quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Há uma linha...

...que separa os blogs de sátira e ironia, por mais dura que ela seja, por mais mauzinho que possa parecer o sarcasmo, dos outros. Os que se limitam a dizer "és feia e pareces uma macaca". Isso não é ironia, nem tão pouco humor, é só dizer mal porque apetece. É bem verdade que quem se expõe sujeita-se, mas também não é menos verdade que dizer a alguém "pareces um austrolopiteco" é poucochinho. Bastante poucochinho.

41 comentários:

  1. Sim, há muita gente que confunde dizer tudo o que se pensa, sem filtros e, que ironia, sem pensar, com frontalidade. Para mim a ausência de filtro não é frontalidade, é má educação.

    ResponderEliminar
  2. Há o sarcasmo e há a maldade. Há a ironia e há a má educação. Coisas diferentes e tão vulgarmente confundidas

    ResponderEliminar
  3. Tipo "parva como a merda"? Pois.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "A parva de merda sou eu" se não me engano. Só que parece que serviu a carapuça a algumas.

      Eliminar
    2. Parva de merda.
      Irra que nunca mais aprendem!

      Eliminar
    3. Eu para si seria mais bardajona de merda, mas a picante isso já não deixa, que só se pode ofender os que não são do grupinho e aí já vale tudo.

      Eliminar
    4. A Picante está cansada deste tema que já foi rebatido até à exaustão.
      Em querendo insultar alguém é ir à fonte, pode ser?
      Agradecida.

      Eliminar
    5. Aquilo que não nos convém cansa sempre muito. A fonte foi este blog, onde o texto foi defendido exaustivamente, logo é lógico que se relembre o passado quando aparecem posts hipócritas como este.

      Eliminar
    6. Você para mim seria bardajona merda? Por acaso não é expressão que use muito, prefiro parva de merda. É multiusos e cabe em todo o lado.

      Eliminar
    7. Não me viu a defender o texto, viu-me a defender o direito a ele existir, parecendo que não, é diferente. Eu sou uma Santa, de maneiras que repito o que disse na altura, que o removeria a pedido de duas pessoas, a autora ou a visada. Ora ninguém me pediu para o retirar.
      E ficamos por aqui, não vale de todo a pena remexer nesse assunto. Já foi tudo dito e redito, variadíssimas vezes.

      Eliminar
    8. A sério meninos, comportem-se. Não vale mesmo a pena insistirem.

      Eliminar
  4. Pipocante Azevedo Delirante10 de setembro de 2014 às 18:41

    Tou fora.
    Tou dentro
    Tou fora

    A sério

    Tou fora

    ResponderEliminar
  5. ainda vai chegar o dia em que picante e demais vão todas juntas de mãos dadas ver o sunset e tomar uns drinkes.

    De repente é tudo amigalhaço e fazem post´s a defenderem-se umas as outras, quando as causas nem são suas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que dúvida? Só para quem não conhece as sagradas filhas de Eva.
      Juntas, é assim: beijinhos ao chegar, muitos risinhos concordantes, muitos elogios de todas às toilettes de todas, dos loks, das nails, dos perfumes, das elegâncias, dos penteados; uma fala da preparação do sushi caseiro que é um primor, todas a rodeiam pedindo-lhe a receita. Mais risinhos cúmplices e outra fala especialmente do rebentinho que; "nem sabem, queridas; sai-se com cada uma". Riem todas à gargalhada e apoiam, que sim, que estas crianças de hoje parece que já nascem ensinadas e depois cada uma desata a referir os predicados e as tropelias dos seus. Nessa ocasião gera-se uma espécie de burburinho, mas nada de quezilento, apenas o afã de salientar o desembaraço e a inteligência do rebentinho próprio.
      Algumas queixas dos maridos ou dos namorados, voltam a rir-se e todas concordam que sim, que são uns desastrados, que para fazerem uma coisa em casa partem cinco, uma outra diz, a rir e as outras ouvem muito interessadas, que “o meu então até para vestir o fato de banho à miúda é uma desgraça e se não reparasse quase que estrangulava a rapariga”. Todas fazem um ar de compungida condescendência que isto, os homens, são uns queridos mas, valha-lhes Deus.
      Uma espevita-se mais um pouco e diz que o dela quem lhe tira o futebol na TV tira-lhe a vida, mas cala-se logo e arrepia caminho quando repara no ar sério das outras, disfarça e entra a discorrer sobre a pouca vergonha da casa dos segredos que está mesmo ai a rebentar.
      A coisa prossegue, a noite ainda é uma criança, mas a sã e salutar amizade, e sobretudo, compreensão sai altamente reforçada.
      Despedem-se com muitos beijinhos, que foi uma noite bem passada, que há que tempos não se divertiam tanto e para serem mesmo sinceras nunca passaram uma noite como esta. Prometem repetir e cada uma vai para sua casa. Se sozinha, a rir-se interiormente da pirosice das outras que mais parecem umas dondocas sem gosto nenhum. “Que mau gosto, minha Nossa. Então aquele cabelo parece um ninho de ratos.”
      Se forem a duas, então as críticas são incomparavelmente reforçadas e a galhofa atinge raias incomensuráveis.
      Só não falam, porque infelizmente ainda não sabem, ou melhor; só um restrito grupo sabe; mas crê-se que caminham rapidamente para o conhecimento; que parturiente que não dê à Luz através de cesariana não tem direito a sobremesa.

      Corvo.

      Eliminar
    2. este post não vem de outro post´s?
      Sobre uma visada?

      Eliminar
    3. Não defendo a visada, ela não está para além de críticas, ninguém está. Acho pouco elegante atacarem-na daquela maneira. Haveria maneiras mais inteligentes e bem educadas de a satirizar. É só isso.

      Eliminar
  6. Não se trata de ironia ou pura brincadeira, isso para mim é um insulto.
    Há gente capaz de tudo, enfim...

    ResponderEliminar
  7. Gente reles é sempre reles. Não considero a crítica fundamentada algo reles.

    ResponderEliminar
  8. Mas... Mas... Aqui já se gozou com uma blogger por comer panquecas e ser gorda, ou foi um delírio meu?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu também tenho uma vaga ideia, mas parece-me que não foi bem assim.
      As panquecas é que eram gordas e a blogger só comeu uma e meia porque teve o azar de deixar cair o prato, o que foi uma pena porque, por sinal, a blogger até era magrinha e andava numa de comer panquecas gordas a ver se criava uns quilitos mais porque a roupa ficava-lhe toda larga.
      É disso que eu me lembro.
      Corvo.

      Eliminar
    2. Foi delírio seu, sim. Aqui gozou-se com uma blogger que passava a vida a falar de vida e comida saudável, a vender uma imagem que não era a sua e que, vai-se a ver, não batia de todo com a realidade.
      Se eu passar a vida a recomendar dietas e depois pesar alguns cem kilos as pessoas riem-se, ou não?

      Eliminar
    3. Bom; se pesar cem quilos, acho que vão pensar melhor antes de se rirem.
      Uma murraça de cem quilos, palpita-me que faz mossa.
      Corvo.

      Eliminar
    4. e aquela de biquíni que tinha fotos?
      Também não foi gozada?

      Eliminar
    5. Ah! A magrela do biquíni?! Dessa também me lembro.
      Mas essa mereceu! Vir uma magrela pavonear-se em biquíni para junto duma... duma que não mete o rabo no fato de banho; de que estava à espera?
      Queria ver se fosse consigo.

      Corvo.

      Eliminar
    6. Anónimo, por acaso lembro-me bem do que escrevi, e passo a citar:
      "Novo must-do da bloga: despir-se para o blog"
      Diga lá onde é que eu falo do corpo de alguém? Onde é que digo se é gorda ou magra, se bem feita ou um coirão?

      Eliminar
  9. Sempre tantas matizes...

    1) Se for mesmo um um australopiteco não é insulto mas um facto.
    2) Se não for, pode ser parecido, e o significado perde-se no domínio da subjectividade.
    3) Havendo malícia há de facto um australopiteco na conversa.
    4) Se sofrer de tourette é inimputável neste âmbito dos insultos.
    5) Pode não ser um insulto mas um incentivo ao trabalho esforçado, logo com um propósito utilitário.
    6) Se pensarmos na generalidade dos políticos, comentadores políticos e jornalistas, não é um insulto mas um elogio. Vai um enorme salto evolutivo entre um trilobita e um australopiteco...
    7) ... for a secret never to be told ...

    Eu, por exemplo, com as minhas lentes garrafais, vejo australopitecos em todo lado se remover os óculos. E quando me sinto deprimido penso o mesmo ao passar por um espelho.

    Quanto à fealdade das macacas, discordo com a mais pungente veemência: os grandes símios fêmea são consideravelmente atraentes. Alas, quem ama o feio bonito lhe parece, ou qualquer coisa um pouco ao lado...

    (as minhas desculpas, esta ecopraxia, que ocasionalmente me flagela, é incontrolável)
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faça como se estivesse em casa, sinta-se completamente à vontade.
      (ele há factos que apetece mesmo dizer e, ainda assim não o fazemos, pensamos para dentro, sorrimos e pronto. O diabo é que também se peca por pensamentos...)

      Eliminar
    2. Se tivéssemos que expiar os pecados de cada pensamento que nos assola, andava o mundo inteiro com um siilício a fazer de liga. O Diabo é que é um raio de uma metáfora aos instintos mais básicos, querida Picante.
      Quiescente, meu amigo, que delícia saborear-lhe as ideias. Faz-me sentir um prazer canibalesco em procurar os seus comentários :):):):)

      Eliminar
    3. Que raio é um "trilobita"? E já agora, "ecopraxia" é o quê?

      Eliminar
  10. Oh pá, não gosto deste blogue, faz-me sentir uma "bloga.ignorante"

    ResponderEliminar
  11. Eu até costumo concordar com muito do que escreves, mas desta vez não. Claro que cada blog tem o seu estilo e, assim como este blog é malicioso para algumas pessoas, o outro (ambos sabemos de qual estamos a falar, não sejamos ingénuos) poderá não ser para outras. Falou-se numa pessoa que poderá ter mexido com a tua sensibilidade, mas olha que dela poderá falar-se e muito. Pois desde mentiras a elevações do ego, ali há de tudo. Mas olha, relaxa que isto são só blogs e não me parece que por isto se venha a instalar a 3ª guerra mundial. Paz e amor para todo o mundo, é o que se quer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que eu própria já falei dela, todos teremos telhados de vidro. Mas uma coisa será criticar, gozar, satirizar, chamem-lhe o que quiserem, uma atitude, outra coisa completamente diferente será dizer que o marido parece um macaco e que os filhos também. A mulher não anda a desfilar em poses ridículas, armada em fashion adviser com a Bobadela como fundo, por Amor da Santa. Se expõe a família? Expõe, com toda a certeza e eu não gosto disso. Mas daí àqueles comentários em que até de gay o homem é apelidado... Acho pouco elegante e poucochinho, muito abaixo das capacidades do autor (a), que não é parvo nenhum.

      Eliminar
  12. Aquele blog é um nojo e do pior. Mas o que me surpreende mais é a quantidade de ódio que aqueles comentadores destilam por uma pessoa que só conhecem por um blogue.Essas pessoas devem ter uma vidinha muito triste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já lá vi uns posts engraçados.. Nada contra eles gozarem essa nova espécie de modelos do Seixal que pulula a internet.
      Mas aquele post foi um tiro ao lado. E sim, os comentários são francamente maus, eles aceitam praticamente tudo.

      Eliminar
  13. De qual blog se está a falar? Ou não se pode referir? É que fiquei a lanhar bonés.

    ResponderEliminar
  14. Sendo o objectivo último o mesmo, as ferramentas que se usam para lá chegar parecem-me irrelevantes. Se uns nascem com a arte da ironia e outros não, o que escolhem fazem com o seu tempo revela ser, em última análise, a mesmíssima coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Suponho que censure os Gato Fedorento... Ou o Hermam... Ou qualquer programa humorístico, cujos alvos sejam reais. É, sem dúvida, um direito que lhe assiste.

      Eliminar
    2. Ah não. O objectivo último dos sujeitos que enumera é fazer rir.

      Eliminar
  15. Falando do dolce and gabana em português?

    ResponderEliminar
  16. ei "macaca"!? feia como uma "macaca"? :-) não havia necessidade

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.