segunda-feira, 16 de junho de 2014

Ainda sou do tempo

Em que as pessoas diziam à Mais Doce que ela vivia às custas do marido. Agora é ao contrário.

(e aquilo da colher..., não?)

69 comentários:

  1. Ora, mas isso é daquelas coisas que se diz sem se saber muito bem porquê, Um reflexo condicionado, uma espécie de "santinho" quando alguém espirra. É uma coisa que algumas pessoas gostam de dizer pela bloga fora, isso de viver à custa do marido/mulher...

    ResponderEliminar
  2. Ambos trabalham, ambos fazem pela vida. Isso são comentários idiotas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que não trabalhassem? Alguém tem alguma coisa a ver como se gerem as contas domésticas?

      Eliminar
  3. Não acho que seja viver às custas de... mas parece-me que o blog dela se aguenta por si e haverá PMD independentemente de haver Arrumadinho ou não. Já o contrário... não fosse haver PMD e já tinham desligado a máquina ao blog do senhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eventualmente sim. Muitas das visitas dele devem advir dela. Acontece que o homem trabalha e não vive do blog.

      Eliminar
    2. Por isso mesmo digo que não se trata de viver às custas de... apenas que o blog dele por si só pouco vale, só contrário do dela que tem sabido - goste-se ou não- montar ali uma máquina comercial bem oleada. Faz bem, é a sua (talvez principal) fonte de rendimento.

      Agora ele... tem perdido o interesse, nada de novo dali surge e a grande questão é a arrogância da postura. E isso ninguém lhe tira...

      Eliminar
    3. Verdade com uma ressalva. O homem não é arrogante por causa do blog.

      Eliminar
  4. http://oarrumadinho.sapo.pt/o-queria-ver-se-fosses-tu-e-o-so-tens-335498

    ResponderEliminar
  5. o cunhado do acutilante.16 de junho de 2014 às 10:17

    Até nisso ela faz a diferença pela positiva.
    Como vocês todas são umas sustentadas pelos maridos. (Atenção que não são afirmações minhas), Ela mostra-vos o que é uma mulher que se preza de o ser.
    Danem-se...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se a Picante aceitasse publicidade, a metesse aqui no blog etc etc (como a dita) se não poderia também ser sustentada à base do blog. O cunhado até estaria a ajudar à festa que anda aqui sempre metido.

      Zip.

      Eliminar
    2. Eu não sou. Mas tenho pena. Nasci para ser princesa. Tanta coisa gira para fazer... agora trabalhar... Bah

      Eliminar
    3. o cunhado do acutilante.16 de junho de 2014 às 12:25

      Mal, muito mal, malérrimo! Cara Zip. Gostaria imenso, mas infelizmente não sei responder-lhe. Não por mim mas por incoerência da oração, (atenção que não me refiro ao Pai-Nosso,) que por falar nele não se perdia nada e ganhava-se tudo se a Pipoca o publicasse, mas oração descritiva sua, absolutamente incoerente.
      A Ver:
      "O cunhado até estaria a ajudar à festa que anda aqui sempre metido."
      Alguém erudito, como a fina flor frequentadora deste blog de pendor altamente instrutivo, compreende isto?
      Presumindo que o recado se destinava para mim, seria:
      O cunhado até estaria a ajudar à festa "em" que anda sempre aqui metido.
      Agora, como até sou um gajo de uma tolerância que ultrapassa as fronteiras do Universo, vou considerar que se enganou e quereria dizer:
      "O cunhado até estaria... e por aí adiante ate ao final", mas lá está. Continua mal e debato-me com as terríveis dúvidas que, diga-se de passagem, são a componente maior da minha atribulada existência, e quedo-me como o tolo no meio da ponte sem saber se vou ou se torne. E tudo por quê?
      Por uma vogal, nesta tragédia um "o" com que termina a sua brilhante prelecção, ocupando o lugar que por legítima posição pertencia ao "a".
      O que daria coerência a tudo e teria evitado, (ainda que sintética) explicação de minha parte

      Eliminar
    4. Tenho pena de si cunhado do acutilante. Eu explico-lhe o meu mau português: eu não cresci em Portugal, eu não estudei em Portugal. Sou filha de emigrantes e aprendi o português de forma auto-didacta a ler livros em português, a passear nos blogs, na internet e por aí fora.

      Mas consigo escrever um discurso coerente e não tenho grandes problemas em interpretar um texto. Por outro lado, agradeço-lhe a aula de português gratuita que me acabou de dar.

      Agradecida,
      Zip.

      Eliminar
    5. Já agora, qual é a sua desculpa para escrever "malérrimo"? Isso também não existe.

      http://www.priberam.pt/dlpo/mal%C3%A9rrimo

      Eliminar
    6. Acutilante, a frase percebe-se bem. O "que anda aqui sempre metido", pode ser lido "porque anda aqui sempre metido", escusa de responder com sete pedras na mão a quem fez um comentário sem maldade.
      Anda toda a gente com a mania da perseguiição ou quê?
      Também pode escrever um blog para dar umas lições de português a quem estiver interessado, ou tem medo de ver os seus textos dissecados à lupa?

      Eliminar
    7. o cunhado do acutilante.16 de junho de 2014 às 18:29

      Cara Zip. Por um lado isto são só blogs, por outro teve mais sorte do que eu que me quedei pela quarta classe. Mas não ligue à segunda, foque-se na primeira e se possível, divirta-se.
      Anónimo das 17:04. Se não existe passa a existir. Como disse à Zip, se isto são só blogs, não obsta porém que deles não se possa tirar proveito.
      Malérrimo, até nem soa muito mal...em calhando.

      Eliminar
    8. o cunhado do acutilante.16 de junho de 2014 às 18:35

      Ó anónimo! Não vai, quando mesmo, presumir que eu perca tempo a consultar essa coisa do...ou sera da da; não interessa, adiante, esse/a tal de priberam, pois não?
      Desculpe a lembrança mas eu, infelizmente, não sou dos abençoados privilegiados donos do tempo.
      Além de que, já nasci naturalmente sábio

      Eliminar
    9. o cunhado do acutilante.16 de junho de 2014 às 19:00

      Anónimo das 17:31. Ainda está a falar disso? Ó homem/senhora, isso é passado, deixe tombar.
      Quer dizer: não seria passado e subsistiriam algumas dúvidas se não estaríamos no presente, mas isso seria num blog normal, um blog de prantagem diária de um ou dois posts por dia...três, vá lá.
      Mas aqui na nossa incomparável e indelével Picante, prantagem de posts são ainda mais rapidamente inseridos que nem a Alemanha a ensacar Portugal

      Eliminar
    10. Sou o anónimo das 17:31. Quando cá deixei o comentário o último comentário visível era aquele em que a Zip explicava como tinha aprendido português. O meu comentário pretendia mostrar-lhe que está sempre pronto para atacar os outros comentadores assinalando-lhes eventuais erros, em vez de reconhecer que o seu português também tem falhas. Não lhe adianta vir depois dizer que só tem a quarta classe para se desculpar. Se não tem um português irrepreensível não me parece bem que faça reparos aos outros.

      Eliminar
    11. Zip, parabéns! Há muitos portugueses nascidos fora do país que não têm essa vontade de aprender a nossa língua. Faz muitíssimo bem e não se preocupe em errar, acontece a todos. E, atendendo ao que aqui escreveu, não acho que esteja nada mal!

      Eliminar
    12. o cunhado do acutilante.17 de junho de 2014 às 01:01

      Anónimo das 19:49.
      E que tal se de uma vez por todas pusesse de lado a sua má vontade, porque, far-me-á decerto a gentileza de não menosprezar a minha parca inteligência querendo mostrar-me o inatendível no que é perfeitamente claro, tanto para si como para quem quiser.
      Não critico ninguém, tão-pouco pretendo dar laivos disso e reitero que isto são só blogs. Que coisa, homem/mulher; não sabe ou necessita que lhe levem o copo à boca para beber?
      Além de que, quem sou eu com a minha quarta classe, para corrigir ou ensinar o que quer que seja a alguém? Tomara que não reparem na minha ignorância, coisa que, infelizmente está muito longe de acontecer, tanto pelos consagrados gramaticistas que por aqui abundam como pelos agentes infiltrados na caça aos assassinos da língua mãe que, não menos abundantes por cá pululam.
      Claro que dou erros e continuarei nessa senda criminosa porque; primeiro não estou minimamente interessado em passar por quem não sou e segundo porque escrevo directamente na caixa de comentários e como for, vai.
      Está difícil chegar lá, homem/Senhora. Isto são só blogs.
      Ou talvez queira desabafar, mas nessa conformidade faça-o sobre quem merece e vire-se para o Paulo Bento.

      Cara Zip. Lamento sinceramente se se sentiu ofendida, melindrada, ou de qualquer outro modo incomodada, mas acredite que longe de mim o querer causar-lhe a mínima perturbação. Não está na minha índole magoar as pessoas. Só estava a brincar.
      Peço muita desculpa.

      Eliminar
  6. na altura ele deve-lhe ter pago a "implantação" mamária, vinha dai

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se alguém tem dúvidas sobre o silicone é porque não acompanha o blog desde o início. Heheheheh É cá uma diferença!!! Se bem que ficava mais fofinha com aqueles que Deus lhe deu, mas pronto, são gostos.

      Eliminar
    2. Mesmo quem não acompanha de inicio e não viu as fotos do antes e depois

      apenas referi, que com essas coisas todas pagas (que antes de namorar com ele não tinha) e depois começou a ter.

      Agora é ela que o leva a ele aos sítios

      e ele não vive do blog é certinho, mas agora com a publicidade toda, bem que pode começar. (nunca vi igualmente ninguém ser dispensado do trabalho que o sustenta para tanta viagem e tanto sitio, aposto que os comuns mortais nem dois trabalhos conseguiriam ter mesmo que precisassem)

      Eliminar
    3. por isso é que não amamentou o filho!

      Eliminar
    4. A sério? Ainda há quem ache que os implantes mamários impedem a amamentação, actualmente?

      Eliminar
    5. Esta fileira de comentários não só era escusada como lamentável.

      Eliminar
  7. Viver às custas de é diferente de apanhar boleia de... (Quem não se lembra dos empreendedores workshops ao estilo Maria, q rapidamente caíram por terra)

    ResponderEliminar
  8. E dai? qual é o mal de ele retirar algum proveito da fama que o blog da mulher tem para promover o dele? Burro era se não o fizesse que a vida custa a todos

    Pior era se ele agora fechasse o blog, deixasse de trabalhar e fosse viver á conta dos rendimentos da mulher.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde que ela não se ralasse, nem isso seria pior.
      Pior era que viesse viver à custa dos meus rendimentos, isso sim, é que me aborreceria.

      Eliminar
    2. o cunhado do acutilante.16 de junho de 2014 às 12:37

      Raios! Lá naufraguei eu as minhas melhores expectativas.
      Contava com a Picante para um macito de cigarros, de quando em vez, quando o meu mais do que previsível destino se concretizar e seja metido em jaula

      Eliminar
    3. Por essas e por outras que não compro a Sábado!

      Eliminar
  9. não tem nada a ver, mas alguem me explica onde se compra o sal dos himalaias?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. http://www.spoonsuperalimentos.com/cristais-de-sal-rosa-dos-himalaias-fino

      Eliminar
    2. o cunhado do acutilante.16 de junho de 2014 às 12:38

      Provavelmente nos Himalaias.

      Eliminar
    3. Supermerxado indiano; na cave do centro comercisl da portela

      Eliminar
    4. Fui visitar a loja e comprei, muito bom mesmo, mas o link correto é http://www.spoonsuperalimentos.com/cristais-de-sal-rosa-dos-himalaias-fino

      Eliminar
  10. Pipocante Azevedo Delirante16 de junho de 2014 às 13:01

    Um gajo não pode passar uma semana a banhos sem ligar muito a isto dos blogs, que volta ao activo, e não percebe um *orgao sexual masculino* do que se passa por aqui.

    Lá vou ter de passar uma breve revisão aos blogs de referência...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahshahahahahahahahahahahahshahahshahah

      Um "órgão sexual masculino"

      Ahahahahahah

      Eliminar
    2. Anónima Sedenta de Sangue16 de junho de 2014 às 18:17

      ahahahahahah Visitar as caixas de comentários assim é outra loiça. Mal o PAD aparece sobre o nível em larga escala! Que a revisão seja, efectivamente, breve e apareça!

      Eliminar
  11. Tenho uma dúvida, tenho uma dúvida. Escrever que o Arrumadinho anda a reboque da mulher pode ser considerada uma ofensa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depende das susceptibilidades. Eu não acho que seja uma ofensa.
      (mas que acho parvo...)

      Eliminar
    2. Bom, não sei se o Arrumadinho concordará.
      POVs, é o que é.

      Eliminar
    3. É diferente criticar um texto e seu conteúdo, de entrar em argumentação ad hominem.

      Eliminar
    4. Dizer que um homem vai a reboque da pessoa com quem casou é criticar um texto ou o seu conteúdo? Haveria muitas maneiras de criticar o texto e o conteúdo, muitas pessoas o fizeram. Mas esta, a mim, parece-me só uma ofensa gratuita.

      Eliminar
    5. O sucesso do blog deveu-se em boa parte ao já existente sucesso da PMD, conseguido ao fim de muitos anos de blog, levando a uma fama instantânea (o tal ir a reboque). Daí que me pareça que usar-se como exemplo de empreendedorismo com o seu blog, num exercício de auto-elogio, através de um texto acerca de um despedimento colectivo, seja no mínimo criticável, e não um ataque pessoal.

      Eliminar
    6. Descubra as diferenças: criticar a noção de empreendedorismo de alguém cujo sucesso foi muito facilidado por outro já existente, ou escrever um texto a descrever a pessoa como um oportunista (ou parvalhão) de m"#$%.

      Eliminar
    7. A elasticidade e parcialidade das noções de ofensa gratuita vs opinião pessoal aqui do clã davam um caso de estudo.

      Eliminar
    8. A coesão entre estes três anónimos também (dava um caso de estudo).
      Mas já se sabe...pimenta no rabo dos outros é refresco.

      Eliminar
    9. Confesso que li o post dele a correr, e só o segundo, aquilo dá-me sono. Mas não me lembra de o ver a dar o exemplo do blog dele como empreendedorismo. E se deu não foi o único. Lembro-me de dizer que passou maus bocados, que já teve de dar voltas grandes à vida e que ficar sentado a chorar ou a culpar o mundo não seria opção. O homem não vive do blog, o qual muitas vezes até está semi-parado. Criticar o texto dele, baseando-se apenas no blog é, no mínimo, discutível.
      E dado que são marido e mulher o normal será ajudarem-se mutuamente. Digo eu...
      (mas claro que há sempre quem pense ao contrário...)

      Eliminar
    10. Anónimo, quer desenvolver isso do clã? Ou é só uma ofensa? Se quiser sustentar serei toda ouvidos...

      Eliminar
    11. É verdade, diz que passou um mau bocado quando foi despedido, e que durou uma semana. Esqueceu-se de dizer que o seu irmão trabalhava na publicação que o contratou aquando dessa infelicidade, o que obviamente não teve nada a ver com o convite para trabalhar para ela uma semana depois de ter ficado sem emprego. Também diz que é possível fazer negócio através do blog, e é verdade, dois livros do Arrumadinho, um deles somente com base em depoimentos obtidos através do blog, blog esse que assim que começou foi catapultado para a fama através do blog da sua então namorada e actual mulher. Tudo coincidências, que nada tiveram a ver com sorte nem conhecimentos, foi tudo devido a grande esforço e mérito pessoal.

      Normalíssimo marido e mulher ajudarem-se mutuamente, acho muito bem, o contrário é que seria esquisito. Daí a escrever textos plenos de sabedoria e arrogância sobre proactividade e mérito próprio a pessoas que acabaram de focar desempregadas que infelizmente não têm a mesma sorte, enfim, já não me parece tão bem.

      Eliminar
    12. Numa coisa a Picante tem razão, é difícil ler aqueles posts «eu sou o maior» até ao fim sem entrar em apneia do sono.

      Eliminar
    13. Desconheço esses pormenores. Mas atenção que eu não estou a defender o texto. Acho só tolo que o ataquem com o argumento de que vive à conta do blog da mulher, sem desmontarem os argumentos do texto.

      Eliminar
    14. Há um comentário ali em cima que refere isso mesmo, dizer que a fama conseguida à boleia do blog da mulher, não é o mesmo que dizer que vive à custa dela. Quem os lê sabe que isso não é verdade, enquanto a PMD entregou a carteira profissional para viver profissionalmente do blog, ele continua o seu trabalho enquanto jornalista. Mas a verdade é que também já lucrou muito com o blog.

      Eliminar
  12. No meio disto tudo quem nunca se safou foi a cunhada, coitada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teve de emigrar e quase a beira da morte, tadita

      Eliminar
    2. Anónima Sedenta de Sangue16 de junho de 2014 às 18:21

      Quem, a Brilhosinhos?! Aquilo depois da situação da amiga metida em maus lençois, que ela defendeu com unhas e dentes e afinal o caso era gravíssimo, esteve ali bem complicado...a seguir a separação e ainda li um post qualquer sobre sentir-se só. O blogue deixou de ser actualizado mas nunca se percebeu bem porquê...

      Eliminar
    3. Mas olhe que ele, o blog, anda actualizado.

      "quase à beira da morte", porque esteve montes de tempos doente e não se tratou. Em vez de andar a cuspir veneno, devia cuidar mais da vida dela e deixar a dos outros em paz.

      Eliminar
    4. "Brilhosinhos"...Dinada a anhar, como há uma década. Ele há coisas que nunca mudam.

      Eliminar
  13. Não podia concordar mais picante! Não que seja defensora acérrima do arrumadinho que não sou, mas ao ler o que ele.escreve tal como noutros blogs sou capaz de ler o conteúdo de um texto sem fazer juízos de valor relativamente a quem o escreveu, e concordando ou não com.esse mesmo conteúdo sou da opinião que o arrumadinho fundamenta bem as suas opiniões.. Penso que o que escreveu veio no seguimento de um post acerca dos despedimentos da controlinveste em que muita gente o " atacou" precisamente com.esse argumento de que " não eras nada sem ela".. Ainda por cima quem mais bateu no ceguinho foram bloggers com muitos telhados de vidro....ironico.....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu cá gosto muito de ironias. As ofensas são como o triunfo dos porcos, todos iguais mas uns mais iguais que outros.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.