quinta-feira, 16 de abril de 2015

Da nobreza

É tão conveniente fazer parecer que se é Nobre, quando afinal não se passa de um simples plebeu...
Ah! A magia do teatro!...

34 comentários:

  1. Na falta de melhores palavras, ahahahahahahah!
    Ao nobre não basta parecer, tem de ser. É o que se aplica neste caso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Júlia? Mau! Mas aqui nós, as más, não somos D. Joaquinas?

      Eliminar
    2. A Anónima é má? Muito letrada não há-de ser...

      A Júlia não basta sê-lo, tem que parecê-lo
      César dixit

      Eliminar
  2. A sério, Picante? Que criativa, uau....(bocejo)
    Mais vale ignorar e assobiar para o lado, se isto é tudo o que lhe apraz escrever. Deixe-se de pseudo-contra-ataques, que só lhe ficam mal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba. Realmente as pessoas leem exactamente aquilo que querem ler, não é verdade?

      Eliminar
  3. Bem, analisando as coisas por esse prisma, antes fazer-se de algo que não se é no teatro do que na vida real. Isto serve para aquelas pessoas que se dizem ser quem não são, que se dizem amigas mas não são, que se negam a enxergar o óbvio, etc., etc., etc.

    ResponderEliminar
  4. Tão crida a ameaçar e fazer o mesmo que tem andado a criticar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse comentário é perfeitamente descabido.
      E é querida, que se diz. De nada.

      Eliminar
  5. Ó Pipoca, não tem roupa em casa para passar? é que se não tem pode vir a minha casa passar a minha para ocupar o tempo, ainda lhe ofereço um cházinho e umas bolachas, assim para a adoçar um bocadinho que a menina anda um bocado para o amarga e isso faz-lhe mal.
    Vá, deixe-se disso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha dona Joaquina é que dá conta dessas coisas, pensei que soubesse.

      Eliminar
    2. Ah, daí o tempo em excesso e muito mal empregue.
      Olhe, leia o Ulisses, já deve ocupá-la uns bons meses, quicá anos.

      Eliminar
    3. Ai a Quicá! Não me fale na Quicá, caro Anónimo! Aquela que, além de demorar horrores a ler o Ulisses, arrepanhava os petits fours com os dedos todos.

      Eliminar
    4. Sinceramente,como é que a Picante ainda tem cabeça para funcionar no dia a dia?o tempo que passa a congeminar ataques e a conspirar,a meu ver,contra si própria(porque 95% das vezes que escreve fica a falar sozinha,porque se perde o fio à meada...) podia gastá-lo a escrever QUALQUER coisa criativa....São os galos,são os ataques de ciúmes contra as que souberam ser mais expeditas,são os bitaites sobre tudo e sobre nada,e quer-me parecer,pela forma como escreve,que de parva não tem rigorosamente nada,e até mostra um certo humor que podia ser tão melhor explorado.Sem Epic Sana,sem publicidade,sem sabrinas nem corridas mas de certeza que há dentro da Picante muito mais pra dizer que estas não-conversas que deixam toda a gente à toa.Deixa viver as outras como querem,assim a Picante faz-se velha num ápice.

      Eliminar
  6. Se tiver convites avise o teatro ainda tem alguma tradição!

    ResponderEliminar
  7. Picante assim sem mais umas pistas uma pessoa não chega lá!

    ResponderEliminar
  8. Deu me uma ideia genial. Criar um blog com esse nome. muito obrigada pipoca.

    ResponderEliminar
  9. Querida Mais Picante,
    Só perante quem considera que o "nobre" é conveniente e o "plebeu" não passa de simples. O teatro inverso é uma comédia, justificada sob o título de "adaptação ao meio".
    Boa tarde,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em não sendo apenas simples de espírito não se passa nada. Já o nobre é conveniente, exactamente pelas mesmas razões.

      Eliminar
  10. Se caladinhos sob uma armadura bem polida ninguém os distingue... (Só nós, claro.)

    ResponderEliminar
  11. A outra foi a correr apagar os posts comprometedores antes que os mostrassem à família ou no trabalho. Devia pensar que atirar um nome ao ar apagava da memória do público os posts reles que escreveu ao longo dos anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebo tanta preocupação, assim repentina. Até porque basta vir aqui e ver até onde a coisa foi.

      Eliminar
    2. As amigas devem estar tão orgulhosas por terem uma amiga assim. As amigas, a notária que ela arrebanhou para a associação, o chefe, a família. Até a Alice Vieira, vai ficar tão contente quando na tertúlia lhe perguntarem o que pensa ela de gente que faz o que a PN fez, e dos posts elogiosos para os sogros que a PN escreveu?

      Eliminar
    3. Anónimo, as amigas são cegas. Mas digo-lhe que, por muito que despreze alguém, não concordo com isso. É trazer para a vida real coisas de blogs. Além de que eu faria queixa por assédio.

      Eliminar
  12. O teatro tem as costas largas, tal como cada pessoa tem um preco.

    ResponderEliminar
  13. isto á gente que de nobre só mesmo o fiambre. isto dos blogs anda tão mau que até já vestem a mesma coisixa ora veja lá. o verniz istalou la para os lados do valentino ma dear.

    ResponderEliminar
  14. A vida e o teatro não são tão inseparáveis quanto parecem. Estão intimamente interligados.

    ResponderEliminar
  15. Oh, a nobreza de carácter vem ao de cima na hora mais complicada e mais inesperada. Aí é que se vê a nobreza das pessoas. O que dizem, o que não dizem e o que fazem e o que não fazem. Educar filhos nobres... Às vezes pergunto-me para quê?! Sofremos mais.
    Beijinhos e bom-fim-de-semana
    M.M.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.