quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Estava aqui a pontos de escrever um post sobre a finura que é a utilização de alguns termos escatológicos, em vez disso vou escrever sobre contradições

Não ter certezas absolutas sobre educação, tendo-as sobre tudo o resto, a começar por julgamentos abusivos.

116 comentários:

  1. "julgamentos abusivos" é um termo conclusivo, sem que V. Exª tenha enunciado factos que permitam tal conclusão; portanto, trata-se também de uma assumpção sua, sem qualquer facto que a suporte, ergo, cai no mesmo erro que acusa a outrem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Engraçado, essa linguagem parece-me algo familiar... Adiante.
      Precisa que lhe dê um exemplo? Eu dou, afinal nasci para vos ensinar, não é verdade?
      Abusivo será, por exemplo, insinuar, a partir de uma afirmação de que as árvores sobrevivem às crianças, com uma ou outra bola partida, que se acredita em obediência cega de crianças, castrando-as e dando palmadas a bebés de um ano porque eles insistem em mexer. Parece-me abusivo.Mas é só um exemplo, claro.

      Eliminar
    2. E isso foi dito onde? Porra que ainda por cima és mentirosa.

      Eliminar
    3. Não vejo isso escrito em lado nenhum. Nem nenhuma insinuação que lhe chegue perto. Obviamente a picante anda a alucinar. Ou então a querer chamar a atenção para si, que a luz já se vai desvanecendo, não é? Pick me, pick me!

      Eliminar
    4. A mim, a interpretação que fez no seu post sobre o que a outra escreveu também me pareceu abusiva relativamente ao verdadeiro sentido das palavras que lá estavam. A tal da desonestidade intelectual, mas desta vez praticada por si.

      Pessoalmente, acho que o que verdadeiramente a incomoda é não ter crianças para viver o espírito de Natal com verdadeira alegria. As que tem não são suas. E isso dói. Mas não é necessariamente razão para se perder num blogue de má língua.

      Eliminar
    5. Vamos lá cortar isto ás postas fininhas.
      Foi dito sim. Num blogue. E foi só um exemplo. Também falaram em nazi da educação, ou numa espécie de nazi de educação, já não me lembro.
      Quer mais? Eu arranjo. É abusivo, a partir da afirmação acima, concluir que as pessoas têm certezas sobre o que cada um deve fazer na sua própria casa.

      A que outra se refere? É que a coisa alastrou-se. Se se refere à Mais Doce, não sei de que desonestidade fala. Explique lá, como se eu fosse muito burra, qual é a desonestidade de dizer que as árvores sobrevivem às crianças, insinuando que controlo e vigilância fazem parte da educação de um petiz.
      (é que, no fundo, com um petiz de ano e meio a coisa resume-se a vigilância, dá muito menos trabalho retirar tudo o que ele possa partir quer andar sempre atrás dele para impedir que se magoe...)

      Eu não tenho crianças? Está certo, o Anónimo lá saberá da minha vida.

      Eliminar
    6. Não foi dito não senhora, pelo menos não pela pessoa que acusa de o fazer neste post. És desonesta e mentirosa quando dizes que a autora fez uma generalização abusiva a partir da tua frase, porque não fez nem disse absolutamente nada que se parecesse.

      Eliminar
    7. Realmente, espantou-me num post anterior a ideia que me pairou da Picante ser mãe.
      Não é nada contra, mas nesta coisa dos blogues construímos imagens e não a via com tal papel. Sempre a imaginei sem filhos e a viver sozinha, talvez por notar muita independência em si.

      Eliminar
    8. "Outra é sobre o que as pessoas devem fazer dentro das suas casas e com os seus filhos"

      (não lhe vou chamar mentirosa, nem iletrada, apenas distraída, sou uma boa alma, que quer?...)

      E, para que fique claro, os exemplos vêm de mais que um sítio,

      Eliminar
    9. Que eu saiba escreveste um post sobre a decisão da Pipoca sobre a árvore de natal que vai fazer na sua casa por causa do seu filho, opção essa que foi comentada até à exaustão com tudo a dar palpites, pelo que não houve generalização abusiva, houve comentar algo que de facto aconteceu, pelo que a única mentirosa e desonesta aqui és tu.

      Eliminar
    10. Anónimo das 14.50h
      As pessoas haveriam mesmo de se convencer que isto são só blogs, que cada um mostra o que quer, aborda os temas de maneira mais ou menos provocadora, é mais ou menos fiel a si próprio, consoante lhe apetece. É muito fácil moldar uma personagem. Claro que há muito de nós, no que escrevemos, mas as coisas não são exactamente o que parecem.

      (quando criei a Picante, imaginei-a solteira e sem filhos, sim, se for ao inicio do blog encontra um estilo bem diferente do que é hoje...)

      Eliminar
    11. Sim filha, vêm da Palmier onde ela ironizou e disse que se a sobrinha mexer na árvore de naltal nunca mais é convidada para ir lá a casa. Continua a não ter absolutamente nada a ver com o que afirmaste aqui acima que ela disse, sua mentirosona.

      Eliminar
    12. A Palmier? ahahahahahahahahahahah

      (deixe lá a Palmier fora deste assunto, isto não lhe diz respeito, em tendo dúvidas é ir perguntar à própria)

      E mentirosa é quem lhe fez as orelhas. Em não sendo inteligente o suficiente para perceber como são as coisas é perguntar. Não lhe publico nem mais um comentário nestes termos.

      Eliminar
    13. Anónimo das 15h.. O comentário de cima também se lhe aplica. Tento na língua.

      Continuo sem perceber o seu brilhante raciocínio. Escrevi um post, dizendo que as árvores sobrevivem às crianças e que limites (e vigilância) fazem parte da educação. E sim, o post saiu depois da Mais Doce se propor a fazer uma árvore na parede. E então? Quer desenvolver?
      Saberá, ao menos, a que me refiro quando falo de julgamentos abusivos?
      (bem me parecia...)

      Eliminar
    14. Prova então! Transcreve aqui onde é que a autora disse o que dizes que disse. Vá, se não és mentirosa prova-o com factos. Não deve ser difícil, se tens tanta certeza.

      Eliminar
    15. Mais uma vez a picante a espernear espernear porque não tem razão e não quer dar o braço a torcer, evadindo-se com respostas destas. Escapista.

      Eliminar
    16. Olhe, sabe que mais? Leia os comentários todos com atenção.
      Algures já tem umas aspas com o que "a autora" disse. E vá lá ao blog dela ver se é mentira. De caminho procure nos das amigas.
      (e depois venha cá pedir desculpa)

      Eliminar
    17. Já lá estive e nos das amigas, e a única pessoa aqui que deve um pedido de desculpas é a Picante porque continua a mentir. NADA disso que disse foi sequer remotamente dito. Ponto final.

      Eliminar
    18. Então vamos lá:

      Post inicial diz que a autora em questão se está nas tintas para as árvores de natal das outras pessoas, até aqui tudo certo, sim?

      A seguir responde a um comentário com "Ou porque não cabe na sua lista de prioridades diárias, como comprar papel higiénico." Nada a ver.

      Depois responde a um comentário sobre o que é dito e defendido em caixas de comentários sobre a educação que se dá aos filhos dos outros com "Ui, sim, isso dá panos para mangas. Já vi cada coisa, man... (deusmalivre, se alguma vez tiver filhos, de ficar assim tão cheia de certezas sobre como educar os filhos dos outros)" Continua a não ter nada a ver com o que diz ali em cima.

      Por fim respondeu a um comentário perguntando a razão do post com "K, tem a ver com um post da Pipoca Mais Doce sobre alterar a árvore de Natal devido ao facto de ter uma criança de ano e tal em casa, altamente atraída por coisas coloridas e de as atirar para o chão, e que levou a uma onda de críticas porque "tudo depende da educação que se dá às crianças e da liberdade que se lhes dá para mexer nas coisas". Enfim, as pessoas gostam mesmo muito de opinar sobre as opções alheias."

      Mais uma vez, nada a ver com generalizações abusivas nem referências que diz terem sido feitas. Nada, nicles, niente. Os restantes comentários são posteriores a este seu post e falam exactamente da sua desonestidade. Ponto final.

      Eliminar
    19. Mentir é feio, picante.

      Eliminar
    20. Abusivo será, por exemplo, insinuar, a partir de uma afirmação de que não se importa com as árvores de natal dos outros nem se tem certezas quanto à educação dos filhos dos outros, que a pessoa disse seja o que for sobre seja quem for acreditar em obediência cega de crianças, castrando-as e dando palmadas a bebés de um ano porque eles insistem em mexer. Parece-me abusivo. Mas é só um exemplo, claro.

      Eliminar
    21. A Picante já aqui afirmou taxativamente que não tem filhos. Não se trata de como "imaginou o boneco Picante (à época, Pipoca...)", afirmou que não tem filhos.
      Se assim não for, então o anónimo das 15:05 tem razão: é mentirosa.

      Eliminar
    22. Li tudinho tudinho tudinho e continua a não haver uma única palavra da autora a dizer algo que se pareça com "insinuar, a partir de uma afirmação de que as árvores sobrevivem às crianças, com uma ou outra bola partida, que se acredita em obediência cega de crianças, castrando-as e dando palmadas a bebés de um ano porque eles insistem em mexer." Nadica de nada, nicles batatóides.

      Eliminar
    23. "Outra é sobre o que as pessoas devem fazer dentro das suas casas e com os seus filhos"

      (não lhe vou chamar mentirosa, nem iletrada, apenas distraída, sou uma boa alma, que quer?...)

      E, para que fique claro, os exemplos vêm de mais que um sítio,"


      Mais um exemplo flagrante de desonestidade da picante. A picante escreveu um post a criticar a visada por ter muitas certezas numas coisas e não noutras, e isso ser uma contradissão. (não é)

      A autora respondeu-lhe explicando que para ela "Uma coisa é ter certezas sobre o que considero evoluções desejáveis para uma sociedade mais civilizada, e enfim, melhor. Outra é sobre o que as pessoas devem fazer dentro das suas casas e com os seus filhos."

      Responde à sua acusação e fala sobre as certezas que ela tem, e em lado nenhum insinuando seja o que for que diz que insinuou. Tirar disto o que quer que seja é muitíssimo abusivo e desonesto.

      Eliminar
    24. Sempre pensei que a picante tinha filhos...Querem ver que nao leio o mesmo blog?
      Mas, o que me chateia mesmo, mesmo, e' num sitio escreverem um post e depois irem para o outro blog explicarem o que escreveram (ou o que queriam ter escrito!). Bolas, sao escritores, jornalista, bla, bla e nao sabem escrever a primeira o que queriam?? Estranho. Ou e' gente que nao bate bem ou agem de ma-fe, para dar azo a estas discussoes e aumentarem os comentarios, porque parecendo que nao, ha quem viva dos blogues e de vez em quando e' preciso agitar as aguas para fazer subir o contador das visitas, digo eu.

      Eliminar
    25. "as crianças e a educação mais ou menos nazi que se defende..."

      Não é da autora do post. Da autora do post vem um "se alguma vez tiver filhos, de ficar assim tão cheia de certezas sobre como educar os filhos dos outros"

      E agora vá lá à procura do blog, desta vez com olhos de ver.

      Eliminar
    26. Já li filha, com olhos de ler, e o que a pessoa disse foi que não queria "se alguma vez tiver filhos, de ficar assim tão cheia de certezas sobre como educar os filhos dos outros" como resposta ao comentário da isa sobre as certezas expostas em caixas de comentários. Falou na primeira pessoa do singular e tu continuas a mentir descaradamente.

      Eliminar
    27. Às tantas dei a ideia de que os exemplos vinham todos da autora do post. Não vêm, a bem dizer os exemplos mais abusivos não são proferidos por ela, sequer.

      As minhas desculpas mas só agora, ao reler isto é que percebi que estava a passar essa ideia a mais que uma pessoa, pareceu-me fácil de verificar, indo ao blog, mas fica o esclarecimento.

      Eliminar
    28. Não tires do contexto, o comentário da Isa foi "acho que a árvore de natal foi só um pretexto, o que tema fraturante são as crianças e a educação mais ou menos nazi que se defende em caixas de comentários de posts de blogs."

      Ao que a visada responde:

      "Ui, sim, isso dá panos para mangas. Já vi cada coisa, man...

      (deusmalivre, se alguma vez tiver filhos, de ficar assim tão cheia de certezas sobre como educar os filhos dos outros)"

      Isto é uma resposta clara ao que a Isa refere ver em caixas de comentários de blogs, e uma resposta pessoal, que não tem nenhum tipo de insinuação ou generalização abusiva de que a acusaste. Não há outra forma de ler, há apenas a tua desonestidade intelectual de distorceres o que foi dito.

      Eliminar
    29. A picante refere-se a um post feito pela Isa, não ao comentário.

      Que mania é esta de apontarem o dedo timidamente? Por que é que não dizem logo a quem ou ao que é que se referem, sem rodeios? Fonix, mesmo típico de gaja.

      Eliminar
    30. Não, porque refere o título do post da outra claramente, portanto a acusação era para ela.

      Eliminar
    31. Realmente. Às tantas começo a pôr aqui links, começa a aborrecer-me.

      Eliminar
    32. Uns 15 ou mais comentários a tentarem enxergar quem é que disse o quê. LoL Querem preservar alguma discrição, é? Ó Picante, não me digas que é esse o teu objectivo...

      Eliminar
    33. Sim o post era para ela. É abusivo vir dizer que se tem imensas certezas sobre como educar os filhos dos outros a partir da porrra da árvore de Natal.

      Depois dei vários exemplos de juízos abusivos. A maior parte não são ditos por ela, são ditos pela Isa, no seu próprio blog.

      E acabaram-se as explicações, isto perde a piada quando é necessário explicar-se as coisas. Obviamente que a culpa é minha, o post saiu-me mal ou não teria dado azo a isto.

      Eliminar
    34. (sim, foi tudo péssimo, neste post. Acontece, melhores dias virão)

      Eliminar
    35. http://www.ecaequeeessa.com/a-questao-fraturante-da-arvore-de-natal/

      hellooooooooo?!?

      Devem estar todas a fazer-se de estúpidas, só pode...

      Eliminar
    36. Pronto, parece que o link mostra o que eu entendo por juízos abusivos.

      Eliminar
    37. Ah bom, assim já fica melhor: fazer um post a criticar e a acusar uma pessoa de fazer aquilo que foi outra que fez, e defendê-lo com unhas e dentes. Tem lógica, sim senhora.

      Eliminar
    38. Limitei.me a dizer que a rapariga não tem certezas sobre educação mas que tem sobre todos os restantes temas. E que faz julgamentos abusivos. E faz.
      Perguntaram-me o que é um juízo abusivo. Dei exemplos, dizendo que provinham de mais que um local. São exemplos de juízos abusivos, sem qualquer dúvida. E provêm quer de um post a meu respeito, quer da troca de comentários entre duas bloguers.
      Vocês recusaram-se a ouvir, preocupados que estavam em chamar nomes.

      Portanto, sim, tem lógica. A minha lógica, no meu blog.

      Eliminar
    39. Um à parte: eu visito o blog há pelo menos 1 ano, durante este tempo li várias insinuações e situações que me fizeram sempre suspeitar que a Picante tinha crianças a viver/conviver de forma constante consigo.

      Se disse taxativamente que não tinha filhos foi antes disso com certeza, desde então acho que não o fez e não será culpa da Picante se os anónimos(as) não sabem ler nas entrelinhas ou interpretar... na volta falta-vos crianças por perto.

      Eliminar
    40. Peço desculpa da intromissão nesta discussão, longa e acesa, mas este género de conversa só me faz pensar numa coisa: não têm mais que fazer do que andar de blog em blog a procurar provas das mentiras/desonestidades intelectuais/conclusões abusivas que, alegadamente, umas e outras vão cometendo? A sério, não é maldade nem exactamente uma crítica, mas lá que me faz espécie faz. E depois levam coisas a peito, inflamam... Eu levei cerca de 5 minutos a ler estes comentário e a escrever este, porque acho do outro mundo desgastar-me com um troca de opiniões que toma proporções rídiculas como esta, com toda a bloga on fire (pelo que me apercebi, porque só li 3 blogs acerca do tema "árvore de Natal").

      Ah, e é escusado virem atiçar a fogueira para o meu lado, que eu já entrei no espírito Natalício e já estou toda amor, paz e felicidade! ;) Beijinhos

      Eliminar
  2. Pipocante Azevedo Delirante20 de novembro de 2014 às 10:13

    Rã sem pernas é surda. Nunca esquecer!


    (isto ainda é sobre as árvores do jingle bells?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não. É mesmo só sobre certezas absolutas e conclusões que se tiram a partir do que não é dito: Poderá aplicar-se a qualquer tema.

      Eliminar
    2. Tal e qual o que a picante fez neste caso: tirou certezas e conclusões sobre o que definitivamente não foi dito por aquela pessoa.

      Eliminar
    3. Sabe ler? Está claramente escrito ali em cima que o que escrevi foram exemplos vindos de vários locais. Dois, para ser específica. E não foram todos ditos pela mesma pessoa.

      Eliminar
  3. Se ainda é sobre aquilo do Natal... de um lado mães e pais malvados tipo Scrooge, que não deixam as crianças serem crianças e do outro os bondosos, os extremosos...Foi só fazer-se de conta que não se percebeu o que a Picante e quem concordou consigo disse, estremar a coisa e pronto tivemos campeonato, quem ganhou? para o bem de todos espero que ganhe o meio termo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho de escolher um tema realmente interessante para falar da próxima semana. Talvez a eutanásia, quem sabe?

      Eliminar
    2. A eutanásia é um tema mesmo muito interessante.

      Eliminar
    3. Até podemos falar do desaparecimento dos sabonetes feno de Portugal. Sinceramente este assunto já tresanda. Muita mania têm as pessoas de destilar fel sem travões. Arre, não se consegue ter uma conversa cordial e concordar em discordar? E já agora: muito me espanta a quantidade de anónimos a bater na mesma tecla; insultar a picante gratuitamente. Aposto que metade tem blogs bem conhecidos aqui da praça. Falta-lhes em tomates o que sobra em intelectualidades bacocas. Haja pachorra...

      Eliminar
    4. Quando muita gente entende errado, é provável que a culpa seja do emissor.

      (eu ia jurar que reconheci uma das Anónimas, as pessoas às vezes traem-se, mas diria que não são assim tantas, volta e meia acontece isto, nada de preocupante)

      Eliminar
    5. A mim irrita-me muito. E acho, sobretudo, uma tristeza.

      Eliminar
    6. Acha mesmo? Olhe já eu percebi tudo muito bem. E não tenho doutoramentos. Quer-me parecer que isto é apenas aproveitar a onda para moer. Se fosse comigo e se me chamassem mentirosa a cada 2 comentários já tinha apelado aos Simpsons mais cedo. Piretes. Paletes de piretes pá.

      Eliminar
    7. Acho que há quem tenha prazer em distorcer tudo o que digo, independentemente do que disser. Tentaram, por exemplo, insinuar que este post atacava a Palmier. E era só ver com atenção para perceber que não.
      Mas, como fiz o post a partir da opinião que tenho de uma pessoa, aproveitando um título, e sustentando com exemplos que não provinham dessa mesma pessoa, a coisa pode ter ficado confusa. A verdade é que as pessoas não estão na cabeça de quem escreve, portanto parte da culpa será minha.
      Mas claro que as donas Joaquinas aproveitaram a confusão para minar, é sempre assim, não é de todo preocupante.

      Eliminar
  4. Olhem para mim, olhem para mim, estou aqui! Picante, já chega, sim? Não seja ainda mais ridícula.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora Anónima, eu estou sempre aqui...
      (mas, às tantas não consigo chegar a tantos blogues, são muitos a querer atenção, acabo por não ter tempo...)

      Eliminar
  5. Tem graça, que nunca tiveste problemas com finura quando publicaste um texto onde lhe chamavas parva de merda. A memória é uma coisa tramada.

    E sim, já sabemos que "não fui eu que escrevi, não tenho culpa, tadinha de mim tão idónea, oh!".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perguntar e responder?
      (deve gostar de se ouvir...)

      Eliminar
  6. Ora bem. Ainda na senda benfazeja de ajudar o futuro da Portugalidade através dos signos, calha a sorte aos nativos de:

    SAGITÁRIO
    2015 será um ano propício ao desenvolvimento de novas amizades e a fortalecimentos das antigas, pelo que não deverá descurar aqueles que ama, principalmente a filha adolescente mamalhuda do seu melhor amigo, aquele com quem partilha os copos e a sua mulher, ( mesmo que você não o saiba).
    Ano propício ao desenvolvimento de projectos de alto risco, pelo que não deverá hesitar mais e lançar-se na promissória carreira de assaltante de bancos, o que lhe trará a felicidade no casamento com aquela mulher de sonho por quem há muito andava a salivar.
    Lamentavelmente irá enganar-se e assaltar uma dependência do BES, onde será reconhecido como o maior devedor e principal responsável pela falência do Banco. Depois de liquidar as dívidas com todo o dinheiro que nos outros bancos ganhou, ficará teso e vai de grelha seis anos.
    A sua mulher que se encontrava há cinco meses a passar férias na Jamaica, não lhe perdoará o erro crasso de ter sido lorpa e deixar-se apanhar, vai abandoná-lo e investir no negócio da banana jamaicana
    Nem tudo será mau em 2015 e boas perspectivas se abrirão para meados de Julho, como arrumador de carros para os lados de Paranhos.
    As mulheres Sagitárias devem apostar fortemente na importação de pepinos e tomates.
    Tempo frio e com tendência de agravamento, a menos que faça sexo a quatro..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (esta pérola, aqui, vai perder-se, as coisas estão meio inflamadas, deve ser da chuva, as pessoas aborrecem-se e andam com os nervos...)

      Eliminar
    2. Valha-nos o Corvo e a continuação da senda benfazeja. Tais pérolas não se perdem Picante, ainda me deu mais vontade de rir, no meio de tanta gente à pedrada, vem o Corvo e a sua boa onda, o contraste é hilariante.

      Eliminar
    3. Pipocante Azevedo Delirante20 de novembro de 2014 às 15:40

      Têm falta de homem,,, e inveja do teu sucesso, é o que é, umas despeitadas.

      Ops

      Desculpe, comentário na Pipoca errada.

      Eliminar
    4. Ora Picante; e daí?
      É tudo por desporto. Veja-se, por exemplo, Uma Progenitora Arrasada de Preocupações e um Desconto de Tempo, hã?
      Também publicam sem interferências alheias, que nas mais das vezes são extremamente prejudiciais, como provavelmente a Picante já se deu conta. Publicam portanto na desportiva, e não é por isso que não deixam de ser boas pessoas com direito à coluna VIP em todo o blog que se preza.
      É isso, coisa sem gravidade, vai passar

      Eliminar
    5. O Corvo não perde uma...

      (isto sem comentários não teria mesmo gracinha nenhuma)

      Eliminar
  7. Tens de frequentar o curso de blogues, só numa de aprender a escrever correctamente.
    Kis:=)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu percebi temos pena tb que não percebesses.
      Kis :=)

      Eliminar
    2. Eu percebi que nenhuma percebeu. Porque o post está em aberto e o comentário não faz sentido algum, aliás é algo recorrente nesta comentadora.

      Eliminar
    3. Quem, eu? Comentadora recorrente algo que não percebi, e o comentario nenhuma percebeu, somente esta grande anónima também recorrente que tem uma cabeça enorme...somente ela percebeu, clap clap clap recorrem-me...é algo comum nunca percebo nada... Vai um café com bolachas para me fazer entender?
      Ai anónima ainda bemz que percebeu, é algo recorrente em si perceber aquilo que muitos nao percebem, valha-me santa teresinha do menino jesus
      Kis /:=)

      Eliminar
    4. Se ajudar, eu também não percebi.
      (mas percebo o trocadilho que achou que não percebi. ora... vou dormir,,, boa noite AvoGi)

      Eliminar
    5. Mas que raio é que quer dizer "Kis"? Não será "Kiss"?

      Eliminar
  8. Pipocante Azevedo Delirante20 de novembro de 2014 às 14:25

    Quanto a assuntos da esfera pública e privada* (ou outros sólidos)

    A esfera deixa de ser privada quando é publicada num espaço público.
    A educação de um petiz, embora sendo de responsabilidade dos pais, acaba por interferir na esfera pública, seja escola, como sociedade em geral.

    *engraçado, há uns anos o que se passava entre marido e mulher entre 4 paredes também a eles apenas dizia respeito. As "cousas" mudam...

    PS: sempre pensei que a filha do meu amigo já tivesse feito os 18..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora... em sendo para falar da Picante, esfera privada é privada e mais nada.

      Também me deu vontade de ir lá perguntar se bater na mulher, entre quatro paredes, seria válido mas dado que cairia naquilo com julgamento abusivo, achei melhor não.

      (pergunto-me se elas saberão quando tiram conclusões abusivas ou se são mesmo burras e se aquilo lhes estará nos genes...)

      Eliminar
    2. Violência doméstica é crime público.

      Eliminar
    3. Exactamente por isso é que a conclusão seria abusiva. Claro que é crime público.

      Eliminar
    4. Pipocante Azevedo Delirante20 de novembro de 2014 às 14:44

      Pois é, mas nem sempre foi.
      E socialmente falando, ainda há quem ache que não é.

      Eliminar
  9. Conclusões abusivas, o resumo:

    http://pipocamaispicante.blogspot.pt/2014/11/situacoes-deveras-incomodativas-que.html

    Mas não, julgar abusivamente só toca aos outros, nunca à Picante. Quando é a Picante a fazê-lo, "oh, estou só a ridicularizar a coisa, nada mais...". É. Deve ser. Nós, "os outros", é que nunca conseguimos alcançar a coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é um exemplo de julgamento abusivo? Está certo. Olhe ficamos assim, está bem? Não se incomode mais, não há necessidade...

      Eliminar
    2. Como a Picante não consegue, vou eu dar um exemplo de julgamento abusivo: dizer que determinada blogger é gorda porque passa a vida a enfardar panquecas e bolos.

      claro que não é um julgamento, nem abusivo, a picante sabe porque é visita da casa, amiga íntima, unha com carne...

      Eliminar
    3. Experimentem nao comer a ver se ficam gordos(as)! Para sustentar aquele corpito, nao hao-de ser so verduras, nao.

      Eliminar
    4. Isso não é julgamento abusivo. Chama-se a isso ter olhos na cara e ver que a mulher pranta fotografias, onde se confundo com um cachalote. Santa paciência.

      Eliminar
    5. Onde se confunde...

      É gorda, só um cego é que não vê,

      Eliminar
    6. Lá está, julgamento abusivo. Sabe lá o que a outra come ou deixa de comer? Está lá? Tem 2 crianças e um adolescente em casa, já lhe ocorreu que os bolos e panquecas possam ser para eles?
      E para quem é de ciências tem raciocínios muito fraquinhos. Esse silogismo de é gordo, logo come muito e porcarias, é de uma falta de tudo que até aborrece.

      Ah, e quem não come, morre. Toda a gente tem de comer.

      (cachalote de de uma fineza, de uma elevação, de uma educação esmerada. que faria se a senhora dona picante fosse de chelas. ou então...)

      Eliminar
    7. Sabem uma coisa que faz as mulheres engordarem muito, por exemplo? Tratamentos para a infertilidade. Sabem vocês lá o que se passa com cada um? Que gente tão comezinha.

      Eliminar
    8. Anónimo das 16:100, eu concordo consigo, relativamente ao "chamar nomes", quando e só quando são para ferir a pessoa. Mas quando é descritivo, por vezes temos o cuidado de chamar "gordinha", ou "forte"?
      No caso desse blog, no caso do conteúdo e da autora, tenho a dizer-lhe que a mim faz-me uma tremenda confusão.
      Ainda não percebi se o blog é sobre; dietas, cozinhas brancas, casas de férias ou auto-ajuda. (parece que é um pouco do tudo)
      A autora é do mais vago que há quando escreve sobre força de vontade, ou amor, ou o qualquer coisa que nunhum de nós sabe bem o que é aquilo (geralmente acompanhado de uma fotografia que não é da autora, com um aspecto todo muito hilpster kinfolk)
      Volta e meia, fala sobre A dieta, ou as dietas e como é uma luta e como vai conseguir, e o equilíbrio e etc e tal, farta-se de se promover como guru do equilíbrio e harmonia e Sol e Sal e uma família grande e etc.
      Como é que é possível, que uma pessoa que está de dieta, ainda não tenha emagrecido? A menos que tenha um problema que vai além de alterar o seu regime alimentar e exercício físico. Mas acho que se assim fosse, já teria dito a muitas das leitoras que a seguem como inspiração. Eu sou uma dessas leitoras, mas depois comecei a ver que era um blog de fantasia e deixei de me identificar.
      Acho esse blog uma farça, é a mesma coisa que o "catfish" (pode ir procurar no google e certamente vai concordar comigo), a senhora não é um "cachalote", é uma senhora acima da média. Não há nada de errado nisso, mas páre de vender a agarrar seguidoras se depois nem dá o corpo ao manifesto.

      Eliminar
    9. Sim, sim, engordam. Sobretudo se nao fecharem a boca!

      Eliminar
    10. Anónima do julgamento abusivo, está certa. Há cerca de 75% de Portugueses gordos (acho que é este o número). Está mesmo a ver-se que são gordos porque são doentes, não é porque se fartam de comer mal. Está certo, os bolinhos são todos para as crianças, ela é daquelas que engorda e não come nada, só bebe água.

      (pronto... não se zangue... pequena lontra, vá...)

      Eliminar
    11. (pequena lontra é fofinho, pois é?)

      Eliminar
  10. Pipocante Azevedo Delirante20 de novembro de 2014 às 15:32

    CAAAAAAAAAAATTTT FIIIIIIIIIIIIIIIIGHTTTTTTTTTTTTT

    Blogladies, be cool (onde anda a Arrumada, para por água nisto???)


    Vamos a ver: o busílis do Pipocagueite nunca foi a árvore per se, mas o facto dela pensar em não a colocar, pela razão única do MiniPopcorn a mandar abaixo (acho que aquilo foi mais intro ficcionada que outra coisa, mas adiante). Se ela que por um pinheiro, um abeto, um boneco insuflável, é lá com ela, embora, se "publicite" as suas opções decorativas, estas ficam passíveis a crítica.
    Daí a se discutir o mexe-não mexe foi um passo, uns mexem em tudo, outros são uns santos, whatever. Claro que cada um sabe como educar o filho (embora publicitem livros que ensinam a fazê-lo, vejam a coerência), mas o facto é que o comportamento de um petiz vai para lá da esfera privada. O mini-me pode mandar a árvore abaixo em minha casa, e eu tomar uma postura passiva, é lá comigo, sim, mas quando for ao café do bairro e ele achar por bem desbastar a árvore que o senhor Borges colocou à entrada, como é? Portanto sim, acho-me no direito de opinar sobre teoria da educação de terceiros (ainda por cima quando a própria criança é, por opção parental, figura pública), porque qualquer filho de qualquer pessoa não vive isolado de terceiros. Isto claro, sabendo que cada caso é um caso, certezas não as há, e manuais de instruções muito menos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "certezas não as há, e manuais de instruções muito menos."

      Tal e qual aquilo que a visada disse relativamente às suas certezas pessoais relativamente à educação dos filhos dos outros. Só isso, apenas isso, sem mais considerações.

      Eliminar
    2. Anónima, de uma vez por todas, o post NÃO é sobre a Palmier. Em tendo dúvidas vá lá perguntar-lhe, ela esclarece-a.

      Eliminar
    3. PAD, não lhes estrague o divertimento, pelo amor da Santa...

      (é muito difícil de atingir, fazer o quê?).

      Eliminar
    4. O PAD chamou aqui estou, mas neste caso a conversa já vai muito longa!

      Eliminar
    5. PAD, não poderia ter posto de melhor maneira. Essa coisa de tirar tudo das mãozinhas dos petizes é quanto a mim um grande erro. "Devil finds work for idle hands"
      E depois penso, nos pais que têm crianças com diferenças grandes de idade, vá 5 anos. o mais velho deixa de ter uma Árvore de Natal, porque o mais novo vai estragar, parece-me mal. E depois, a arvore fica o quê? 1 mês? Nem tanto? Na minha casa, eramos mais crianças do que pais, não havia uma mão para cada filho, mas lá está, os meus pais fizeram todos os sacrifícios que sentiram necessários para o nosso conforto e acredite que nunca ouvi um lamento da boca deles. Mas na volta, se tivesssem um blog, era uma história completamente diferente.

      Eliminar
    6. PAD, "Pipocagueite", é de mestre!!!!

      (e deixe lá Arrumada, que ela concorda sempre com tudo.)
      (Não se ofenda Arrumada, mas parece que não tem opinião própria, parece que vai sempre atrás do "rebanho" )

      Eliminar
    7. Quando a criançada faz asneira, as pessoas encolhem os ombros e dizem "São crianças." Como se isso fosse justificação para os pais não estarem de olho nelas, ou a não cuidar das ditas crianças e a evitar acidentes.

      Eliminar
    8. O acidentes acontecem, por mais que se esteja de olho nelas. Eu limito-me a tomar cuidado para que sejam minimizados, com danos controlados. Mas sou da opinião que as crianças têm de cair para aprender a levantar-se. Hiper protecção é nefasta, quanto a mim, claro...

      Eliminar
  11. Ó Picante, não venhas para aqui armar-te, é evidente que não tens filhos. Se os tivesses, não debitavas essas teorias parvas sobre como os tratar.

    Basta veres o que a Palmier, a Xaxia e a Sexinho (esta no blogue da Palmier) disseram sobre o assunto. Quem lida com crianças sabe que a realidade fica a milhas do que apregoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai que aborrecimento. Está bem, então não tenho.

      Eliminar
    2. Ahahahahahahah ahahahahahahah os teus anônimos são espertos demais para ti é o que é... (Eu por acaso sempre fiz arvore e não me lembro de ter corrido mal no Natal com o Jr. com 18 meses, mas se aquilo me cheirasse que fosse dar drama, às tantas, eu também teria simplificado... Até porque sei que não consigo estar com mil olhos em cima deles.)

      Eliminar
    3. Mas então as pessoas são todas iguais? Quando se é mãe, pronto, é mais uma, somos todas iguais.
      E acredite que as "teorias parvas" da Picante criaram muita gente por aí! Acredite!

      Eliminar
    4. Nê, a bem dizer, quanto a isso da árvore, eu limitei.me a fechar a porta da sala. Aos dezoito meses a criança não chegava ao puxador, era-lhe impossível abrir a porta. Vai daí que nunca estava sozinho na sala, não havia o perigo daquilo lhe cair tudo em cima.

      Foi bastante simples, até...

      Eliminar
  12. Picante, também já se mudava a ortografia ali do título, não?

    ResponderEliminar
  13. Como ver quando a pipoca meteu água da grossa? Nenhuma das amiguinhas vem cá comentar. Pernas para que te quero.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que só comentam quando concordam, como eu faço com todas as que visito.

      Eliminar
  14. Muitos comentários podem não significar muita qualidade de argumentação, neste caso amiga Picante faz bem em não explicar os posts, afinal isto assim tem mais piada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. YAY!! Falou a voz da razão!!! Post sem a Arrumadinha, não é post.

      Eliminar
  15. A Isa procura atençao seja de que maneira for. conseguiu
    A luna, já se sabe, nao larga o osso
    A pipoca mais doce escreve o que quer, faz o que quer e vocês andam por aí a falar na porra da arvore de natal e na educaçao que as criancinhas devem ter em vez de as fazerem. chatas

    ResponderEliminar
  16. Para uma mulher que se diz tao feministas, deixou-me com a pulga atras da orelha quando fala daquilo "dentro das suas casas e com os seus filhos". Inte m'arrepio... Sera que e' possivel uma mulher ser violada pelo seu marido? Por este argumento ("dentro das suas casas") nao me parece. Por outro lado, nao sabia que aquilo que se escreve num blog, ao qual ate na China devem ter acesso, fosse assunto privado. Sempre a aprender!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que isso da violação seria juízo abusivo. Que por acaso é o que ela faz frequentemente em discussões cujos temas lhe falam mais ao coração.
      Eu achava que a Internet era pública mas, pelos vistos, os blogs são uma excepção.

      Eliminar
  17. Mas alguém entende alguma coisa do que foi escrito aqui????tou completamente aos papéis,nem sei como se entendem umas às outras!mas uma coisa acho que já entendi...a autoria deste blog é feminina. Só uma para conhecer outra...

    ResponderEliminar
  18. E aqui se prova, mais uma vez, que a picante só sabe argumentar através de ataques pessoais. Isso sim, de uma finura que eu sei lá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se assim fosse teria estado presente no instax day, ora essa.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.