá ser como? Cidadão é assaltado por um "espécie humano"?

      Eliminar
    2. Na minha? Não. O anónimo é que não parece capaz de entender uma frase. Não digo "o Homem" (viu lá o H grande?) quando me refiro à espécie humana (sabe o que é, tipo, a humanidade no seu conjunto?), porque não acho correto que, ao fazer o plural de homens e mulheres, se utilize o masculino. Mesmo para nos referirmos a um grupo de 50 mulheres e 1 homem, a regra é usar o masculino. Dá-me autorização para achar isso um disparate? Obrigadinha, sim?

      Eliminar
    3. Novamente... Tanta confusão nessa cabecinha, a espécie humana, género feminino... O que o anónimo quer dizer é a utilização de géneros neutros. O que no exemplo que deu não se verifica, já percebeu? Eu tb concordo na utilização de termos neutros em alguns casos, mas não é por isso que venho debitar palpites sem conhecimento de causa e dizer alrvidades só porque li numa notícia de jornal. Vá, vá lá ler mais um bocadinho e depois volte e debite mais um disparate ou outro.

      Eliminar
    4. Anónimo das 20.16;
      Então e pais para designar pai e mãe, também deve ser substituído por progenitores? É que país, pai e mãe, são mais que meros progenitores. Sugere tratadores, cuidadores, educadores? Mas esses podem não ser os pais, pai e mãe.
      Enquanto se discutir o embrulho em vez do conteúdo não vamos lá.

      Eliminar
    5. Anónimo14 de abril de 2016 às 17:19, mas porque se refere a este(a) seu(ua) interlocutor(a) aqui na conversa como "o anónimo"? Quem lhe garante não ser uma anónima? Não haverá aí uma discriminação de género? Talvez devesse dirigir-se-lhe dizendo "ó espécie humana, blá, blá, blá". É que ele(a) até pode levar a mal!

      Eliminar
    6. E porquê "a espécie humana"? Isso não é feminino? Outra discriminação de género?

      Eliminar
    7. Cabecinhas têm vocês, que não conseguem ver que é uma pequena coisa mas que em si encerra séculos de discriminação. Ou será que pensam que a supremacia do uso do género masculino apareceu por acaso? Porra, que até a minha filha de 8 anos sabe isso. E a mãe não é feminista.

      Eliminar
  3. A mim "chateia-me" que o cartão do cidadão também seja conhecido como cartão único (cu)... mas talvez ninguém tenha reparado nisso :)

    ResponderEliminar
  4. Com tanta coisa séria para pegar...

    ResponderEliminar
  5. A mim aborrece-me o preço do dito cartão.

    ResponderEliminar
  6. Pipocante Irrelevante Delirante14 de abril de 2016 às 19:03

    A mim chateia-me a carta de condução não estar integrada no CC. Mas isso são questões menores.

    E porquê "o" cartão, e não "a" carta de identificação?

    ResponderEliminar
  7. Pipocante Irrelevante Delirante14 de abril de 2016 às 19:05

    Eu também tenho ideias inovadoras desse calibre. Normalmente aparecem por volta das 4 da manhã, e já a garrafa de aguardente vai no fundo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahhhhahhhh!! Acontece-me o mesmo ,mas eu prefiro o tintol! Já os bloquistas ganzam-se ....só pode !!

      Eliminar
  8. A muitos islâmicos radicais também parece um disparate acabar com a burca. É a teoria da relatividade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério que fez essa comparação? Pronto, está bem então.

      Eliminar
    2. AHAHAHAH! Anónimo (não estou a ofender por dizer anónimO, estou?) você é uma comédia!

      Eliminar
  9. Sinceramente, começo a sentir vergonha alheia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebo porquê. A mim dá vontade de rir. Mas depois penso que sou eu quem lhes paga os ordenados e passa-me a vontade.

      Eliminar
  10. Comentei por alto com o meu marido este teu post e ele partiu-se a rir... Achou que estavas a gozar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando vi a notícia achei que era do Inimigo Público ou assim. Mas não. É mesmo verdade.

      Eliminar
    2. Por este andar o Inimigo Público tem os dias contados...

      Eliminar
    3. Deve der o único jornal que compram hahahaha. As mulheres gostam de atacar as mulheres. São os genes senhoras, são os genes. Pra cozinha senhoras e senhor. O senhor para ler o jornal.

      Eliminar
  11. BE a sofrer de síndrome "Maria João Bastos". Infelizmente, o sofrimento indescritível e o luto são nossos. Ou, por outras palavras, a veterinária do caso, aqui somos nós.

    RIP Bloco de Esquerda

    #ripblocodeesquerda

    ResponderEliminar
  12. Peço desculpa, mas isto é um assunto muito sério. É que de repente lembrei-me do Cartão de Sócio do Benfica. Será que também vão implicar...?

    ResponderEliminar
  13. Ai pelo amor de Deus que ridiculo!!! Em vez de se preocuparem com a igualdade nos sálarios, é com essas merdas que se preocupam!

    ResponderEliminar
  14. Partilho este comentário que vi numa crónica publicada no Público sobre esse tema e que achei bastante esclarecedor.

    "Cidadão é um indivíduo que convive em sociedade - grupo de indivíduos entre os quais existem relações recíprocas. Cidadania é o exercício dos direitos e deveres civis, políticos e sociais estabelecidos na Constituição de um país. Como deve compreender o Cartão de Cidadão é o cartão identificativo do "indivíduo que convive em sociedade - grupo de indivíduos entre os quais existem relações recíprocas" e não identificativo do "exercício dos direitos e deveres civis, políticos e sociais estabelecidos na Constituição de um país".
    Relativamente à questão dos direitos de igualdade de genero, creio que há situaçãoes bem mais discriminatórias para serem discutidadas e resolvidas do que questões de semantica."

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.