segunda-feira, 30 de junho de 2014

Dúvidas, a minha vida é isto

O Jorge Palma é amigo da pinga não é? É impressão minha, ou já o vi a actuar alcoolicamente bem disposto?
Os bêbados, na manhã seguinte, deitam as mãos à cabeça, ao olhar para o lado, enquanto pensam "caramba, o quê é que eu fui fazer?"

Just asking...

Um dos desafios que toda a gente deveria colocar a si próprio

Aprender a estar calado.

Vale a pena reflectir sobre isto.

Das perdas

Nenhum pai, nenhuma mãe deveria enterrar um filho, devia haver uma qualquer lei universal que o impedisse, não é natural, não deverá ser suportável, não consigo pensar em dor mais profunda, não consigo, sequer, imaginar a intensidade da dor. 
Posto isto, já vi por aí coisas que me fizeram corar de vergonha. Reformulo. Já vi coisas, por aí, que me deixaram uma enorme vontade de distribuir umas valentes bofetadas em trombas alheias. Logo eu, que só me lembro de ter dado uma única bofetada, ao longo de toda a minha vida. 

(Vontade de aparecer e de iniciar ondas tem limites, deixa os vivos chorar os seus mortos em paz, foda-se! Conhecerás, sequer, a existência da palavra respeito? Arranja um bocado de sensibilidade, caramba. Ou um cérebro. Ou os dois.)

sábado, 28 de junho de 2014

Coisas a nunca, mas nunca mais fazer, num sábado à tarde, quando se poderia estar numa esplanada, a beber um gin e conversar com amigos

Bolachas Inglesas. Ficam boas que se fartam mas, para além de cada bolacha ter para aí duas mil calorias, a massa é praticamente impossível de estender, uma pessoa nunca mais sai dali e nem vou falar do estado em que ficou a cozinha.
Croquetes. O recheio parece uma coisa que foi deglutinafa e devolvida ao mundo, é mole, como é que se molda uma porcaria mole? Com muita paciência e fazendo muita porcaria. Ter deixado cair um frasco de savora ao chão, porque se achou que bons, bons, são os croquetes do Tico Tico, também não ajudou. Entre tempo e ingredientes mais vale comprar. São mais baratos e melhores.
O que vale é que isto dá-me para aí uma vez ao ano...

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Os problemas dos homens #39

Um oceano de insensibilidade.

Há uma linha

Que separa quem sempre se pautou por se manter fiel a princípios e valores, dos outros, os que adquirem princípios depois de terem provado o seu próprio veneno.

(na sequência deste post)
(sim, repensei o assunto, o que li chocou-me, a juventude não é, não pode ser, desculpa para a filha da putice)

Ah! A maravilha do poder de síntese

Já só tenho espaço para mais dois blogs, ali à direita, não faço ideia do que acrescentar. Ainda pensei em deixar apenas os seis que lá estavam, ficaria uma coisa realmente em bom, acontece que comecei a receber queixas, que as visitas tinham diminuído e mais não sei quê, eu não consigo ver ninguém infeliz, sou um coração mole, vai daí que lá me decidi a acrescentar meia dúzia de blogs manifestamente desengraçados.
Agora é pensar nas musas inspiradoras, acrescentaremos uma por dia, à medida que sinta a inspiração descer em mim.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Fossem as coisas como tinham de ser...

...e o nosso CR7 teria goleado. Estivesse ele no seu ritmo habitual e teríamos ganho por uns quatro ou cinco. Não tivesse o Pepe feito a burrada que fez e não teríamos levado quatro da Alemanha. E agora estaríamos a festejar a passagem aos oitavos de final.
Mas as coisas não são como têm de ser, elas são como são. 

(e, além do mais, estou para aqui desconfiada de que não teríamos um único jogador sem lesões para os oitavos)

Das eternas dúvidas

Quando é que um não se transforma, de repente, num sim?

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Sou uma optimista incorrigível

Talvez, afinal, ainda haja esperança...

Novo must-do da bloga

Tirar fotografias nu para o blog.

Vamos a isto, senhoras e senhores? Vamos!..

Seis já estão...

E, dos seis, todos são novidade, nem um que fosse estava. Não é tão bom? Fazer mudanças drásticas e impactantes na nossa vida?

(talvez hoje vá cortar o cabelo ou mude a cor das unhas, talvez...)

Que comecem os jogos

Grande ajuda que vocês me deram. Uma pessoa faz um exercício de interaccção. Dá-vos oportunidade de colaborarem aqui, de engradecer o espaço, fazer uma coisa comme il faut, quem lê até pensa que uma pessoa se importa com a vossa opinião, que as coisas não são como são... E que acontece? Nada, pois não é?
Obrigadinha pelas sugestões, vou começar a tarefa hercúlea e ingrata de escolher blogs...

terça-feira, 24 de junho de 2014

O que eu sei...

...é que tenho, ali à direita duas listas. Ambas as duas têm título mas estão   completamente ocas. Vazias. Não contêm nada. Zero. Rien de rien.

Como é? Preciso de nove blogs para constar na lista do "às vezes passo aqui". Teremos um total de treze ou catorze, ainda não decidi, preciso que me deem nove. Os restantes eu escolho. Agradecida.

(Ah... o poder de síntese, conseguir nomear os treze ou catorze blogs da minha preferência, sem me perder em infindáveis listas que não leio, só por achar que poderia gostar de quem escreve ou lá o que é. Não é tão bom?)

Interagindo com os leitores

Pois que a vossa Picante se decidiu a ter várias listas de blogs, ali à direita, só não sei se duas, se três, vai dai que surge aqui a primeira interacção com o estimado e muito respeitado público.
Divido a coisa em três listas? A saber: 1.Bons blogs, aqueles mesmo bons, que dão automaticamente uma aura intelectual e culta a quem os tem ali à direita? Ainda que muito raramente os leia? Ou nem sequer os abra?
2. Blogs divertidos, aqueles de que eu realmente gosto, aqueles que visito porque me fazem sorrir, afinal é isso mesmo que procuro num blog, diversão.
3. Musas Picanteanas, os blogs em que me inspiro e que são, afinal, parte da razão de ser da vossa Picante.

Ou, em alternativa, mantenho o nome da lista "às vezes passo aqui", agrego lá os blog bons e os divertidos e acrescento apenas a lista das Musas Picanteanas?

Qualquer que seja a opção, saiba-se que quero um máximo de vinte e um blogs, entre as várias listas, as musas terão de ser sete.

Como é? Ajudam a esclarecer as minhas dúvidas? Posso contar com vocês?

Acabei de decidir..

Vou mexer ali, na lista dos blogs da direita, num exercício de convívio e interacção com os meus leitores.
Não é verdadeiramente maravilhoso?

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Oh não! O drama, a tragédia, o horror!

Tenho o feed avariado. Consigo ver um único post, o último que um dos blogs que lá constam publicou. E agora? Como é que me ponho a par dos desenvolvimentos blogoesféricos? Como é que arranjo assunto para escrever? Como, meu Deus? O que me haveria de acontecer, que vida tão cruel...

Nunca esquecemos o primeiro

O primeiro beijo, a primeira vez que olhámos para um rapaz e pensámos que sim, que era ele O Tal, a primeira medalha que ganhámos, o primeiro ordenado, a primeira promoção, a primeira vez que chorámos, abraçadas a ele, porque é tudo tão perfeito que apetece chorar em vez de rir, a primeira vez que nos espetámos a duzentos e cinquenta, sem travões, porque confiámos e nos partiram o coração em mil pedaços, a primeira vez que nos reerguemos e levantámos a cabeça, o primeiro concerto a que assistimos, a primeira viagem só com amigas, a primeira vez que nos puseram um ser minúsculo ao colo, a primeira vez que dissemos amo-te, a primeira vez que nos despedimos de alguém que sabíamos não tornar a ver, a primeira vez que arriscámos e ganhámos, o primeiro blog que escrevemos, a primeira vez que pensámos que isto, afinal, às vezes não são só blogs.
É por isso que gosto de estreias, as estreias são de valor.
(e, para além do mais, ficam-nos na memória, é bom que nos façam sorrir, com saudade e não de tristeza..)

Vim aqui, só de fugida, dizer que..

O melhor ginásio do mundo é o Holmes Place. Achei que gostassem de saber.

(e eu não vou às festas, acho aquilo uma pelintrice, escusam de ir à próxima à procura de A Picante, é certo que não me encontrarão por lá...)

domingo, 22 de junho de 2014

Tu é que sabes...

Eu, que sou eu, acompanharei com James Martins, trinta anos. Mas tu é que sabes...

Hoje...

Dia de estar em casa, deitada no sofá, a ler um bom livro, ou a pôr séries em dia?
Não... Dia de usar saltos altos, carteira pequena, onde só cabem as chaves e o gloss, pôr risco nos olhos, máscara, e rezar para que a chuva não dê cabo de tudo. Nunca rezar veio tão a propósito. Até mais loguinho...

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Gracinha

Gracinha, minha querida, chegue aqui à sua velha tia, isto realmente é um desassossego, a menina está sempre a desiludir-me, mas que diabo vem a ser isto agora? Acha mesmo que há necessidade de gozar assim a outra menina, só porque ela decidiu escrever umas coisas? Mas a menina estará, por acaso, convencida que mais ninguém poderá ter um blog de caca? Deixe-se disso que, isto, o sol quando nasce é para todos... Uma menina tão querida e simpática, ainda por cima, devia era ter vergonha, logo a menina que passa a vida a dizer-nos quando vai à casa de banho, que faz festas super originais com, pasme-se, pinturas faciais, coisa tão criativa, não é verdade?

Dúvidas, a minha vida é isto

Em conversa sobre aquele negócio novo de sandálias, diz-me uma pessoa que fica preocupada, que não sabe do que viverá a pequena, no Inverno. A vossa Picante, que tem estado presa e por fora destes últimos blogo-desenvolvimentos, depois de se inteirar do que se passa, fica ainda mais preocupada, toda a gente sabe que a vossa Picante é uma pessoa que se preocupa, pois não é? Mas dizia eu que fiquei realmente preocupada... Do que viverá a pequena no Verão? É que, dentro do género, já tínhamos a Sapatolândia, por Deus. E tenho a certezinha de que sempre será mais em conta...

Agora que voltei...

A minha primeira preocupação foi pôr-me a par das novidades da bloga. E que novidades, senhores. E que novidades...

quinta-feira, 19 de junho de 2014

E então, Picante? Nunca mais sais da blogo-prisão?

Pois fiquem a saber que sim, parece que o meu blogo-advogado, convenceu o blogo-juiz, de que as acusações que pesavam sobre a vossa Picante eram ridículas, em ouvindo os queixosos, o blogo-juiz pôs-se para ali a rir que nem um perdido, no final ainda disse que a vossa Picante se limitava a fazer serviço público e a espalhar o bem, afinal eu nasci para espalhar o bem, não é verdade?
Aquilo foi uma coisa bonita de se ver, aqui entre nós, que ninguém nos ouve, eu pouco ouvi... que mal conseguia tirar os olhos do meu blogo-advogado, enquanto suspirava audivelmente, homens que fazem suspirar as pessoas são coisa de valor, isso é o que vos digo. Mas dizia eu que, no meio dos suspiros, lá ouvi umas coisas de ser serviço público isto de gozar quem tenta vender vidas perfeitas e felizes, lucrando à custa de workshops de felicidade, que gozar quem antes gozava despudoradamente mas agora também faz publicidade não traz mal nenhum ao mundo, que rir agarrada à barriga de quem inventa acções de solidariedade só para se auto-promover deveria dar honras de distinção pública, que querer responsabilizar uma pessoa por aquilo que os outros escrevem é simplesmente patético, que chamar parvo a alguém não é tão grave como chamar imbecil e cretino e que, não sendo bonito, se uns podem os outros também, que isso de enviar tropas a lugares alheios só com o intuito de hostilizar é tão estúpido e imbecil que nem merece a pena ser esmiuçado, que satirizar conteúdos públicos não é bullying, enfim... coisas dessas, tudo muito pouco interessante, que interessantes eram mesmo as vistas. Disto tudo ficou uma coisa realmente em bom, há que sempre ver o ângulo bom da coisa, amanhã vou almoçar com o meu blogo-advogado.
E estarei de volta. Não é tão bom?

Uma pessoa já não pode ser presa...

Que há logo rebelião nas blogo-tropas. Como é possível, Deus meu? Tanta falta de lealdade? Que será feito dos bons valores cristãos do antigamente? Quando as pessoas eram blogo-amigas dos seus blogo-amigos de toda uma vida? Hoje em dia não... a blogo-sociedade corrompe as blogo-pessoas... enquanto havia festas e visitas e tudo e tudo, ele eram sorisinhos para aqui, gargalhadinhas para ali, abracinhos acolá. Mas em uma pessoa sendo presa, ainda por cima injustamente presa, é isto. A vida pode ser muito cruel.

(mas eu fico bem, eu fico sempre bem...)

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Que injustiça, senhores, que injustiça...

Pois que ainda não é desta que volto à blogo-liberdade, uma pessoa a pensar que ia tudo voltar à normalidade, depois de ser inocentada lá daquilo do plágio e que acontece? Novo blogo-julgamento, estes blogo-polícias dariam uns excelentes árbitros, é o que é.

Da decisão


Ouvidos os queixosos e apurados os factos, o blogo-juiz considera a ré, doravante designada por A Verdadeira A Mais Picante, inocente de todas as acusações e condena os queixosos que, num blogo-instante, passaram a réus, por crime de usurpação e contrafacção, à seguinte pena:
1. Retirar a imagem e mudar o nome da página.
2. Pedir desculpa por serem tão estúpidos, ao ponto de pensar que um caldeirão seria um bom chamariz para uma página de sexo.
3. Pedir desculpa por serem tão burros que achavam que ninguém iria dar por isso e avisar a dona do blog
4. Pedir desculpa por serem cretinos ao ponto de achar ser credível que uma página com vinte e quatro "likes" e quatro postagens tivesse um desenho de um profissional.
5. Ver diariamente dois episódios da série Beirais, desde o seu início, actualmente a ser exibida na RTP1, um ícone ao humor Português.

 
TÍTULO IV
Da violação e defesa do direito de autor e dos direitos conexos

Artigo 195.º
Usurpação
1 - Comete o crime de usurpação quem, sem autorização do autor ou do artista, do produtor de fonograma e videograma ou do organismo de radiodifusão, utilizar uma obra ou prestação por qualquer das formas previstas neste Código.
2 - Comete também o crime de usurpação:
a) Quem divulgar ou publicar abusivamente uma obra ainda não divulgada nem publicada pelo seu autor ou não destinada a divulgação ou publicação, mesmo que a apresente como sendo do respectivo autor, quer se proponha ou não obter qualquer vantagem económica;
b) Quem coligir ou compilar obras publicadas ou inéditas sem autorização do autor; ....

Artigo 196.º
Contrafacção

1 - Comete o crime de contrafacção quem utilizar, como sendo criação ou prestação sua, obra, prestação de artista, fonograma, videograma ou emissão de radiodifusão que seja mera reprodução total ou parcial de obra ou prestação alheia, divulgada ou não divulgada, ou por tal modo semelhante que não tenha individualidade própria.
2 - Se a reprodução referida no número anterior representar apenas parte ou fracção da obra ou prestação, só essa parte ou fracção se considera como contrafacção.
3 - Para que haja contrafacção não é essencial que a reprodução seja feita pelo mesmo processo que o original, com as mesmas dimensões ou com o mesmo formato.
....
Daqui



Dos factos

A ré prova, sem qualquer margem de erro que usa o petit nom de A Mais Picante desde o vigésimo nono dia, do oitavo mês. do ano da Graça do Senhor de dois mil e treze, como se constata pela leitura deste post.
Fica igualmente, aqui, provado que a verdadeira criadora da imagem mítica do caldeirão é a exma sra. dra. Palmier Encoberto, a qual cedeu a imagem, à ré, a troco da exorbitante quantia de um "mil vezes obrigada", ao quarto dia, no décimo primeiro mês, do ano da Graça do Senhor de dois mil e treze.
Finalmente a leitura deste post, mostra que a imagem entrou em vigor no blog da ré, no dia imediatamente seguinte ao do pagamento do serviço prestado.
A defesa não tem mais nada a acrescentar, senhor doutor juiz.

Da Acusação

Existe uma página, lá naquilo do Zuckerberg, com o nome A Mais Picante, a qual utiliza a imagem do próprio do meu caldeirão antigo. Poderia ser uma página extraordinariamente snob-chic, poderia ser uma página extremamente culta, poderia até ser uma página inteligentemente sarcástica. Mas não... acontece que é uma página criada por imberbes, meio deficientes de massa neuronal, destinada a casais e pessoas que gostam de sexo. Ora, toda a gente sabe que seria impossível essa página ser da Mais Picante, não é verdade? Pois se ninguém pega na Picante é impossível a Picante ter uma página dedicada a essas coisas do sexo. Em casal ainda por cima (vamos agora esquecer aquilo das crianças lindas e loiras em Gap e Ralph Lauren, sim?).
Os senhores insistem que aquilo é deles, que foi criado por um designer, tendo entrado em vigor ao, imagine-se, quinto dia de Março do ano da Graça de 2014, conforme se pode constatar, neste link e nas inteligentes respostas, quando confrontados com a situação.



Vai daí que a Picante está blogo-acusada de plagiar a sua própria imagem e nome.
Queremos blogo-justiça, senhores! Onde já se viu? Uma mulher ser acusada de se auto-blogo-plagiar?


terça-feira, 17 de junho de 2014

Procura-se Blogo-Advogado para relação séria e profissional

Com esta cara...


Este corpo...


Este carisma...


Que vista assim...


E calce assim....


Também era uma ideia...

Que escreva assim...


E ganhe assim...


Mas as coisas são como são... Basta um que perceba de blogo-leis, esqueçam lá isso de suspirar por quem não existe.

(Imagens retiradas do Google Images, todas elas)

Oh! Não!... E agora?

Primeiro ameaçaram-me com a imputabilidade penal, depois responsabilizaram-me pelos comentários que as pessoas vão aqui deixando, ainda que sejam assinados, finalmente dizem-me que não sei quê... de fomentar uma blogo-revolução, que enviei blogo-tropas para conquistar o blogo-mundo. 
Tudo isto estaria muito bem e seria de somenos importância, a pessoa estava em estado de blogo-alerta máximo, não fora o jogo de ontem que me deixou completamente blogo-anímica. Está uma mulher a tentar recuperar-se do desaire sofrido pelo nosso Portugal, uma mulher baixa as suas defesas, esquece-se de olhar por cima do ombro quando sai de casa... Eis senão quando chegam os blogo-agentes da autoridade. E agora, senhores? Como é que vai ser? É que eles até o telemóvel me querem tirar... Neste preciso momento estou para aqui atirada, à espera do meu blogo-advogado que não há meio de chegar, ainda não faço nem ideia da blogo-acusação que paira sobre os meus ombros, nem sei se isto não será blogo-inconstitucional, não sei...

(darei novidades assim que possa...)

segunda-feira, 16 de junho de 2014

As coisas são como são

Se algum dia me dissessem que defenderia o Arrumadinho, daria uma gargalhada. Mas hoje foi o dia.

Ainda sou do tempo

Em que as pessoas diziam à Mais Doce que ela vivia às custas do marido. Agora é ao contrário.

(e aquilo da colher..., não?)

E agora, Picante?


(diz que tão cedo não há mais demonstrações, competições e afins...)

sábado, 14 de junho de 2014

14 de Junho

It's all about you.

E o teu sábado, Picante?

Ainda tenho dez crianças em casa. E ontem não vi o jogo. E ainda tenho dez crianças em casa. E terei trinta adultos a jantar. Em querendo matar-me sou toda vossa, sempre é menos doloroso.

Nestes dias...

...em que acordo sem despertador, salto da cama sem grandes demoras, vou até ao meu terraço e é lá que assisto ao nascer do sol. São dias grandes, maiores que o habitual, que obrigam a dois pequeno-almoços, o segundo com pão acabado de fazer, ainda a estalar, depois da corrida matinal.
E agora? Agora estou sentada, de novo no meu jardim, café fumegante ao lado, livro na mão, ouço ao longe as vozes das crianças, ainda meio ensonadas, ao perto os pardalitos, está aqui um mais aventureiro, mesmo à minha beira. Fecho os olhos e sinto o sol aquecer-me a pele, ainda é um sol que não incomoda, enquanto penso que a felicidade é feita destes nadas, a disponibilidade mental para saborear uma manhã bonita. E tu? Ainda dormes?

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Então e tu, Picante? Estás na praia como o resto de Lisboa?

Não. Tenho dez crianças em casa, dez crianças que dormirão na minha sala, eram para ser doze, dois adoeceram. Amanhã terei trinta adultos a jantar. Alguém me drogou quando eu fui nesta conversa, é que não encontro outra explicação.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Aprendendo em blogs (III)

Três bons blogs. Três. 
E eu, que nunca aposto, apostaria que um deles seria o Tempo Contado e outro o Xilre... São indubitavelmente dois bons blogs.

(Suspirais porquê? Mesmo? É que até lhe foram pedir para aumentar a lista dos maus blogs, caramba...)

Aprendendo em blogs (II)

Ele há gente que se leva mesmo a sério, vá lá Deus Nosso Senhor encontrar uma única razão para os levar a sério, caramba, uma mulher a pensar que os blogs servem apenas para nos divertirmos, que não passam de meros blogs... Vai-se a ver e li, numa caixa de comentários extraordinariamente séria e intelectual, que as pessoas que aqui comentam não são por lá bem vindas. E porquê? Perguntam vocês... Ora, apenas porque não me desancam. Ironias de quem já ironizou. E esta, hein?

Vamos brincar ao quem é quem?

Vamos!
Aquilo dos sapatos deu direito a uns risinhos à socapa, de repente, vá lá saber-se porquê uma mulher lembra-se do Mutley e vai daí que, aqui a vossa Picante, adoraria saber até que ponto a compreendem.

Quem sou eu?
1. Sapatos "os meus óculos escuros, os meus óculos escuros, por favor"
2. Sapatos "quem raio é que olhou para os sapatos? O post está brilhante"
3. Sapatos "entre as meias e os sapatos, venha o diabo e escolha"
4. Sapatos "podia ser eu, acontece que uso saltos"
5. Sapatos "há muitos anos, também me calcei assim, mas usava meias com losangos"
6. Sapatos "ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah, o karma, esse grande filho da puta"
7. Sapatos "repense lá isso, sim?"
8. Sapatos "o anel... o anel..."
9. Sapatos "não podia ser eu, nem é por causa dos sapatos, é mesmo por causa dos desenhos"
10. Sapatos "ó tão querido...."
11. Sapatos "essa merda já via uma aguinha, não?"
12. Sapatos "tu queres é bananinhas"
13. Sapatos "em Roma é mesmo assim"
14. Sapatos "não fora o elástico..."
15. Sapatos "essa já é velha"

(avisa-se que as categorias 1, 4 e 10 albergam mais que um blogger, eu quero ver quem é que se atreve a comentar isto, quero sim...)
(deixei consortes de fora, não querendo ferir susceptibilidades com aquilo dos berloques...)

Aprendendo em blogs...

O mesmo jornalista que não sabe conjugar o verbo haver, pergunta se as mulheres que se masturbam ficam com borbulhas na cara ou com mãos peludas, por se masturbarem.
Ah, o onanismo... essa maravilha que deveria ser tão mais praticada...

Também faço posts em tempo real

Hoje, só hoje, o dia vai ser dedicado às coisas que aprendo, em lendo caixas de comentários. E posts. Coisas que aprendo, em lendo blogs, na verdade. 
Ah... e decidi que sempre irei falar sobre blogo-sapatos, uma espécie de quem é quem, eu direi una frase extraordinariamente inteligente e divertida, vocês adivinharão de quem falo. Vamos a isso? Vamos!...

terça-feira, 10 de junho de 2014

Os problemas dos homens #38

Dizem-nos "tem calma..."
(mas eles não saberão que nós não queremos ter calma?..)

Paços de Ferreira pleasures women


Com um grande beijinho à Ana, os meus leitores são do melhor que há.
(diz que a imagem vem do pinterest)

Welcome to the metropolis of furniture




(estou aqui na dúvida, se isto de ter mulheres em bikini poderá ou não ser ofensivo, afinal poderei estar a "objectificar" o maravilhoso corpo feminino, mas o que eu queria mesmo dizer é que há mil e uma razões extraordinariamente válidas para visitar e apoiar o Paços de Ferreira, é tudo uma questão de ângulo, ou forma, vá...)

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Disso, dos poemas...

O que eu sei, é que os primeiros serão sempre os primeiros. Nunca esquecemos o primeiro.

(caramba Arrumadinha, eu a achar que aquilo era uma coisa em excusivo, e é isto? mass market? olhe, nem sei que lhe diga...)

Que vês da tua janela, Picante?

Que vês da tua janela, Picante?

Estou aqui com uma dúvida..

Eu sei que a bloga inteira comenta o vestuário das famosas, eu sei que vão comentando os outfits da Mais Doce, também sei que as meias do Pips geraram alguma conturbação entre as blogo-mulheres, eu sei isso tudo, que eu sou uma pessoa que sabe das coisas.
Aquilo que eu não sei, mas gostaria muito de saber, é se será permitido comentar os blogo-sapatos, isso é que eu não sei e gostaria mesmo muito de saber, não sei se já disse, que eu cá gosto muito de sapatos. Como é? Pode-se?

(é que há ali um ou dois...)

domingo, 8 de junho de 2014

As coisas são como são

E, em noites de céu estrelado, há sempre uma estrela por cima de mim, sempre que olho para cima lá está ela, a estrela mais brilhante, mesmo por cima de mim. E mesmo quando não a consigo ver, em havendo nuvens, eu sei que ela está lá. Ela está sempre lá.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Se podíamos jogar blogo-ténis?

Podíamos. Mas as coisas são como são e eu não estou para isso.

Short story, só mesmo para não lhe chamar microconto

Era uma vez um blog que nem para blog servia...


(diz que o sítio fez dois anos, a vinte e oito de Maio, eu, desnaturada que sou, esqueci-me, que ligo pouco a estas coisas de datas)

Bom fim de semana a todos os que por aqui passam!

Verdade ou consequência?

Será verdade que se um homossexual praticar sexo anal muitas vezes, fica com o rabo relaxado e "solta-se" nas cuecas involuntariamente? Ou isso de se soltar nas cuecas será consequência de uma enormíssima e fulminante dor de barriga? E, se não sendo verdade que fica relaxado, e ficar, pelo contrário, exercitado, será que em vez de se soltar, se prende? E se é verdade que se prende então a consequência será a prisão de ventre? E se o ventre for para a prisão será que ainda poderá fazer abdominais?

Ou na verdade será que a única causa do que escrevi é uma valente diarreia neuronal e não há qualquer consequência, a não ser um valha-me minha Nossa Senhora da Iuminação, por parte de quem lê?

(caramba, ando sempre com dúvidas, eu...)

Acabei de decidir...

Para a semana vou falar sobre o aborto.

(e por conseguinte, pôr a blogoesfera inteira a falar sobre isso também... não é tão divertido?)

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Diz que o selfie cedeu ao shoefie

É preciso fotografar sapatos? É? minha Nossa Senhora das Aflições me acuda... e agora? Tenho uns sapatos de pobre, comprados na Zilian por tuta e meia, que vou fazer à vida?
Espera... já sei! Vou ali a correr, à Avenida da Liberdade, experimento uns Jimmy Choo, fotografo-me dentro deles e pronto. Ufaaaa... que excelente ideia! Já venho, sim?

(E as meninas que passam a vida a dizer que a Picante é mal educada e gabarola porque diz que usa Prada, poderão começar a dizer que a Picante usa Prada e Jimmy Choo. Just saying...)


E agora das coisas que me fascinam

Pessoas que têm a capacidade de detectar ironia onde ela existe, que não se levam assim tãoooo a sério, que percebem que um boneco é um boneco e nada mais que um boneco, que conseguem ler nas entrelinhas e perceber o sentido subliminar das coisas.

Desonestidade Intelectual

Afirmar que onde está escrito:
 "em não tendo segurança para sustentar os olhares provocados por um bom decote é tapar as mamas" 
se lê:
"elas estavam a pedi-las, foram agarradas porque estavam a pedi-las"

Afirmar que:
"Se uma pessoa tiver um blog, e nesse blog publicar um texto ostensiva e propositadamente ofensivo contra alguém, mas depois disser que "não fui eu", então assim já não faz mal"

omitindo que a pessoa lhe disse por, pelo menos, cinco vezes:
"se o post a aborrece ou causa qualquer tipo de angustia ou ansiedade eu retiro o post, basta uma palavra sua"

(E não, a palavra não foi proferida. Mas ainda vai a tempo, em pedindo para retirar eu retiro, isto serve para nos divertirmos, não para nos aborrecermos)

No post abaixo perguntam-me o que é fundamentalismo...

E eu explico.

"Atitude de intransigência ou rigidez na obediência a determinados princípios ou regras."

In Priberam

fun·da·men·ta·lis·mo
(fundamental + -ismo)
substantivo masculino
1. [Religião]  Doutrina que defende a fidelidade absoluta à interpretação literal dos textos religiosos.
2. Atitude de intransigência ou rigidez na obediência a determinados princípios ou regras.

"fundamentalismo", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/fundamentalismo [consultado em 05-06-2014].
fun·da·men·ta·lis·mo
(fundamental + -ismo)
substantivo masculino
1. [Religião]  Doutrina que defende a fidelidade absoluta à interpretação literal dos textos religiosos.
2. Atitude de intransigência ou rigidez na obediência a determinados princípios ou regras.

"fundamentalismo", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/fundamentalismo [consultado em 05-06-2014].
un·da·men·ta·lis·mo
(fundamental + -ismo)
substantivo masculino
1. [Religião]  Doutrina que defende a fidelidade absoluta à interpretação literal dos textos religiosos.
2. Atitude de intransigência ou rigidez na obediência a determinados princípios ou regras.

"fundamentalismo", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/fundamentalismo [consultado em 05-06-2014].

Das coisas que me irritam, há uma que me assusta

Irrita-me o fundamentalismo, venha ele de homens, mulheres, brancos, negros, amarelos, muçulmanos ou católicos. Qualquer que seja o género, raça ou credo.
E, para além de me irritar profundamente o fundamentalismo, também me assusta. Um fundamentalista é cego em relação às suas crenças e ideais. Nos casos mais extremos estará disposto a tudo em prol dos seus ideais, a inteligência e lógica deixam, pura e simplesmente, de funcionar. A capacidade de ouvir ou aceitar opiniões diferentes das suas também. Porque, minhas queridas e estimadas fundamentalistas, tolerância face à diferença é coisa que não vos assiste. Mas lá está... um fundamentalista desconhece o conceito de tolerância.

(ironicamente, os maiores opressores dos direitos e liberdades femininos são fundamentalistas... engraçado, não é?)

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Bullying

Bullying (anglicismo, bullying) é um termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (do inglês bullytiranete ou valentão) ou grupo de indivíduos causando dor e angústia, sendo executadas dentro de uma relação desigual de poder.
bullying é um problema mundial, onde a agressão física ou moral repetitiva, deixam marcas para o resto da vida.
In wikipedia

(tão entendida nessas coisas do amor e não sabe o que é bullying...)

Sabes que um post é verdadeiramente subtil..

..quando ninguém o percebe a não ser quem o escreveu e tu própria.

(mas foi uma boa tentativa, não há que chorar...)

Já fui feliz aqui

Gosto muito do jardim zoológico, é lá que estão os meus amigos, eu morava lá perto, ao pé de uma loja de bananinhas, era muito bom porque eu gosto muito de bananinhas, e assim tinha sempre bananinhas para comer. Hummm... agora que me lembro disso, vai uma bananinha?
Mas depois cresci e virei uma cobra, sou tão cobra que passo a vida a largar veneno. Por vezes aborreço-me, afinal ninguém me liga nenhuma, falam com as outras mas a mim, que sou uma cobra, ninguém diz nada. 
Mas prontoS continuo a ser feliz aqui, no jardim Zoológico, afinal eu sou uma cobra, divirto-me a espalhar veneno por aqui e por ali. Mas sou feliz assim, sou uma cobra, não sei se já disse. E largo veneno, não sei se sabem.

terça-feira, 3 de junho de 2014

Do dia do buzz

O buzz, nem seria verdadeiramente um grande buzz, se se mantivesse circunspecto aos envolvidos. Mas isto dos buzz da bloga faz-me lembrar os espertalhaços que iam à pendura nos eléctricos da antiga Lisboa, há sempre mais um que replica aquilo que já foi dito noutro lado, na esperança de apanhar boleia.

(mas isto a vida é como é, quem vai na cauda chegará sempre em último ou, em calhando, corre e nunca alcança)

Eu não dizia?

Já tenho mais um, já voltou!
Umas flores agora... vá.....



(e dado que já está tudo como tem que estar... este blog voltará, dentro de breves momentos, à sua publicação normal que isto as coisas são como são e eu sou a Mais Picante, não sou a Mais Fofinha)

Olha que engraçado...

Ontem, dias horribilis, perdi dois seguidores. Hoje prantei animais fofinhos. Um já voltou.

Tomem lá um bebé fofinho, vá....









(aqui, sra, aqui... AQUI...)
(e sim, todas as imagens foram retiradas na net, ok? não maçar...)

A partir de hoje...

Este blog vai ser só disto...














Disto....












E disto....












(ainda tenho leitores? estou aqui, aqui, AQUI, aq... não fujam senhoras...olha o gatinho tão fofinho...)

segunda-feira, 2 de junho de 2014

E pronto...

Tudo o que começa acaba ou não o apreciaríamos devidamente, um grande bem haja às meninas que tiveram a gentileza de aqui escrever, não sei se amanhã ainda terei leitores mas isso agora não interessa nada, foi divertido, poderia ter sido mais, mas as coisas são como são, amanhã isto voltará ao normal, muito obrigada a todas!



(e talvez elas combinem um almocinho, para se conhecerem, talvez combinem novos projectos, isto com um almocinho de bloggers é que era... )
(nah, deixem lá isso..)

Há muitos anos...

Compraram-me um vestido em Ibiza, onde tudo é aceitável. Já em Lisboa, a pessoa que me ofereceu o vestido apostou comigo em como eu seria incapaz de o usar cá. Era excessivamente curto, tão curto que mal me podia sentar, o decote fazia um efeito push-up no peito, todo ele colado ao corpo. Ganhei a aposta, pois ganhei, usei-o com sabrinas, não tive coragem de lhe adicionar saltos.
Nessa noite fomos a uma pastelaria conhecida, onde habitualmente ia mas, ao contrário do habitual, a esplanada inteira parou de falar quando cheguei. Após um ou dois segundos de silêncio recomeçou o burburinho e eu tive a certeza de que era o alvo das conversas. Fomos a uma discoteca conhecida, onde fui escoltada por dois dos rapazes sempre que queria ir à casa de banho, coisa que evitou aborrecimentos mas não olhares.
Se eu estava à espera de ser agarrada ou violada? Não, não estava. Mas dificilmente me poderia queixar que olhassem, não é verdade? Um vestido daqueles é feito para atrair olhares, e atrai. De ambos os sexos. Dizer o contrário é pura sonsice. E eu detesto sonsas.

(e, hoje em dia, o vestido não é de todo invulgar, fartinha de ver jovenzinhas assim vestidas...)

Gracinha

Gracinha, meu anjo, não precisava de vir a correr, sujeita a cair e magoar-se. Respire fundo, beba um pouquinho de água, devagar, não vá fazer-lhe mal. Quando tiver retomado o fôlego diga-me, para eu lhe explicar com calma porque parecem tão grandes os peixinhos dourados quando estão num aquário redondo.

Vim só aqui de fugida dizer...

... que a Dorothy Parker é a Sexinho, ou Pedrinha como eu lhe chamo, o Google não a  deixou entrar com "O Sexo e a Idade",diz que viola a politica de nomes, falou-se em sexo e ficou intimidado, tenho cá para mim que deverá ter parentes, aqui na bloga. 

Pips, era você?


Gracinha

Gracinha, minha querida, abeire-se desta sua tia que só lhe quer bem. Gracinha, minha cabecinha de vento, quantas vezes tenho de lhe explicar que não é o tamanho da sua sombra que a define? Lembre-se Gracinha, quanto mais o fim do dia se aproxima, maior é a sua sombra, mas a menina não cresce com ela, continua exactamente do mesmo tamanho. A menina até pode ver uma sombra enorme, mas continua bem pequenina. Tome lá um rebuçado, uma vez sem exemplo.
Faça-me só um favor antes de voltar às suas brincadeiras, chame a sua amiguinha Gracinha, caramba, logo havia de ter um nome igual, diga-lhe que preciso de lhe dar umas palavrinhas sobre os peixinhos e os aquários redondos, está bem?
Obrigada.

Plano alimentar + musculação: cheguei à 7ª semana! (tinha tantas saudades da minha personagem que não resisti)

 Serve o presente para vos avisar que estou a ficar uma boazona.
Ao fim deste tempo a cumprir o meu rigoroso regime alimentar e ainda o plano de musculação, digo-vos a vós que por aqui são às resmas, que estou a ficar mesmo, mesmo boa comó caraças.
Diria mesmo que já era o máximo de gira antes, mas agora...parece que fui esculpida, tal é a perfeição.
Fazem parte das idiotas que pensam que correr emagrece?
Ficam já a saber, de mim que sou toda eu um saber de experiência feito, que não só dá cabo dos joelhos, como dos tornozelos, das ancas, dos cotovelos, dos pulsos, dos ombros e das costas.
O quê? Ainda andam a usar cremes para a celulite? Que otárias,  não aprendem nada comigo? Há sete semanas a gastar o meu latim convosco para isto? Só falta dizerem-me que ainda estão nessa grande tanga que é o indoor cycling...Pffff...
Controlem a alimentação e façam pesos. Mesmo que não consigam ficar tão espectaculares como aqui a jeitosa, vão ver que sempre melhoram qualquer coisinha.
Ainda bem que o PT me obriga a tirar fotos de biquini todas as semanas, assim posso maravilhar o mundo com este corpo de verdadeira deusa.
Roam-se de inveja.









convidaram-me para vir aqui...


Que era para vir à mais picante... e, caramba, a pessoa interpretou à letra, a pessoa pensou que se tratava de uma festa temática, a pessoa investiu um balúrdio num outfit spicy com as melhores  especiarias do mercado, um outfit que lhe permitisse arrebatar o valioso prémio Chili Pepper, e agora, vai-se a ver, estão todas ali a olhar para mim de esguelha e e a pessoa percebe que não passa do homem de fraque num casamento de fato?! É que isto não se faz, pessoas!, Não se faz... Querem fazer-me cair do meu pedestal de fashion-referência?! Fazer-me perder todo o meu blogo-prestígio, é?! Olhem... para a próxima, e tal como diz uma eminente filósofa da nossa praça, não contem comigo para cenas destas!







Deixa ver se eu percebi...

Se eu disser que se não quiser que me olhem para as mamas não uso decotes*, as meninas mais letradas, mais viajadas, mais open-minded, mais out of the box thinkers, vão-me dizer que, por extensão, eu estou a dizer que as mulheres são violadas porque estavam a pedi-las. É isto, não é? 

Está certo...

Já agora, se eu acrescentar ao anterior que sou de direita, isso diz tudo sobre o tipo de pessoa que sou e resta-me arder na fogueira, não é?

* Tal como sou livre de pensar que se os "gorilas de ginásio" não quisessem que se lhes olhasse para o "cabedal" não usavam t-shirts coladas ao corpo ou como sou livre para aconselhar um homem badocha que lida mal com os olhares jocosos a usar roupa mais larga.

Acho que estão a ser injustas para os homens da obras

Eles também atiram piropos às gordas.
Quando tinha 60 kg ouvia bocas vindas dos andaimes, quando tinha 80 kg ouvia bocas vindas dos andaimes.
Depois aprendi a desviar-me das obras, o que até é fácil, afinal a construção anda tão parada...


(O quê? Ainda era para falar a sério? De certeza...?)


E se, de repente?...

Este blog, ficasse maluco? Descontrolado? Ganhasse vida própria?

Meu rico blog... tanto tempo a dizer "aqui, estou aqui, AQUI, aq..." e agora é isto.. Valha-me Minha Nossa Senhora das Causas Perdidas, logo agora?

(Em tempos, uma comentadora disse estar disposta a pagar parte do seu ordenado em contrapartida de um blog escrito por gente realmente inteligente, maravilhosa e divertida. É só por um dia... Mas já é qualquer coisa, não é?)