domingo, 28 de junho de 2015

Na verdade é quase a mesma coisa

Vejo nas notícias as últimas novidades sobre a Grécia, o Tsipras bem que esbraceja, a cada braçada se afasta mais da costa, perdeu o pé, suponho que os Gregos tenham aberto finalmente os olhos, a prová-lo está a corrida às caixas multibanco, afinal o tipo prometeu aquilo que nunca poderia cumprir, chega a dar dó, vê-lo a dar aos bracinhos pequeninos, as perninhas a bater desesperadamente, cada vez se afunda mais, a Europa bem que lhe estende a mão, mas o tipo continua, orgulhoso e teimoso que nem uma mula, a confiança foi-se, dificilmente a conseguirá recuperar. Uma pena ninguém lhe ter ensinado que a arrogância dá imenso trabalho, é quase patético vê-lo "desinsuflar".
Igualzinho a isto dos blogs.

33 comentários:

  1. E espero que o A.Costa aprenda e não se ponha a prometer aquilo que a Europa não o deixará cumprir. Como está a ser com os Gregos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já ouvi umas quantas coisas em torno da segurança social...

      Eliminar
  2. Bom domingo ,cara Picante !! Igualzinho ,mas täo diferente ...diria eu !!! Que haja chicos/chicas espertas que inventam "reininhos" e que às custas de" tolinhos "vivam e alimentem o seu ego doentinho ...pourquoi pas ? Até nos rimos e passamos momentos hilariantes . Agora que as pessoas väo em cantigas e acreditem no Pai Natal na idade adulta e confundam tudo e ....é simplesmente TRISTE !!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não é triste a situação da Grécia? Um país a precisar urgentemente de reformas e foram cinco meses ruinosos.

      Eliminar
    2. Claro que sim . Entäo näo foi o que eu disse !? Os Gregos estäo à espera do Pai Natal ou sei lá de quem ...

      Eliminar
  3. Tsipras, picante, Tsipras. As "tripas vêm a seguir".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!
      (as tripas estão quase de fora, quer-me parecer)

      Eliminar
  4. Pipocante Irrelevante Delirante28 de junho de 2015 às 13:23

    Arrogância há dos dois lados. O nosso Coelho também fala grosso, mas apenas porque sabe estar do lado certo. Como o puto magricela do liceu que manda umas larachas porque sabe que o latagao do liceu o protege.
    A Europa, como a blogosfera, fede. E vive de aparências. E o matchy matchy e os pequenos almoços idílicos são uma farsa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Europa é feita por pessoas. Algumas pessoas fedem, não há grande volta a dar à coisa.
      Acho que é muito diferente ser-se arrogante e estar com a razão, de ser-se arrogante e não se passar de um balão cheio de ar. Mais tarde ou mais cedo o ar sai sempre.

      Eliminar
    2. Adorei imaginar a Merkel o "latagao do liceu" nesta noite de insonia lol

      Eliminar
  5. Isto é complicado para a Europa, complicado de formas que, infelizmente, não aparecem por cá nas notícias (aparecem por outros lados). A Grécia é a fronteira entre a Europa e o mundo islâmico. A Grécia tem tido, por isso, que aguentar com custos de defesa, em percentagem do PIB, que são muito superiores aos de qualquer outro país no continente. Isto, para estar minimamente ao nível da Turquia, seu inimigo tradicional -- e impiedoso e bem armado.
    Nas negociações a decorrer, a questão da diminuição com os custos de defesa, esteve em cima da mesa, mas o FMI recusou liminarmente essa opção. Talvez o facto da sede do FMI ser no número 1600 da Pennsylvania Avenue, e a Casa Branca no número 1900 da mesma avenida, em Washington, tenha algo que ver -- mas não tenho forma de confirmar.
    Mas se a Grécia cair, temos mesmo que nos preocupar -- e não apenas do ponto de vista económico.
    Um bom resto de domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um grande abraço! Aleluia! Alguém q veja o problema desta forma.
      Mas nunca se aperceberam do enorme tampão q a Grécia é?
      Têm visto o nr de refugiados que têm entrado na Europa nos últimos tempos? Entao tirem a Grécia da equação e depois digam qq coisinha.
      E falando nisso dos custo, outra coisa q apreciei mto foi ninguém nesta Europa, tão caridosa q estende a mão, em ajuda, se ter oferecido p ajudar a Itália q está mais do q hands full com esta coisa dos refugiados. Ah sim, recebemos uns qts. E ajudar os tipos lá no mar, não? Pois, somos todos tão solidários... (E desinteressados, uns altruístas diria mm)

      Eliminar
    2. Nenhum país é solidário e desinteressado, não acho que seja isso que está em causa, cada um cuida, ou tenta cuidar primeiro dos seus interesses, na prática ninguém quer assumir o ónus dos refugiados, os países fronteiriços que se desunhem. Esta é a triste realidade.

      Xilre, acho que é público que a Grécia funciona como tampão da Europa , aliás foi das primeiras ameaças que fizeram. E não ponho em causa que o regime Europeu tem de mudar radicalmente, se quiser continuar a ser um Estado único. Mas também é verdade que a Grécia tem de se reestruturar, combater a corrupção, ao que sei, ao nível de qualquer país de terceiro mundo, tornar-se enfim minimamente sustentável. O Tsipras fez promessas que não tinha quaisquer condições de cumprir e alimentou expectativas irreais. Vai ter de fazer cortes, mais tarde ou mais cedo, e vai perder a face.
      (ninguém deseja a saída da Grécia da moeda única, acho eu, caso contrário as negociações teriam terminado há que tempos)
      Obrigada pelo link, não sabia.

      Eliminar
    3. País lindo -- e complexo. Nem imagino o que seja gerir algo que tem 227 ilhas habitadas -- de um total de umas seis mil. Nós, com a Madeira, e os Açores já temos uma amostra (entre custos de insularidade, taxas de impostos diferentes, movimentos independentistas, descontrolo orçamental, governantes folclóricos, nepotismo, ...) Eles, com o factor multiplicativo, têm uma salada grega, portanto.

      Uma boa semana.

      Eliminar
    4. Ora... se fosse fácil fazia eu...
      (o que realmente aborrece é a arrogância dos tipos. Isto é uma negociação, eles estão a pedir, pela postura ninguém diria. Acho que tinham a obrigação de evitar esta ruptura)

      Boa semana, Xilre!

      Eliminar
    5. Felizmente alguém fala na Itália. Também ainda não compreendi como é que não se encara o problema da Itália como um problema colectivo. É que o assalto que diariamente se faz à fronteira Italiana é no fundo a todos nós, europeus. A Itália está a sofrer dada a sua localização geográfica mas se os povos que ali assolam entrarem, decerto mais países sofrerão com isso. Posso compreender as pessoas que querem escapar de África, mas também sei que muitos vêm iludidos pelas promessas dos traficantes. Deveria haver um esforço colectivo para os ajudar no seu país, de nada adianta recebê-los num local com o qual não se identificam e onde acabará por surgir diferendos de ordem económica e cultural.

      Eliminar
    6. Não nos vamos esquecer que a maior parte desta gente foge da guerra, extermínio e violações várias de direitos humanos. Não sei muito bem como será possível ir ajudá-los nos países de origem. Mas é bem verdade que a maior parte chegarão à Europa para enfrentar miséria e que isto poderá muito bem provocar um grande choque cultural.

      Eliminar
    7. Por pontos. Nunca seria sustentável absorvermos aquele nr de pessoas (eu, q sou uma sonhadora acho q temos Todos, mundo civilizado, é de fazer qq coisa na raíz do problema, mas utopias à parte...)
      Conforme indiquei acima, todos os estados membros concordaram em aceitar refugiados, diria q aí um rácio de uns 2000 por país, porém, há todo um trabalho brutal q os italianos estão a ter.
      Sim pq afectar recursos p irem resgatar a malta ao mar, tem custos, e eles n podem ainda assim descurar a "patrulha" normal q é necessária efectuar por outras razoes, como por exemplo o tráfico de drogas. Resultado, os italianos n têm mãos a medir.
      O que achei mto mau, assim mm uma vergonha alheia, foi nessas reuniões a restante Europa n ter disponibilizado pessoas (marinha, quem seja) p os ir ajudar.
      Solidariedade my ass, pardon my french.

      Eliminar
    8. Pois é, os países são muito solidários mas é enquanto ficarem bem na fotografia. Ninguém se quer chegar à frente e depois ficar com a fama de patrulhamento e combate à entrada de refugiados. É mais fácil dizer que se recebem uns quantos e lavar daí as mãos, do que ajudar um país vizinho, neste caso a Itália. Mas alguém acredita no seu intimo que os refugiados chegam, integram-se, trabalham 8 horas diárias e vivem a sua vida tal como se faz por cá? Óbvio que as suas praticas culturais colidem com a restante sociedade europeia. Rapidamente se reproduzem e vivem da assistencia social. Isto na melhor das hipóteses, porque imaginemos os que não conseguirem o mínimo para sobreviverem: rapidamente deitarão mão ao que é dos outros pois aos seus olhos nós temos uma vida abundante. Isto são as divergências sociais, própria de vivências e culturas diferentes, daí eu acreditar que devam ser ajudados no seu próprio terreno. Por eles e por nós.

      Eliminar
    9. Seria o ideal, serem ajudados no seu próprio terreno, mas infelizmente temo que seja tarefa quase impossível.
      E sim, é uma vergonha a Europa não encarar o problema dos refugiados como um problema Europeu, que é. Obviamente que não deveriam ser os países fronteiriços a arcar com o ónus sozinhos.

      Eliminar
  6. Não a tinha por tão desinformada! Pesquise sobre o assunto antes de opinar como opina.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. POIS..................

      Eliminar
    2. Quer desenvolver? Quais foram exactamente as asneiras que eu disse?
      (ou isto é só mais um comentário tipo "não tens razão e és parva"?)

      Eliminar
    3. Bem, n creio q se trate tanto de desinformação mas mais de opiniões. Cada qual tem dto à sua.
      Se achamos q uma está errada, entao expomos razoes p q a outra pessoa veja as coisas de outra forma...

      Eliminar
    4. Dado que o que interessa é dizer que eu estou errada, e que provavelmente isso seria dito independentemente do que eu escrevesse, é irrelevante.

      (atenção que eu não acho que a Europa esteja coberta de razão, acho é que não se pode partir para uma negociação, onde se vai pedir coisas, com este tipo de atitude. Devia ter havido a obrigação e sentido de responsabilidade, de parte a parte, de evitar esta ruptura. Se a Grécia cair a Europa toda vai perder, provavelmente será o princípio do fim, não tenhamos a menor dúvida)

      Eliminar
  7. Mantenha-se na etiqueta rosinhas, tem piada, desanuvia. Este post é péssimo, não vá por aí.......

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que veio aqui dizer isto. Nem sei o que seria de mim sem os seus conselhos. Vou fazer isso. Muito obrigada. A sério.

      Eliminar
  8. Ainda bem que terminou com aquela frase. Eu estava a ler e pensar: igualzinho ao blogue da Picante.

    ResponderEliminar
  9. Obrigada por nos ter explicado que a Grécia não faz parte da Europa. Na verdade, percebemos pelo seu post que há a Grécia e há a Europa e assim ficamos a saber que a Grécia não se inclui na Europa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As pessoas lêem exactamente aquilo que são capazes de ler. Nada a fazer.

      Eliminar
    2. As pessoas contra-argumentam exatamente na medida das capacidades com que são capazes de argumentar. Nada a fazer.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.