quinta-feira, 9 de abril de 2015

Das colunas à direita

Por vezes lembro-me da Isabelinha, a Isabelinha tinha uma bola encarnada, nós gostávamos de jogar ao mata com a bola da Isabelinha, e com a própria da Isabelinha também, a bola encarnada da Isabelinha tinha o peso certo, nem demasiado leve, nem demasiado pesada, era perfeita para jogar ao mata. A Isabelinha era boa a jogar ao mata, o único problema era que às vezes eu matava-a, outras vezes era a Teresinha que a matava, umas bolas perfeitas, atiradas directamente abaixo dos joelhos, a fuga era quase impossível, mas dizia eu que o único problema era, por vezes, a Isabelinha morrer. Nessas alturas ficava meio aborrecida, agarrava na sua bola encarnada e ia brincar sozinha, jogava aos sete, contra a parede, muito aborrecida por estar a brincar sozinha. Depois passava-lhe e voltava, bola encarnada debaixo do braço, perfeita para jogar ao mata.
Assim são as colunas da direita, disto daqui dos blogs.

20 comentários:

  1. Ah.... A Isabelinha, a Isabelinha. Tem nome de rainha. E de santa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta Isabelinha não fazia milagres, não havia cá rosas para ninguém.

      Eliminar
  2. Hum... Bem me parecia que era uma infantilidade inadjectivável.

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. Verdade, eu atirava-lhe uns tiros... Pobre Isabelinha, uma vez cheguei a magoá-la. Mas jogava bem, ela.

      Eliminar
  4. Ai se a Isabelinha não aprende a desviar-se das bolas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela tinha mestria, nisso de se desviar das bolas, às vezes era preciso ter cautela, ela apanhava-a e arremessava-a de volta. Pena que uma vez foi parar ao silvado. A bola, claro.

      Eliminar
  5. Hoje estamos numa de parábolas o coisas do género acho!

    ResponderEliminar
  6. Parece que a Isabelinha quer jogar ao mata outra vez.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós nunca ligávamos importância à Isabelinha quando ela amuava. Depressa se aborrecia de brincar sozinha, em grupo é mais divertido.

      Eliminar
  7. Não apanhei o que está por trás. Não me diga que é somente uma história

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que o que está por trás já foi apanhado, pelo agricultor.

      Eliminar
    2. Então... mas isso não era o galo?

      Eliminar
    3. Kina, estás imparável.

      Eliminar
  8. Picante: Com tanta parábola, qualquer dia temos aí o Evangelho segundo Picante. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E os outros Evangelhos ? há mais candidatos a "segundos" .

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.