quarta-feira, 16 de setembro de 2015

A ver se percebo a lógica da coisa

Dizer "não gosto de mulheres gordas, elas incomodam-me, sempre batalhei para não ser uma velha gorda" não se pode, ai que drama, que tragédia senhores, as mulheres gordas ficam extremamente magoadas, afinal elas só são gordas por um de dois motivo: ou porque são doentes, ou porque preferem ser assim e comer livremente, sendo extremamente felizes com o seu corpo.
Mas dizer "que horror, olha para aquilo é só ossos, parece um esqueleto ambulante" já pode, não é verdade? Aí já não há problema nenhum, toda a gente sabe que a anorexia é um estado de pura felicidade, as magras não se ofendem, que é lá isso, essa coisa de uma pessoa se ofender é privilégio das gordas.

(E insultar a mulher directamente, chamando-lhe desde parvalhona a mal educada, e isto são assim os adjectivos mais simpáticos que vi, também pode não é? É pois...)

63 comentários:

  1. vou por as pipocas a estalar enquanto não sai o comentário da asterica :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tire lá as pipocas do micro-ondas. Antes de elas estalarem a Picante há-de vir cá dizer que a indirecta não é para ela.

      Eliminar
    2. Pensei o mesmo, mas não me parece que se vá pronunciar.

      Eliminar
    3. Ó senhoras, eu não disse que aquilo que a picante escreveu foi para a S*. Antes da Picante publicar o post dela já a S* se tinha pronunciado sobre o assunto no blog dela, daí eu ficar à espera de reações. Et voilá, elas surgiram :) mas o que me diverte mesmo, mesmo são os comentários anónimos. Beijocas e tenham um dia feliz ;)

      Eliminar
  2. Mas depois, chegando o verão, podemos comentar com as amigas "ai que horror, estou tão gorda tenho de fazer dieta e começar a fazer exercício, não posso ir para a praia neste estado". Se formos nós a dizer que não queremos ser gordas, pode ser, se for a Betty a dizer que luta para não ser uma velha gorda já não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo-a perfeitamente, eu também luto e lutarei para não ser gorda nem em velha nem em nova. não gosto de ser gorda por puro desleixo.

      Eliminar
  3. Concordo contigo. E, cá por mim, ela pode dizer o que bem entender, não me ofenderá. Contudo, dizer "elas incomodam-me" deixou-me com a pulga atrás da orelha... Chego à conclusão que o problema é dela, e não das gordas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até pode ser. E então? É um direito que lhe assiste, sentir-se incomodada.

      Eliminar
  4. há magras por serem, sempre fui em miúda muito lisa (sem curvas sem anda)... e lá está as pessoas ao dizerem "és tão magra que pareces anoréctica", não olham com aquele olhar complacente que olham para as pessoas mais cheias.

    Acho que não acham ofensivo reparar e dizer de livre vontade sem dó nem piedade. Nem reparam que é de mau tom, visto que se não dizem a uma pessoa cheia que é gorda não digam o óbvio as magras.

    ResponderEliminar
  5. Oh, Picante, essa citação é a mais soft. Falta o resto: “Eu, por exemplo, não gosto de mulheres gordas. Elas me incomodam profundamente. Tenho repulsa, rejeição. Sempre batalhei para não ser uma velha gorda. Jamais compraria um quadro do Botero (pintor colombiano figurativista consagrado por pintar homens e mulheres roliços).”“É que nem cabelo rastafári. Aquilo é um horror. A pessoa cai no mar e não lava, fica um cheiro terrível. Agora, me diz: por que eu tenho de ser boazinha com a gorda e o cabeludo rastafári?” Não me parece que o problema seja ter dito que não queria ser uma velha gorda... É, de facto, insultuoso. Como seria se dissesse "magras metem-me nojo, são como as pessoas que não tomam banho". Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. concordo Ana, foi insultuoso e um exagero de emoções sobre o físico de uma pessoa. e isto é igualmente insultuoso substituindo "gorda" por "magra". a conversa desta senhora parece me a conversa daquelas velhas arrogantes e chatas que não tem paciência para nada e vivem deprimidas e sozinhas porque ninguém as atura...

      Eliminar
    2. Que nojo de declarações. Isso não tem defesa possível.

      Eliminar
    3. Bom, não vi isso. É certo que não li a entrevista até ao fim, ou então tenho uma versão reduzida da mesma.
      Mas devo dizer que as rastas me metem nojo. Aquilo tem um ar de sujo até dizer chega. Qual é o crime?

      Eliminar
    4. Picante, (note se bem as aspas) o "crime" é não ler a notícia até ao fim e tirar conclusões precipitadas.

      Eliminar
    5. Não é crime. É rudeza.É um ataque a um determinado grupo de pessoas. Roça a má educação. Há necessidade?

      Eliminar
    6. Não tirei qualquer conclusão precipitada, li a noticia a correr e, de facto, saltei a parte das rastas. Mas a conclusão mantém-se.
      Foi rude? Foi sim senhora. Nada mais.

      Eliminar
    7. É uma figura pública, acarinhada por um grande público. Rudeza e preconceito não é o que se espera que transmita, pelo menos não da forma como se expressa.

      Pela ordem de pensamentos da Picante, deduzo que ser rude e grosseiro deve ser aceitável e não deve levantar ondas.

      Imagino a minha filha a ler a entrevista, questionar-me porque é que a senhora está a ser "má" e eu responder-lhe "ora, só está a ser maldosa. É normal".

      Eliminar
    8. Ana, o meu post fala de uma contradição. Não defendo em lado nenhum o discurso de Betty Faria. Aponto apenas uma contradição.
      Isso é o facto de a senhora ter sido chamada de tudo nas redes sociais. Ofensas mais graves que o discurso rude que proferiu.
      Eu também acho que ela esteve mal, estou de acordo consigo. Há coisas que pensamos e é perfeitamente desnecessário dizer.
      (mas que me irrita este proteccionismo, irrita...)

      Eliminar
  6. Há uma diferença entre dizer , eu acho mais bonito A ou B, do que dizer , o corpo daquelas pessoas enoja-me, sinto nojo por aquelas pessoas. Ela disse claramente "Tenho repulsa, rejeição"

    Mas ela continua, e ataca também o cabelo das pessoas "“É que nem cabelo rastafári. Aquilo é um horror. A pessoa cai no mar e não lava, fica um cheiro terrível. Agora, me diz: por que eu tenho de ser boazinha com a gorda e o cabeludo rastafári?”."

    Ela não tem obrigação de gostar, mas tem obrigação de ser bom ser humano . E quem afirma que não tem que ser boa por causa do penteado dos outros, ou do corpo de alguém é porque não (esta ou é) bom da cabeça.
    Dizer que não temos que ser bons para os outros seres humanos se não gostarmos do seu corpo ou penteado é inadmissível e é completamente diferente de dizer que não se acha bonito tal característica.

    É completamente diferente, a mais picante é inteligente, sabe que é diferente do que tentou dar a entender no seu post.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela disse que a gordura lhe metia nojo. Não disse que A ou B eram nojentos. Parecendo que não, é diferente...
      Se é politicamente incorreto? É. Mas não passa disso.

      Eliminar
    2. É muito mais do que politicamente incorrecto dizer que não tem obrigação de ser boa com as outras pessoas devido ao penteado delas ou ao formato do seu corpo.

      Não podemos continuar a achar normal que as pessoas tenham nojo de outras pessoas pelo seu aspecto físico, uma coisa é dizer que o caracter de alguém merece a nossa repulsa, outra coisa é dizer que aquela mulher magra/alto/gorda/baixa é nojenta, é repulsiva, merece o pior de mim , só porque tem aquele corpo.

      Eliminar
    3. É uma manifestação de odio.

      Eliminar
  7. Picante, quando as pessoas são parvas e mal formadas, dizer que é mal formada é constatar um facto, não emitir uma opinião.

    Já agora, essa conversa do "pode-se dizer que é um molho de osso mas não se pode chamar texugo à gorda" é assim meio que... não faz sentido. Gozar com o físico dos outros é sempre errado (ei, eu também o faço, de vez em quando, acho que toda a gente o faz, de forma mais ou menos directa, infelizmente...). No entanto, a sociedade é que nos diz que ser gordo é mau e nojento. A mesma sociedade diz-nos, muitas vezes, que nunca se é demasiado magro. Portanto, mais vale assumir que não é a mesma coisa... Os dois extremos podem ser pouco saudáveis (que o são), mas a sociedade não vê da mesma forma uma pessoa muito magra e uma pessoa muito gorda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mal está no facto de as pessoas olharem para uma mulher muito magra e partirem do principio que é por opção e para uma mulher muito gorda e acharem que é um azar.

      Eliminar
    2. Porra s* estás mm ofendida. Nunca vi a menina a comentar tantas vezes o mesmo post.

      Eliminar
    3. A tua 1ª frase diz tanto sobre ti... Até parece que tens a bitola dos valores morais da sociedade. Pena não cresceres que já tens idade para isso (e isto, é um facto ou uma opinião?)

      Eliminar
    4. Eu simplesmente acho que as pessoas se ofendem mais, ou acham mais errado alguma coisa, quando lhes serve a carapuça! As gordas acham que é mais ofensivo falar-se das gordas e as magras (quando não por vontade própria) o mesmo.

      Eliminar
    5. Desculpa S*, mas dizes isso pq se calhar nunca estiveste um bocadinho magra demais, Ja me aconteceu e mesmo tendo hoje um peso normal ( ideal, até ) para a minha altura, estou constantemente a ouvir comentários à minha suposta magreza excessiva. E sim já me disseram que estava sequinha, esquelética, um saco de ossos, etc, e acredita que não estou. E mesmo que não acredites, não estou na mesma. Mas tenho que levar com esses comentários, que ao ao fim de um tempo já cansam, mas para os quais me estou absolutamente a ca... a borrifar. E como sou magra (na verdade, sou apenas normal) até devia agradecer me chamarem saco de ossos, pese embora nao haja notícia de eu ter mais ossos do que as outras. Agora dizer que outra "eh lá estás a competir com uma baleia, fonix, que pança", isso nao, que é feio. O ego das gordas tem que ser mais protegido do queo das magras.

      Quanto às declarações da actriz, acho que ela pode pensar o que quiser, mas foi extremamente deselegante no comentario que fez, porque de facto o que ela disse foi mais do que "nao gosto de gordas". Falou de nojo e repulsa provocada por outras pessoas, apenas em virtude de uma característica física. Acho que foi deselegante e absolutamente insensível e desnecessário. Sendo ela uma pessoa famosa, sabia as proporções que o comentário tomaria.

      Eliminar
    6. S, não concordo consigo logo na primeira frase. Acho que é um abuso dizer que a mulher é mal formada só por admitir que a gordura a enoja.
      Já me parece uma blogger que chama atrasadas às comentadoras e depois diz que não é um insulto, que é mesmo a opinião dela e está apenas a constatar um facto.
      Não foi delicada. Isso concedo. Poderia perfeitamente ter estado calada. Mas mais nada.

      Eliminar
    7. Picante, a senhora foi muito pouco elegante e o discurso é de gente que não tem muita formação. É opinião minha. Admito que pensem diferente. Eu, nunca na vida, disse a ninguém que sinto nojo ou repulsa do seu aspecto físico. Posso até pensar "arre porra, que dentes feios ou que cabelo com aspecto mais porco", mas sou bem formada o suficiente para "engolir" os pensamentos que sei serem ofensivos.

      Eliminar
    8. Ela também não o disse a ninguém. Disse que a gordura a enojava. Falou de um grupo de pessoas e não de uma pessoa específica.
      Gostava de saber quantas pessoas não pensam o mesmo sobre os concorrentes do Peso Pesado, por exemplo.
      Foi indelicada, nada mais.
      (permite-se aos idosos terem um pouco menos de filtro, percebo que não estejam para aturar o politicamente correcto)

      Eliminar
    9. Picante, faltas de respeito pelos outros não se admite a ninguém.

      Eliminar
    10. A asterisca enfiou a carapuça como gente grande!!!

      Eliminar
    11. S, se eu disser que as rastas me metem nojo, acho sempre que aquilo dá um ar de sujo a quem as usa, estou a faltar ao respeito e a ser mal formada?

      Eliminar
    12. Picante até concordo consigo em parte. Mas na minha opinião o fato de ser tão mau quanto falar de pessoas magras como de pessoas gordas, não implica que seja normal dizer que as pessoas gordas metem nojo. Diz você que "Falou de um grupo de pessoas e não de uma pessoa específica.", ao falar do grupo e generalizar, está a falar de cada pessoa gorda que existe no mundo. E não é só uma questão de educação, dizer que sente nojo de uma pessoa - gorda ou magra - porque é gorda ou magra não é só indelicadeza e na minha opinião é até muito mais que falta de educação. Se dissesse o mesmo de alguém que tem falta de higiene e piolhos na cabeça talvez fosse só isso...

      Eliminar
    13. é o mesmo que dizer que quem tem mamas grandes/pequenas, rabo pequeno/grande, cor de pele x ou y mete nojo e isso é... indelicadeza? só?

      Eliminar
  8. O que eu sofro com isso... Sempre fui magra e como sou baixa ainda aparento ser mais magra, e sempre ouvi comentários muito maus... E as pessoas agem como se fosse normalíssimo, no entanto, chamar gorda é bullying... Eu sou magra porque tenho metabolismo rápido, porque emagreço com o stress não tenho culpa... Mas dizer, carga de ossos, esqueleto, tás com alguma doença... é algo muito normal.. Afinal só conta se fores gorda... Olha que há tempos tive para escrever sobre este tema no meu blog, mas tenho tido auto-estima suficiente para não necessitar de lamentos... enfim estamos entregues à carneirada...

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é aceitavel dizer essas coisas nem a uma magra nem a uma gorda.
      Uma coisa não anula a outra.

      Eliminar
  9. Não compreendo como se recorre a estas argumentações infantis.

    Ninguém tem que justificar por que é "gorda" ou por que é "magra". A verdade é que um dos adjectivos é de cariz muito mais ostracizante do que o outro e sempre o foi e talvez por isso as pessoas partam logo a defenderem-se. Mas o "magra" também vem muitas vezes com um desdém por detrás. E, no fundo, isto parte tudo de um julgamento imbecil de que umas ou outras são menos saudáveis.

    Eu percebo que o post surgiu do facto de insultarem a senhora - que não sei quem é e desconheço a polémica sequer -, mas não compreendo o porquê de usar esses argumentos no texto. Soa também a desdém. É assim tão difícil não comentar o corpo dos outros?

    Mira

    ResponderEliminar
  10. Quem chamou nomes 'fofinhos' à velha??
    Fui logo ver as habituais mas não vi nada sobre este tema!
    Afinal, de quem falamos?

    ResponderEliminar
  11. Só ficou extremamente chocado com as declarações da senhora quem tem uns bons quilos a mais e sabe que tem culpa. De resto, as pessoas podem ter achado que a senhora se esticou e foi indelicada mas daí a ficar super chocada e ofende-la vai uma grande distância.

    ResponderEliminar
  12. Eu sou gorda, não obesa, anafada, vá... e não me incomodou minimamente o que a sra. disse...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho horrivel dizerem que tem nojo e repulsa de si Patrícia, que você é uma nojenta, só porque tem esse corpo.

      A Patrícia pode não achar incomodativo dizerem-lhe isso, mas eu acho que é muito incomodativo dizer isso de alguém, não interessa se é por ser gordo ou magro.

      Eliminar
    2. Mas não foi nada disso que a mulher disse. Ou não achará que é completamente diferente dizer isso a uma pessoa específica ou falar sobre um grupo? É que eu acho.

      Eliminar
    3. Um grupo é constituído por várias pessoas específicas, ou não? Quando Hitler decidiu exterminar os Judeus, não exterminou ninguém específico? Exterminou um grupo?
      Sim, sou dada à hipérbole.

      C. R.
      Carla

      Eliminar
    4. Ai, ai, ai... eu só disse que não me incomodava enquanto gorda... claro que é horrível chamar isso a alguém e mesmo que eu fosse magra nunca o faria. todas as pessoas são bonitas á sua maneira... há gordas feias e gordas bonitas, há magras feias e magras bonitas, etc etc etc

      Eliminar
    5. E sim Picante e Carla, uma coisa é mandar "boca" a um grupo... outra é a uma pessoa especifica... Apesar de mau, é que não tem nada a ver...

      Eliminar
  13. Anónima, este também terei de rejeitar mas respondo-lhe. Prometi a alguém que não tornaria a esse assunto e que não aceitaria nem mais um comentário desse teor. E eu cumpro as minhas promessas.

    ResponderEliminar
  14. Pois, o que eu mais gostei foi ela dizer que fazia de tudo para não ser gorda enquanto comeu todo o buffet preparado para a entrevista... Parece-me mais um caso de "idosa que perdeu o filtro" do que outra coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela não é, nem nunca foi, gorda. Pode comer o que bem lhe apetecer.

      Eliminar
  15. Por isso é que muitas brasileiras preferem o discurso formatado de "amo todo o mundo". É politicamente correcto e fica sempre bem. A senhora fala de si, fala daquilo em que odiaria tornar-se e é um Deus-nos-acuda. Deixem a senhora expressar-se, gostam assim tanto dela para se ofenderem com a sua opinião? Falta de autoestima, caramba!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falta de auto estima a dela, para se deixar afectar assim tanto com o corpo das outras pessoas.
      Ela mostrou o quanto estranhos que não lhe fizeram mal nenhum a afectam.

      Eliminar
    2. Anónima, não é por querermos uma coisa que ela acontece. Esse comentário, na minha opinião, não faz o menor sentido. Se há coisa que ela não tem é falta de auto-estima.

      Eliminar
    3. Quem tem alta auto estima não necessita de ofender ninguém.

      Eliminar
  16. Olá eu sou a Ana e tenho nojo de gordos.

    Desde que me conheço, que me lembro de dizerem, primeiro para os meus pais; "Ah coitadinha é tão enfezada", "ah, mas porque não a obrigam a comer?! Dêem-lhe xarope para abrir o apetite..", "É tão magrinha, coitadinha", "Tem que ir lá passar uns dias a casa para engordar", "Tem mesmo ar de fraquinha, de doente".. - e durante toda a minha infância nunca fui a uma urgência hospital, nunca tive uma amigdalite nem uma otite.. Mais tarde, os "alertas" e os "conselhos" passaram de ser para os meus pais para mim. E dos meus colegas para mim.. E não é bullying, pois o bullying só é válido para os gordos.

    Com o entrar na faculdade, engordei, ganhei peito e rabo, e finalmente ganhei auto-estima.. Aos trintas verifiquei que as "boazudas" do básico e do secundário, que sempre me chaparam na cara que saía ao pai e que nunca iria arranjar ninguém que me quisesse, eram agora "gordas" com maridos feios.. o karma é fodido!

    Mas no último ano, deixei de tomar a pílula e tive uns problemas no trabalho que me provocaram ansiedade, e passei a linha do ser magra "gira",.. sinto-me mal, mesmo em baixo de forma e o facto de me apontarem o dedo por estar magra, ainda faz com que me sinta mais fraca.

    Quando estou mais em baixo, evito jantar fora com "colegas" gordos, pois se opto por comer uma salada em vez de umas batatas fritas e não comer uma sobremesa porque simplesmente não me dá prazer comer, sou confrontada com o facto de supostamente estar a fazer dieta, ou seja sou uma nojenta que se preocupa é em ficar magra e não sei o que é o prazer de comer.. Se opto por comer um prato enorme de massa e todas as entradas que estiverem no menú sou uma porca cheia de sorte que não engorda. Ou seja o que escolho para comer é sempre tema a ser debatido à refeição pois comentar a refeição da magra é aceite enquanto que a refeição da gorda é uma assunto tabu e que só pode ser debatido por ela no fim da refeição quando dizem "Ah que se lixe, de gorda não passo", "Ah, eu não percebo porque sou gorda pois não como nada de especial, é o organismo"..

    Para mim é muito mais difícil engordar, do que emagrecer..Agora que consegui estabilizar e estou a engordar de forma saudável, sem saltar uma refeição, demoro cerca de 6 semanas a ganhar meio kilo. E não posso gritar isso aos sete ventos pois faz de mim uma pessoa patética e triste, que não sabe o que é ter problemas com peso nem sabe dar valor à "sorte" que tenho!

    Compreendo perfeitamente a Betty Faria quando diz que tem nojo de gordos, sim reconheço que não o deveria ter dito enquanto figura pública mas compreendo o que exteriorizou.. Eu também tenho nojo gordos, mas também tenho que lhes agradecer o facto de me terem feito uma pessoa mais forte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois não a fez mais forte, tornou-a mais patética.
      Mais forte seria reconhecer que é uma estupidez ofender as pessoas pelo corpo que elas têm, e que o que algumas pessoas lhe fizeram a si, foi inadmissível e em alguns casos provavelmente imperdoável.
      Tornar-se igual ás pessoas que a ofenderam só a faz baixar de nível.

      Eu tenho nojo de pessoas que ofendem os outros pelo seu aspecto físico e não pelas suas atitudes, não interessa se são gordos ou magros.
      Os valores das pessoas estão todos alterados e isso é uma vergonha.

      Eliminar
    2. Rodei-se de pessoas boas em vez de pessoas más e vai ver que ninguém a ofende, e retire esse odio que tem dentro de si, isso só vai atrair pessoas que não valem nada, gordos ou magros.
      E não diga que tem nojo do corpo dos outros, porque um dia uma filha sua, a sua mae ou a sua melhor amiga pode ter esse corpo e dizer-lhes que voce tem nojo delas é uma nojice por si só.
      Não cuspa para o ar.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.