quarta-feira, 8 de julho de 2015

Coisas mesmo muito idiotas

Portugal indignado porque alguém prefere a sua cidade natal ao Porto, essa cidade fantástica, só ultrapassada em glamour por NY, ali para a zona do Upper East Side.

(Ai não queres viver no Porto? Então também não podes passar ferias no Algarve, ó parva! A sério? A sério??)

65 comentários:

  1. Como se todas as damas dos fogueteiros se mudam-se sempre que eles trocam o bom pelo melhor ahahah
    Estes indignados estão é desapontados.. têm de encontrar o norte!

    ResponderEliminar
  2. Mesmo, ainda bem que há alguém que tem o mínimo de discernimento, é que vejo por aí cada comentário parvo. Eu sou do Porto, amo a minha cidade, e não vejo mal nenhum em nada do que ela disse!

    Andamos todos muito sensíveis só pode, e tudo serve para implicar.

    ResponderEliminar
  3. Aquilo do there´s no place like home e de gostarmos mesmo é do lugar onde sempre vivemos, fica bem é nos filmes. Ou o que é que pensa que os estrangeiros dizem de nós quando dizemos que não trocamos este nosso cantinho à beira mar plantado por nenhuma outra cidade no mundo?
    Sinceramente, acho que é mais ou menos o mesmo que os bairrismos babocos Porto/Lisboa, Lisboa/margem sul, continente/ilhas...

    ResponderEliminar
  4. Como assim a fanar-me os posts, hum? :D

    (E não te vais prender ao pormenor da hora a que saíram, ora não? Espero que tenhas argumentos melhorzinhos...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu, no teu lugar, ia fazer um comentário mas é à tua alma gémea, ela é que te fanou o post...

      Eliminar
    2. Sim, sim... Atira-me poeira para os olhos que eu gosto... :DDD Se A=B e B=C, então A=C. (Lei da transitividade da identidade.) :DDD

      Eliminar
    3. Eu cá acho que só B e C é que são iguais. Até nas palavras.
      (não viesses tu com matemáticas...)

      Eliminar
    4. (A xaxia diz que me dá ares de inteligente.)

      Eliminar
  5. Pipocante Irrelevante Delirante8 de julho de 2015 às 16:56

    Eu não sou do Porto, é cidade que nem aprecio, mas voluntario-me para passear com a miss carbonero e mostrar-lhes as vistas por aqui e por ali enquanto o seu homem está na labuta.

    ResponderEliminar
  6. Eu gosto muito da cidade do Porto. Acho uma cidade fantástica e maravilhosa mas compreendo que ela não ache e não queira cá viver.

    Isto não quer dizer que não goste do meu país...agora a "miúda" só porque não quer viver em Portugal já é isto ou aquilo?
    Claro que dizê-lo publicamente pode trazer dissabores porque infelizmente não convém que ninguém dos ditos "famosos" tenham uma opinião que não seja politicamente correcta. Por outro lado também depende da forma como é dito...

    ResponderEliminar
  7. Então, então?! Aquilo foi só uma brincadeirinha... Assim, tipo, sapatos da CF... ;)

    ResponderEliminar
  8. Acho que era ela a tentar ter piada e depois os comentadores a entrarem no desatino habitual de levar a sério e "dar a sua opinião" lol.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na caixa de comentários ahaha.

      Eliminar
  9. E quantas alminhas enfaíscadas com as declarações da Carbonara ou lá o que é, se mudariam para o Porto atrás de um marido só porque sim? (das que não vivem lé obviamente)

    ResponderEliminar
  10. Olhe que a sua queridinha S* defende o que está entre parêntesis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que eu gosto mais no post da S* é aquela parte onde ela quer fazer parecer que conhece Madrid como a palma da mão dela. Logo ela, cujo mundo se resume a Portugal de Aveiro para cima...
      Mas pronto, como a MD diz no post dela que viveu em Madrid, era preciso fazer uma colagem à coisa, ainda que estapafúrdia...

      Eliminar
    2. Dado que já tive de recusar vários comentários, fui ver o que dizia a S. Nem afirma conhecer Madrid, nem defende bem o que está dentro do parênteses, deixem lá a rapariga em paz. Vocês não se cansam de lhe morder as canelas?

      Eliminar
    3. e tu, tb não te cansas de morder as canelas dos outros?

      Eliminar
    4. Agora esteve bem (o que é raro), Picante. Deixem a S* em paz!

      Eliminar
  11. Estou plenamente de acordo com a Carbonero, tambem nao troco a minha cidade por mais nenhuma. Qual e o mal? Uma coisa e passear e gozar umas ferias num outro local outra e viver, mas ha quem meta tudo no mesmo saco.

    ResponderEliminar
  12. Eu sou do Porto, e da mesma forma que não trocava o Porto por Madrid nem por Lisboa, compreendo que ela não queira trocar a sua cidade pelo Porto.

    ResponderEliminar
  13. Eu gosto de ir de férias para a Tunísia, mas não quero ir viver para lá. Será que já não posso voltar ao país, agora que o admiti?


    Maria Inês

    ResponderEliminar
  14. A questão aqui é que ela disse que era como ir de cavalo para burro. Era escusado.
    Eu cá acho que ela é "manienta"
    sim só por isso!
    lol
    o meu Post sobre o "assunto" aqui: http://orangelife.blogs.sapo.pt/carbonara-esta-e-para-ti-45370

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sei se ela disse. Mas e se disse? Qual é exactamente o mal? A mulher não pode achar que Madrid é infinitamente um melhor sítio para se viver e trabalhar que o Porto?

      Eliminar
    2. Acho que não devia falar sem conhecimento de causa, ainda para mais sendo mentira! (sim mentira, porque o Porto é bom!) :)

      Eliminar
    3. Isso é totalmente subjectivo.
      Eu não gostaria de morar no Porto. Mas iria para Barcelona já amanhã, por exemplo.

      Eliminar
    4. Pois ela também disse que se fosse para Londres ainda pensava… para o Porto é que não!

      Claro que é subjectivo, mas a forma como ela desdenhou faz com que as pessoas se sintam, de certo modo, atacadas. Por não é o caso de ser o Porto, para mim foi mais do género: "ui Portugal! que nojo!"
      Claro que ela é que sabe, mas eu também tenho o direito de não concordar com a moça! :)

      Eliminar
    5. Eu consigo perceber. A sério que consigo. Londres é uma cidade muito mais cosmopolita que o Porto.
      Até em termos de trabalho... que iria ela fazer para o Porto? Nada, não é? Já em Londres é outra história.
      Se me dissessem que eu teria de me mudar para Málaga, por exemplo, para ir atrás de Mr Spicy, se calhar também não iria.
      (por acaso Málaga é um péssimo exemplo, ali coladinha a Marbella, mas enfim...)

      Eliminar
    6. Ia ser Pivot do Porto Canal ahahahahahaha
      Aos Domingos rumava ao Canidelo para uma bela tarde praia...

      Eliminar
    7. Disse sim, picante. Pelo menos o JN põe com aspas - http://www.jn.pt/PaginaInicial/Gente/Interior.aspx?content_id=4668394&page=1

      A forma como o disse é que é só parva e com falta de humildade, como comentei agora em baixo (num comentário isolado), é escusado desdenhar duma cidade e país só porque não se quer ir para lá viver!

      Eliminar
    8. O mal é o facto de ter dado a opinião de forma ofensiva. Era desnecessário e ficou-lhe mal. Mas basicamente, está dentro do registo habitual dela que não prima propriamente pelo auto controle. O que é lamentável numa jornalista.

      Eliminar
  15. Ei, ei! O Porto é bem bonito visto de Gaia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahahahahahhaah

      Confirmo. E visto do Porto também.
      (ainda assim prefiro Lisboa...)

      Eliminar
  16. Realmente... era só o que mais faltava ter uma legião de pessoas agarradas aos meus calcanhares só por motivos (que só a mim me dizem respeito) de acompanhar o meu marido ou não para o novo local de trabalho dele, ainda por cima temporário.
    Penso muito na minha mãe, coitada, se entrasse nesse jogo do saltapocinhas do meu pai, ainda hoje andava a fazer e a desfazer malas ao som da sirene lá dos malucos da firma dele.

    ResponderEliminar
  17. Vamos lá ver, carago! Sou do Porto, sim! E como diz uma outra portuense ali em cima, estou mais sensível, olha, fazer o quê?!

    Vamos supor, o meu marido vai trabalhar para Madrid e eu não quero ir, se disser: " não quero ir, porque prefiro ficar na minha terra Natal, com a minha (restante) família, amigos, com as coisas que conheço..." é uma coisa, se disser "não vou porque estaria a descer de divisão, e não troco uma cidade/país que está bastante abaixo de Portugal em quase tudo.", isso é só parvo e de quem não mede o que diz. Ele vem para cá, o Porto/Portugal/Portugueses nunca lhe fizeram nada, acho desnecessário, principalmente a uma figura pública, dizer certas coisas. Pensaria da mesma forma se fosse de outra cidade portuguesa que se falasse.
    Além de que ela acha normalíssimo mudar-se para Londres pela sua carreira... quer dizer, até lhe fica mal admitir isso ao marido!" Que grande apoio! Mas não há problema Sarita, nós somos muito hospitaleiros, não faltarão ombros amigos ao moço!!

    E não comentei sobre isto em mais lado nenhum, a não ser aqui. Aliás só agora fiquei a saber exactamente o que ela tinha dito, porque nem me tinha dado ao trabalho de procurar, portanto não ando a agitar as águas com isto, nem me enervo nada. Mas que acho parvo a falta de humildade e de chá da senhora, acho!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas há alguma dúvida que para uma pivot, mudar de Madrid para o Porto é descer de divisão? E já nem vou falar de tydo o resto: teatro, espectáculos, comércio, movida...
      Eu acho o Porto uma cidade muito bonita mas não se pode comparar com Madrid, quer em termos de oportunidades de trabalho, quer em termos culturais. É verdade, caramba.
      ( e Londres está um furo acima de Madrid, quanto a isso de abdicar do que quer que seja pelo marido, nem vou comentar, é lá com eles, ninguém melhor que o casal para gerir a sua dinâmica de vida)

      Eliminar
    2. Ninguém tem dúvida disso. Mas não há necessidade de expressá-lo verbalmente para todos ouvirem/lerem, simplesmente porque é desnecessário (afinal já ninguém tem dúvidas) e possivelmente alguém se iria sentir insultado, ela se parasse para pensar iria ver que "se calhar vou insultar um povo" (embora nem todos se sintam insultados). Não há necessidade de dizermos tudo o que nos vem à cabeça, isso não é ser sincero, nem frontal, é armar-se em maluquinho!

      Eliminar
    3. Aliás, ela nem precisava de dizer nada. E quando muito bastava dizer "não quero ir", simples e ninguém se chateava!! Agora, há pessoas que gostam de se armar ao pingarelho e em superiores! Mas por mim ela pode continuar a vir, trazer/gastar dinheirinho, que bem precisamos! Mas não posso dizer que acho bem o que ela disse (a forma como o disse).

      Eliminar
    4. E ela não pode dizer o que lhe apetece, não? Só para não magoar almas sensíveis. Muito melindrados andam os portuenses... É a opinião dela, isso muda alguma coisa, ou é só a vossa insegurança a tremelicar? Bem me parecia...

      Eliminar
    5. Fizeram uma pergunta à mulher, ela respondeu cruamente.
      (se é que aquilo veio da boca dela e não é fruto das "invenções e embelezamentos" que alguns jornalistas gostam de dar às coisas... não sei)

      Eliminar
    6. O anónimo das 12:09, a sra disse o que quis, e eu respondo o que quero também, posso? Ou só ela é que pode dizer o que quer?
      Insegurança de quê? Mas está-se a sentir bem? É a minha opinião, não gostei, simples. Não sou obrigada a concordar ou a dizer que gosto, só porque outros portugueses ou portuenses, não são da minha opinião e são menos sensíveis.

      Só lhe faltou dizer que era inveja, como aqui não colava foi a insegurança. Argumentos (que nem argumentos são) tristes, mas enfim, adiante!

      Eliminar
    7. Oh picante, eu até costumo concordar consigo, mas agora vou perguntar, se fosse a mais doce a dizer aquilo, pensaria da mesma forma?! Só por curiosidade!

      Eliminar
    8. E anónimo das 12:09, aprenda: "Ao princípio irritava-me que todos os nortenhos tivessem tanto orgulho no Norte, porque me parecia que o orgulho era aleatório. Gostavam do Norte só porque eram do Norte. Assim também eu. Ansiava por encontrar um nortenho que preferisse Coimbra ou o Algarve, da maneira que eu, lisboeta, prefiro o Norte. Afinal, Portugal é um caso muito sério e compete a cada português escolher, de cabeça fria e coração quente, os seus pedaços e pormenores. Depois percebi. Os nortenhos, antes de nascer, já escolheram. Já nascem escolhidos. Não escolhem a terra onde nascem, seja Ponte de Lima ou Amarante, e apesar de as defenderem acerrimamente, põem acima dessas terras a terra maior que é o "O Norte". Defendem o "Norte" em Portugal como os Portugueses haviam de defender Portugal no mundo. Este sacrifício colectivo, em que cada um adia a sua pertença particular - o nome da sua terrinha - para poder pertencer a uma terra maior, é comovente." (O NORTE – POR MIGUEL ESTEVES CARDOSO)

      Não é insegurança, é defender o que é nosso, se os portugueses fizessem mais isso, talvez não estivéssemos como estamos! Quanto mais uma pessoa se baixa, mais se lhe vê o cú!

      Eliminar
    9. Anonimo 12.09h acho que ser mal educado é mau, se o caro acha que isso tem a ver com portuenses é problema seu.
      Não sou do Porto, é uma cidade que gosto e sinceramente nem vejo tanta diferença entre Porto/Lisboa/Madrid...já vivi em Lisboa e Porto e falam como se Lisboa fosse muito superior ao Porto.... eu não acho. Acho que é superior mas também não é nenhuma liga superior. Já Madrid enquanto lá estive em trabalho foi uma cidade que nunca me fascinou ou puxou minimamente para viver.

      Facto é que nunca vivi propriamente em Madrid (e dispenso, diga-se) mas já vivi noutras cidades europeias e certamente que a escolher não escolhia Madrid certamente (aliás não escolhi).

      Pessoalmente acho que se ela disse realmente aquilo daquela forma foi mal-educada e isso não se cura com milhões na conta. A cultura e o "berço" ou o dito "chá" é algo que ou se tem ou não se tem e acho que a criticar deve-se criticar a atitude e não propriamente o facto de ela ter esta ou aquela opinião.

      Eliminar
  18. Foi a forma como ela disse, gente! Eu queria vê-la a dizer aquilo no meio das gentes da Ribeira! Ou no meio da claque dos SD! Isso era de valor, agora mandar uns bitaites assim para o ar, qualquer um faz!

    Quem não se sente, não é filho de boa gente! É só!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas, anónimo, acho que esse argumento não abona muito a favor das gentes do Porto, dá a entender que são uns animais selvagens que a faziam em picadinho em três tempos. Acho que a única resposta que a senhora merece, se é que foi mesmo aquilo que vem nos jornais que ela disse e se é que o fez com intenção de ofender, é mostrar-lhe que está a errada, que as gentes do Porto são hospitaleiras, sabem receber e que o Porto é uma excelente cidade para se viver. Acho que as pessoas gostam de se irritar com pormenores, mas depois quando o assunto é realmente importante e pode ter influência nas suas vidas viram a cara e demitem-se das suas obrigações cívicas (é ver os índices de abstenção, por exemplo)

      Eliminar
    2. Se dissesse aquilo no meio da Ribeira soaria a provocação. Disse a quem lhe perguntou, onde está o problema? Não mandou bitaites, deu a opinião sobre algo que lhe diz respeito, está no seu direito.

      Eliminar
    3. Mirone não era nada disso que eu queria dar a entender, mas cada um entende como quer!! Eu tanto me irrito com pormenores, como com assuntos realmente importantes, sou uma pessoa muito irritadiça! E desde que sou recenseada sempre votei, já agora!

      Anónimo, está no direito de dizer o que quer, eu estou no meu direito de achar uma provocação e não gostar! Quem diz o que quer sujeita-se a ouvir o que não quer. Se tivesse dito, a quem lhe perguntou, apenas "não quero ir", ou "não vou" e ninguém tem nada haver com os motivos, ninguém ia ter ponta por onde pegar. Eu achei de mau tom o que ela disse, não só para o Porto, mas para Portugal. São opiniões.

      Resumo novamente, quem não se sente, não é filho de boa gente!

      Eliminar
    4. Anónima, eu não disse que o anónima é irritadiça ou não vota, mas é como diz, cada um entende como quer. Disse que há pessoas que gostam de se irritar por coisas com pouca importância (e pessoalmente acho que o que a Sara Carbonero disse do Porto ou deixou de dizer - será que foi mesmo aquilo que vem nas notícias que ela disse? - tem pouca importância), tanto assim é que se andar pela net vai ver comentários super-inflamados, como se a vida de quem os emite dependesse da eleição da melhor cidade, se é o Porto ou Madrid (aliás, depressa descambou para discussões Lisboa/Porto).
      Mas não, não acho abonatório sugerir que se ela tivesse dito aquilo à frente de pessoas do Porto elas se encarregariam de lhe "acertar o passo". Tenho as gentes do norte em melhor conta do que arruaceiros ou vingativos. Eu sei que quem não se sente não é filho de boa gente, mas o facto de "se sentirem" não quer dizer que a sua reacção seja violenta.

      Eliminar
    5. Anónimo das 10:55 e das 14:42. Agora era argumentar mas sem se socorrer de ditos populares. Só para parecer que tem argumentos próprios, que não funciona a papel quimico...

      Eliminar
    6. Mas eu nunca falei em reacção violenta, daí ter dito logo no início que cada um entende como quer!!
      Até podia estar a dizer que essas gentes da ribeira lhe mostrariam o que o porto tem de melhor! A mirone é que levou para a violência!

      E sinceramente nem estava a dizer num sentido, nem noutro, estava a dizer no sentido se ela teria coragem/lata de dizer isso na cara dos habitantes locais, não pela violência, mas porque normalmente as pessoas pensam mais no que dizem quando estão cara-a-cara, até por uma questão de respeito, e não por medo de violência! Era isto!

      Eliminar
    7. Mas eu funciono a papel químico e gosto de ditados populares, paciência, tem que se arranjar com isto!! Além de que mesmo sendo assim, não deixo de ter razão! (para mim, claro!) e não vi arugemntos contrários!

      Eliminar
    8. Tem razão anónima, levei para a violência porque referiu a hipótese da Sara Carbonero expressar a sua opinião junto dos super-dragões e, reconheço que possa ter sido abusivo da minha parte, associei-os a violência, por isso falei em "acertar o passo" (mas suponho que se eles fossem meninos de coro ela não teria problema nenhum em assumir a opinião).
      O que quis dizer no meu comentário é que tinha a gente do Porto como civilizada na generalidade (grunhos há em todo o lado, em Lisboa, no Porto, onde quer que seja) e capaz de aceitar uma crítica sem partir para a violência e que sugerir o contrário não seria abonatório para os portuenses. Mas já percebi que não foi isso que sugeriu.

      Eliminar
  19. Ela tem direito a ter essa opinião, claro, mas acho que poderia tê-la expressado de outra forma, como o fez foi deselegante. Ninguém diz a uma mãe 'fogo, o teu filho é mesmo feio' mesmo que o miúdo tenha uma cara de bradar aos céus. Pensa-se mas não se diz, é uma questão de educação e bom senso. Ela até pode achar tudo e mais alguma coisa sobre o Porto, não precisa é de o bradar aos céus, mais a mais com a exposição pública que tem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se diz isso a uma mãe? Ah ah ah ah ah ah ah
      Segue este blogue há pouco tempo, certo? É que a Picante diz! Aliás foi umas das polémicas mais giras de sempre...

      Eliminar
    2. A Picante não disse tal. A Picante afirmou que umas crianças não deviam muito à beleza. Vocês nunca saberão de quem falava eu. Tudo o resto é conversa irrelevante.

      Eliminar
    3. mais uma que perdi... o que vale é que faz parte do passado.
      mas também eu quero ver a polémica, posso, posso? Agradecida :-)

      Eliminar
  20. Achei piada a ter dito Descer de Divisão. Se foi uma graça, até foi fina. É o milieu, carago !

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.