sexta-feira, 20 de março de 2015

Ontem foi o dia

Em que fiquei realmente irritada por ter lido um post. Tudo bem que isto são só blogs. Tudo certo que há por aí muita gente ignorante. É muito verdade que isto tem de se alimentar o blog, mais posts significam mais visitas. Agora uma coisa é escrever uma espécie de folhetim não aconselhado a QI's maiores de quarenta, outra, completamente diferente, é debitar uma série de anormalidades sobre anorexia, baseadas no "eu não acho", a "mim não me parece". Caramba, aquilo dos pais se virarem para as filhas e dizerem que depois ninguém lhes pegava deu-me vontade de lhe cortar os dedinhos. Ou a internet, vá...

47 comentários:

  1. Quando a coisa assenta em "eu não acho" e "a mim não me parece" a coisa não é grave. É uma opinião, e opiniões há-as para todos os gostos, de umas gostamos mais, de outras não gostamos nada. Grave será quando as coisas são postas como verdades absolutas, cientificamente comprovadíssimas e inquestionáveis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mirone, as tabelas de índice de massa corporal da OMS existem por alguma razão.Eu já estive realmente magra, ao ponto de comer chocolates para não perder mais peso, com um IMC de 20,3. Olhar para alguém com um IMC de 16.7 (tonificada, ainda por cima) e dizer "ai a mim não me parece um caso de subnutrição é grave". Dizer que a culpa é dos pais que incentivam o emagrecimento é simplesmente cretino.
      A anorexia, quando é detectada, já vai em estado avançado. E o que acontece, visível aos olhos, não são as barrigas proeminentes das criancinhas de África, são corpos como aqueles. Invisível aos olhos, dá-se a falência dos órgãos, está bom de ver, e por vezes a morte.
      O tipo é lido por patarecas. Basta que uma patareca ache aquilo normal para a coisa ser grave. Se a mulher dele tem 1.80m e pesa 54kg, como ele afirma, tem um IMC de 16.7. De saudável não tem nada. Ou então é um grande aldrabão, também pode ser.

      Eliminar
    2. Picante... Este seu comentário está todo muito certo, mas da próxima guarde o facto de ter comido chocolate para engordar para o fim, é que depois uma pessoa já não "foca" o que é importante e começam a surgir sentimentos como a inveja... mas "da boa"(????)

      Não sei a que propósito surgiu aquele post, não fosse ter lido este seu comentário e não saberia de quem falava. A mim parece-me que ele tenta legitimar o peso da namorada, não sei. Das poucas vezes que vou lá, nunca percebo nada, nem consigo perceber como é que alguém consegue ser tão entediante.
      Isto hoje é só dúvidas.

      Mirone, eu acho grave, visto o público que ele tem. As vezes estes "eu acho", "não me parece errado" é a legitimação que alguém mais fraco de cabeça necessita. Já se sabe que alguém que sofre de anorexia não está propriamente bem a nivel mental.

      p.s - acho que alguém deveria escrever um post sobre esta bonita expressão "Inveja... mas da boa".

      Eliminar
    3. "O tipo é lido por patarecas" HAHAHA
      Não sei porquê mas isto fez-me rir alarvemente. Acho até que era uma excelente categoria para blogs. Blogs de patarecas. Ai, perdão, blogues, que ainda me vêm bater por não utilisar a terminologia correcta desta coisa tão séria que são os blogs. E, sempre que aparecesse um novo, fruto daqueles cursos de bosta ainda a fumegar, orientado mesmo para o clickbait (como aqueles títulos do género "a mulher merece ser violada", e depois o texto a mostrar porque é que não merece e que o mundo devia ser mais cor-de-rosa porque devemos ser bonzinhos), a frase por baixo do título podia ser "Um blogue feito por patarecas para patarecas".

      Eliminar
    4. E de repente, percebo que escrevi utilizar com "s". Também sou um patareco, portanto.

      Eliminar
    5. Picante, evidentemente dou todo o valor às tabelas da OMS, lá esstá. Porque a OMS é uma entidade creditada e e está suportada por estudos médicos/cientificos. Se a questão é de saúdo procuro fontes creditadas, não vou atrás de "achamentos" (ou findings, como diz o outro senhor que agora não são chamados para aqui) de quem não tem créditos para tal, porque opiniões, mesmo disparatadas, todos as podemos ter. Isto será, grosso modo, como as pessoas que consultam a cartomante porque andam com dores nas articulações. Eu não vou, prefiro consultar um médico.

      Eliminar
    6. Foi uma fase da minha vida em que andava muito magra, I. Felizmente já passou, agora tenho de me controlar para não comer chocolates, nada a invejar.

      Eliminar
    7. Pedrinho, de patareco é que o menino não tem nada.
      (caramba nem pensei na associação, mas sim, blogs de patarecas é o que mais por aí há)
      (e agora vou calar-me antes que isto descambe...)

      Eliminar
    8. Pois Mirone, mas a Mirone não é uma patareca. Nem uma adolescente tonta.

      Eliminar
  2. Pipocante Irrelevante Delirante20 de março de 2015 às 09:50

    Sempre pode lá ir comentar.
    Eu não posso, não li...
    (nem vou ler, tudo o que for acima de 6 linha é demasiado)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acha? Eu aprendo com os erros. A última vez que tentei aquilo parecia uma conversa de surdos.

      Eliminar
  3. Responsabilidade moral pela imbecilidade?
    Alguns são só blogues, outros são mesmo estúpidos.
    Bom dia,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
  4. Penso exatamente o mm, há assuntos que não devem ser tratados com um "eu acho que..."

    ResponderEliminar
  5. Alguém de diz de quem estão a falar? A picante tem esta mania de falar mal e não dizer de quem. Não gosto nada.

    ResponderEliminar
  6. A questao q se impõem é, com q tipo de gente é q ele se dá. N conheço pais q digam aquilo, mto menos naqueles moldes.
    Uma coisa é um pai controlar um filho/a q esteja a ficar acima do peso (sim, a obesidade tb é um grande problema no nosso país, entre as camadas mais juvenis) outra é dizer aquilo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipocante Irrelevante Delirante20 de março de 2015 às 21:20

      Oh filha, é bom que aprendas a cozinhar e passar ou nenhum homem te pega. Ficas condenada a uma vida como a da Leite e Castro.

      Eliminar
  7. Pipocante Irrelevante Delirante20 de março de 2015 às 12:47

    Podiam era colocar um resumo do texto...

    A questão nem é se a modelo A ou B têm um índice de massa corporal acima ou abaixo do considerado normal, mas sim a mensagem que passam. Aquele é o ideal de beleza que passam, a magreza extrema, o corte de qualquer gordura, a busca por uma perfeição que pura e simplesmente não existe. Porque aquelas modelos, não as das fotos especificamente, não são desejáveis enquanto corpo por muitos homens.
    Mas isso enquadra-se numa mensagem que é transmitida, de que comer, mais que um prazer e uma necessidade fisiológica, é uma luta constante. E que o exercício físico tem como objectivo alcançar o corpo ideal, ao invés de dar prazer. Tudo na vida se resume a alcançar uma imagem tida como perfeita; a alimentação, o lifestyle (??), o exercício, as roupas, os adereços. Ao mesmo tempo que se defender que a mulher (ou homem) deve ser escrutinada pelo que diz e faz, e não pelo aspecto exterior.
    Agora vou-me. A balança da Wii disse-me que ainda estou dentro do IMC normal, a mulher parece não se importar muito com a pança, pelo que vou ali comer um bifinho de atum grelhado, com batatas assadas e uma couve.

    PS: eu prefiro modelos como a Kate Upton. Nem as de Ermesinde são assim tão boas!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mau exemplo PID, muito mau exemplo, é que a Kate Upton a única coisa que tem com volume são as mamas, o resto não tem nem um bocadinho de gordura a mais, portanto essa sua conversa toda...pois... neste caso é pelo exemplo escolhido que morreu o peixe...

      Eliminar
    2. Pipocante Irrelevante Delirante20 de março de 2015 às 15:04

      http://static2.businessinsider.com/image/4ffec9edeab8eaa216000001-480/kate-upton.png

      Não?

      Eliminar
    3. Olha!... tem razão PID, então das duas uma, ou a rapariga engordou ultimamente, ou as últimas fotos que vi dela, numa revista, não eram fotos reais, eram só photoshop.

      Eliminar
    4. Mamas? Aquilo são os melões, credo. Um conjunto tão bonito e vai fazer aquilo ao peito...

      Eliminar
    5. Pipocante Irrelevante Delirante21 de março de 2015 às 10:12

      Picante, realizei apurada pesquisa sobre o tema (podia candidatar-me a uma bolsa) e ha unanimidade quanto à ausência de procedimentos cirurgicos

      Eliminar
    6. Sério? É verdadeiro? Pareceram-me demasiado levantadas, dado o volume. Bom, acho feio na mesma.
      (Gira como é alguma coisa feia teria de ter)
      (E suponho que não concorde, escusa de dizer...)

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Deixe estar que, neste caso, só tem é a ganhar.

      Eliminar
  9. Desculpem mas o post do "homem sem blog" está muito bem escrito....Eu sou magra, verdadeira magra como dizem os médicos, tenho um indice de masso corporal abaixo do esperado, como tudo o que quero e me apetece e bem mais que muitas gordas...e não engordo e tenho um corpo como as modelos das fotos (com menos uns cm de altura ) e não sou anorética nem de longe nem de perto!!!!!
    O que é preciso distinguir é magreza constitucional de anorexia, já que anorexia é uma doença com disturbios alimentares e psicológicos, e sim os pais das meninas e meninos deviam ter atenção aos sinais.....
    Nenhuma pessoa magra é anorética, as gordas é que podem vir a ser....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não li o post do "homem sem blog", mas concordo inteiramente com o que a Ana neste ponto. Eu também sou de constituição magra, é mais aquilo que as pessoas costumam chamar de "miudinha", mais isso do que propriamente magra, sempre como e sempre comi o que me apeteceu e as minhas amigas, que na sua maioria são o dobro de mim, passam a vida em dietas, algumas que só lhes dão cabo da saúde e fazem com que fiquem com um ar macilento.
      A frase "O que é preciso distinguir é magreza constitucional de anorexia" é que é o importante, tal e qual Ana e sim, quem não é de constituição magra e quer vir a ter um corpo igual às pessoas magras por constituição é que pode vir a ter graves problemas que podem resultar em anorexia por não assumir a sua constituição, o seu corpo tal como ele é.
      Por outro lado se as pessoas que não são magras de constituição, passam a vida a ver em tudo quanto é revista, que é o que acontece, determinado tipo de corpo, apresentado como modelo de perfeição é natural que se sintam insatisfeitas e aí acho que o sector da moda podia ter um papel muito importante e pôr a desfilar, a fotografar, todo o tipo de corpos, com todas as características que existem, baixos, altos, mais gordos, menos gordos e assim toda a gente podia identificar-se e não sentir discriminação que depois pode conduzir aos tais disturbios, porque todos sabemos que a beleza encontra-se em qualquer tipo de corpo e está muito para além de medidas standard. Eu tenho sorte, sei que sim, agora sei lá eu o que me daria para fazer se fosse gorda e passasse a vida a ver corpos esbeltos em revistas.

      Eliminar
    2. "nenhuma pessoa magra é anoretica, as gordas é que podem vir a ser"... Já se viu que é pessoa entendida na matéria. Se calhar ia informar-me sobre o assunto antes de vir escrever barbaridades...

      Eliminar
    3. Deixe-me dizer-lhe, Picante, que tem aqui umas pérolas de comentadores!

      Eliminar
    4. A questão é a imagem de beleza que é transmitida é ser excessivamente magra. Isso não é o corpo de todas, nem devia ser transmitido como a imagem ideal, os estilistas não deviam poder contratar modelos com IMC abaixo do normal, ou então serem obrigados a contratar tantas com o IMC abaixo como acima. Há por aí muitos com um IMC ligeiramente acima do normal que são extremamente saudáveis, que comem bem, que fazem exercício e cujo corpo simplesmente não dá para serem mais magros (excepto se deixarem de comer e se tornarem anorécticos.

      E falo com experiência própria, eu já fui adolescente e já quis o dito corpo invejável (e já o tive) à conta de não comer basicamente nada, ter deixado de ter a menstruação (o meu corpo simplesmente entrou em colapso), de esconder que não comia e por aí fora. Ou seja, eu estava em termos de kgs com o dito IMC normal (20), no entanto, o meu corpo, as minhas análises e por aí fora, mostravam-me como anorectica. Escusado será dizer que na altura eu era muito bem vista e que todos me elogiavam...
      Actualmente estou a 3 kgs de estar dentro do meu IMC normal, não consigo emagrecer (nem com ajuda do nutricionista, que aliás já me disse que isto é do meu corpo e que é assim que sou saudável), no entanto, eu tenho peso a mais. Mas como bem, saudavelmente, faço exercicio, etc. Se estou "boa" não. Porquê? Porque ser boa é ter peso a menos, é estarmos no limiar da anorexia ou abaixo do mesmo.
      No entanto, a anónima diz que come muito e até come mais que muitos gordos mas será que é saudável? Come só porcarias? Porque não é só no peso que isso se mostra, as pessoas só estão preocupadas com o peso (como eu estava na adolescência) mas ser saudável é muito mais que o número numa balança.

      Se formos a algumas páginas na internet, onde mostrem mulheres tipo a foto que o PID mostrou é dito que elas estão gordas, pior que estão OBESAS. Pelo amor de Deus! Há miúdas de 13 anos a serem internadas porque não comem para emagrecer... estamos todos a ter uma lavagem cerebral para achar que estar abaixo do peso recomendado é o mais saudável e não é. Aliás é tão prejudicial como estar acima, daí que o risco de morte é tão problemático num, como no outro.
      Claro que existem pessoas como a anónima e como eu mas nós somos a excepção, a maioria sendo saudável está dentro dos parâmetros recomendados para o IMC e é essa imagem que deve ser transmitida como sendo saudável e não a de modelos anorécticas.

      Eliminar
    5. Essa coisa do comerem o que querem agora lembrou-me outro problema, a bulimia. Mas adiante
      Desculpem, mas acho q é certo e sabido q as modelos sofrem pressões enormes e passam fome, lamento.
      Se há casos de mulheres bastante magras q n passam fome? Há, claro q há, n acredito é q correspondam a mais de 1% das mulheres no mundo da moda.

      Eliminar
    6. Pipocante Irrelevante Delirante20 de março de 2015 às 23:09

      Esta conversa está muito boa e tal, mas tenho aqui uma dúvida que me assiste, a mim, gajo sem blog e sem etiqueta,,, que é isso do corpo invejável? O da Patrocinio? Da Kardashian? A Jessy J, ou essa é gorda? A Doce? Tonificada? Musculada? Expliquem-me lá, para que possa começar a invejar.

      Eliminar
    7. Me, My Shit and I (havia de ter escolhido um nome mais pequeno, ufa!). Tem com certeza conhecimento de miúdas muito altas e magras, que na escola eram e são agraciadas com lindos nomes, como por exemplo, Olívia Palito e o sonho dessas miúdas era engordar uns quilos para que lhes deixassem de chamar nomes, mas não conseguiam porque a sua constituição física era aquela, eu conheci e conheço miúdas assim, estas miúdas estão no paraíso no mundo da moda, onde passam de patinho feio a cisne e não têm de fazer esforço nenhum para não engordar, têm naturalmente o corpo que o mundo da moda pede e ainda bem para elas, porque isso faz maravilhas pela sua auto estima. Este é só um outro prisma de ver a mesma questão, é por isso que embirro profundamente com a palavra normalidade seja para o que for e em padrões corporais também, definir normalidades vai sempre excluir pessoas, para que uns se sintam "normais", vão sempre existir outros que vão sentir-se "anormais", sempre que se hasteiam bandeiras a favor de uns, estão as mesmas bandeiras em baixo para outros. Me, isso da normalidade é uma grande Shit.

      E já agora PID, corpo invejável deve ser aquele que alguém que não gosta do próprio corpo gostava de ter e no seu caso, a não ser que pretenda mudar de sexo, devia escolher outros exemplos de corpos para passar a invejar, quando muito, esses corpos que indicou poderão ser alvo da sua cobiça e não da sua inveja, digo eu...

      Eliminar
    8. Pipocante Irrelevante Delirante21 de março de 2015 às 10:15

      Pedi para me indicarem quais os invejáveis para que possa cobiçar os correctos. Ja me basta a figura de parvo que faço a babar-me pela mula velha

      Eliminar
    9. Tive o corpo que sempre quis e que é visto como o de topo (pela grande maioria das pessoas): tinha seios grandes, continuava com curvas mas não tinha gordura nenhuma, nem sequer um bocadinho na barriga. Era das que ficava muito bem em biquini e era elogiada por todos...naquela altura todas as pessoas que me circundavam, todas davam demasiada importância à magreza, incluindo familiares (esses ainda hoje dão), todos me elogiavam a capacidade para emagrecer, a capacidade de lutar por ser "saudável" e a magreza. Na realidade, o que eles elogiavam era precisamente o ser magra. E eu nunca tive o corpo de uma anorectica, nunca tive ossos salientes, nunca tive as costelas evidenciadas (coisa que agora é muito "in"). Mesmo agora, olhando para as minhas fotos de biquini de então, tinha efectivamente o corpo que desejaria ter mesmo agora, simplesmente estava a matar-me e isso é algo que para mim não vale a pena a magreza, a "perfeição". As minhas fotos mostram uma menina bonita mas não mostram os meus órgãos a falhar.

      Mas a minha estupidez era tal que me recusava a tomar medicação que contivesse sacarose/frutose ou qualquer tipo de açúcar e lembro-me de ter dito à minha mãe que preferia morrer a ser gorda (e ela também se lembra e bem). Lá está, eu tinha até o factor IMC do meu lado: eu é que estava certa porque não estava abaixo do que supostamente fazia mal. Eu limitava a minha alimentação a chá e bolachas de água e sal (comia 5 por dia no máximo, contava-as ao milimetro ) e só almoçava o "normal" na escola para ninguém desconfiar mas, mesmo assim, nunca comia tudo (não comia a sopa, só comia carne/peixe, era capaz de meter 1 garfo à boca com os HC´s e de resto comia a salada). Andei nisto 2/3 anos, os meus pais passaram as "passas do Algarve" comigo e foi preciso levar um choque da realidade (por acaso, dado pelo meu nutricionista) para eu acordar para a vida.

      Ps: Os meus pais não me obrigavam a comer porque eu lhes dizia que se me obrigassem a comer eu arranjaria forma de vomitar tudo o que comia (e teria-o feito). Nunca vomitei precisamente porque nunca me obrigaram mas não foram poucas as vezes que pensei nisso, acho que mais cedo ou mais tarde, se não conseguisse emagrecer, teria tentado essa via.
      Esta minha panca veio de uma tia que me comparava sempre às minhas primas (que sao naturalmente muito magras) e ela inferiorizava-me (e ainda o faz) por eu ser mais gorda. Simplesmente, na altura, eu não tinha capacidade para aguentar com aquilo, nem conseguia ver que ela espelhava as frustrações dela em mim.

      Eliminar
    10. Excepções haverá sempre. Mas é sabido que no mundo da moda se passa muita fominha. E no mundo da ginástica de alta competição, por vezes também. As modelos são esqueleticas, muitas têm curvas de rapariguinhas de dez anos. E passar isto como modelo de desejável é péssimo.

      Eliminar
    11. (Com alguns dia de atraso)
      Cláudia, pode abreviar só p Me :)
      Como disse, tb sei de caso de pessoas magras q o são (excessivamente até) sem fazerem deliberadamente por isso, mas entre esses casos tb sei de algumas q andam num nutricionista p engordar, e n é por questões estéticas.
      Além disso, mesmos esses casos, ou a maioria dos que eu conheço, eu n digo q passam fome, pq na realidade elas n fazem sacrifícios p n comer, mas se tivermos de falar com sinceridade a verdade é q n comem q nem pequenas bestas.
      Alias, eu sp brinquei mto com a conversa da malta da bicha solitária, mas em boa verdade, n acredito que haja alguem q se empanturre em comida e seja hiper magra, como mtas vezes essas modelos tentam passar.
      A verdade é q se vende mto uma "realidade" às jovens, que de real, pouco ou nada tem, mtas das vezes.

      Eliminar
  10. Cláudia, concordo integralmente com o que escreveu!!!!!!

    ResponderEliminar
  11. Ele não disse disparate nenhum. O IMC está a cair em desuso, porque o que importa verdadeiramente é o IGC (índice de gordura corporal). Se não, veja-se: um halterofilista com 1,80m e 110 kg tem o mesmo IMC de um sedentário com a mesma altura e o mesmo peso. A diferença é que onde um tem músculo, o outro tem gordura.

    Uma mulher muito "magra" pode ser saudável, desde que tenha um Índice de Gordura Corporal de cerca de 20%. Se as modelos fossem todas anoréticas, seriam estéreis. E a Giselle Bundchen foi mãe no auge da sua aparente "magreza", assim como a Miranda Kerr ou a Adriana Lima.

    Não digo que não existam modelos anoréticas, atenção. Certamente que existem. O problema aqui é que existem pessoas muito magras que são saudáveis. A biologia humana é mesmo assim, somos variados, cada um de nós é único, e existem diferentes constituições naturalmente.

    Eu tenho um IMC de 17,5, nunca o tive acima disso, e nunca fiz dieta. Agora até tenho de ter algum cuidado com as gorduras que ingiro porque o meu colesterol está no limite do considerado saudável (magra e a precisar de cortar nas gorduras, veja-se!).

    Isto para dizer que não concordo com a imposição de um limite mínimo de peso para desfilar. Concordo, isso sim, com a necessidade de incluir uma maior variedade de corpos nas passarelas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Susana, algumas mulheres poderão er aqueles imc's e ser saudáveis. A grande maioria só o conseguirá à custa da saúde. Isso parece-me claro como água.

      Eliminar
    2. Ao dizer que lhe "parece claro como a água" está a incorrer no mesmo erro que critica no outro artigo: afirmar factos com base no "eu não acho", a "mim não me parece".

      Iniciar um movimento discriminatório contra pessoas magras, só porque parecem ser doentes? Só porque um indicador (entre milhentos) nos indica que a pessoa pode não ser saudável? Uma mera hipótese? Onde nos leva isto?

      Vamos proibir um pivôt de televisão de apresentar o jornal porque está pálido? É sabido que a palidez também pode denunciar uma anorexia...

      E mesmo que não estejamos apenas a falar de indícios mas de factos comprovados, será justo? Vamos proibir médicos com excesso de peso (e existem muitos) de acederem à profissão porque podem dar um mau exemplo? Vamos proibir todos os fumadores de ser professores, porque podem ser um mau exemplo para os jovens?

      Esta história do "exemplo" tem muito que se lhe diga, e a de discriminar pessoas com base em meras suposições, então, nem se fala.

      Qualquer dia estamos a queimar bruxas.

      Eliminar
    3. Não Susana. Não falo com base no "eu acho", falo com base em variadissimas notícias de mortes por anorexia, infelizmente falo com base em casos de pessoas que conheço. Estou no tm e com pouca net ou poderia pôr aqui dezenas de links. A maioria das mulheres não é magérrima. Para o conseguir tem que fazer esforços que lhe dão cabo da saúde. A indústria da moda passa uma perfeição que não é natural, nem é a norma. Parece-me bastante óbvio.

      Eliminar
  12. O que é verdadeiramente espantoso é como é que a Picante, que sempre diz que não consegue ler os posts dele por serem muito aborrecidos, que lhe basta ler as primeiras frases para perceber o resto até porque mais não consegue, desta vez deixa cair que leu atentamente algumas das ultimas frases de um dos maiores posts de sempre do moço...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este li-o por inteiro. Infelizmente é um assunto que me é sensível. E fiquei irritada, não sei se já disse.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.