segunda-feira, 14 de março de 2016

Ainda disso da publicidade

E depois a pessoa cruza-se com este post e pensa que sim senhores, que ali está uma opinião sincera, que aquilo é a autora do blog a pensar no bem das suas póneis leitoras, um post tremendamente desinteressado, ou não estivesse ele num blog profissional que vive de publicidade. Afinal a autora deu-se ao trabalho de ir procurar fotografias da gama, preços, informação técnica, gosto especialmente do cheirinho bom, tudo isto a troco de nada, que maravilha senhores!
Ainda por cima, dado que todooooossss os posts publicitários estão assinalados, ao contrário deste, a pessoa fica convencida que isto é mesmo sincero, não é verdade? É essa a ideia, não é? Eu também ficaria, não fora ter lá deixado um comentário em que perguntava se aquilo era publicidade, comentário esse que não chegou a ver a luz do dia. Nem percebo porquê, fui muito bem educada, pedi desculpa caso estivesse a julgar mal a coisa e tudo... Mas esqueci-me de agradecer, talvez não tenha sido publicado porque me esqueci de agradecer o esclarecimento, antecipadamente. Foi isso de certeza...

info@erc.pt

É o mail da entidade reguladora para a comunicação social. Pensei que talvez gostassem de saber...

43 comentários:

  1. Pipocante Irrelevante Delirante14 de março de 2016 às 09:22

    O comentário pode não ter chegado ao destino. A marcha lenta dos suinicultores está a prejudicar o tráfego. É esperar e confiar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ter sido isso. Mas não deixa de ser uma pena. Um comentário tão bonito...

      Eliminar
  2. Esse blog já há muito que deixou de ter o meu interesse. É publicidade todos os dias! Eu não lhe chamaria blog, mas sim um site de publicidade descarada.
    Também já fiz imensos comentários lá que nunca foram aceites. São pessoas que não aceitam críticas. Na minha opinião, não chegarão muito longe, e nota-se isso nos comentários que tem cada vez mais escassos.
    Espero é que a queda não seja muito grande.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Hélder, é claro que tem publicidade, se o blog é a principal fonte de rendimento da autora...! Não percebo qual o problema da publicidade em blogs, nem o desmerecimento de blogs que a incluem. Aliás, tendo em conta os valores irrisórios do Google Adsense, a publicidade a produtos é o único meio viável de rentabilizar um blog. Mas sim, também não percebo por que razão se esquivam tanto a assinalar a publicidade.

      Eliminar
    2. Não chegarão muito longe? Caramba é um dos blogs mais lidos em Portugal.

      Eliminar
  3. Mas o mail da ERC a que propósito, se ela já não é jornalista? Não era mais razoável ter feito este post com a publicidade dos soutiens da S*? Ou o meu comentário também não vai ver a luz do dia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipocante Irrelevante Delirante14 de março de 2016 às 12:00

      A ERC legisla a publicidade. Publicidade não assinalada vai contra a legislação. Seja o blogger jornalista ou servente de pedreiro.
      Caso ela fosse jornalista, juntamente com a queixa/reclamação à ERC deveria seguir uma para o Sindicato dos Jornalistas.

      Eliminar
    2. Mas isto tem de se fazer é para a S* que nem assume que fez asneira.
      Esta pode não assinalado publicidade desta vez, mas faz-lo quase sempre. E além disso já entregou a sua carteira profissional.
      Ao contrário da S* que até vem dizer que ser blogger nada tem a ver com a sua profissão. S* de sonsa só pode.

      Eliminar
    3. Obrigada pelo esclarecimento, PID, desconhecia.
      Ficamos, então, a aguardar pela queixa da Picante no Sindicato dos Jornalistas acerca dos soutiens. Depois diga qualquer coisa.

      Eliminar
    4. Quer mais exemplos de publicidade que a MD não assinala? Logo a seguir está lá um post da Chicco.

      Eliminar
    5. Anónima das 13.17h, digo sim senhora. Digo-lhe, a si, que é livre de apresentar queixa onde quiser. Talvez fosse mais eficaz deixar de dar ordens a terceiros e fazer-se à estrada. Digo eu, não sei.

      Eliminar
    6. Ah, desculpe Picante. Não tinha percebido que este seu post era precisamente para instigar os outros (os seus leitores) a fazer aquilo que não tem coragem de fazer: queixa. Não tinha percebido que, em vez de se fazer à estrada, estava a dar ordens a terceiros. Precisamente aquilo de que me está a acusar de fazer.

      Eliminar
    7. Não sei se a entidade que ficaliza os blogs em matéria de publicidade é a ERC, se é a DG do Consumidor...

      Eliminar
    8. Longe de mim querer defendê-la, mas acho que no caso do post da Chicco não é publicidade. Uma pessoa também pode realmente gostar de coisas de marcas com quem tem parecerias. Sigo-a no instagram e sei que o miúdo gosta genuinamente da bonecada dos cães, é um fenómeno entre crianças daquela idade. Daí me parecer mais natural que ele lhe compre e conjunto, não sei.

      Eliminar
    9. jornalista?! como disse?

      Eliminar
    10. No caso da Chicco fico na dúvida. Até estaria tentada a dizer que seria genuíno mas o problema é que elas são umas intrujonas e depois, quando estão realmente a falar de alguma coisa que gostam fica a dúvida se gostam mesmo ou se dizem que compraram porque lhes pagam para isso.

      Eliminar
    11. Anónima das 16.30, infelizmente não percebe muita coisa e, o pouco que percebe, percebe errado.

      Eliminar
    12. A fiscalização compete ao instituto do consumidor, e não à erc

      Eliminar
    13. Mas não foi o caso desta vez, pois não? Desta vez percebi bem, pois percebi?

      Eliminar
    14. ERC = Entidade Reguladora para a Comunicação Social
      O instituto do consumidor existe para que os seus interesses não sejam lesados. Não digo que não se lhe possa dirigir uma queixa mas a coisa será direccionada para a ERC que é quem tem poder para deliberar sobre o assunto.

      Eliminar
    15. 2.Qual o âmbito de Intervenção da ERC?
      Estão sujeitas à supervisão e intervenção do Conselho Regulador todas as entidades que, sob jurisdição do Estado Português, prossigam actividades de comunicação social, designadamente:

      a) As agências noticiosas;
      b) As pessoas singulares ou colectivas que editem publicações periódicas, independentemente do suporte de distribuição que utilizem;
      c) Os operadores de rádio e de televisão, relativamente aos serviços de programas que difundam ou aos conteúdos complementares que forneçam, sob sua responsabilidade editorial, por qualquer meio, incluindo por via electrónica;
      d) As pessoas singulares ou colectivas que disponibilizem ao público, através de redes de comunicações electrónicas, serviços de programas de rádio ou de televisão, na medida em que lhes caiba decidir sobre a sua selecção e agregação;
      e) As pessoas singulares ou colectivas que disponibilizem regularmente ao público, através de redes de comunicações electrónicas, conteúdos submetidos a tratamento editorial e organizados como um todo coerente.
      (do site)


      Da Lei da Publicidade:
      Artigo 8.º
      Princípio da identificabilidade
      1 - A publicidade tem de ser inequivocamente identificada como tal, qualquer que seja o meio de difusão utilizado.
      2 - A publicidade efectuada na rádio e na televisão deve ser claramente separada da restante programação, através da introdução de um separador no início e no fim do espaço publicitário.
      3 - O separador a que se refere o número anterior é constituído, na rádio, por sinais acústicos.

      Artigo 37.º
      Fiscalização
      Sem prejuízo da competência das autoridades policiais e administrativas, compete especialmente ao Instituto do Consumidor a fiscalização do cumprimento do disposto no presente diploma, devendo-lhe ser remetidos os autos de notícia levantados ou as denúncias recebidas.

      Portanto, a fiscalização de ausência de identificação de conteúdo publicitário cabe ao IC.
      Informe-se e não fale do que não sabe

      Eliminar
  4. Ora, mas na família, até há um outro negócio rentável, que ensina a ter blogs rentáveis... É uma alegria pegada!

    ResponderEliminar
  5. Só falta seguir as pisadas da Velez, agora aparece nos muppis ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quê? Onde?
      É o blogoestrelato, caramba!

      Eliminar
    2. Isso só mostra que ela se está nas tintas para o vosso veneno. Segue lá o caminho dela e liga pevas à maledicência que cresce à volta dela.

      Eliminar
    3. A FV quase nunca assinala como publicidade... Quem é a S?

      Eliminar
    4. eu vi na av. de ceuta - http://familiabarral.pt/index.php/novidades/ver/18

      Eliminar
    5. Eu tinha visto um post sobre isso, já nem me lembrava.

      Eliminar
  6. Naquele blog tudo o que aparece, sinalizado ou não, para mim é sempre publicidade... olhe, se alguma vez não for vou estar errada, mas vou sempre achar que é.

    (e tenho ideia, mas posso estar enganada, que ela assinala como publicidade se for paga - em dinheiro - e não em géneros)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso já não faço ideia. Mas que aquilo me parece ser publicidade, parece. Mas posso estar enganada, claro que posso.

      Eliminar
    2. Pipocante Irrelevante Delirante14 de março de 2016 às 16:24

      Em relação à MD pode ser pub, parceria, qualquer coisa... entramos outra vez na diferença entre pagamentos e ofertas.
      Há uns tempos ela publicou um post que continha fotografias dentro de uma loja de artigos de desporto.
      Não sei se foi pago ou não, mas para haver FOTOS terá de haver no mínimo consentimento da loja. E no entanto aquilo passa como uma normal visita...
      Acho que não custa muito colocar o rodapé, nem por uma questão de respeito para com quem lê.

      Eliminar
    3. PID, tudo aquilo sobre que fala entra dentro da categoria de publicidade e deveria ser assinalado. Haja ou não pagamento pecuniário. E não era no rodapé. Uma pessoa tem o direito de saber, logo à partida que determinado post é patrocinado e resulta de um acordo comercial.

      Eliminar
  7. Eu que até nem desgostava do blog, há dias que há assuntos que não me interessam.
    Eu sei que a rapariga vive do blog e tem de fazer publicidade. Mas preferia como era dantes. mais pessoal.
    Isabel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O blog já foi muito giro. Eu não gosto deste formato, apesar de perceber o porquê da coisa. Mas que perdeu aquilo que o tornava engraçado, perdeu.

      Eliminar
    2. Eu também. Era isso que queria dizer.
      (não sei porque apareci como unknown em cima)
      Isabel

      Eliminar
  8. Aqui há uns tempos ela fez publicidade a uma marca de roupa infantil. Uma marca portuguesa, supostamente feita em Portugal e cara como tudo (knot).
    É verdade que a marca tem roupa gira, se a qualidade justifica ou não o preço isso é outra coisa. Já estive com roupa da marca na mão e não me pareceu diferente. Como nunca comprei não sei como se comporta com as lavagens por isso não posso opinar sobre a resistência das peças ao uso.
    Mas voltando ao assunto, o post não estava assinalado como pub e eu, na minha santa ignorância, comentei que era pena uma marca portuguesa ser tão cara, que temos outras marcas portuguesas, igualmente giras e mais acessíveis. Referi o nome da Girândola e o comentário nunca viu a luz do dia.

    Nunca entendi o porquê de não aprovar o comentário. Nem sequer fui arrogante ou provocadora, apenas comentei que era pena uma marca nossa ser tão cara, que nem toda a gente podia comprar (mesmo em saldos!) e que, à semelhança da Girândola, podia ser mais acessível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou achou que fosse provocação ou então era publicidade e não dava jeito ter lá esse comentário, não sei.
      (ou então há outra razão que não descortino...)

      Eliminar
    2. Para mim é dos blogs que mais assinala a publicidade ao contrário, por exemplo, da cóco que começou à pouco tempo e ainda muito devagarinho a assinalar.

      Eliminar
    3. A Cocó é das piores. É espertalhona a escrever e leva as pessoas na conversa com aquela coisa de ser muito despachada e modernaça.

      Eliminar
  9. Acho mesmo que não viu a luz do dia por ser um post publicitário, apesar de não estar assinalado, e de, provavelmente, a marca ter pedido para não haver referências à concorrência.
    Era uma cena qualquer sobre os últimos saldos da knot. Outros comentários que lamentavam igualmente o preço das peças foram aprovados, mas o meu fazia referência a outra marca.

    O lamento até era genuíno porque a knot têm coisas mesmos giras. Só é pena que a minha pessoa, mesmo em saldos, não possa dar balúrdios de dinheiro por uma peça de roupa que os putos usam uns meses. E mais pena tenho porque efetivamente gosto de comprar marcas portuguesas.

    ResponderEliminar
  10. acho é que se esqueceu de mandar beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba! Como é que me fui esquecer disso? Como?

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.