sexta-feira, 10 de abril de 2015

Se é para falar de galos...

Então eu levo a coisa mesmo a sério. E vesti-me para a ocasião, também, que eu cá não faço a coisa por menos. Fui ler umas coisas ao google e já sei tudo o que há a saber sobre galos.
Galos? Venham eles! Estou preparadíssima.

(Só não sei se faça uma canjinha, se um arroz de cabidela... Que me dizem?)

25 comentários:

  1. Querida Mais Picante,
    Que ementa tão reduzida, para uma pessoa tão condimentada...
    Fiquei a matutar na sua indumentária e naquela coisa dos borbotos.
    Galo, só o desportivo.
    Beijos,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pouco apreciadora de frango (galo?) me confesso.
      Talvez um fricassé? Uns peitos recheados?...

      (que é isso dos borbotos?)

      Eliminar
    2. Mais c'est Le Coq ...dis donc.

      Eliminar
  2. Eu gostava é de saber porque é que ninguém diz nada do novo header, isso é que é...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma questão de delicadeza. Ninguém lhe quis dizer que se esqueceu de o depenar... e olhe que a carne de galo é rija que nem cornos. Claro que se a intenção é cozer os ovos...

      Eliminar
    2. O karma é tramado.
      (Riso à Mutley)

      Eliminar
    3. Então... Onde é que já se viu um galo sem crista? E sem penacho garboso? Nem as coisas seriam como têm de ser.. Ia lá agora pôr aqui uma ave depenada...
      (talvez dê bons ovos, talvez, já que nem para comer serve...)

      Eliminar
    4. Pipinha, babe, sabes de alguém que queira um header novo e não tenha?
      (just asking...)

      Eliminar
    5. Ai Picante, que me desconcerta. Venham de lá esses ovos de galo, que hão-de ser uma iguaria de trás da orelha.

      Eliminar
    6. Não, minha Deusa. Mas sei de alguém que precisava de ir ver de um par de óculos.
      (just saying)

      Eliminar
    7. Explica-te Pipinha. Olha que eu raramente digo isto mas... estou a leste. Não te entendo. Nada de nada.

      Eliminar
  3. Uma canjinha, diz que cura todas as maleitas. As do corpo e as da alma.

    ResponderEliminar
  4. Finalmente o blogo-bairro assume-se como aquilo que sempre foi: um galinheiro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah

      Eliminar
  5. Pipocante Irrelevante Delirante10 de abril de 2015 às 11:14

    LeCoq (sportif)

    Isso é pub ao Gil Vicente (o clube, não o dramaturgo)?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As coisas que vocês sabem...

      (Ia escrever "as coisas que vocês, galos, sabem" mas achei melhor não)
      (olha... parece que escrevi)

      Eliminar
  6. Se fizer a canja não se esqueça da hortelã, sim?
    É que se não se esquecer, escusa de colocar tanto sal... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai Ella, isso é que não, hortelã só no chá ou nas pastilhas elásticas.

      Eliminar
  7. Picante, a torturar galos desde...desde o tempo que for. Pôr um galo vivo dentro de um caldeirão ao lume, é o equivalente a um, vou esfolar-te vivo, bolas!. É terem cuidado e não virem para o pé de si a cantar de galo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba, Claudia. Mas então queria que depenasse o animal? Isso é tortura.
      (sou uma paz de alma, essa é que é essa...)

      Eliminar
  8. As chamas do caldeirão são luzes de piscar compradas num chines , não há tortura. Foi só entrar num chinês por uma boa causa. E o efeito é muito realista .

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.