segunda-feira, 7 de setembro de 2015

E as tuas lágrimas são de quê?

Coisas que vale a pena ler...

http://observador.pt/opiniao/vamos-la-trocar-umas-ideias-sobre-o-assunto/

http://expresso.sapo.pt/opiniao/opiniao_clara_ferreira_alves/2015-09-04-As-lagrimas-de-crocodilo

http://newobserveronline.com/german-girls-must-cover-arms-and-legs-to-appease-syrian-refugees/

http://www.dailymail.co.uk/news/article-3175959/Girl-gang-attacks-immoral-sunbather-wearing-bikini-French-park-sparking-JeSuisCharlie-style-social-media-campaign.html

https://el-manchar.com/2015/09/03/lemir-du-qatar-a-propos-de-laccueil-des-refugies-syriens-nous-avons-assez-desclaves-comme-ca/

http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=4765249&page=-1


35 comentários:

  1. andas preguiçosita hein??? que seca de blog...fui...

    ResponderEliminar
  2. Tu é que és racista pá e não percebes nada disto. Então eles querem que a malta se tape (e os sirva) só para que a malta não se constipe...

    (Eu acho que a Europa quer ser tanto politicamente correcta que, no espaço de 5 a 10 anos vamos todos ser obrigados a ser muçulmanos e da "religião da paz" se não quisermos ser enterrados 7 metros abaixo do solo)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em Portugal estão a preparar-se para dar aulas de português com separação de sexos. Acho fantástico, no que toca à adaptação à cultura Europeia.

      Eliminar
    2. Não é, Picante?
      Não se pode ofender. Nem que para isso nos anulemos...

      A Austria já fechou as fronteiras depois de 12 mil terem entrado só no fim de semana.

      Eliminar
    3. não tinha conhecimento desse "miminho" oferecido por Portugal...

      já dizia a minha mãe, de pequenino se torce o pepino. #soquenao

      Eliminar
    4. Que eu saiba, ha, e cada vez há mais, escolas em que separam os meninos das meninas, não sabia, picante? E, vá se lá saber por quê professam o catolicismo romano! E há tb muita gente (católicos romanos) que defende a separaçáo por sexo em todas as escolas, porque, dizem eles, as meninas aprendem de forma diferente dos meninos. Ainda há uns diasbhouve a notícia de um colégio que mandou 150 frianças para casa, por caua da altura das saias - a quem pertence esta escola? Pois. Só mudam as moscas....

      Eliminar
    5. Aqui em Lisboa apenas conheço as da Opus e o Colégio Militar. A esmagadora maioria dos colégios são mistos (a menos que sejam internos) e as escolas públicas são todas mistas.
      Até posso ser eu que me dou nos círculos errados mas a verdade é que não conheço uma alminha que defenda tal coisa.
      Não vi nenhuma notícia de 150 crianças mandadas para casa, não faço ideia do que fala mas arrisco aventurar que talvez o colégio tenha farda, não? Que talvez haja regras quanto a essa tal altura das saias?...

      Eliminar
  3. O daily mail é tabloide, o new observer nem encontro informações acerca desse jornal para ver se é legitimo.
    Quanto aos comentadores portugueses simplesmente não concordo com elas, são pessoas que têm atitudes e opinioes extremistas.
    Se a crise dos refugiados vai dar dores de cabeça? Vai sim senhora. Isso não significa que não ajudemos e que não tentemos integrar (e quando digo integrar é também EDUCAR acerca da conduta de comportamento que estas pessoas devem ter e as leis que devem seguir).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas note que nenhum dos comentadores diz que não devemos receber os refugiados.
      (e sim, eu também acho que os devemos receber, assim como devemos exigir que o Qatar, Arábia Saudita e afins os recebam. E, acima de tudo, acho que deve haver uma acção concertada da Europa; têm de ser cadastrados, inseridos socialmente e não postos em guetos, alertados para a nova cultura... E claro, resolver o problema da origem. É impossível a Europa receber metade da população de Africa e Médio Oriente, simplesmente não dá)

      Eliminar
    2. Cadastrados????????? Tal como os judeus, ciganos, homossexuais, deficientes o foram no passado?
      Nâo dá? Homessa! Portugal, tal como o resto da Europa está deserta e o que há são velhos!
      És tão católica, mas não consigo ver Cristo em ti. Tenho a certeza absoluta que ele não comunga das mesmas ideias que tu. O pessoal que ao Domingo faz a sua penitênciazinha de ir à missa é do mais esqueroso, egoista, medricas e paternalista que conheço! Havia ser bonito, se Portugal não fosse um Estado laico!

      Eliminar
    3. Saberá por acaso o que é uma fronteira? E que as pessoas, quando atravessam uma fronteira são identificadas?
      E pensar antes de debitar a primeira palermice que nos vem à cabeça? Não?

      Eliminar
  4. Apenas algumas opiniões cada um terá a sua!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pronto, já cá faltava esta a contribuir com zero para o debate. Esteve de férias, foi?

      Eliminar
    2. Pois olhe anónimo que a PA fazia bastante falta. Ainda bem que está de volta.

      Eliminar
    3. Ahahah já me ri tanto com este comentário.

      Eliminar
    4. Eu fiquei muito satisfeita por ver voltar a Arrumadinha.

      Eliminar
  5. 1 das leis do espaço Schengen diz que qualquer refugiado chegado a um país europeu não sai de lá.
    Precisamente para evitar estas andanças a que assistimos. Não está a ser aplicada, tal como os registos e os controlos não estão a ser feitos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É dar tempo ao tempo e rezar para que a Europa se organize.

      Eliminar
  6. os que vão criar problemas são precisamente os que querem ir para as grandes potências como a Alemanha, França, Inglaterra... porque sabem que lá tem subsídio até há última geração, entre outras regalias. de burros eles não têm nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para si Europa não é Portugal?
      O Ocidente não a afecta?

      Eliminar
    2. Acho que o que o/a chádetulipa quer dizer é que não vamos ser nós a lidar com o problema directamente pois os nossos refugiados assim que perceberem que as casas dadas não são de luxo e os beneficios não lhes permitem viver sem fazer nada e viver à grande, vão-se pôr a milhas rapidamente.

      Claro que no fim nos afectará a todos mas os piores provavelmente não serão da nossa competência resolver ou lidar com eles. Eu cá também prefiro que existam locais onde não possa ir em França do que na minha cidade (e esses locais já existem agora).

      Por outro lado, Portugal tem leis tão brandas que não me admirava muito que passemos a ser nós a albergar as grandes células criminosas que vêm lá pelo meio (e não me refiro a terroristas mas a violadores, a grupos tipo a "máfia", etc) - pode ser que instaurando uma lei que leve à deportação imediata após qualquer crime, nos safemos de boa...

      Eliminar
  7. caro anónimo das 20h24, assusta me mais os Portugueses que os Sírios. os migrantes só fazem o que os deixam fazer... e o resto é letra.

    ResponderEliminar
  8. Obrigada pela partilha!
    Haja alguém com senso que consiga ver por detrás desta solidariedade de levar no bolso, impestiva como tudo nesta era de redes sociais.
    O porblema é que os portugueses têm a necessidade de se sentir incluídos. São aquele miúdo no recreio que fica com o dedo estendido "pick me, pick me, pick me!!!" mas nem sabe afinal para o que está a ser escolhido.
    Queremos ser solidários à força, temos um coração mole que nos tolda o raciocínio e sempre pensamos "agir primeiro, pensar depois." Errado. Falta-nos o sangue e coração frio dos países no Norte. A lógica.
    Há dias comentava com um destes portugueses, que me chamou xenófoba, fascista, salazarista e mais não sei o quê mas que vive em Portugal e nunca deve ter visto um muçulmano ao vivo. Moro em Bruxelas há 4,5 anos e nesse período de tempo (apesar de não frequentar os "guettos", criados pelos próprios muçulmanos e não pelo governo, como se diz) já fui abordada duas vezes por muçulmanos furiosos. Tive sorte. Outras raparigas, que são espancadas (atenção, nem sequer são roubadas!!!) porque ousam ser livres num país onde os muçulmanos pensam que reinam (já chegaram a dizer, ao vivo na TV local "se os belgas estão mal, que se mudem").
    Os homens esperam que as mulheres lhes abram as portas nos transportes. Olham para nós com desprezo na rua, com superioridade. Querem impôr as suas ideoligias aqui. E quando se pergunta numa turma de 22 alunos (e isto é verídico, contado por alguém nessa mesma turma) quem é belga, dois ou três levantam a mão. Quando se pergunta "quem NASCEU na Bélgica", TODOS levantam a mão. Isto vindo de CRIANÇAS com não mais de 12 anos, cujos pais e avós já NASCERAM NESTE PAÍS.
    Ajudar os inocentes? CLARO. Mas, como é tão visível, as pessoas que chegam aqui vêm bem nutridas, com smartphones e GPS para lhes indicar o caminho, a fazerem exigências (como os 1200 à porta das câmaras aqui em Bruxelas), são pessoas naturalmente imunes à violência. Mesmo que tenham nascido aqui (quantos miúdos daqui são recrutados para a Síria? Todos os dias um ou dois seguem para lá.).
    Enfim, preocupa-me saber que Portugal e outros países estão tão ávidos em receber todo e qualquer um, mas enm sabem o que é viver com eles. Daqui a uns anos duas uma, ou um novo Hitler é ELEITO (como o foi o anterior) ou somos todos muçulmanos, porque somos tão solidários que aceitamos negar-nos a nós mesmos e à nossa cultura, em prol dum povo e duma cultura muito pouco tolerante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mi exactamente!
      Eu vejo muitos a falarem deles como se fossem como nós mas não são! E não é por ser racista mas sim por ter lidado com eles e com filhos deles na escola que percebi isso. Os pais proíbem as filhas de se dar connosco (raparigas) muito cedo e os rapazes tratam-nos com desprezo desde logo. Eles podem até nascer num determinado país mas as regras e a educação que levam em casa é uma autêntica lavagem cerebral contra o ocidente (mas para lá viverem não há problema).
      As pessoas acham que vão receber pessoas humildes porque vêm da guerra mas na realidade eles são é snobs, muito, e acham que têm os direitos todos mas não têm deveres nenhuns. Além disso, eles olham para a nossa caridade como uma fraqueza, um sinal de inferioridade...

      O que mais me irrita é mesmo ver portugueses e outros a defenderem-nos com unhas e dentes sem sequer saberem qual a sensação (horrivel) que eles nos fazem sentir. Falam muito do holocausto para comparar e eu acho que até faz sentido, só que neste caso, quem nos quer dizimar são eles a nós. E isso eles nunca esconderam de ninguém.

      Eliminar
  9. "The migrant crisis simplified for idiots and xenophobes"

    https://theburningbloggerofbedlam.wordpress.com/2015/08/28/the-migrant-crisis-simplified-for-idiots-and-xenophobes/

    Estou farto de ler barbaridades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhe eu também, esse é um bom exemplo de sensacionalismo de alguém que não percebe nada do assunto.
      Quer ver as fotos das pessoas mortas nos barcos somente porque eram cristãos para perceber quem são os xenófobos? Vá ter com eles da forma como se veste usualmente e verá por quantos é violada...
      Nunca esteve com nenhum, pois não? Nunca conheceu nenhum, pois não?

      Eliminar
    2. Olhe eu também estou farta de ler barbaridades. E esse link que aí pôs é mais uma barbaridade.
      Não consegui passar das gordas. Esses unwanted são cidadãos europeus. Os países não põem os seus cidadãos unwanted dali para fora, por muitos crimes que cometam, põem-nos na prisão. Com um início tão estúpido não passei do título. Convém argumentar com inteligência para se ser ouvido.

      Eliminar
    3. Já partilhei casa com três muçulmanos. Um da Jordânia, uma da Tunísia e uma da Arábia Saudita. Os vossos comentários fazem me sorrir com desdém. Desdém por vocês, não pelos meus colegas de casa e suas famílias.

      Eliminar
    4. É homem ou mulher?
      Eu também já vivi com eles, não altero uma vírgula.

      Eliminar
  10. Tive a oportunidade de conviver com muculmanos no meu ano de erasms e eu que era un poço de tolerancia mudei um bocadinho o chip. Gosto da solideriedade portuguesa, um pais que abandona os seus velhos como se fosse lixo humano. Mas os refugiados vem pra trabalhar, pra rejuvenescer portugal! Os velhos já não servem pra nada!! PAGUEM PARA VER minha gente!! Eu temo por mim, e pela minha filha! Sou xenofoba? Deixa ser! Se poder escolher entre isso e ser maltratada/violada/roubada, então gente do bem, eu escolho ser xenofoba ou racista ou o que voces quiserem!! E adivinhem lá! Eu não vou a missa nem ao domingo nem em dia nenhum! Nos casorios e funerais vá!! Assim ja não sou tão hipocrita pois não???

    ResponderEliminar
  11. A propósito disto tudo, gostaria que fizessem também reportagens sobre a forma como esta nova realidade está a afetar o quotidiano das pessoas que habitam/trabalham nos locais que mais têm sido fustigados pela migração. Afinal, há regiões que estão a ser "massacradas" há bastante tempo e até sem ajuda dos outros países (agora é que parece que a malta acordou toda). E aqueles que diariamente têm que gerir esta situação ( gente que tem que executar ordens como a polícia, os funcionários das estações de comboio, etc) como vivem com isto?

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.