sexta-feira, 20 de junho de 2014

Gracinha

Gracinha, minha querida, chegue aqui à sua velha tia, isto realmente é um desassossego, a menina está sempre a desiludir-me, mas que diabo vem a ser isto agora? Acha mesmo que há necessidade de gozar assim a outra menina, só porque ela decidiu escrever umas coisas? Mas a menina estará, por acaso, convencida que mais ninguém poderá ter um blog de caca? Deixe-se disso que, isto, o sol quando nasce é para todos... Uma menina tão querida e simpática, ainda por cima, devia era ter vergonha, logo a menina que passa a vida a dizer-nos quando vai à casa de banho, que faz festas super originais com, pasme-se, pinturas faciais, coisa tão criativa, não é verdade?

77 comentários:

  1. pronto desta vez fiquei a ver navios lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Veja lá se não é da sua bússula que não está apontada para onde deve...!

      Eliminar
  2. eu também não percebo nada... pinturas faciais ? coisa estranhas...

    ResponderEliminar
  3. na verdade, desta vez, tenho de dizer que de facto, aquilo não tem nada de original camandro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O blog da rapariga não é nada original. Certo. E então? Não poderá escrever? Só porque a outra não quer?
      A mim incomodam-me mais blogs onde se passa a vida a dizer o que faz na casa de banho e com que consistência, que blogs com dicas pouco criativas...

      Eliminar
  4. Cambada de desocupadas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. esqueceu-se de dizer e que vivem à custa dos maridos.

      Eliminar
    2. mas se anda por aqui tb não deve ser muito ocupada...digo eu...

      Eliminar
    3. EsqueceU-me????????

      Eliminar
  5. Oh mas já passou, já trocaram mensagens, na volta já combinaram um café e para a semana já são as BFF. Toda uma blogo-consagração, portanto.

    ResponderEliminar
  6. Gracinha diz num comentário que não gozou com a menina, mas sim com as ideias fracas da menina. Parecendo que não é diferente. A Picante devia perceber, já que andou a usar o mesmíssimo argumento ainda há umas semanitas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpe, queria ter dito "Gracinha diz num comentário que não gozou com a menina, mas sim com as ideias fracas da menina O QUE, segundo ela, parecendo que não é diferente. A Picante devia perceber, já que andou a usar o mesmíssimo argumento ainda há umas semanitas." É que na 1ª versão pode dar a ideia de eu ser "Gracinhete" e recuso-me.

      Eliminar
    2. É típico nessa bimba. Tantos posts a malhar na MRP e agora na semana da feira do livro veio dizer que não era nada contra ela, que era só um desabafo. Deve estar a ver se também a convidam para escrever um livro. Primeiro faz a cagada e depois vem dizer que não era nada pessoal e a querer fazer-se amiga. Ela bem se chega às outras bloggers, mas elas não lhe ligam. Nem que a gaja se cobrisse de ouro teria metade da pinta da Leonor Poeiras.

      Eliminar
    3. Ela desfez o blog. Ponto. Assim mesmo, com nomes e tudo. E porquê? Por ser pouco criativo. Falta de criatividade não me parece um crime. Já arrogância desmesurada e saltos patéticos, não me agradam.

      (eu sou sensível ao argumento, acontece que, neste caso, acho que não passa de uma desculpa infantil e sem sustento)

      Eliminar
    4. E falta de gosto para sandálias é crime?

      Eliminar
    5. Obviamente que não. Eu por acaso digo que é? Não digo, pois não? Digo apenas que não gosto e que daquilo já há aos pontapés. E bem mais barato, por sinal. Mas estou certa que a pequena fez um business case, definiu o target e viu até onde poderá ir, ela há-de ter feito o seu trabalho de casa. Mas eu não gosto, tal como não gosto da maioria dos looks da Mais Doce. É crime?

      Eliminar
  7. O blog da outra que é apresentadora está engraçado e até tem a sua dose de originalidade, na minha opinião simples!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hã?! Originalidade?! (na minha simples opinião, Arrumadinha)

      Eliminar
  8. Não percebo... Mas a Picante no post abaixo não fez exactamente a mesma coisa relativamente ao negócio das sandálias da outra? Não desancou? Não desfez?

    A Picante pode e a PN não?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que pode. Ainda que eu ache diferente dizer "eu não gosto desses sapatos" ou "tens um blog de caca, isso não tem ponta por onde se pegue".
      O que não pode é ir dizer à outra que o blog dela é uma grande porcaria e não admitir que gozem com ela. Ou não admitir que gozem de todo. Afinal só ela é que pode gozar, é?

      Eliminar
  9. Pois eu achei o blogue da Poeiras um blogue com muito bom gosto,simples, pode não ser o mais criativo do mundo mas eu quando procuro ler um blogue satisfaz me a sensação de leveza do mesmo... sinceramente já me fartam as pseudo intelectuais....e honestamente quem é ela para criticar? quem lhe dera ter metade da pinta e do carisma da Poeiras.....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será que se pode abrir uma excepção para a publicação de links? De maneiras que ainda não conheço o blog da poeiras...

      Eliminar
    2. Para já não tens necessidade nehuma de saberes e quanto menos souberes melhor que menos mal fazes, porque tu e as santinhas cujo nomes não se pode dizer sob pena de exclusão, sois o diabo da blogo a insultarem toda a gente que não se metem convoscos.

      Eliminar
    3. Anónimo, isso foi para mim? Hum, imagino que não, acho que nunca insultei ninguém com quem não estivesse cara a cara.

      Eliminar
  10. Tu é que és o "diabo da blogo", cala-te! Se vires bem os maiores insultos nas caixas de comentários vêm de ti. Basta abrir um blogue ao calhas, e lá estás tu a a maldizer. Depois vens aqui armado em justiceiro. Se fosses sério fazias comentários com um nome e um e-mail associado, mas depois ficavam a saber quem tu eras e já não podias vir aqui insultar os outros e logo a seguir vires armado em justiceiro apontar o dedo. E escusas de vir com balelas porque anónimos somos todos, tu eu e os outros, não há como nos distinguir. Eu tambem sou anónimo para poder partir a loiça toda e sair impune sem deixar rasto. É preciso um pulha para reconhecer outro e eu reconheço-te à légua. Tu gostas disto tanto quanto eu, estás aqui sempre enfiado és tu que dás visibilidade a este blogue. Se eu quiser venho já a seguir fazer um comentário a chamar ressabiada e invejosa à dona do blog, apelidar este blogue de estrumeira e vir cheio de moral, que é o que tu andas a fazer aqui e noutras caixas. Se és assim tão sério sai do anonimato! Não sais, pois não, és igualzinho a mim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
    2. Então pergyntar"Fala de quem esta alminha" da direito a eliminação do comentário?
      Espertalhuça a menina,né?

      Eliminar
    3. É retirar o adjectivo, isto está a apertar cada vez mais, começam a aborrecer-me as constantes trocas de galhardetes entre comentadores.

      Eliminar
  11. O blogue da Poeiras já fui espreitar. Mas afinal quem criticou o blogue dela? Não leio os blogues dos famosos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No teu blog tens à direita: "Blogues que gosto de ler" é só ver as entradas, e ainda dizes isso? Sonsa!

      Eliminar
  12. Aí que não percebo de quem falamos a mesma pessoa que falou da leonor poeiras e costuma falar da mrp nunca a vi falar sobre idas a casa de banho ( pelo menos de forma consistente) ou de muitas festas ou pinturas faciais... E outra pessoa que não a que vive no oposto ao polo sul. E?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já lá li vários posts escatologicos. E um que fosse, seria demais.
      (disse que o clube VII lhe imitou a festa da filha, por ter pinturas faciais para as crianças...)

      Eliminar
    2. Só para não terem de procurar muito ainda há poucos dias contou num dos blogs que estava a fazer o senhor castanho com a filha ao lado e que a miúda lhe bateu palminhas e gritou linda quando a viu fazer o presente. Quer mais exemplos?

      Eliminar
    3. E em Paris ou numa viagem , num aeroporto, num hotel, ehehehehehsão tantas, tantas. Houve um momento até em que essa quantidade (de posts !!!) foi elevada a caso de estudo.

      Eliminar
    4. Mesmo assim com posts escatologicos tem a caixa de comentários com gajas a lamber-lhe o cu. Será que é porque só publica os comentários favoráveis ou mais ninguém acha estranho que um blog com mais de dois mil seguidores tenha tão poucos comentários e nenhum a criticá-la?

      Eliminar
    5. Já vi um ou outro comentário em que não se concordava com ela. Não eram bem a criticá-la mas eram a manifestar uma opinião contrária. No entanto, repare: ela não aceita comentários de anónimos, pelo que se livra de potenciais críticas. Olhe para este blog. Muito esmerdalhanço de todas as direcções, mas sem perfil, só anónimos. Quase todos os comentários que não consubstanciam ataques, são positivos e os que contrariam a Picante, fazem-no com educação e é tudo muito calminho... O "mal" está nos anónimos (como eu, apesar de ter um nome). Ela não é tola.

      Eliminar
    6. E, hoje em dia, rejeita a maioria dos comentários desfavoráveis, ainda que tenham um nick associado. Coisa que não acontecia.

      Eliminar
    7. E isso incomoda-a assim tanto? Dá-lhe assim tanta importância? Isto (e, por extensão, ela) não eram só blogues?

      Eliminar
    8. O quê é que sugere que me incomoda, exactamente? Que não aprove comentários desfavoráveis? Não. Eu disse isso? Constatei apenas um facto. Não os aprova.

      Eliminar
  13. Mas estão a falar de quem ?? Kem tem blog sobre sandálias?? Tou PERDIDA

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. A dona Olga não é uma habituée, pois não ? Então não admira, ainda tem muito caminho a percorrer, mais ou menos sozinha. Aqui só sopramos palavras passe, não dizemos nomes...

      Eliminar
  14. Ontem li um texto da gracinha onde se admite envergonhada, ter sido (no pretérito, é uma moça cheia de graça, a gracinha) déspota. E pelintra, no presente.
    O que eu li foi um texto onde se defende e se iliba juridicamente de crimes laborais que levou a cabo, nao vá o diabo tecê-las.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando comecei a ver o que tinha pra'li escrito parei de ler. Porque não vai ela a um terapeuta ou a um padre e deixa a blogosfera mais limpa, mais respirável?

      Eliminar
    2. Por caso não concordo, eu li esse post, Foi o primeiro de que gostei, em muitos meses.

      Eliminar
    3. O texto está bonito, sim senhores.
      É de valor este *era déspota e deixei de o ser (cof, cof) porque/quando provei do meu veneno*.

      Eliminar
    4. Achei mais que fui um assumir de ter sido um pau mandado, enquanto jovem. Dificilmente um jovem imberbe contrariará as políticas de uma empresa. Além de ter medo, falta-lhe maturidade e ninguém lhe ligará nenhuma. Não sei de que empresa fala, duvido que seja uma das multinacionais top, como me pareceu dar a entender. Conheço várias e nenhuma funciona assim, a começar porque nenhuma dará o lugar de Dir de Recursos Humanos a alguém acabado de sair da universidade..
      Ainda assim é melhor dizer "eu já fui uma besta" que continuar uma besta a vida toda, verdade?
      (se bem que...)

      Eliminar
    5. Ainda bem que gostou. Há gosto para tudo.

      Eliminar
    6. (até para este blog que nem para blog serve, verdade?)

      Eliminar
    7. "Dificilmente um jovem imberbe contrariará as políticas de uma empresa".
      Depende do jovem. Tinha eu 22 anos quando fiquei responsável por um departamento numa PME. Não era uma multinacional, não vestia ratinhos chiques, mas ganhava mais (bem mais) do que pessoas que lá trabalhavam há mais de 15 anos. Era a vida, foi o que me ofereceram, foi o que aceitei, não estava a roubar ninguém.
      Fui a menina do chefe durante dois anos - entrada de fresco, saída da Universidade, precisava aprender. E ficava horas, e não tinha horário de saída, e fazia noites, e almoçava em dez minutos. Era a menina do chefe, o chefe era o meu mentor.
      Um dia, uma funcionária considerada problemática - porque reclamou de uma coisa a que tinha direito - foi colocada diante de uma máquina parada, 8 horas seguidas (pausa para almoço), sem trabalho. Aguentou três dias. Ao terceiro, meteu baixa médica e de seguida processou a empresa. Na altura, eu - a menina do chefe - indignei-me com a situação. Fui a única pessoa que continuou a falar com ela, ainda que todos tivéssemos sido proibidos de lhe dirigir a palavra. Proibidos. Ordens do chefe, de quem eu era a menina.
      Quando ela processou a empresa, e me perguntou se poderia testemunhar a favor dela se tal fosse necessário, disse-lhe que "falar do que não sei, não posso. mas do que vi nestes dias, sim".
      Chama-se ter princípios, esta merda de achar que temos de ser corretos e agir de acordo com a consciência. Não foi preciso testemunhar, ela venceu o processo à mesma, e eu não tive vergonha de me olhar ao espelho.
      Tempo depois, calhou-me a vez a mim. Casei, deixei de ter disponibilidade para tantas horas, fizeram-me a folha. Puseram-me, a mim, num local sem trabalho, dias e dias. E eu, a menina do chefe, fui por ele tratada como funcionária de merda. Assim mesmo, à frente de quem quer que fosse.
      Aguentei três meses. Depois, despedi-me - sem processo, sem nada. Só queria o que tinha direito (13º, sub de férias, etc).
      Ninguém ficou do meu lado. Ninguém teve coragem de me olhar nos olhos.
      Eu tinha 24 anos. Saí mal, deprimida, maltratada, amassada.
      Nessa altura aprendi que trabalho é trabalho, empresa é empresa, que somos bons e depois somos maus consoante a perspetiva do chefe.
      Mas não tive de pedir desculpa a ninguém. Saí amassada, mas de cabeça levantada.

      A pouca idade não desculpa tudo. E mudar ganhar valores depois de ter levado porrada é uma consequência, não uma demonstração de caráter.

      Eliminar
    8. Anónima, eu não disse o contrário, que a pouca idade desculpa tudo. Apenas que será mais expectável que alguém muito jovem alinhe pela direita. Mas claro que não desculpa.
      (e, se segue este blog, saberá que eu acho a pessoa em causa muito falha de valores, devido a um sem número de atitudes que toma)

      Os meus parabéns e admiração, pelo que aqui me conta. Deveria ser este o padrão, infelizmente não é. Mas são pessoas como a Anónima que fazem o mundo um bocadinho melhor.
      Um abraço.

      Eliminar
    9. Sim, sigo o blog. Há posts que me irritam, há posts que me deixam a pensar, há posts que gosto.
      Por isso continuo a vir, e a comentar de vez em quando :)

      Eliminar
    10. Mas será que sou só eu que acho que aquele post é uma tentativa de manipular quem leu o post do dia anterior lançado pelo blog "Dolce e Bichana"? Ela já sabia que muita coisa viria a lume, quem não sabia de coisas passadas no blog, ficaria a saber. Vai daí, escreveu algo a puxar ao sentimento. Claro como água.

      Eliminar
    11. O que se lê nos comentários do Dolce e Bichana não pode ser levado a sério. As pessoas dizem lá verdadeiras barbaridades, muitas das quais sobre a vida privada de blogguers, que não passam de invenções. Ao pé daquilo, este blog é o próprio do Éden, só censuram palavrões...

      Eliminar
    12. E o post até foi muito brando. Tanto por onde pegar e vão pegar-lhe na cara? Fraquinho...

      Eliminar
    13. Sim, fraquinho, mas depois aquilo é como as cerejas... e ela sabe disso. Daí prantou logo no dia a seguir um mea culpa, mea máxima culpa.

      Eliminar
    14. Lembra-me de quando nos meus tempos de estudante arranjei um part-time naquelas coisas de telefonar para casa a enganar os velhinhos com pseudo-prémios. É óbvio que eu não sabia para o que ia, mas só durei lá uma tarde. O primeiro telefonema que fiz foi para uma senhora tão ingénua que ficou tão feliz por ter ganho algo tão fantástico que aquilo revolveu-me as entranhas. Saber que estava a enganar alguém conscientemente não resultou para mim. Por isso custa-me um bocado esta coisa de só se sentir as dores dos outros quando nos calha a nós. Eu acho que as pessoas têm perfeita consciência do que fazem e vale tudo menos tirar olhos para ficar por cima. Se foi o que aconteceu ou não não sei. Mas o facto é que ela recebeu uma bonita indemnização (o que nunca se equivalerá à vida de um filho) mas e os outros todos será que receberam alguma coisa?

      Eliminar
    15. Pipinha, eu já me dei mal, profissionalmente falando, por me recusar a entrar no sistema. E não era nada tão grave como o que ali foi descrito. Cada um terá os valores que terá e acho que ela tem poucos.
      Ainda assim, acho que há coisas mais desculpáveis aos vinte que aos quarenta e que mais vale ver a luz tarde que nunca.

      Eliminar
  15. O que acontecou, Picante, foi que no post abaixo deste desfez por completo o novo negócio das moças das sandálias, exactamente o mesmo que fez a PN sobre o blogue da moça televisiva. Qual foi a diferença? O facto de a PN ter escarrapachado lá um nome e a Picante, cinicamente, ter dito quem era, mas sem usar nomes?

    Isso não faz de si melhor pessoa que a PN. Apenas mais cínica.

    Em tudo o resto foram iguais, pelo que não percebo o post abaixo a atacar a "Gracinha".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já respondi a isso. É ler uns comentários mais acima. Não concordo consigo, além de que vi apenas as sandálias que estavam no post, uma meia dúzia de modelos. Suponho que haja mais modelos ou não chegará a ter negócio,..

      Eliminar
    2. Essa sua resposta não responde a nada, tal como já havia acontecido acima. É uma resposta para entreter, só para não estar calada. Argumentos: zero. Pelo contrário, ainda se enterra mais: se apenas viu meia dúzia de modelos, porque arrasou o negócio? Qual o sentido do post?

      Para quem apregoa a cada passo a ironia e o sarcasmo, a mim isto parece-me pura maledicência.

      Eliminar
    3. Eu desejo quer a ela quer a todos os novos empresários a maior sorte do mundo.

      Nós moramos num país em que 98% dos negócios morrem nos primeiros 4 anos (não sei quantos morrem no primeiro e segundo).
      É estatística pura.

      Eliminar
    4. Anónima, não me dê mais importância que aquela que tenho. Desfazer um negócio? Por dizer não gosto das sandálias, além de feias são caras para o que são? A sério? Se assim fosse não haveria negócios em Portugal.
      Se quer conversar e trocar argumentos, então seja séria. Era o que mais faltava eu não poder dizer que determinada roupa ou sapatos são feios.
      (e sim, tenho algumas suspeitas de que o business case está mal feito, embora não passem de intuições. Ela conta, e bem, com a fama enquanto blogger, direccionou o target para a classe média alta, a qual não está aqui. Mas o tempo o dirá. E obviamente que lhe desejo a maior sorte, não é nada fácil a vida do pequeno empresário, em Portugal)

      Eliminar
    5. Exatamente. É exatamente aí que eu quero chegar. Há para aí um comentário seu onde diz que a PN desfez o blogue da outra (está publicado, não adianta fazer-se de desentendida). Ora, que importância tem a PN para a opinião dela sobre o blogue da outra contar para alguma coisa?

      Ora, vamos lá tentar um pouco de coerência. Eu sei que não lhe é fácil, mas vamos lá tentar: era o que mais faltava era a PN não poder dizer que determinado blogue é bom ou mau.


      (a sério que não consegue ver a dualidade de critérios que usou entre um post e outro? Ou é tão teimosa que não consegue mesmo dar o braço a torcer?)

      Eliminar
    6. Tem a importância suficiente para a outra lhe ter enviado um mail, a pedir uma nova oportunidade, e para ela se ter ido vangloriar disso no FB,
      E eu acho que qualquer pessoa tem todo o direito a dizer "este blog é mau", PN incluída. Os blogs são textos públicos, sujeitos à apreciação alheia, a qual pode ser positiva ou negativa. Só não acho bem que ela se ache no direito de ser a única a dizer isso. Se o diz, porque raio se irrita tanto quando lhe criticam os seus posts? Quem a critica é um hate-blog, ela, quando critica já pode? É?
      (além de que a própria foi logo dizer que não estava a desfazer o blog e sim a falta de criatividade da Leonor...)
      (e, se for a ver, a esmagadora maioria dos meus posts críticos, visam atitudes. E concordo que o de baixo não cumpre a regra, mas não passa de uma graçola, não é o facto de eu dizer a graçola que vai prejudicar o negócio, se isso me passasse pela cabeça não o faria, a menos que achasse que ela estava a ser desonesta, o que não é de todo o caso)
      Esclarecidas?

      Eliminar
    7. Acho montões de piada à sua lógica. A outra desfaz um blogue (e blogue são só blogues, já se sabe...) e cai o Carmo e a Trindade. Você desfaz um negócio e é só uma graçola, sem importância nenhuma e sem qualquer consequência.

      Diga-me uma coisa: a sua atitude terá outra relevância caso a moça das sandálias lhe escreva um email a pedir outra oportunidade? É a reacção dos visados que torna o caso mais ou menos grave?

      Eliminar
    8. Do que eu gostei mais foi daquela parte em que diz aí em cima que lhe deseja a maior sorte do mundo (obviamente), depois de lhe ter dedicado um post daqueles...

      A menina é uma brincalhona!

      Eliminar
    9. Anónima, se é só isso que conclui das minhas palavras, então não há mais nada a dizer. Não alimento discussões intermináveis, só porque sim.
      Estou careca de dizer que não gosto da Zara ou da Primark. Desfiz algum negócio? Pense nisso com carinho...

      Eliminar
    10. Estou a pensar agora mesmo, com todo o carinho. A ideia de que as suas palavras pudessem fazer qualquer mossa à Zara ou à Primark é hilariante. Obrigada pela gargalhada.

      Só não consigo perceber a importância de elevar a post uma atitude tola da PN. Do que se depreende das suas palavras, por analogia, um post da PN jamais poderia ter qualquer consequência para a iniciativa da outra, tal como o seu não fez mossa às sandálias. Então porquê o(s) post(s)? Só para bater mais um bocadinho, não é? É irresistível, não é, pegar numa coisa qualquer que os seus alvos digam e ataca-los, independentemente de ter algum sentido, não é?

      É dizer mal só porque sim, embora não alimente discussões intermináveis só porque sim...

      Eliminar
    11. Do mesmo modo que não fazem mal à Zara, também não o farão ao negócio dos sapatos. Às tantas não desfiz nenhum negócio...

      A crítica à outra vem da sua incoerência. Ou bem que se pode criticar ou bem que não se pode. Ela defende que não pode, que a Picante é um hate-blog porque critica. É uma opinião válida. mas então que não critique ela própria...

      Eliminar
    12. Olhe que se vamos falar de incoerências...

      Olhe, a melhor sorte do mundo para si também... mas daquela que a menina deseja aos seus alvos, hein?

      Eliminar
  16. Epá, uma ASS está fora um fim de semana e isto aqui na Tasca está novamente no auge?! Vou inteirar-me dos factos, já cá volto. Entretanto, alguém me sirva um cafézinho...

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.