segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Les uns et les autres

Estou aqui numa das praias da linha, os dias ventosos interditam o Guincho ou a Adraga, ainda há aquilo de os mais pequenos serem viciados em água, adoram rochas, sabe-se lá porquê, vai-se a ver e é capaz de ser por causa dos mergulhos para a frente, é sempre para a frente que se mergulha, em havendo rochas, dos caranguejos, ouriços e camarões. Mas a verdade é que as circunstâncias me levaram até uma praia da linha. 
Em indo à linha eu costumo ficar pelas Avencas ou pela Rata, há menos gente com o corpo todo tatuado, elas não usam unhas de gel, os bikinis são curtos, mas raramente fio dental. Por vezes aventuro-me até S. Pedro do Estoril, já fui feliz em S. Pedro do Estoril, acontece que vou de manhã, a praia está repleta de famílias, do lado direito continuo a cumprimentar pessoas, os mais pequenos brincam em grupos alargados, tudo muito bom.
Hoje vim a S Pedro à tarde. Desconfio que me enganei e estou da Fonte da Telha, ou em Caxias, dá igual. Vejo senhoras de alguns cinquenta anos demasiado tatuadas, vejo muita gente demasiado nua, vejo alguns regos masculinos, muitas unhas duvidosas, dos cabelos será melhor nem falar. Os poucos que sobraram da manhã olham-me com olhar resignado, junto-me a eles, sempre nos podemos iludir. Mas não, a uns sete ou oito metros, da minha pessoa, instalou-se um casal, ele cabelo pente zero, calções tipo boxer justa, adivinho-lhe as misérias, ela tatuada em topless, chapéu de palha tipo cowboy na cabeça, mas o pior é a música tum tum tum que obrigam toda a praia a ouvir, não sabia que ainda há quem faça disto, grandes animais, estou aqui com vontade de mandar os mais pequenos correr à volta deles, insistentemente, enquanto ponho a cavalgada das valquirias, ou o Carreras, em volume máximo no IPhone. Também lhes poderia atirar umas maçãs...

35 comentários:

  1. Será que esses deixaram o bebé em casa e foram para a praia sossegadinhos para poderem namorar descansados?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que não tenham bebé. Ainda lhes sai uma maçã...

      Eliminar
  2. "o pior é a música tum tum tum que obrigam toda a praia a ouvir"
    Nunca consegui perceber muito bem gente assim. Também tenho um vizinho que costuma estacionar o carro à porta do nosso prédio, abre as janelas do dito e põe a música no mais alto possível. Toda a rua é obrigada a ouvir (e o prédio claro está). Porquê meu Deus? Pergunto-me tantas vezes porquê...

    ResponderEliminar
  3. Picante e eu que gosto tanto de si, não sei se lhe perdoo essa da Fonte da Telha, praia pela qual tenho um carinho especial e para que saiba, nunca, mas nunca lá vi disso, está bem que quando lá vou é quase sempre de manhã, mas mesmo quando fui à tarde, não me lembro de nada disso. Confesse-me lá que nunca foi à Fonte da Telha, vá lá Picante, por ser para mim :). O grande problema actual da Fonte da Telha, é que parece que de repente, o país inteiro a descobriu e o que era dantes a praia mais sossegada e com mais areal disponível da zona da Costa, parece agora o metro à hora de ponta (sim também ando de metro) e para estacionar tornou-se um problema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahahahahah
      Acho que fui uma única vez à Fonte da Telha, mas não gostei. estava demasiado cheio. Fui à tarde, há já muitos anos.

      Eliminar
  4. Pois é isso Picante,vais para sitios onde andam adultos, depois é isso. Tens que levar com eles. E realmente o mundo não precisa de adultos. Que coisa. Mania dos crescidos irem à praia. Não poderiam primeiro habituar-se a conviver em casa, quam sabe com uma empregada a vigiar, para depois (um dia) irem de vez em quando molhar os pés? Eu não estou a dizer que não gosto de pessoas... mas é que... não as suporto! É isso! (Agora completava o meu desabafo com 3 carinhas tristes mas não consigo, pá).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mundo precisa mesmo muito de adultos, mas dignos desse nome, ou seja, precisa muito de adultos bem formados, para mim, o melhor do mundo são os adultos bem formados, os outros, dispensava-os bem, estou como a Picante.

      Eliminar
    2. Os adultos nas praias são quase tão maus como as criancinhas.

      Eliminar
    3. (aquilo chama-se ironia. Não vá alguém esquecer-se que isso existe)

      Eu cá não tenho paciência para quem não sabe respeitar os outros. Vale para tudo.
      Desde que tenham noção que há crianças por perto não me incomodam tatuagens ou bikinis. Não se metam é em topless que isso também não é permitido por lei e, caso o façam, tenham a decência de ver se há crianças por perto.
      Agora colocar música alta ou acharem que as crianças deviam ser proibidas de ir à praia??

      Só mesmo tias desmioladas para não terem noção do ridículo. Um dia mais tarde, espero que tenham poupado imenso e não precisem do dinheiro que as crianças de hoje - adultos de amanhã - irão descontar para as ditas. Já agora não tenham filhos, pelo bem deles.

      Eliminar
    4. É aos restaurantes que as crianças não podem ir. E ao supermercado. E em viagens de férias. À praia acho que é permitido...

      Eliminar
    5. Li por aí algures que também não deviam ir a casamentos. Como está a ser tudo proibido para crianças...

      Pequeno à parte: Ela não poderia abster-se de ir a restaurantes? Não sei. É que acredito que uma familia, diga-mos de 4 elementos, deve dar mais lucro ao restaurante que uma betinha a comer salada. Não?

      Eliminar
  5. Atira-lhes antes uns chanatos!!!!!!!

    ResponderEliminar
  6. A praia na linha é um drama!!! Raios, nunca mais arranjam maneira de tirar o vento do Guincho.... (este ano vou para carcavelos, há vários ambientes! :p )

    ResponderEliminar
  7. Pipocante Azevedo Delirante18 de agosto de 2014 às 22:08

    Mais que fedelhos aos berros em restaurantes, incomodam-me telemóveis em sítios onde o sossego deveria imperar (cinema, teatro, restaurantes), música alta (sério rapaziada, o auscultador foi inventado para que cada um pudesse curtir a sua música, sem chatear o parceiro), e o cigarro apontado para a mesa do lado de modo a que o fumo não incomode o fumador e sua entourage.
    Sou um gajo incomodado.
    E maçãs, gosto delas redondinhas e cheinhas, cheias de sumo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Normalmente os fedelhos aos berros em restaurantes são filhos dos espécimes cujo comportamento descreveu a seguir, eu já fui fedelha, ia a restaurantes com os meus pais e não me passava pela cabeça pôr-me para lá aos berros e hoje não faço e incomoda-me, tudo o que aí descreve, deve ser mesmo verdade aquela história, de que é de pequenino que se torce o pepino.

      Quanto às maçãs, desculpe mas tem muito mau gosto, as pêras são muito mais harmoniosas, o formato maçã é o que chamo ser-se mesmo muito mal feita ;)

      Eliminar
    2. Pipocante Azevedo Delirante19 de agosto de 2014 às 00:03

      Normalmente a criança fedelha é descendente de fedelho em tamanho grande.
      De qualquer modo, evitei ir a restaurantes durante o 1º ano de vida do meu petite petiz, porque sabia ser complicado controlar o seu (dele) ânimo durante o tempo da refeição, e não queria incomodar outros. Mas isto sou eu que evito falar ao telmóvel em voz alta em locais públicos, em especial fechados. Sou burro, que se pode fazer.

      Já aprendi a não apreciar a fruta pelo formato; aquelas maçãs todas viçosas e luminosas, com tamanho ideal pela bitola burocrática, vai-se a ver não sabem a nada. E mirram ao fim de dois dias em casa. Gosto mesma daquela fruta assim mal amanhada, sem as medidas ideais, mas que se trinca e tem gosto de fruta a sério.

      Eliminar
    3. Pipocante Azevedo Delirante19 de agosto de 2014 às 00:06

      F#$#
      Isto é do sono ou há por aí um cão que usa óculos e dita modas(?????)?

      Vou-me

      Eliminar
    4. Diz que sim. Daqui a pouco vestem cueiros aos cães. E deixam-nos ir a restaurantes...

      Eliminar
  8. Sugiro o arremesso de seixos. Sempre condizem com a ideia de praia e são suficientemente pesados para causar dano de monta a requerer tratamento hospitalar. Ou seja, leva-os daí para fora num ápice! :P

    Beijinhos Marianos! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os tipos não se mancaram. Ainda estive para lá ir pedir-lhes que baixassem a música, mas achei melhor não... ainda ouvia um "se está mal mude-se", fiquei mas é caladinha, com os phones nos ouvidos....

      Eliminar
  9. Eu também tenho de me segurar para não atirar com cadeiras a essas pessoas. Não sei porquê toda a gente mais ou menos aceita essa forma de poluição.
    No entanto, ocorre-me que o ruído existencial dentro da cabeça deles é tanto, que só com esses pum pum pum é que conseguem não o ouvir.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me acontecia isto há anos. Desde que deixei de frequentar a praia da Morena, na Costa de Caparica. Achava que isto já não existia, hoje em dia toda a gente tem auscultadores...
      Deram-me cabo da leitura, tamanha a irritação...

      Eliminar
  10. Eu cá sou tolerante. A única coisa que me aflige sao pés medonhos em sandálias. Devia haver praias (e restaurantes, claro) que nao permitissem a entrada a pessoas com pes medonhos em sandálias.

    ResponderEliminar
  11. Picante, estava aqui a pensar: e protectores solares, usas? Sim, protectoreS, vários, diferentes, com aromas e sabores diferentes, para espalhar em diferentes partes do corpo. Não queremos mais de 15 centímetros de pele continua a cheirar ao mesmo, pois não?

    ResponderEliminar
  12. Isso da música em altos berros na praia até se tolera bem pois é coisa de gente adulta....agora criaturas bizarras aos berros nos restaurantes é inadmissível. Onde ja se viu tamanha falta de educação dos putos? Berram enquanto a malta enche o bandulho?!! Ora deviam ficar algemados no exterior ou numa jaula em casa! Agora quanto aos adultos na praia com música aos berros isso é toleravel, nao incomoda ninguém e até nem é falta de respeito pelo próximo. A questão é que eles Ja sao adultos e nao ha mal nenhum, tudo se perdoa pois sao crescidos...agora as criaturas bizzaras dos restaurantes é que deviam levar uns acoites pois, pelo andar da carruagem, vão ser uns marginais e, com tamanha sorte, vão gostar muito de maçãs (outroras gordas e agora podres).
    Medo, muito medo de crianças (criaturas bizarras) que berram em restaurantes, tornam-se marginais e gostam de maçãs!.!

    ResponderEliminar
  13. o cheiro a populaça logo pela manhã

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Atropelando-se na compra do peixe.

      Eliminar
  14. Sendo eu Paredense e tendo passado a minha infância nas avencas, essa praia está muito snób oh chic! Mas mesmo assim não deixa de ser uma boa "prainha" pena a quantidade de rochas com a maré vazia.

    Continuação de boas férias, quiçá ainda nos cruzamos por lá :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi por isso que não fui para lá, estava maré completamente vazia...
      (está muito beta, está, mas prefiro isso a bimbos)

      Eliminar
  15. Já fui tããããããããão feliz em S. Pedro do Estoril.... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas a praia já não é a mesma, o ambiente está completamente diferente. Uma pena...

      Eliminar
    2. Fui mais feliz no paredão que propriamente na praia... depois pronto... o "moço" por lá ficou e eu por cá fiquei...

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.