terça-feira, 25 de novembro de 2014

Aquilo da vergonha alheia

Não é a mediatização da detenção de um presumível corrupto, ou os pulos de alegria de alguns, nem tampouco as reacções cretinas de outros, amigos de Sócrates? Sério? Mas dizia eu que aquilo que me envergonha, que me enoja, mesmo, é ouvir políticos compará-lo a Mandela, dizer que só um crime de sangue justificaria uma prisão preventiva de um ex primeiro-ministro e outras alarvidades que tais. Mas esta gente acha-se quem? 
Ora ide todos para a meretriz que vos pariu e deixai-nos em paz, até para o descaramento há limites. Arre!

3 comentários:

  1. Gostei!
    Como dizem lá os políticos na Assembleia: Muito bem, muito bem!

    ResponderEliminar
  2. Isso dos amigos não me aquece nem arrefece que lhe façam juras de amor e fidelidade eterna. Se os tem que os mantenha por muitos e longos anos (a ver quantos conseguirá manter no fim disto tudo).
    Agora a comparação com Mandela e a conversa de só um crime de sangue justificar a prisão preventiva de um ex-PM, sou da sua opinião. Mas que leis lê esta gente, que informação processual possuem para dizer se a medida é adequada ou não? Pois que, por ora e até trânsito em julgado de uma sentença, o arguido se presume inocente, pois muito bem, não deverá presumir-se também que o juiz está a desempenhar bem o seu papel? Vão ganhar vergonha na cara.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acima de tudo, quanta lata é preciso ter para dizer que o homem, por ter sido primeiro-ministro, deve ter tratamento preferencial? Não queria ser humilhado? Sério? Quanto a mim, humilhação é (presumivelmente) ser desonesto e não ter honra.
      Com os porcos. Corja de poltrões.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.