segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Perfect matches ou pares boho-slam-chic cheios de pinta



21 comentários:

  1. Mas isto são horas? Estava aqui consumida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi um fim de semana muito intenso, Mirone. Tantos casos mediáticos...

      Eliminar
  2. Pipocante Irrelevante Delirante24 de novembro de 2014 às 10:55

    Ainda da relevância dos blogs

    Quem entra nestas carreiras da escrita em blogs (posso usar "blogar" ao invés de escrever em? Posso? Está bem, então) quer ser a nova + Doce. Não há que enganar, quem investe umas centenas de euros num curso, ou workshop, ou lá como chamam, é porque vê num blog uma oportunidade de carreira. E o topo da carreira, em Portugal, é a supracitada. Quem deseja um blog porque sim, porque gosta de escrever, porque se quer exprimir, ou porque quer ser ouvido, não precisa de ensinamentos ou planeamento estratégico. O problema é que a + Açucarada não ganha a vida a blogar, nem é "blogger"; ela é uma marca, uma empresa se assim quiserem chamar. A ideia de que ela passa o dia em casa, a debitar uns textos, e as marcas aparecem a bater-lhe à porta, é errada. O blog é apenas e só um veículo de difusão da sua marca (e aquilo é tudo menos um blog sarcástico, sobre tudo e sobre nada), tal como o é o da Cristina Ferreira, ou o de qualquer outra celebridade. Por isso, ao invés de um curso de blogging, invistam num curso de gestão, no qual de certeza irão abordar o uso de blogs e outras ferramentas sociais.
    E o meu conselho, de quem não tem blog, a quem o quer iniciar, é de que antes de mais percebam o porquê de o quererem fazer, e que tenham ideia de qual a meta a atingir. Ser a Pipoca II é um mau começo. Se o objectivo é largarem umas larachas e serem lidos pelo vosso círculo de amigos, a probabilidade de se tornarem relevantes é enorme. Não a tal relevância global a que se refere o artigo da e-magazine, mas a relevância individual, que isto da satisfação pessoal, dizem que também é relevante. Depois, escolham o tema que vos aprouver. A sério, um blog sobre futebol terá sempre mais sucesso que um sobre dressage, mas se for este o tema que vos move o sentimento, adiante. Mas por favor, mais blogs intimistas é que não... fazem falta blogs políticos, de cidadania (LisboaSOS, coitado, deus o tenha, ERA relevante), de opinião. Esses, nunca serão demais. Por último, e para dar alguma luz, a internet está cheia de cadáveres. Desde grandes aplicativos (onde estás tu, altavista?) até blogs. Tudo morre, mesmo no mundo digital. Por isso, não pensem que vão viver para sempre.

    Dito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu quero crer que a maior parte das pessoas não inicia um blog a achar que vai viver daquilo. O artigo dela apenas faz sentido para essas pessoas, não faço ideia da percentagem de que estamos a falar. A Internet estar cheia de cadáveres prova isso mesmo, que as pessoas escrevem enquanto lhes dá gozo e têm tempo, fartam-se, vão embora (ou aparecem noutro formato).
      E ela só é uma marca de há uns 4 anos a esta parte, antes disso era um blog engraçado, ela tem uma maneira cáustica de escrever bem gira, sobre tudo e sobre nada.
      (suponho que não devam existir mais que quatro ou cinco pessoas a vover dos blogs, ou pelo menos a tirar rendimentos consideráveis daí...)

      Eliminar
    2. Pipocante Irrelevante Delirante24 de novembro de 2014 às 11:18

      Os que vão à formação do esposo, não vão com essa ideia? Ou aquilo é para lazer, tipo zumba?
      O sucesso ou não depende de muita coisa, incluindo os conhecimentos. Sendo da área do jornalismo, as pessoas certas abrem-lhe a porta mais depressa do que se for o ze pipoca a tocar à campaínha.
      Da escrita dela, não sei. PArece-me um bocado condescendente, e básica, mas confesso que leio aquilo de ano em ano, e na diagonal

      Eliminar
    3. Ao que percebi, alguns tinham negócios, queriam aprender a utilizar o blog para alavancar os mesmos. É ligeiramente diferente.
      Mas obviamente que sim, basta ver que os jornalistas se linkam todos entre si, numa espécie de inter-ajuda.

      Eliminar
    4. Por vezes as pessoas escrevem porque sim, porque lhes dá gozo, porque querem um local para desabafar ou simplesmente porque lhes apetece. Não é com quaisquer pretensões ou aspirações de se tornar famosos. Aliás basta ver que em Portugal para se ser famoso o que é preciso e o que move as massas nunca será a politica, educação ou outro tipo de coisas.

      Eu tenho um blog mini-mini e não faço questão de o publicitar. Há blogs com os quais mais me identifico e onde por vezes até comento com log in. E não uso o anonimato para poder falar mal ou mal-tratar ninguém. Simplesmente gosto do meu canto sossegado porque é o meu canto (deixem-me estar quietinha) apesar de também escrever a minha opinião sobre alguns assuntos e gosto do facto de ter algumas pessoas que voltam muitas vezes, outras nem tanto. Claro que também gosto de ler a opinião dos outros, seja semelhante ou contrária à minha mas eu gosto daquilo que ali tenho porque é meu, porque a ideia é um dia poder olhar para trás (como por vezes faço com os diários da adolescência) e pensar o quão parvinha era... escrever faz parte de mim mas sei que não tenho nenhum dom da palavra... por isso, escrevo ali para mim, leio e respondo. Sem mais pretensões do que somente escrever e algum feedback de coisas que nem sempre posso partilhar pessoalmente com outras pessoas.

      Eliminar
    5. O PID, acaba de arrumar com a relevância de qualquer curso para bloggers, acaba de dizer o essencial, num só comentário.

      Eliminar
  3. Pipocante Irrelevante Delirante24 de novembro de 2014 às 10:55

    O gajo de cima também fumava em aviões?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Suponho que sim.
      (até eu já fumei em aviões...)

      Eliminar
    2. Ainda me lembro de se poder fumar nos últimos lugares dos aviões... Agora até me dá uma paradinha só de pensar. Como era possível?

      Eliminar
    3. Pipocante Irrelevante Delirante24 de novembro de 2014 às 13:02

      Aviões... comboios... autocarro... repartições públicas...

      (se o MST nos ouve...)

      Eliminar
  4. Que exagero, picante! O homem pode ser muita coisa, mas ainda nao eh nenhum assassino.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas está a ser indiciado pelo mesmo que lixou o outro...

      Eliminar
  5. Mas se bem se lembra o Al Capone não foi condenado/apanhado pelos assassinatos, mas pela fuga ao fisco. Acho eu.. Já vi os Intocáveis faz muito tempo... ao coitadinho do Sean Connery :S

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (era para ter respondido ao anónimo das 11:21, mas se querer fiz este comentário isolado)

      Eliminar
    2. Pois foi. Foi o contabilista que o lixou.
      (a este parece que vai ser o motorista...)

      tão bom...

      Eliminar
    3. Cá também temos um contabilista. No caso do Bes, a certa altura, também se apontou o dedo ao contabilista.

      Eliminar
    4. Quem será, neste caso o Elliot Ness?

      Eliminar
  6. Ahhhh as ironias da vida...Al Capone foi tramado pela fuga ao fisco, o menor dos seus crimes, tal e qual como deduzo que esteja a ser José Sócrates!

    ResponderEliminar
  7. http://observador.pt/2014/11/25/lei-enriquecimento-ilicito-obrigaria-socrates-e-carlos-silva-justificar-gastos/

    Para o caralho com eles todos! TC incluido e em primeira fila. Filhos da Puta e Gatunos. E o caralho do povo com peninha... Foda-se!

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.