segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

É ironia, senhores, é ironia!

 

 
A Maçã de Eva, essa blogger genial, escreveu um texto que não revela nenhum preconceito sobre os militantes do BE e os Católicos, à semelhança do que no passado já fez com os ciganos.

Diz ela que percebe o gozo em provocar os católicos, esses acéfalos idiotas. O que me deixa aqui meio perplexa e pasmada, incrédula até, é que ela não perceba o gozo que dá à vossa Picante gozar com os escritos tremendamente inteligentes que ela insiste em partilhar connosco.

A caixa de comentários é vossa. Be gentle.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Cara Catarina Martins e restantes Bloquistas


Esta merda deste cartaz, em forma de provocação, quer dizer exactamente o quê? Que os senhores detestam os católicos? Que sentem prazer em ir contra as suas crenças? Que o BE é tão rasquinha e mal educado que não sabe levar uma vitória para casa com elegância?
A sério. Expliquem-me qual é o objectivo desta mensagem porque, para além de revelar, uma vez mais, a vossa profunda ignorância, eu não consigo perceber o que vai nessas ocas cabecinhas. É que sabem, seus néscios? Jesus é filho de Deus. Mas foi "adoptado" por uma família normal, Maria e José, homem e mulher. Aquele tipo de famílias que consegue gerar filhos naturalmente (qualquer dia também somos taxados  por isso, é uma discriminação os gays não conseguirem gerar filhos entre si, pensem nisso, sim?).
Para o caso de ainda não terem percebido eu repito: Jesus tinha um pai e uma mãe terrenos. Uma família tradicional. Vai daí que este cartaz é um enorme tiro no pé. Só tenho pena é que o tiro não tenha sido na testa. Mas não desanimem. Um dia chegam lá, já faltou mais.

Dos concursos

A Filipa das Dúvidas, mais conhecida por Filipa das Asneiras, Pipinha para os amigos, está a fazer um concurso literário. Parece que é suposto declamar um poema, com a mão no peito e tudo, da nossa autoria, ainda por cima. Que não sei quê e dá um prémio ao melhor. Um senhor prémio, diz ela. Cá para mim é um rato morto. Ou a cobra. Na melhor das hipóteses oferece uma Planta sabor a Manteiga. Dali não sai um creminho da Sisley que isso é que era. De maneiras que eu venho só aqui dizer o seguinte:
- Não contes comigo para essas cenas, ok?

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Dão-se-me logo os nervos

Pais que incentivam namoros de filhos, que acham muita piada e falam da namoradinha do filho de dez anos como se da futura nora se tratasse a coisa.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Porque leio blogs?

Porque, em lendo blogs, fico a saber que injecções de botox são remédio santo para a cefaleia, muito melhor que qualquer analgésico, que há mães que matam as filhas várias vezes, num torpor literário tremendamente desenvolvido do qual eu não entendo nem uma virgula, que as Rosinhas continuam muito pouco criativas no que toca a inventar histórias para credibilizar as suas obrigações publicitárias, que este ano vamos todos ter de comprar óculos bem escuros derivado daquela situação dos sapatos que ofuscam os olhos mais insensíveis e claro, que as minhas amigas andam preguiçosas para a escrita, não fosse pela Santinha da Filipa eu não teria qualquer blog que me arrancasse lágrimas de tanto rir.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Eu bem dizia que o rapaz me ia dar problemas

Estava a festa marcada, ele julgava que ia jogar futebol a um campo cá nosso conhecido, ainda teria direito a pizza com os amigos de sempre, eu arranjei maneira de a futebolada ser num sítio mesmo especial, com sorte ainda podia ser que nos cruzássemos com um dos seus ídolos. 
Mas não. Ele foram recados da DT, ele foram desobediências várias, ele é o tom desafiador próprio de quem já sabe tudo, a fazer-me lembrar as dos blogs, ele é uma dependência do tm que me irrita solenemente, uma pessoa avisa uma vez, tem uma segunda conversa séria, explica com muita calma que as acções trazem consequências, uma pessoa torna a falar, conta até trinta para não lhe dar o estaladão que ele merece quando o apanha a ouvir música no smartphone confiscado, uma pessoa já lhe tinha condicionado o acesso a toda e qualquer tecnologia, uma pessoa não tem outro remédio senão cortar a prometida festa de anos.
Ele não acredita que me custa mais a mim, muito mais, caramba, estou incapaz de me esquecer da expressão magoada e incrédula com que me disse que só fazia anos uma vez por ano.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Picante também "aconcelha" coisas muito úteis a pensar na neve

Levem blusões. E luvas. Por amor da Santa não se esqueçam de levar luvas.

(ou então compram lá, qualquer loja que tenha a porta aberta vende luvas...)
(e também há blusões com fartura...)
(e não se esqueçam de alugar skis)
(a menos que prefiram snowboard, claro)
(e...)

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

A minha vida é correr riscos

Atestar o depósito da viatura. Saber que a capacidade máxima são 60 lts e ter metido 58. Ainda tinha gasolina para mais uns 5 minutos.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Devem estar ocupadas a indignar-se sobre canções de rappers e barbearias onde mulher não entra, eventualmente à procura de "estudos", é que só pode...

"Confesso que estive a ver fotografias do vosso casamento e tudo parecia maravilhoso. Parece que o Professor Carrilho foi um homem, até ao nascimento da Carlota [a segunda filha do casal], e depois passou a ser um monstro. Ora o ser humano não muda assim"; "Causa-me alguma impressão a atitude de algumas mulheres vítimas de violência, algumas das quais acabam mortas. A senhora procuradora diz que não tem que se sentir censurada. Pois eu censuro-a! É que se tinha fundamento para se queixar, devia tê-lo feito"; "Mas nunca pensou ir ao hospital?" (Resposta de Bárbara Guimarães: "Não, tive vergonha.") "Com tanta divulgação, tanto apoio que se criou para a violência doméstica? Tenha paciência, esse argumento é fraquinho"; "Ó Bárbara, causa-me nervoso ver mulheres informadas a reagirem assim. Se tinha fundamento, devia ter feito queixa."

Estas são as palavras atribuídas a Joana Ferrer, juíza do caso de violência doméstica de Manuel Carrilho sobre Barbara Guimarães. Diz que esteve a sessão inteira a tratá-lo por senhor professor. Quanto à mulher... Pois era Bárbara para ali e para aqui, às tantas eram amigas. Isto de acordo com esta notícia que eu cá não fui à audiência.

Entretanto, há dois dias, houve uma mãe vitima de violência doméstica que se tentou matar, juntamente com as suas filhas. Parece que, no passado Novembro, tinha feito queixa do pai por abuso sexual à mais velha e a mais velha só tinha 4 anos. Diz que o processo andou da SS para a Judiciária, desta para o MP e não sei que mais. Há dois dias tentou matar-se. Com as filhas, não sei se já disse. A mais nova morreu, a mais velha está desaparecida.
A queixa data de Novembro, estamos em Fevereiro. Dois meses depois de fazer o que estava ao seu alcance para se proteger, a si e às filhas, houve uma mãe que se sentiu tão desesperada que preferiu matar-se, levando duas crianças com ela.

Os tipos responsáveis por estas coisas deveriam saber que, para uma vítima de violência doméstica, um dia pode ser uma eternidade.
A tal da juíza tinha obrigação de saber que uma vítima de violência doméstica é uma pessoa profundamente fragilizada, que sente vergonha por ser agredida, que essa vergonha é tanto maior quanto a sua instrução ou "posição social".

E eu? Eu tenho vergonha de estas situações ocorrerem num país supostamente desenvolvido, em pleno ano de 2016. E tenho vergonha das gajas que perdem tempo a protestar por causa de uma porra de uma barbearia onde nunca quiseram entrar. E das que escrevem cartas por causa de uma merda de uma canção. E das que protestam pela inexistência de mulheres numa gaita de um prémio de BD.

É que eu, a blogger mais machista do pedaço, estou pronta a ir para a rua, empunhar cartazes a dizer "vergonha" em letras bem grades e plantar-me à porta da Juíza que nunca mais na vida deveria presidir a um caso de violência doméstica. E vocês?...

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Uma coisa nova

Haver uma celeuma da blogolândia, daquelas que podem vir a incluir processos e juízes e tudo, e o meu nome não ter sido sequer aflorado.
Assim não há condições, caramba!...

(temo que isto venha a ser um tremendo de um reboliço, afinal o Pipoco também foi mencionado, se o levam a tribunal vai ser um fartote de fãs a querer conhecê-lo, aos gritos, mesmo, prevejo que o meritíssimo tenha de mandar evacuar a sala...)

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Em verdade vos digo

Jejuar na Quaresma, oferecendo sacrifícios ao Senhor, retirando a carne da ementa à 6ª feira, mas substituindo-a por marisco ou peixes que custam muito mais que a própria da carne, é assim... Como hei-de dizer isto de uma forma simpática? Hum... Pouco coerente? 
Qualquer católico deveria saber que, há muitos anos, a carne era alimento de gente rica, custava mais que o peixe, daí a Igreja ter adoptado este "não comerás carne". A ideia era comer frugalmente e dar aos mais necessitados o que se poupava.
Serei só eu a ver uma tolice em substituir umas costeletas de 5€ por um pargo de 20€?...

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Eu é que devia ser deputada mas não poderia ser dessa instituição de cérebros que é o BE

A Mariana Mortágua acha que é preferível taxar (ainda) mais os combustíveis que prejudicar o rendimento dos Portugueses.
Alguém avise a idiota da Mortágua que o aumento dos combustíveis terá impacto sobre a economia e sobre todos os Portugueses, visto reflectir-se não só no bolso das más pessoas que se deslocam de automóvel, os ricos portanto, mas também directamente no custo de transporte de tudo quanto é produto. Adivinhem lá o que vai acontecer a médio prazo?...

O karma, essa grande prostituta

Li por aí que uma mãe mascarou a filha de sanita.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Os problemas dos homens

Acharem que um pedido de desculpas faz esquecer toda a porcaria que fizeram. Não faz. Mesmo quando as desculpas são aceites.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Resolvi que também vou vender caixas!

Como é pessoas? Quem é que se chega à frente? Estas magníficas caixas estão à venda por 400€. Uma verdadeira pechincha, nem vos digo quanto é que me custaram para não dizerem que ando para aí a ostentar, mas olhem que isto vale pelo menos quatro vezes nais. Para mais e não para menos, hã? Como é? Quem compra?...