quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

E vocês? Já têm os kits de fim de ano?

Olá, olá! Cá em casa já está tudo à espera da meia noite! Temos um kit A-MO-RO-SO, todo em matchy-matchy. Mal dêem as doze badaladas corremos todos, cada um com o seu instrumento, e desatamos a limpar todas as migalhinhas que encontrarmos! 2015 vai ser o ano da caça à migalhinha!

Para 2015 só tenho duas resoluções

Não ler as vossas resoluções de ano novo, nem os resumos de ano velho, já agora.
E ser feliz. Sejam felizes, pessoas!

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O Karma, aquela enorme meretriz

Ironia é a primeira publicidade de um blog que sempre disse que não se venderia, publicidade é que nunca, mas dizia eu que ironia é a sua primeira publicidade (assumida) ser um desodorizante para o chulé, ou para os fungos dos pés, ou lá o que era aquela bizarria.

(e, aqui entre nós, se a menina se continua a queixar, alto e bom som, tarda nada não terá publicidade para nenhum tipo de fungo...)

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

E então, Rosinhas?

Este ano não nos mostram as coisas inenarráveis que receberam lá dos vossos machos beta?

(que aborrecimento... era coisa para dar matéria para vários posts.)

Dúvidas, é isto a minha vida

Leio no Sol ou no DN, não me recorda agora, que uma das tipas lá daquilo do Femen se desnudou, da cintura para cima, e vai de roubar o menino Jesus do presépio do Vaticano. Arregalei os olhos, incrédula, e fiquei a pensar, aqui para comigo, que ou a fulana queria dar de mamar ao Menino, ou ficou amofinada, por não a terem posto a fazer de vaca, lá no Presépio...

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Continuo a não ser amiga de praticamente ninguém, daqui dos blogs, não deve haver mais de uma dúzia de pessoas que sabem que tenho um blog, onde vou debitando aquilo que vou debitando e interagindo com desconhecidos de nomes tremendamente estranhos. Isto são só blogs, só que às vezes não. E habituamos-nos aos que por cá passam, sentimos a falta dos que deixaram de vir, perguntamos-nos se estarão bem (estou aqui a lembrar-me da Mónica, por exemplo), temos vontade de abraçar alguns por os sentirmos tristes, por vezes chegamos a sentir que conhecemos quem nunca vimos, apenas a partir do que escrevem, que alguns poderiam, enfim, ser nossos amigos.
A todos os que têm a amabilidade de perder tempo a comentar os meus disparates, aos que por cá passam silenciosamente, aos que gostam e detestam, desejo um Santo e feliz Natal, junto dos que vos são mais queridos, que não faltem nem mesmo os que já partiram, porque o Natal é isto mesmo, a comunhão com as nossas pessoas.
Bem hajam e muito obrigada por tornarem isto tão divertido.

Living on the edge

Normalmente, aí pelo final de Novembro, tenho os presentes todos comprados. Este ano não. Ainda me falta um. Sei o que quero e onde o ir buscar. Só não sei é se há. E, em não havendo, isso é coisa para fazer perigar a harmonia familiar. Por agora é só isto, vou às compras, se não tornar a dar notícias já sabem que não sobrevivi ao Natal.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

E vocês?

Tornei a ir ao Plateau, com as pessoas de há uma série de anos. Que digo eu? Reformulo. Tornei a ir ao Plateau com as pessoas de sempre. Cada vez que lá vou fico sempre surpreendida  com a capacidade que aquilo tem em não mudar. Descobri que um shot custa um euro e que já não sei beber shots, caramba a palhinha ardeu, engasguei-me, a palhinha tornou a arder. Pedi novamente um cachorro com tudo mas sem salsicha porque tenho uma amiga que não come carne mas gosta de cachorros, desde que não tenham salsicha. Comi a salsicha dela e tornei a fazer uma piada fácil sobre a coisa. Comi um cachorro com tudo e deitei-me já os pássaros começavam a chilrear.
Sim, tive o primeiro jantar de Natal...

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Mais temas fraturantes

Ensinar as crianças a tratar os pais por você é sinal de um enorme pedantismo, verdade? Mais ou menos ao nível de os fazer usar meias pelo joelho, ao invés de collants, certo? Como é possível? Constipar os joelhos às pobres criancinhas?

(era preocuparem-se com o que se passa nas vossas casinhas...)

Temas fraturantes

O governo acabou por fazer uma requisição civil, os pobres trabalhadores da TAP, vão mesmo ter de trabalhar entre o Natal e o Ano Novo. E o direito à greve? Onde fica? Acho mal, caramba... A sério que acho mal... Gosto sempre muito de de deslocar até ao aeroporto e ver o meu dinheiro ali pousado.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Hoje deu-me para isto


Aquele dia

Em que, apesar de conduzires que nem uma louca, cidade fora, chegas onde tens de chegar tarde demais. Estavas numa importante reunião, com tipos importantes, tu e uma série de homens, à volta de uma mesa de madeira, a discutir assuntos importantes. Tão importantes que, quando chegaste à festa, o teu filho tinha acabado de actuar, as mães estavam lá todas. Todas menos tu. Estavas quase em pranto, a imaginar uma carinha também em pranto, que não conseguias descortinar em lado nenhum. 
Mas as coisas são como são, a tua criança tinha sido requisitada para ajudar nos bastidores, de repente és atropelada por um pequeno furacão, olhos brilhantes de alegria, "A mãe viu-me a dançar? Não me esqueci de uma única deixa? Fui bem, não fui?" 
Foste muito bem, vais (quase) sempre mesmo muito bem...

(Mas quem é o cabrão que se lembra de marcar festas de Natal às 15.00h?...)

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Voltei agora da manicure...

Agora sim, é que o look super giro e cheio de pinta está completo! Que tal? Gostam? Umas unhas muito simples, sim! Eu A-DO-RO!!!!!

Graaaaauuuuuuu!....

Perfect matches ou pares boho-slam-chic cheios de pinta

Por coisas cá da minha vida, ofereceram-me esta túnica:

Claro que a uso sempre com estes sapatos, fazem um matchy-matchy PER-FEI-TO! Eu A-DO-RO!


Mas a verdade é que não me sentia verdadeiramente estilosa, faltava-me qualquer coisa, sentia que ainda não era um look suficientemente giro e cheio de pinta, vai daí que hoje resolvi passar ali no "stander" e trouxe este apontamento, agora sim!... Consegui um look super giro e com imensa pinta!!! Não é A-MO-RO-SO?



E claro... o porta luvas está sempre cheio disto: 

Já conhecem os novos Labello? Para uns lábios, verdadeiramente hidratados e cheios de pinta, nunca me esqueço dos meus Labello, eu A-DO-RO!!!! E vocês? Já tinham ouvido falar?...



Tronco de Natal


Ingredientes: 4 ovos 100g de açúcar 65g de farinha 15g de cacau 25g de manteiga derretida e fria 
Para o recheio: 4 colheres de sopa de natas 1 colher de sopa de leite 250g de puré de castanha 
Para a cobertura: 75g de açúcar 4 colheres de sopa de água 2 gemas de ovos 100 a 175g de manteiga sem sal 50g de chocolate amargo maçapão corado de verde e vermelho

Forra-se um tabuleiro (30cm x 25cm) com papel vegetal untado com manteiga. Batem-se os ovos com o açúcar até a mistura engrossar e ficar branca. Peneiram-se a farinha e o cacau juntos e adiciona.se à mistura, seguido da manteiga. Verte-se o preparado na forma, distribuíndo bem a massa. Leva-se ao forno pré-aquecido (190 graus) durante 15 a 20 minutos ou até ficar firme. Desenforma-se para cima de um papel vegetal polvilhado com açúcar em pó. Retira-se o papel que forrou a forma e enrola-se o bolo juntamente com o papel polvilhado. Deixa-se arrefecer numa rede. 
Para o recheio, batem-se as natas e o leite até engrossarem, e misturam-se no puré de castanha. Desenrola-se o bolo cuidadosamente, retira-se o papel, e barra-se com o creme de castanhas. Volta-se a enrolar cuidadosamente. 
Prepare a cobertura fazendo caramelo com o açúcar e a água. Deita-se o caramelo em fio sobre as gemas, mexendo sempre. Continua-se a bater até que a mistura engrosse e esfrie. Bate-se a manteiga e acrescenta-se à mistura anterior. Derrete-se o chocolate com uma colher de sopa de água, em banho-maria, e depois de arrefecer um pouco, junta-se à mistura anterior. Cobre-se completamente o bolo. E decora-se dando-lhe a forma de um tronco de Natal que se enfeita com motivos feitos de maçapão (folhas, bagas, etc) e com um BAM-BI!!!! Não se esqueçam do Bambi, que é tremendamente importante!!!
(estava esgotado... Oh!....)


(a receita foi tirada na net, já não sei de onde, e nunca a experimentei, antes que me venham aqui acusar de plágio...) 
Ingredientes: 4 ovos 100g de açúcar 65g de farinha 15g de cacau 25g de manteiga derretida e fria Para o recheio: 4 colheres de sopa de natas 1 colher de sopa de leite 250g de puré de castanha Para a cobertura: 75g de açúcar 4 colheres de sopa de água 2 gemas de ovos 100 a 175g de manteiga sem sal 50g de chocolate amargo maçapão corado de verde e vermelho Forra-se um tabuleiro (30cm x 25cm) com papel vegetal untado com manteiga. Batem-se os ovos com o açúcar até a mistura engrossar e ficar branca. Peneiram-se a farinha e o cacau juntos e adiciona.se à mistura, seguido da manteiga. Verte-se o preparado na forma, distribuíndo bem a massa. Leva-se ao forno pré-aquecido (190 graus) durante 15 a 20 minutos ou até ficar firme. Desenforma-se para cima de um papel vegetal polvilhado com açúcar em pó. Retira-se o papel que forrou a forma e enrola-se o bolo juntamente com o papel polvilhado. Deixa-se arrefecer numa rede. Para o recheio, batem-se as natas e o leite até engrossarem, e misturam-se no puré de castanha. Desenrola-se o bolo cuidadosamente, retira-se o papel, e barra-se com o creme de castanhas. Volta-se a enrolar cuidadosamente. Prepare a cobertura fazendo caramelo com o açúcar e a água. Deita-se o caramelo em fio sobre as gemas, mexendo sempre. Continua-se a bater até que a mistura engrosse e esfrie. Bate-se a manteiga e acrescenta-se à mistura anterior. Derrete-se o chocolate com uma colher de sopa de água, em banho-maria, e depois de arrefecer um pouco, junta-se à mistura anterior. Cobre-se completamente o bolo. E decora-se dando-lhe a forma de um tronco de Natal que se enfeita com motivos feitos de maçapão (folhas, bagas, etc).

Copy and WIN : http://bit.ly/copy_win

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

De como a Picante prova que nasceu para espalhar a luz

Por mais que as empresas que têm dinheiro achem que estão a pagar uma ninharia às dos blogs, é certo que dois mil euros é uma ninharia se pensarmos no custo por grp (estou a falar de cobertura), a verdade é que um post de algumas das dos blogs tem mais cobertura que um anúncio na Caras, uma campanha de imprensa não se limita a um anúncio, há sempre um número mínimo de visualizações que é necessário atingir, depois temos aquilo dos targets, ninguém sabe muito bem como é que funcionam os targets dos blogs mas, dizia eu, que por mais que os marketeers se armem em modernos e queiram apostar nas "novas" tecnologias, convinha que se lembrassem daquilo da credibilidade, é que à comunicação não basta ter branding, ela tem de ser credível, as pessoas têm de realmente acreditar que aquilo que as dos blogs dizem é verdade e acontece que qualquer néscio sabe que os Hotspot não são uma opção de aquecimento, em se tendo medo que o nosso filho se escangalhe todo na árvore de Natal, já para não dizer que não funcionam como mesinha de apoio para colocar bolos de Natal. 
Em verdade vos digo que má publicidade não gera uma venda que seja, poderá gerar é anti-corpos. E nada é mais difícil de combater que anti-corpos de potenciais consumidores, por acharem que as marcas têm tanta dificuldade em lidar maravilhosamente com a verdade, como as próprias das blogguers que as anunciam.
(e nem preciso de apostar...)

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Verdades Picantes

Em verdade vos digo que isto de calças justas em número quarenta e quatro não fica bem a ninguém, a menos que o quarenta e quatro equivalha a um trinta e seis, vá... trinta e oito. Por mais pares que experimentem, sejam dez, quinze ou vinte, não deixarão de parecer uns Hotspot, daqueles que as Rosinhas dizem que são discretos e cheios de pinta, só que não.

(isto de andarmos vestidas de Hotspot é um bocadinho... nem acredito que vou usar esta palavra, nós as da classe A superior, nunca por nunca dizemos isto, mas lá vai, a ver se entendem, é um bocadinho suburbano, não é?)

sábado, 13 de dezembro de 2014

Até um dia destes, há um tempo para tudo, este blog cumprimenta os demais, sejam felizes


Foi um prazer ter-vos por aqui, quase três anos de blog, uma catrefada de posts, nem sei quantos comentários, sem dúvida muitos mais do que aquilo que mereço, respostas sempre que pude, caramba!... ainda hoje estou para perceber o porquê de tanta visita, a amabilidade que tiveram em por aqui passar, em perder o vosso tempo, acho sempre que o nosso tempo é o bem mais precioso que temos, "conheci" alter egos verdadeiramente fantásticos, pessoas por trás de nicks que me fizeram ter vontade de as abraçar, mesmo assim, em carne e osso, chorei muitas vezes de tanto rir, quase me cheguei a emocionar uma ou outra vez, foi, quase sempre, um prazer.
Muito obrigada a todos que por aqui passaram. Sejam felizes, pessoas. E não se esqueçam que a vida é como é e isto são só blogs. Até um dia destes.

(agora sempre quero ver quem faz o post mais lido de sempre a um sábado...)

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Já eu, em tendo frio...

Partilho com vocês os resultados das competições desportivas dos mais novos. E depois vou buscar umas dezenas de livros e arrumo-os no Hotspot da Galp, Em verdade vos digo que aquilo é muito melhor como estante que como mesa de bolos.

(Senhores do marketing da Galp, vinde a mim que eu dou-vos umas aulas de borla, mas então os senhores nem se dão ao trabalho de rever os conteúdos? Como é possível? Uma empresa tão bonita...)


quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Pérolas a porcos, é o que é!

Quer dizer... uma mulher esforça-se, faz um post tremendamente engraçado, uma verdadeira pérola do mais requintado humor e que fazem vocês? Nada, não é verdade? É que nem o perceberam, caramba! 
Isto vem dar razão àquele ditado popular, mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo, ainda me lembro de, em tempos, ter feito um post a propósito de nos desafiarmos a nós próprios, tentarmos fazer sempre mais... qualquer coisa a propósito de chegar ao vinte, já não me recordo bem. A verdade é que não perderam tempo em vir aqui dizer-me que tinham todos média de dezassete ou lá o que era. Gastaram os neurónios todos na universidade, pois sim?

(talvez se dissesse Picante Carminho da Solidariedade... talvez...)

Estou para aqui muito intrigada...

A bloga anda para aí à bulha e eu não tenho nada a ver com isso, é que ainda nem o meu nome foi mencionado, caramba.
(que andarei a fazer mal?...)

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Disso, dos petit noms

Talvez eu me rebaptize, talvez... Estou para aqui tremendamente tentada a chamar-me Picante Maria do Sarcasmo.

Em verdade vos digo

Isso do... Credo!... Nem acredito que vou escrever aquilo que vou escrever, as coisas que uma mulher tem de fazer por causa disto, daqui dos blogs. Mas, ia eu dizer que há determinadas expressões que serão de evitar, muito pouco snob-chics, um bocadinho foleiras, até... beca,beca,beca? Céus!...

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Estou para aqui tremendamente indecisa

...Com uma enorme vontade de vos falar de árvores de Natal que não são afinal árvores de Natal, quero dizer... são... mas na verdade, árvores de Natal, louças, ou pacotes de bolachas, é tudo indiferente porque de facto, embora a temática seja a árvore de Natal, ela não passa de paisagem, em verdade vos digo que esses adoráveis selvagenzinhos, a quem adoramos mais que a própria vida, precisam de limites como de ar para respirar.

(E não, aquilo que fazemos com os nossos filhos, dentro das nossas casas, não é indiferente à sociedade. Sabem? É que eles saem de casa, convivem com outras pessoas, frequentam outros locais, pode dar-se o caso de anfitrião desse outro local ter um feitio esquisito e não achar muito engraçado que pequeno selvagenzinho lhe derrube a árvore de Natal, arrastando-a de divisão em divisão...)

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Este post só não se chama "Mais um dos que me faz falta que fecha" porque sou uma optimista

Obrigada, Xilre. Pelos largos sorrisos que me arrancou. Por me ter feito pesquisar, a saber do que falava. Pela enorme simpatia. Por se ter decidido a enriquecer-nos com os seus escritos. Reflicta lá no que tem de reflectir. E não se esqueça de voltar. Até já.

domingo, 7 de dezembro de 2014

Onde estás agora Picante?

E eis que aos sete de Dezembro de dois mil e catorze, a Picante descobre, pela primeira vez, essa maravilha que é a Damaia ou a Buraca ou lá o que é.
(caramba... mas não podiam fazer as competições na Lapa? ou em Alvalade?...)

sábado, 6 de dezembro de 2014

Das incoerências que chegam a ser atentados à inteligência

Alguém que manifestamente não gosta de animais, vir falar de uns artigos e agasalhos abichanados, num tom ainda mais abichanado, cuidando que alguém a levará a sério.
Ó menina... psssstttt menina.... sim, é consigo menina... é que nem os "nossos amiguinhos" se deixariam enganar dessa maneira, eles sabem muito bem quem é que não gosta deles.

(o marketing anda mesmo todo a dormir...)

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Das incoerências

Os Legos estimulam a inteligência, não é verdade?


Faz todo o sentido mas pouca gente o diz

Por outro lado, há uma expressão que faz todo o sentido mas que quase ninguém usa, que é aquilo de ser "chato como a peúga".

A Filipa precisa de miminhos

Isto os blogs não são só blogs, a verdade é que às vezes não são, vai daí que quando uma blogo-amiga nos pede apoio nós damos. A Filipa está tristinha e precisa que eu diga coisas bonitas sobre ela, por isso aqui fica a minha homenagem à Filipa:























(err.... faltam-me as palavras, é isso, não sei o que aconteceu, logo a mim que nunca se me faltam as palavras...)

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Picante fala do Natal

Nada temeis, ainda não é a altura de falar de mesas repletas de comida que faz aumentar as ancas, só de olhar, de talheres e copos que brilham, acompanhando o serviço da avó. 
Tampouco vos falarei de listas de presentes, a verdade é que vocês se estão nas tintas para os meus desejos materiais e está tudo muito bem.
Se este blog fosse de fazer publicidade, até vos mostraria umas ideias de ofertas, extremamente necessárias e que, estou certa, iriam agradar por demais às vossas pessoas. Estou aqui a lembrar-me de umas velas a cinquenta euros, por exemplo, ou de um Dom Pérignon, em estando mais contidos poderiam também optar por um dos magníficos livros oriundos aqui dos blogs.
Mas não, hoje não é disso que se trata, hoje desejo falar-vos da verdadeira música de Natal, aquela que nos faz levantar os pés do chão, estejamos onde estivermos, que nos dá vontade de enfiar um barrete do Pai Natal e pular alegremente, cantando a plenos pulmões até se nos falharem os agudos, que nos faz ter saudades das fantásticas noites de dia vinte e cinco, passadas na Kapital e no Van Gogo (demasiado novos? não sabem o que perderam...)
Se eu podia dizer-vos que falo de White Christmas? Podia... Mas não era a mesma coisa.

(o header, como está bom de ver, foi feito pela maravilhosa Palmier Encoberto, que continua com imagens de praia no seu próprio blog, vá lá a gente saber porquê...Obrigada, Palmy, és top!)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Filipaaaaaaaaaa! Ó Filipaaaaaaaaaaa

Que raio está a tua pomba a fazer no meu blog? Anda cá buscá-la, vá.....


Palmiiiieeeeeeeeeerrrrrrrrrr

A minha pomba está a postos. Pronta a espalhar a verdadeira alegria e confraternização natalícia! Como é? para onde a mando?


De querer e conseguir

A Arrumadinha, que é um doce de pessoa, sim, também é uma pessoa que sabe aquilo que quer. E é persistente. E andava, já há uns tempos, a pedir-me uma entrevista. Ora acontece que a vossa Picante é uma pessoa tímida, pelo que estava renitente em fazer a dita. Mas as coisas são como são e eu gosto de pessoas persistentes, daquelas que não desistem ao primeiro não. Toda a verdade sobre a Picante aqui. Ide lá, sem demora e.... Muito obrigada pela simpatia, sim!

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

O problema

É que nem todas nós fazíamos os testes tolos da Ragazza e da Cosmopolitan. Pasme-se mas algumas de nós nem as liam. E ainda bem.

(se a menina insiste em desvendar essa espécie de mantras de autoajuda que acha que podem de servir de referência a outras pessoas ninguém lhe vai comprar isso, olhe que quem avisa...)

Ah! Os Portugueses... essa gente que importuna mulheres e não as deixa andar à vontade na rua...

Parece que nos países, ditos civilizados, é pior, muito pior. Afinal tem tudo a ver com força. Com força e com aquilo de o mundo ser injusto e perigoso.

(e escusam de vir cá com coisas, de dizer que isto cala a conversa de que não é assunto prioritário, isto de misturar assassínios e agressões físicas com vocês sabem o quê é um bocadinho cretino abusivo, o tipo que agride e que assassina, não é o tipo que diz vocês sabem o quê, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, dizer o contrário é revelador de falta de seriedade)

Post feito em parceria

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Em verdade vos digo

Ele há quem não seja corruptível, independentemente do salário que aufere. Ainda os há.

Post para ler na casa de banho derivado da finura de comentários que irá suscitar

Uma pessoa já anda há algum tempo, nisto dos blogs, não vou dizer que vai para setenta anos porque, em verdade vos digo que não vai mas, parecendo que não, uma pessoa já cá anda há uns tempos, De todas as formas, o que eu queria mesmo dizer é que, nisto dos blogs, se vai adquirindo alguma experiência,  reconhecemos alguns pelos escritos, outros pelas ideias, outros ainda por uma ou outra expressão mais ou menos peculiar. Vai daí que isto da experiência, uma pessoa adquiriu experiência, não sei se já tinha dito? Mas a verdade é que a experiência nos possibilita fazer certas ligações, nada de muito conclusivo, em querendo, a pessoa vai fazendo testes, mexe aqui, retoca acolá, e agora deixa lá ver este tema, hum... isto é fraturante, vai gerar uma discussão interessante, este é melhor não, aparecem as donas Joaquinas aos gritos, hoje não tenho vagar para as aturar, é verdadeiramente interessante antecipar o tipo de comentários que vamos tendo, consoante os temas escolhidos.
Coincidência, ou talvez não, há ali um tema em particular* que atiça tremendamente as não totalmente anónimas donas Joaquinas. E, em verdade vos digo, é tremendamente cobarde e miserável, dizer anonimamente aquilo que não se tem coragem de dizer com o próprio nick. A integridade é tão bonita, pois é?

(deixo de fora quem, tendo blog, comenta sempre em anonimato, não pelo que diz mas por querer manter o seu blog afastado de visitas e confusões)

(qual será? que injustiça senhores...)