quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Eu é que devia ser deputada mas não poderia ser dessa instituição de cérebros que é o BE

A Mariana Mortágua acha que é preferível taxar (ainda) mais os combustíveis que prejudicar o rendimento dos Portugueses.
Alguém avise a idiota da Mortágua que o aumento dos combustíveis terá impacto sobre a economia e sobre todos os Portugueses, visto reflectir-se não só no bolso das más pessoas que se deslocam de automóvel, os ricos portanto, mas também directamente no custo de transporte de tudo quanto é produto. Adivinhem lá o que vai acontecer a médio prazo?...

28 comentários:

  1. Epa... PARABÉNS!!!! Foi a coisa mais acertada (se não a única) que já li neste blog!

    ResponderEliminar
  2. Pipocante Irrelevante Delirante4 de fevereiro de 2016 às 16:25

    A Mariana deve pensar que os barcos, aviões e camiões que transportam os produtos andam a pedais.
    As fábricas devem ser movidas a vento...

    ResponderEliminar
  3. Eh pa...que burrice. Caras bonitas, já estou como o outro.

    ResponderEliminar
  4. Pipocante Irrelevante Delirante4 de fevereiro de 2016 às 16:26

    Taxem as parcerias blogosfericas.
    Quero a ira do Fisco em cima da/os bloggers.
    A eles!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  5. Mas o BE é o novo PCP: Todos pobres, todos felizes, todos iguais. A diferença é que em vez de sandes de coiratos, vale comer tofu. Beber vinho, pode.

    ResponderEliminar
  6. Não são só ricos que se deslocam de carro, olhe eu! E como eu muitos. É que nem sempre há opção, ou pelo menos opções com pés e cabeça.
    Agora, de facto esquecerem-se das empresas que têm carros e camiões na rua, e dos produtos que eles transportam é de uma estupidez absurda. Mas pronto, falam como se tivessem feito uma grande coisa e fôssemos todos uns otários mal agradecidos que não vemos a luz nestas medidas.

    ResponderEliminar
  7. Taxem os salários dos deputados em 70%, se receberem só 30% do ordenado 'tá mais que bom pá m**** que fazem! :D

    ResponderEliminar
  8. Os combustíveis interferem com o custo de vida?! Impossível! A Esquerda sempre na vanguarda do acontecimento. Ainda bem que, ao menos, temos um faqueiros bonitos para alimentar a Troika quando eles cá voltarem.

    ResponderEliminar
  9. Picante , completamente fora do tema , para quando um facebook ?? Este texto merece ser partilhado com o mundo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu até o cheguei a criar. Mas a verdade é que fui lá uma única vez, quando o criei portanto, nunca mais lá entrei. Acho que já nem sei qual é a password.
      (não tenho tempo, manter isto já é o que é...)

      Eliminar
  10. cada vez mais a Mariana mostra que ainda tem que comer muita sopa.

    ResponderEliminar
  11. E Actimel, também aderes à causa? É que toda a blogaria descobriu agora que aquilo faz parte de uma alimentação equilibrada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que vale é que elas são de modas, daqui a nada viram-se para o Activia.

      Eliminar
    2. fun fact: o problema do Actimel é que aquilo pode ser um nada perigoso, visto que estas a habituar o teu corpo (explicando de uma forma muito simplista) a não criar defesas pois já tem a dose necessária do Actimel. Ora se deixas de tomar Actimel e o teu corpo está à espera de receber essa dose habitual, resultado = ficas extremamente doente à mínima coisa. Se fizerem uma leitura sobre o produto, a própria marca aconselha a tomar Actimel no máximo durante 15 dias.

      Eliminar
    3. Sim é verdade, mas a fator de risco é relevante me crianças, não tanto em adultos

      Eliminar
    4. Vá, não se esgadanhem, elas também se atiram a limas electrónicas para unhas (Céus!!!!!)

      Eliminar
    5. São de modas, são. É conforme o que pagar mais...

      Eliminar
  12. Eu sei onde ela devia meter a Taxa!! Ai sei sei ....
    Isto vai ser bonito, já se advinha o "filme" que se aproxima.

    ResponderEliminar
  13. Ahh o Passos é que era bom.
    Se vieres falar do quociente familiar que foi eliminado, e do abono de família, ainda te dou razão, agora nesta questão dos combustíveis...
    Em 4 anos bateste assim tanto no governo em funções?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão irmão, mas é que tem mesmo muita razão.
      (S. Tomás de Aquino dixit)

      Eliminar
    2. O Crap Céus sempre na linha da frente...

      Eliminar
  14. No outro dia deu-me para fazer contas. Ora se for encher o depósito, sensivelmente 50lts, vou pagar mais 3,5€. Estes 3,5€ vão afectar quem ganha 5000€ ou quem ganha 500€. E se era para compensar a sobretaxa também foi muito inteligente. Se eu ganhar 2000€, sem a sobretaxa já meto 14€ ao bolso, logo até me compensa a subida do combustível. Se ganhar 700€, meti ao bolso 3€, ou seja ainda tenho de pôr mais 0,50. Mas eu não quero ser traidora da pátria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O principal problema nem é esse, apesar de essas contas estarem correctas. O principal problema é que ao ter um impacto directo nos custos de distribuição de TODOS os produtos, das duas uma: ou os preços aumentam, ou as empresas em Portugal se tornam mais descompetitivas.
      (eu sei que o Caldeira Cabral diz que o investimento estrangeiro não está directamente relacionado com a fiscalidade mas temo que isso seja mentira)

      Eliminar
  15. E por acaso quando o petróleo desceu, o custo de vida baixou???? Eu não dei por nada!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez porque o custo do gasóleo seja formado a partir de uma série de rúbricas, uma das quais (por incrível que pareça nem é a maior) o custo do petróleo bruto.

      Eliminar
  16. E o Costa a mandar andar de transportes?
    Isso é muito bonito... em Lisboa!
    E o resto do Portugal que tem uma rede de transportes públicos fraquinha, como fazem?

    ResponderEliminar
  17. Será preciso recordar ao PSD e ao CDS (e seus apoiantes) que o orçamento de 2015 também aumentou o gasóleo e a gasolina em 6 cêntimos por litro? Com uma diferença importante: ao contrário do que vai acontecer em 2016, em 2015:

    - não se reduziu a sobretaxa a mais de metade para 98% dos agregados familiares (430 milhões de aumento do rendimento);

    - não se repôs os mínimos sociais (CSI, RSI, abonos) (140 milhões de aumento de rendimento);

    - não se descongelou as pensões e não se repôs m os complementos de pensão (80 milhões de aumento de rendimento);

    - não se acabou com os cortes salariais na função pública (450 milhões de aumento de rendimento);

    - não baixou o IVA da restauração (175 milhões);

    - não se aumentou o salário mínimo nacional de 505 para 530 euros (230 milhões de aumento de rendimento;

    Perante isto, é um pouco deprimente ver o que têm dito PSD e CDS nos últimos dias sobre o OE2016.

    ResponderEliminar
  18. Agora ninguem contra argumenta ? Entao ? Pois e ...

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.