terça-feira, 12 de agosto de 2014

Carpe diem

Mais um dos que me fazem falta que se foi, demasiado cedo. Se há filmes inspiradores, Clube dos Poetas Mortos é um deles. Robin Williams protagonizou alguns dos meus filmes de sempre. Agora só o poderemos rever, hoje ficámos todos um bocadinho mais pobres.
Seize the day, gente. Ousem e sejam felizes, assim aos bocadinhos, que a felicidade é mesmo isto, aproveitar cada bocadinho do que a vida nos traz.

38 comentários:

  1. O conselho que dás: "Ousem e sejam felizes" foi o que ele fez. E deu-se mal. Ele era muito feliz, sobretudo quando bebia. E o fim dele é o costuma a acontecer àqueles que levam a vida que ele levava. Mas, concordo, e, ao contrário do que costumam dizer, ele é/será insubstituível!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viveu como sabia. Espero que o mais feliz que podia.A mim, deixa-me uma enorme saudade.
      E sim, será insubstituível.

      Eliminar
  2. Estava aqui em dúvida: dizer mal dos outros é uma forma de carpe diem?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada um tem a sua maneira de ser feliz. Há pessoas que só se sentem bem quando vêem os outros mal.

      Eliminar
  3. Mesmo verdade, aproveitar cada momento porque não sabemos se no momento seguinte estaremos por cá! Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Perdemos tanto tempo com maldades e triquices...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou a comentar blogues a falar mal dos outros a tentar agradar...

      Eliminar
    2. Ou a falar mal dos outros nos blogues dos outros e a fechar a caixa de comentarios no próprio blogue aos anónimos.

      Eliminar
  5. Bom...é isso!
    (e ainda há ironias trsites...)

    ResponderEliminar
  6. O Clube dos Poetas Mortos é um dos filmes da minha vida e sim, o Robin Williams era genial...

    Um aparte, tendo em conta os posts de hoje: hello Picante, how are you Picante, it,s so good to have you back where you belong...:)

    ResponderEliminar
  7. Serei o único a não sentir nada com a morte do RW, a não ser uma grande indignação por um cobarde miserável como ele que se suicida por depressão? Mas fosse outro como ele e sentiria o mesmo.
    Era pobrezinho, o coitadinho, era? Pedia esmola pelas esquinas e dormia em caixas de cartão debaixo da ponte? Ah, andava deprimido, coitado.
    O raio que o parta e que vá pela sombra.
    A seguir eese caminho 90% dos portugueses suicidavam-se todos, que esses sim, sabem e sofrem na pele o que é depressão.
    Não tenho pena nenhuma e sinto mais pena de um cachorro ou gato abandonado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aprovo e sou da mesma opinião. Depressão tenho eu que não sei onde hei de ir arranjar o dinheiro ao fim do mês para pagar as contas da EDP e da água, que nem me chega o ordenado de mês a mês.

      Eliminar
    2. Depressão é uma doença muito grave que pode matar tanto como um cancro. Incrível como no século XXI ainda há gente a pensar assim.

      Eliminar
    3. quanta ignorância...

      Eliminar
    4. A depressão é uma doença.
      E independentemente da maneira como morreu, perdeu-se um génio. Era um dos meus preferidos. E eu lamento sempre perder um preferido. O mundo ficou culturalmente mais pobre. E isso é mau.

      Eliminar
    5. sou o cretino ignorante. Perdeu-se um génio mas ainda ficaram muitos. E antes que esses acabem outros surgirão.
      Se a depressão matasse, reitero que mais de 90% dos portugueses já estavam a morar sete palmos de terra abaixo.
      O que eu tenho mesmo pena é do trolha que cai do andar e morre, e do pescador que vai ao mar e não volta. Isso e que são desgraças.
      Mas, claro, é só a opinião de um cretino ignorante.

      Eliminar
    6. permita-me a correcção: é o anónimo cretino ignorante e gosta (de o ser).

      Eliminar
    7. Provavelmente! Mas não acaba o mundo enquanto por um cretino ignorante que gosta de o ser, há milhões de inteligentes, onde, obviamente o caro anónimo se inclui.

      Eliminar
    8. Se tiver paciência e algum interesse em aprender o que é a depressão e seus efeitos, poderá também ver o documentário "Depression, out of the shadows" legendado em português.

      https://www.youtube.com/watch?v=KWFn8eRLqTM

      Eliminar
    9. Anónimo cretino e ignorante... já te calavas não...?

      Eliminar
    10. Está a confundir razões que podem levar à depressão com a depressão efectiva. Os portugueses podem ter motivos para estar deprimidos, mas não estarem ( até porque eu até posso ter falta de dinheiro mas não ter de amor). A depressão surge porque a nossa mente é muito complexa e por vezes ficamos deprimidos mesmo sem ter razões (aparentes) para isso. Não sabe o que ia na cabeça daquele homem e a tortura em que viveria. A depressão profunda, infelizmente dificilmente se cura, e sim, pode levar à morte. Espero que apesar da sua ignorância, se mantenha nela e não perceba exactamente, na sua pele, o que ê verdadeira depressão

      Eliminar
    11. Que besta, minha nossa!

      Eliminar
  8. Anónimo inicial: recomendo-lhe que se informe e cultive e aprenda o que é depressão. Depressão é uma doença mental grave que mata. 90% dos portugueses não sofrem de depressão, porque viver em dificuldades não é sinónimo de depressão. O trolha que cai de um andaime é vítima de um acidente, se se atira do andaime abaixo em virtude de uma depressão é vítima de uma doença, que ataca independentemente da situação socio-económica.

    "The opposite of depression is not happiness, but vitality, and it was vitality that seemed to seep away from me in that moment." Andrew Solomon

    Recomendo-lhe o visionamento de uma palestra dada pelo escritor Andrew Solomon onde relata a sua luta contra a depressão:

    https://www.youtube.com/watch?v=-eBUcBfkVCo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo.
      Muito obrigado pela atenção e atenciosamente declino o convite.
      Primeiro porque constato de que me interpretou mal, tendo sido eu a afirmar que o trolha que cai de um andar é, efectivamente um acidente. Referi-o, assim como ao pescador, a titulo de exemplos de profundas desgraças das quais tenho pena.
      Depois, e reiterando os meus agradecimentos, não vou consultar nada do que me sugere porque nada, mas absolutamente nada do que eu possa ver será metade daquilo por que já passei.
      Tenho a profunda certeza de que não aprenderia nada.
      Palestra, pois, são palavras e cada um tem as suas que serão devidamente apreciadas segundo as convicções de quem as ouve. Por exemplo: as minhas só serviram para definir a minha personalidade por quem fez o favor de me psicanalisar escorreitamente. Sou um tipo mau, cruel, ignorante e pacóvio.
      Ora quem sabe se, ouvindo eu o tal Andreew, não iria formar sobre ele uma opinião ainda pior do que aquela que formaram para comigo?
      Não! Decididamente! Não vou!

      Eliminar
    2. Faz muito bem, sim senhor. Recusar adquirir mais conhecimento sobre um tema sobre o qual é profundamente ignorante, e orgulhoso disso, é revelador de grande inteligência e vontade de evoluir. Como se costuma dizer, a estupidez é atrevida, e aqui está a prova disso mesmo. Lamento ter gasto consigo o meu tempo ao procurar dar-lhe as ferramentas necessárias para adquirir o conhecimento que lhe falta. Como se costuma dizer, pérolas a porcos.

      Eliminar
    3. E já agora, não o interpretei mal, que felizmente sei ler. O que diz é que lamenta a desgraça que é um trolha cair de um andaime, ou um pescador não voltar do mar quando por acidentes de trabalho. Depreendo que já não lamentará nem considerará uma desgraça se o trolha em desespero se sentir impulsionado a atirar-se do andaime, ou o pescador a atirar-se ao mar, por sofrerem de depressão aguda.
      E lamento informá-lo, mas o facto de já ter passado por episódios traumáticos não o livra de vir a sofrer de depressão profunda, sem que haja causas específicas (coisa discutida na tal palestra que se recusa a ver).

      Eliminar
    4. Caro Anónimo cretino e ignorante, que de ignorante já percebi que nada tem e já que estamos numa de psicanálise, à "cretinice" do comentário, eu chamo revolta, (não sou nenhuma das anónimas que se dirigiu a si anteriormente) agora o tema do post, era lamentar a perda de alguém cujo trabalho, a arte, se admirava e não a forma como a vida da pessoa acabou, lamenta-se o desaparecimento de alguém, que podia continuar a presentear-nos com o seu trabalho e já não o vai fazer, a Picante não dissertou no post sobre as circunstâncias da morte e por aí fora e não foi isso que lamentou, referiu-se pura e simplesmente à perda daquela pessoa, ponto. Vem o anónimo e toca a cascar no homem por causa das circunstâncias da morte e mais da depressão e por aí fora, não sendo nada disso que estava em causa e portanto vai desculpar-me, mas para a pessoa inteligente que demonstra ser pela forma como comentou a seguir, está aqui a ter um surto momentâneo de tontice, vá. Ok, o Anónimo já passou as passas do Algarve, mas de si sabe o Anónimo e o Williams saberia lá dele, não é? cada um lá saberá do seu tipo de sofrimento e da sua capacidade para o aguentar, ou não, não é?
      Vá, um :) para si.

      Eliminar
    5. Sei perfeitamente que não é nenhuma das anónimas que comigo tão... gentil e educadamente debateram o assunto, e quanto ao facto do suicídio do RW, lamentar a perda é uma coisa, carpir a morte do coitadinho é outra que, quanto a mim, bastante diferente.
      Tenho para mim que quem morre porque quer não se lhe reza por alma. E como de inteligência as anónimas não carecem, clarifico que rezar deverá ler-se lamentar.
      Quanto ao vir cascar no homem, desculpe mas talvez, quiçá, me tenha deixado ir na onda. Casca-se tanto em tantos neste blog que por momentos perdi a orientação que normalmente me norteia. Deve ter sido isso. Foi! Pensando melhor, é a única explicação que encontro para o meu estranho comportamento.
      É sim senhor! Cada um sabe de si, do seu sofrimento e capacidade para o aguentar, e como ele não aguentou o dele, (sofrimento) coitadinho do infeliz, matou-se.
      Boa viagem e antes ele do que o vadio do marido da minha vizinha que esse, ao menos, se bebe e arreia na mulher devido à depressão que atravessa, sempre a vai levando ao céu de quando em vez, segundo ela conta.
      Para si também um :)
      já lhe disse que é uma simpatia, não disse? Não?! Deixe, mais uma parvoíce emergida da ignorância.

      Eliminar
    6. Caríssimo, encontra-se neste momento na posição de aceitar aprender e evoluir enquanto ser humano, tentando compreender o que é a depressão, e que é uma doença que não escolhe entre ricos e pobres, nem é de tão simples como o que pensa.

      Informe-se, cultive-se, e depois, só depois, abra a boca para plantar sentenças. A ignorância só é pecado se uma pessoa se recusar a aprender, você ainda está a tempo de se informar e mudar essa perspectiva estigmatizante do doente psiquiátrico.

      Eliminar
    7. Já cá faltava a farpazinha, Cunhado, já cá faltava a farpazinha...

      Eliminar
    8. Sabe muito, né Picante.
      Pena que quando para lá vai eu já regressei...há que tempos! :)

      Eliminar
    9. Tem razão, irmão. Mas é que tem mesmo muita razão...

      Eliminar
    10. Que nada Picante. Deixe lá de ser modesta que a senhora e lá agora mulher para deixar os seus créditos jogados por aí ao abandono pela valeta?
      É uma adversária de alto ganarito, perdão! Gabarito e é uma honra pelejar com tal amazona.
      Só Isolda é que não, palavra! :)

      Eliminar
  9. Gostei deste debate e não me importa quem tem razão, nem vou dar a minha opinião mas quero referir uma coisa que gostei de ver.
    A picante podia aproveitar para aprender como se argumenta com educação.
    Obrigada anónimo.
    :)

    ResponderEliminar
  10. Sei na pele o que é a puta da depressão e já nem me lembro de mim sem ela, sem esse vazio imenso, sufocante, claustrofóbico que me vai comendo aos poucos. Tento lutar contra ela há anos e anos, não sai de mim... fere-me muito ler que ainda existem pessoas que menosprezam esta doença, que acham que é cobardia e fraqueza...não desejo 1segundo disto a ninguem. já pensaram no desespero atroz e infernal que tem de se viver para pôr em pratica o suicidio? Nunca vou julgar levianamente quem não consegue andar e cai definitivamente.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.