segunda-feira, 30 de junho de 2014

Um dos desafios que toda a gente deveria colocar a si próprio

Aprender a estar calado.

Vale a pena reflectir sobre isto.

26 comentários:

  1. Olha! serve a ti que é um mimo.

    ResponderEliminar
  2. Olá se vale. Eu sou um desses exemplos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos tivemos, algures na vida, um momento em que mais valia termos estado calados.
      Mas depois há quem quase só tenha desses momentos...

      Eliminar
    2. Continua a servir-me a carapuça... :p

      Eliminar
  3. É aquilo do pudor, não é? Hoje vi posts bonitos, posts sobre a vida, posts solidários sobre a condição humana... Mas depois vi outros... Vi um, não o que se falou no post anterior, que se eu fosse aquela mãe cuspia no focinho de quem escreveu aquilo... Haja pudor... E respeito, já agora... Por que no te callas, foda-se? O que ninguém merece é levar com a tua acefalia egocêntrica... (Desculpa Spicy...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sinto o mesmo. Três posts que mais valia nunca terem visto a luz do sol. E de seguida uma graça. A sério?
      Muita, muita vergonha por em tempos ter gostado daquilo, quanto mais se dá a conhecer mais asco me causa. Mulherzinha insuportável.

      Eliminar
    2. Eu não estava a falar da PN (isso nem comentário me merece, mas pelo menos parece que emendou a mão)... Não vi nada no FB, já que não tenho conta... (Que piada?)

      Eliminar
    3. Agora estava a referir-me ao blog. Três posts a escarrapachar dor e coisas de mãe, seguidos de uma graça sobre colorações.
      Não sei de quem falas, então. Só vi homenagens bonitas, gostei especialmente das palavras da Ana Garcia.

      Eliminar
    4. A NM veio bater na fruta?

      Eliminar
    5. Talvez o problema seja mesmo meu que sou hipersensível para o tema morte/luto... Tenho o filtro muito apertado...

      (Eu gosto de quase tudo o que a PMD escreve e não anônimo nada a ver com fruta. Mas vamos passar à frente, sim?)

      Eliminar
  4. E intuir que o silêncio também... é resposta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. Resolvi eliminar o comentário. Não vale a pena escalpelizar mais a coisa, está tudo dito.

      Eliminar
    3. Fez bem em ter eliminado o comentário.

      Eliminar
  5. Que pena falares tanto e não te ouvires a ti própria!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, mas eu oiço... Eu oiço...
      (e a prova disso é que nem lhe vou dar resposta adequada)

      Eliminar
  6. É a minha opinião, vale o que vale, mas o que ultrapassa posts profundos sobre a perda de um filho seguido de um sobre colorações, é um grupo no FB intitulado força Judite onde são partilhadas fotos do André, que nem sequer era figura pública. Percebo a boa vontade, mas se pensarmos que a Judite provavelmente não irá perder tempo a ler blogs, já uma vez que tem conta no FB a probabilidade de isso lhe chegar às vistas é maior. Eu também percebo a boa vontade, querer mostrar solidariedade neste momento de dor, mas há coisas que me ultrapassam. Pronto, é só a minha opinião. Também estou a ter em conta que a Judite é uma pessoa e sempre foi bastante reservada quanto à vida pessoal. Tudo o que as pessoas souberam ou acharam que souberam quanto a esse lado da vida dela foi sempre especulação por parte da imprensa. Por isso acho que era mesmo de valor deixar a senhora em paz. Ela própria pediu comedimento nas palavras ao colegas jornalistas em comunicado. Acho que esse pedido também deve ser extensivo a todas as pessoas, sem exceção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comedimento? Respeito pelas palavras e desejos de Judite de Sousa? Mas para isso seria preciso que ouvissem o seu comunicado ou que, mesmo sem o ouvir, sentissem um pouco mais de empatia, que se pusessem no lugar daquela mãe (e pai) e não na mãe perfeita que se julga ser. Simplesmente há pessoas que só se ouvem a si mesmas e fazem questão de continuar a gritar, para terem a certeza que toda a gente as ouve.

      Eliminar
    2. É sempre a mesma coisa quando morre alguém desta forma (famoso/filho de famoso, novo, acidente). Não sei porque continuam a ter fé na humanidade.

      Eliminar
  7. Quem criou essa página?
    Esta gente é louca!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nina,

      Curioso que depois de ter escrito o que escrevi sobre a dita página, um anônimo deixou ficar aqui um link ao qual acedi:

      https://www.facebook.com/mc.somsen.5?fref=nf

      Curioso que, num dos comentários ao estado do facebook, a mentora do dito grupo dá ares da sua graça. Como disse, não duvido e compreendo os motivos que estão por detrás da sua criação, não duvido que devem ser os melhores, mas parece-me demasiado. Certamente que quando as cerimônias fúnebres terminarem, a Judite começar a conseguir respirar novamente, vai perceber que há imensas pessoas que estão solidárias com a dor dela. Mas desta forma parece me demasiado, parece-me chato, parece-me uma invasão e uma exposição que a própria não deve gostar.

      Eliminar
    2. Não me imagino no lugar de uma mãe que perde um filho.
      Não imagino a dor.
      Há 4 meses, alguém com quem privo há anos, perdeu a filha. Nunca sei que palavras lhe dirigir, mas sei as que não devo dizer, porque, felizmente, o meu filho vive.
      É de um tremendo mau gosto, de uma falta de respeito atroz criar este tipo de páginas, por mais que a intenção seja boa. Para tudo há limites.

      Eliminar
  8. Não só acho todas as coisas exageradas, como achei dispensável a abertura do telejornal da TVI com as fotos do rapaz, tal como achei uma tremenda falta de sensibilidade mostrarem o sangue na estrada das crianças que tiveram o acidente com a moto4.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo o que diz e eu própria pensei nas audiências...

      Mas depois também pensei que o telejornal é feito por pessoas, por uma equipa, por colegas, entre os quais o José Alberto Carvalho, que dá a cara por todos eles, e que me pareceu verdadeiramente consternado. Se, de facto, os colegas gostarem da Judite, com quem convivem todos os dias, que a conhecem pessoalmente, naturalmente estão a sofrer com ela. E há colegas, entre os quais o José Alberto Carvalho, que viram o André a crescer, que conhecem desde miúdo, que se relacionam com a mãe e o pai dele, portanto acho natural, nestas alturas, as emoções falarem mais alto do que a razão.

      E depois também pensei que todos eles conhecem a Judite melhor do que nós. Para tomarem a liberdade de fazerem esta pequena montagem com fotos pessoais, acho (acho, atenção!) que devem conhecer os pais do André o suficiente para saberem se aprovavam esta exposição ou não.

      Eliminar
    2. Pipocante Azevedo Delirante30 de junho de 2014 às 22:46

      Porra, é a TVI!!
      Ja mostraram no telejornal uma suposta pinocada no BB, e um gajo a dar uma patada numa tipa no mesmo programa. Acima disso qualquer coisa é notícia

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.