terça-feira, 15 de setembro de 2015

Estou para aqui sem saber

Se fale daquilo do Charlie Hebdo, se vos fale de um mail particularmente interessante que recebi. Uma bizarria qualquer de um centro de formação, altamente prestigiado, que acha que a Picante é uma empresa e está a recrutar trabalhadores, pelo que se propõe a que substitua um dos meus futuros trabalhadores por um dos seus alunos, em regime de estágio.
Só dúvidas, é isto a minha vida.

14 comentários:

  1. Se for estágio não remunerado, é de aproveitar.
    Isto de pagar aos trabalhadores é uma canseira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É estágio remunerado, sim. Mas a um custo muito mais baixo, visto que não tem descontos para a SS. e os tipos dizem-me isso mesmo. Para quê contratar um assalariado se pode ter um dos nossos alunos a estagiar aí? Baratinho e até dois anos.
      Fazem cursos de gestão, dizem eles. Fui ao site e nem as cadeiras enumeram. Limitam-se a dizer que no fim do curso de está apto a trabalhar da área, por conta de outrem ou própria. Que banha da cobra, caramba.

      Eliminar
    2. Claro que assim, este país nunca há-de avançar. Este oportunismo, falta de ética e princípios revoltam-me até às entranhas. Mande uma bomba para lá! Irra!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Eliminar
    3. provavelmente nem o curso esta certificado

      Eliminar
  2. Ia para comentar mas a Uva já comentou com o meu comentário, ou por outra com um comentário tão similar ao meu que já não vale a pena eu comentar, por isso não comento!

    :)

    ResponderEliminar
  3. Agora não se pode falar do Charlie porque já não somos todos Charlie...agora o humor tem limites!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim não tem. É dó humor de gosto duvidoso, a maior retaliação que merece é ninguém comprar o pasquim.

      Eliminar
    2. Estão a gozar com a Europa, não com os muçulmanos...

      Eliminar
  4. Pipocante Irrelevante Delirante15 de setembro de 2015 às 17:09

    Estagiários
    Gosto. De os receber, não de os fazer. Já passei essa fase de escravo, agora é mais chicote na mão.
    Este país é uma tristeza. Ouço os comunas e sindicalistas a hastearem a bandeira do salário mínimo e da precaridade... f$#$-se, sei de entrevistas em que o desgraçado que lá vai PAGA para trabalhar. Sim, para aceder a um emprego onde ganha à comissão (sem salário!!!) ainda tem de, previamente, desembolsar umas massas para efeitos de "formação".

    Charles HebDU
    Essa revista é uma trampa. Tem tanta graça como um dueto do Bruno Nogueira com o Fernando Rocha, ou uma entrevista ao jerónimo a tentar imitar o Daily Show. Vivam o Vilhena e o Manuel João. Charlie, não vales um orgão sexual masculino. Mas tens o direito de existir, embora acredite que o teu futuro seja o de um dodô.

    ResponderEliminar
  5. Mas que falta de respeito. Que nojo. Denuncia já essa porcaria!

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.