segunda-feira, 26 de maio de 2014

Pardon my Portuguese

Em uma pessoa ouvindo alguém usar termos ingleses (será que deverei dizer English?), a torto e direito, de tal maneira que não profira uma única frase sem que use um bonito (será que deverei dizer pretty?) must-have, nesting, baby, mom to be e mais uma série de preciosidades que agora se me esquecem,  uma pessoa (será que deverei dizer person?), poderá ser levada a pensar (será que deverei dizer assume?) que outra pessoa é invulgarmente instruída (será que deverei dizer learned?). Acontece que uma pessoa é observadora (será que deverei dizer observer?) e uma pessoa nota, com algum pesar (será que deverei dizer regret?), que outra pessoal mal sabe escrever Português.
E vai daí, que uma pessoa sorri condescendentemente, enquanto lhe passa pela cabeça a tenebrosa imagem de alguém que veste um Valentino alta costura, enquanto se calça na Sapatolândia e usa uma clutch da loja do Wong Chin Fon

51 comentários:

  1. "Frankly, my dear, i don't give a damn". ;)

    ResponderEliminar
  2. É fácil tirar a barraca da pessoa... O difícil é tirar a pessoa da barraca! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão vista, moça, tão vista... Um pouco mais de criatividade, sim? Eu sei que não está ao alcance de todos, mas...

      Eliminar
    2. Por acaso é ao contrário. E é o meu headline
      (só para não destoar...)

      Eliminar
    3. LOL tens razão, duas vezes! E eu, grunho, nem me tinha apercebido ainda! :D

      Eliminar
  3. Pipocante Azevedo Delirante26 de maio de 2014 às 10:08

    A novilingua e os anglicismos fazem parte do package

    ResponderEliminar
  4. Google tradutor , my dear.

    ResponderEliminar
  5. You're just too good to be true
    can't take my eyes off of you
    you'd be like heaven to touch
    I wanna hold you so much
    At long last love has arrived
    and I thank God I'm alive
    You're just too good to be true
    can't take my eyes off of you

    Boa semana P. (top, top o seu novo nome blogsférico)

    Agora surgiu uma pequena dúvida, se a Picante é P. a Palmier será o quê? Não pode cá haver diminutivos iguais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fácil, eu serei a Pi, ela a Pá...

      Eliminar
    2. Pensei nisso mas não é suficientemente anasalado terá de ser a Pê e Pa...

      Eliminar
  6. Picante, as pessoas conseguem um step ahead e despertam logo invejas. Uma maçada.

    ResponderEliminar
  7. É verdade condescendência e alta "custura" andam muitas vezes de mãos dadas. São ambas fogo de vista.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sweet é a irony de escrever um erro ortográfico num texto em que critica a qualidade do português de alguém. Isso é que mesmo sweet.

      Eliminar
    2. Não se critica a qualidade do português, critica-se a qualidade do inglês...

      Eliminar
    3. E quem é ela para criticar a qualidade do inglês, se nem português escreve em condições?

      E depois,
      "Acontece que uma pessoa é observadora (...) e uma pessoa nota (...) que outra pessoal mal sabe escrever Português."
      Como não se critica a qualidade do português? Anónimo das 11:35, olhe que a qualidade da sua leitura também deixa muito a desejar...

      Eliminar
    4. Eu farto-me de dar gralhas. O post tinha duas. Corrigidas, posso sempre contar com os meus correctores de texto, muito agradecida.
      Em compensação não escrevo "à dois anos..." nem "vão haver". Coisas da life, olhe... the things are as they are.

      Eliminar
    5. Eu também me farto de dar gralhas, entendo. Mas custura não é uma gralha é um erro ortográfico. E nunca lho apontaria se não fosse the irony of the situation... fica sempre bem dar um erro destes num post em que critica o português de alguém, que nem sei quem será.

      Eliminar
    6. Eu também dou erros, nunca disse que não os dava. Não os dou frequentemente mas dou. Esse passou sem que me apercebesse, às vezes acontece.
      Mas escrevo bem. Eu sei que escrevo bem, com uma escrita escorreita e fluida. E com piada, já agora.
      O problema ali é o pedantismo nada natural. Dá trabalho ser arrogante, é preciso uma pessoa saber e conhecer,

      Eliminar
    7. (mas tem toda a razão, era grosseiro em demasia)

      Eliminar
    8. A essência, senhores, a essência. Mas será que não conseguem "descolar" e interpretar sem ser ao pé da letra? Ai anónimo das 12:23 tanta sopa ainda há-de ter que comer...

      Eliminar
    9. "Mas escrevo bem. Eu sei que escrevo bem"
      Hahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahhahahahahahahahahahhahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahhahahahahahhahaha cof, cof, cof, hahahahahahahehehehehehehehehehehehehehehe

      Eliminar
    10. Quereria, talvez, que fosse modesta? Temos pena...

      Eliminar
  8. Necessidades prementes de afirmação. Gostava de saber se antes de migrar para a "margem norte" usava estes estrangeirismos todos.

    Podemos usar como termo de comparação o comportamento das aves migratórias, que procedam a uma aclimatação ao seu novo território geográfico. Ou deverei dizer "acclimatisation".

    ResponderEliminar
  9. Quem nasce lagartixa nunca chega a jacaré.
    Mas quem é que no seu perfeito juízo quer ser jacaré?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem não quer ser lagartixa, ora.
      (Então, Rosinha? Nem parece seu...)

      Eliminar
    2. Ser jacaré é muito hipster já.

      Eliminar
  10. Só para ti Picante: "Está fantastico!!! UUUUAUUU amo a Yvette!!!! xxxx mas que frrriooo. toca a dansar!!!!" DanSar???? Uiiiii

    ResponderEliminar
  11. Pipocante Azevedo Delirante26 de maio de 2014 às 13:17

    A lingua inglesa fica sempre bem
    e nunca atraiçoa ninguém

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipocante Azevedo Delirante26 de maio de 2014 às 14:16

      (plagiado)

      Eliminar
    2. Mas a portuguesa é capaz
      De não lhe ficar atrás

      Et la française mon Dieu
      c'est um vrai bonbon des cieux

      Eliminar
    3. Eu cá gosto mesmo é da italiana...

      Eliminar
    4. Per la grande Picante
      tutti i posti sono trionfante

      Eliminar
  12. É q'isto já se sabe... without english you're done ao beef!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahhh...! O Zézé Camarinha foi um visionário, isso é que foi! Big Zézé!

      Eliminar
    2. Goze, goze que you're here, you're there!

      Eliminar
  13. "será que deverei dizer observer?"

    NÃO!! Não deves!!! Deves dizer mirone, obviamente, que em inglês (english) deve ser qualquer coisa como : "I am a MIRONER, tás a ver?!" (pronuncia de Zézé Camarinha)

    O texto faz-me lembrar o que na minha terra se denominam "avecs" que são aquela espécie emigrada em França que se querem armar em bons e, regressando de férias, falam uma "bela" mixórdia que se poderá denominar de Franciú. E o que é o Franciú? É a versão francesa do inglês do Zézé Camarinha.
    Às vezes, nem sei se ria se chore com o que lhes sai pela boca.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.