terça-feira, 31 de março de 2015

Aquele momento

Em que encontras uma pessoa que já teve hum... digamos algum significado na tua vida, fiquemos assim, mas dizia eu, aquele momento em que a tornas a encontrar e te apercebes que todos os gestos e ditos, que anteriormente te fascinavam e faziam rir, agora te fazem bocejar e, pior, arregalar os olhos. 
Pior que achares o tipo ridículo e pequenino é achares-te a ti mesma uma enorme estúpida enquanto deitas as mãos à cabeça e dizes Minha Santa Teresinha me valha, como foi possível?...

segunda-feira, 30 de março de 2015

Por que escreves um blog, Picante?

Então... Para aborrecer as pessoas. Mas não se está mesmo a ver?

(Ainda assim acho que poderia ser pior, poderia ser muito pior, poderia escrever num blog para mostrar os meus lindos filhos, para tentar intrujar as pessoas, para mostrar ao mundo como sou caridosa, para compartilhar devaneios mais íntimos, para moralizar os outros ou até para entediar as pessoas... Sim, poderia ser muito pior.)

Aproveito para deitar pensamentos fora, enquanto ninguém me ouve, aqui na privacidade do blog

Tenho a sensação de há imagens que fazem mais pelo controlo de natalidade que qualquer contraceptivo. Não sei lá que por que raio é que isso me veio agora à cabeça, de certeza que é imaginação.

domingo, 29 de março de 2015

E então, Picante? A aproveitar este solinho e temperatura amena?

Sem dúvida!
 
 Ah! O que eu gosto de voltar de férias...

Bom dia!

Cheguei. Sã e salva, não é tão bom? Mais um ano em que as únicas vezes em que sentei o rabo na neve, foi propositado, para descansar e apreciar a paisagem, ou para ajudar alguém em dificuldades. Talvez me apeteça falar das dificuldades disto, do esqui. Amanhã, talvez.

quinta-feira, 26 de março de 2015

quarta-feira, 25 de março de 2015

segunda-feira, 23 de março de 2015

Isto sou eu, aqui a falar de mim para mim

Talvez lhe ofereça um vestido, tenho a certeza de que gostaria de ter um vestido às riscas, tinha pensado nuns sapatos de salto, uma coisa em bom, talvez Miu Miu, talvez Sergio Rossi, toda a gente deveria ter uns sapatos de salto alto comme il faut, sempre nos alongam a perna e nos tornam mais altos, enfim... Mas depois pensei que os sapatos não seriam a melhor das ideias, está sempre aos pulinhos, sempre a tentar chamar-me a atenção, no fundo acho que tem a secreta esperança de um dia vir a ser uma de nós, pobre... Não se lhe pode levar a mal, até é eternecedor, só quer atenção, deve ser um pouco carente, é isso. Sou bem capaz de lhe oferecer um vestido às riscas, tenho a certeza de que vai gostar.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Que vais fazer amanhã, Picante?



(como está bom de ver, esta fotografia é minha, amanhã eu pedi a um amigo que tirasse esta fotografia só para vos impressionar e fazer crer que eu sou pró a esquiar, afinal, em vinte anos de esqui eu ainda não consigo passar das pistas verdes...)

Agora o que é realmente surreal

É que haja quem se sinta à vontade para entrar intempestivamente blog alheio adentro, passando autênticos sermões sobre o que é, ou deixa de ser apropriado, os donos da casa dizerem ou fazerem, ele há coisas que não podem de modo algum ser proferidas, Deus nos livre de tal pecado, olha agora a desfaçatez de se dizer que a felicidade engorda ou de se gozar com automóveis disponíveis para serem tocados, rezem-se já três Pais Nossos, gente mal educada, que não se sabe comportar em sociedade! Mas dizia eu que essa mesma gente, a que tenta educar os outros, numa tremenda demonstração de... hum... como é que hei-de dizer isto de uma forma simpática? Err... talvez seja melhor ficarmos pelas reticências. Pois então dizia eu que essa mesma gente não encaixa, de modo algum, que lhes falem em tom gozão,  ainda que não lhes falem. Ofendem-se, amofinam-se, gritam e estrebucham, ai que horror, minha Santa Teresinha me acuda, ai tão desconsiderada e ofendida que eu fui agora.

(o diabo é que isto é demasiado fácil, essa gente amofina-se a valer, tem crises histriónicas, amua e em verdade vos digo que é muito divertido ver um adulto a amuar, tal a figura ridícula que faz)
(e uma pessoa nem disse duh...)

Pipinha, Uva, lembram-se disto?



Um nojo. Um verdadeiro nojo. Não tem qualquer espírito, uns taninos desagradáveis, caramba, até fiquei meio nauseada. Um nojo.

Ontem foi o dia

Em que fiquei realmente irritada por ter lido um post. Tudo bem que isto são só blogs. Tudo certo que há por aí muita gente ignorante. É muito verdade que isto tem de se alimentar o blog, mais posts significam mais visitas. Agora uma coisa é escrever uma espécie de folhetim não aconselhado a QI's maiores de quarenta, outra, completamente diferente, é debitar uma série de anormalidades sobre anorexia, baseadas no "eu não acho", a "mim não me parece". Caramba, aquilo dos pais se virarem para as filhas e dizerem que depois ninguém lhes pegava deu-me vontade de lhe cortar os dedinhos. Ou a internet, vá...

quinta-feira, 19 de março de 2015

Algum dia teria de fazer um repost, este parece um óptimo dia para fazer um repost

Março é o mês dos homens da minha vida, de alguns deles, pelo menos, de um dos melhores, sem dúvida. Muito do que sou lho devo, aqueles finais de tarde estivais, anos a fio, à frente de um tabuleiro, ensinaram-me a planear, a antecipar, a intuir, a confiar. Aprendi a aprender com erros, que errar faz parte da coisa, a reconhecer e tirar partido do erro, aprendi a alegria e adrenalina de ganhar por mérito próprio.
Mas, acima de tudo, este homem cá da minha vida, ensinou-me a tranquilidade de me deitar satisfeita, de dormir de um só sono, ainda hoje, se dúvidas tiver, acerca do que é correcto ou incorrecto, basta-me pensar no que decidiria o meu pai. 
Durante anos, ele orientou-me, abraçou-me, amparou-me, deu-me pernas para correr e ensinou-me a paixão pela vida. Mais tarde, fui eu que o amparei, que lhe dei a mão e o vi olhar-me com os mesmos olhos com que eu própria o olhava, há tantos anos atrás. Hoje, já não pode ouvir-me dizer-lhe o quanto o amei, o quanto o amo, o quanto ele é, porque nunca deixará de ser, determinante naquilo que sou. 
Março... o mês dos homens da minha vida, do melhor, sem dúvida.

Venho aqui só por uns breves momentos

Informar que hoje, ontem na verdade, escrevi na Maria das Palavras.  Ide lá ver, ide.

Alguém me explica...

Que raio aconteceu ontem para eu ter tido doze mil visualizações? Em vez das três ou quatro mil do costume? Saí no jornal das oito? O JAS falou de mim? O Paulo Coelho? Um bug? Ele há coisas muito estranhas...

quarta-feira, 18 de março de 2015

O Estranho caso da chave Saltitante (update)

Parece que depois do fantástico post da Uva, já temos capítulo 7, a nossa querida Guidinha nunca desilude, e capítulo 8, no blog da Bé, que eu não conhecia mas que vou observar com muita atenção, a Bé arrancou-me uma sonora gargalhada com uma história que mete bicicletas na aldeia e faz lembrar o padre Amaro.
Habemus continuação?

(acabo o post com uma pergunta, a experiência empírica diz-me que assim, os leitores se sentem mais motivados a comentar)

(mas talvez, agora que desvendei o truque, as pessoas não comentem, propositadamente...)

O Natal é quando o homem quer

Já o dia do Pai é quando a mulher quiser fazer publicidade.

(a sério que ainda alguém oferece canecas? Céus!...)

(eu ia fazer um post sobre o Epic Sana, aquele local mesmo em conta, onde famílias inteiras tomam fantásticos brunch a módicos preços mas deparei-me com aquilo do restaurante da badalhoca, ou lá o que era,  e fiquei aqui a pensar que a vida, às vezes, é mesmo lixada)

terça-feira, 17 de março de 2015

Agora, o que é realmente importante e eu queria mesmo saber...

É quem é que vai continuar a maravilhosa história do "Estranho caso da chave saltitona"
Como é? Quem é que se atreve? É só ir ali ao Pasme-se quem puder, avisar que vai pegar na coisa e pôr os links dos vários capítulos. Em o capítulo 6 estando feito a Xaxia põe o link para o blog temerário. Como é? Vamos a isso? Vamos pois!...

(Em chegando ao computador acrescentarei aqui os links para o maravilhoso blog da Xaxia)

Ser Esquerda


Só que não.

segunda-feira, 16 de março de 2015

O Estranho caso da chave saltitona


João agarra na colher e aproxima-se de Maria. Com uma voz firme e decidida diz-lhe que se ponha a jeito. Maria hesita... cora e morde o lábio, mas lembra-se da sua Deusa interior e acaba por se virar. João castiga-a, dando-lhe firmes palmadas, com a colher, no traseiro. Mas eis que o gato Azzia acorda, desata a miar e a correr pela sala arranhando os sofas em veludo cotelê. "Cabrão do gato, sempre com mau feitio", resmunga o João, enquanto põe de lado a colher e levanta Maria.
De repente, João tem uma ideia. Lembrando-se que tem um camping gás, arrumado no psiché da sala, vai ao mini-bar onde, nem de propósito, Maria guardava sempre um ou dois bifes, uns ovos e umas coisinhas básicas, tira a frigideira que arrumava entre o Livro do Desassossego e A Feira dos Assombrados e outras histórias verdadeiras e inverosímeis e  põe-se a cozinhar. Maria aproxima-se dele, embevecida, esfregando o traseiro dorido e perguntando alto como é que não se tinham lembrado mais cedo de se alimentar? João revira os olhos, responde que é mesmo para isso mesmo que os homens servem e dá os últimos retoques na francesinha. Maria come a francesinha com avidez, já não trincava um naco de carne vai para três quinze dias. As coisas são como são e as francesinhas fazem sempre efeito, a barriga de Maria começa a fazer uns barulhos estranhos, em menos de dois minutos larga uns sonoros puns, reveladores da verdadeira intimidade e amor que une o casal. Nisto, não se consegue aguentar mais e corre até ao jarrão, oferecido pela tia Amelinha. À falta de retrete... foi mesmo ali. O João olhava estupefacto, enquanto a chave marota saía de esguicho para o jarrão, pulava dali para fora, qual verdadeira bola saltitona, e seguia disparada em direcção à janela, onde pousou, periclitante, no ferro que prendia a corda da roupa.
(continua aqui)
Post feito em parceria

QUE-RI-DO PAI!!!

Por aqui também já está tudo tratado para o Dia do Pai! Coisas simples! Super queridas! Cheias de pinta!
 Deixo-vos com estas sugestões de fatos de banho top e cheios de pinta! Espero que gostem! Eu A-DO-RO! Acho que os paizões vão adorar!
E o melhor de tudo é que também há para rapaz! Podem fazer matchy-matchy com os vossos gordinhos. Digam lá comigo: TOP!



Atenção!!! Tenho duas sungas rosa para sortear! As duas frases mais giras e cheias de pinta ganham sungas rosa para oferecerem aos vossos machos beta! Só têm que fazer like na minha página de FB e de me dizer o quanto eu sou gira, inteligente e cheia de pinta! E Top, já me esquecia!
A Mais Pê

sexta-feira, 13 de março de 2015

Fina ironia é...

Uma sociedade com sede nas Virgin Islands chamar-se Bordel Investments.

Bom fim de semana.

Nunca tinha acontecido

Por vezes leio um ou outro comentário que me faz sorrir, alguns fazem-me gargalhar com vontade, ele há caixas de comentários tremendamente divertidas. Mas a verdade é que a grande maioria, me faz bocejar de tédio ou não suscita qualquer reacção*. Nunca tinha lido um comentário que me fizesse ter vontade de dar um beijo na boca a quem o escreveu. Até hoje.

(bom dia, Quiescente)

*Falo de caixas de comentários em blogs alheios, evidentemente, os meus comentadores são todos tremendamente fofinhos, inteligentes e só dizem coisas de valor.

quinta-feira, 12 de março de 2015

Help! I need somebody...

Mini Spice quer uma carteira de usar a tiracolo. Já corremos várias lojas. Que digo eu? Já fomos a muitas lojas. Não pode ser mochila, tem de ser carteira, não pode ser pequena ou grande em demasia, não pode ser feia, enfim... estão a ver o meu drama? Já levei pequena Pimenta à Zara e tudo. Que não, que aquilo não é bem o género dela, que o modelo até lhe agrada mas quer um padrão floral ou com animaizinhos. Alguém sabe onde é que, em Lisboa, se vendem carteiras destas mas com florzinhas ou passarinhos, ou cãezinhos ou outra porra qualquer acabada em "inhos"?
Agradecida.

As coisas são como são

Na savana, o leão é importunado por muito menos animais que o impala. Isto não faz do leão um animal mau. Faz do leão um animal mais forte. Aprender a aceitar e a lidar com isto tornará as coisas muito mais fáceis, direccionará energias no sentido correcto, desgastará menos. Falo de eficácia.
Simples, não é?

Quê? é para falar outra vez dos estereótipos femininos que nos sufocam?

Desculpem lá mas já não tenho paciência...

(mas acabaste de falar, Picante... Sério? Oh!...)

terça-feira, 10 de março de 2015

Gosto tanto!

De gente! Que não sabe! Dizer uma frase! Sem usar! Um ponto! De exclamação!

(são tão fofinhas, pois não são?)

Vocês não sei

Mas eu achei bem giro. Mas claro... Deve haver por aí uma série de virgens ofendidas, ai que horror ai que isto é diminuir a mulher e o raio que as parta. Não sei lá que droga lhes misturaram no leite, tanto histerismo deve fazer-lhes mal às rugas.

(agora fiquei para aqui na dúvida, às tantas também não se deve dizer rugas, deve fazer-lhes mal às pregas, pronto)

segunda-feira, 9 de março de 2015

Nunca pensei que fosse possível

Mas a verdade é que há duas personagens de blogs que me irritam ao ponto de apetecer chamar nomes feios e deitar a língua de fora, as duas têm o condão de despertar o que de pior há em mim. Uma porque é uma verdadeira bardajona, outra porque é de uma arrogância atroz, sem qualquer substrato, caramba, cada vez que tenho a triste ideia de lá ir, só me apetece dizer-lhes uns miminhos dos bons. Isto de se ser adulto é muito complicado, é o que é.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Achei que gostassem de saber

Acabei de almoçar há uns minutos atrás. 
Ah! Deves ter ido almoçar a um sítio chique, uma daquelas almoçaradas de três horas, sobre o mar, não é?
Hã, hã. Uma sopa engolida à pressa.
Por hoje é só isto, sou capaz de vir aqui de madrugada, quando me apetecer uma pausa de trabalho. Divirtam-se, sim?

Preciso

Dias com quarenta e oito horas. Trinta e seis, vá...

(e os hotéis que estão todos cheios? hã?... ando muito satisfeita, com isto de correr riscos)

quinta-feira, 5 de março de 2015

Da próxima vez tiro uma fotografia e depois faço um workshop da felicidade com gojis, meu Deus... este blog já não é o que era

Pois que as minhas leitoras são tremendamente fofinhas e, muito gentilmente, ocorreram ao meu chamamento, solidárias para com os meus pobres dedos ralados. Vai daí que, contra toda e qualquer expectativa, na verdade se me dissessem que um dia este blog seria um desses blogs que ensinam as pessoas a cozinhar e partilham coisas verdadeiramente íntimas, como fotografias de cozinhas e panquecas com compota de frutos encarnados e assim, bem... se me dissessem isso eu soltaria uma daquelas gargalhadas mesmo sonoras, mas as coisas são como são e a realidade é que eu prometi que partilharia a receita do melhor bolo de laranja do mundo, derivado de as pessoas terem vindo aqui revelar-me todos os segredos para ralar laranjas, poupando os dedos, e toda a gente sabe que promessas são promessas e por isso cá vai.

Bolo de laranja da tia Picante
Farinha, açúcar e manteiga - 100gr de cada
2 ovos
2 laranjas
2 colheres de chá de fermento
Bater o açúcar com as gemas até fazer bolhas, juntar a manteiga amolecida em banho maria e continuar a bater. Adicionar o sumo e a casca ralada das laranjas. Juntar, pouco a pouco, a farinha e fermento peneirados, batendo até fazer bolhas e, finalmente, as claras batidas em castelo.
Vai ao forno moderado (180º), em forma untada.
O segredo da coisa é peneirar a farinha, fica muito mais leve, e NÃO substituir a manteiga por margarina, é mais ou menos o mesmo que dizer que a Zara é igual à Prada. Não é, nunca será, o efeito final é muito diferente. Costumo forrar a forma com papel vegetal, aquilo tende a pegar e assim sai lindo e direitinho. Nada de usar formas com buracos no meio, é um bolo, não é um pudim, embora fique com uma consistência ali algures entre o bolo e o pudim. De comer e chorar por mais.
Podem barrar com glacé de laranja, eu acho que não precisa, limito-me a polvilhar com um bocadinho de açúcar, fica mais bonito. Caso as laranjas não sejam sumarentas espremam mais uma ou duas e reguem o bolo com o seu sumo, depois de desenformado.

De nada.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Viver nos limites

Vou para a neve na Páscoa, ainda não tenho nada marcado. É que nem ideia para onde irei...
Gosto de correr riscos, é o que é.

terça-feira, 3 de março de 2015

Pergunta de extrema utilidade

Alguém me sabe dizer se há alguma maneira fácil de ralar casca de laranja sem ralar os dedos? Será que se pode pôr as cascas no misturador e ralar aquilo tudo? Ou fica uma tremenda de uma porcaria?

Gosto tanto de bolo de laranja e é tão desagradável ralar as cascas...

segunda-feira, 2 de março de 2015

Da barbearia, do feminismo e do racismo. Agora sim, post sem sarcasmo.

Não gosto de radicalismos. Nunca gostei, chegam a assustar-me. Posto isto parece-me importante e ajuizado saber distinguir atitudes que põem os direitos de qualquer grupo em causa, de golpes baratos de marketing de um qualquer hipster-boho-atrasado-mental. Que é o que os tipos da barbearia são, embora não tão atrasados-mentais que não contassem com o grupinho de feministas que se ofende por tudo e por nada, que à mínima coisa se põe aos pulos a gritar que tem os seus direitos postos em causa. Não fossem essas tipas senhoras tão cretinas como eles e ninguém teria ouvido falar dessa bendita barbearia, onde os homens cortam barba e cabelo. Por mais errado que seja o conceito, que é, não é a provocação barata de uma barbearia de terceira categoria que põe qualquer direito da mulher em causa, sejamos honestos.
Vai daí que acho o protesto das fulanas tão cretino quanto o gesto que o originou. Se alguém se sente lesado, se a constituição está a ser violada, têm mais é que apresentar queixa junto das autoridades, parece-me que ainda somos um estado de direito.
Posto o preâmbulo, vi por aí umas comparações da barbearia ao apartheid ou à perseguição que os judeus sofreram às mãos dos nazis. Coisa que achei profundamente ofensiva, quer para com as vítimas e familiares dos que realmente sofreram essas atrocidades, quer para com a inteligência do comum mortal. É completamente abusivo fazer uma comparação destas. E é sinal de fraca inteligência também, a única coisa que me dá vontade é de abanar a cabeça em sinal de comiseração, encolher os ombros, enquanto penso que lá está novamente o grupinho radical do feminismo a afastar as pessoas de uma causa que deveria ser a causa de todos nós, homens e mulheres.
Está na altura de as "feministas"* revelarem alguma inteligência e escolherem as lutas. De preferência lutas que valham realmente a pena por, sendo ganhas, se traduzirem numa melhoria da qualidade de vida de um grupo de mulheres. Uma que seja. Não é o caso da porra da barbearia.

(em me apetecendo também poderei falar dos ginásios só para mulheres, e não venham cá com histórias de os equipamentos serem vocacionados para mulheres, eles venderam o conceito na base do "sinta-se à vontade, sem receio de olhares masculinos", ou das entradas cobradas nas discotecas a homens enquanto as mulheres não pagam. Se isto não é discriminação com base no sexo, então eu não percebo nada de discriminação...)

*está entre parênteses propositadamente, é um grupinho radical que tem como consequência desgastar toda uma causa digna, que luta por direitos iguais.

Mas afinal...

Exactamente o quê é que o Zeinal sabe? Caramba... isto de uma pessoa ser desmomeriada é muito útil, pois é? Justifica muita coisa, pois justifica?
Já eu tenho uma memória de paquiderme, de hoje para amanhã nunca poderia armar-me em zeladora e moralista da bloga, por exemplo, não teria qualquer credibilidade, isto basta uma pessoa lembrar-se para  a coisa já não sair natural, em não saindo natural já as pessoas não me levariam a sério, só problemas. Agora em se sendo desmemoriada...