quarta-feira, 30 de abril de 2014

Se isto fosse um blogue Rosinha V

O entusiasmo de comprar uma casa nova, a paixão com que descobrimos cada recanto, a busca incessante pelo jardim perfeito, o amor com que decorámos cada quarto, sala ou antecâmara, o carinho com que pensámos cada pormenor de terraços e jardins, a eficiência com que contratámos o pessoal de limpeza e manutenção...
E a vista? Seríamos capazes de passar o resto das nossas vidas, abraçados, a gozar esta vista maravilhosa que nos deixa tão felizes, tão confiantes em nós e no nosso amor. Esta é a casa dos nossos sonhos, a casa onde viveremos uma vida perfeita e feliz, rodeados dos que amamos e nos fazem querer ser melhores a cada dia que passa. Aqui vamos ser felizes!

terça-feira, 29 de abril de 2014

Gracinha

Gracinha, alma de Deus, ora chegue-se aqui novamente, tenho de lhe dizer duas ou três coisas, antes de mais nada parece que me enganei, parece que afinal não é a menina que fica na ronha, vai desculpar-me mas aquele discurso directo usa-se com aspas, sim? Ou em itálico.... No mínimo, da próxima vez, ponha o link mais visível, olhe que não fui só eu a ficar com a impressão, errada, de que a menina se levantava a desoras, ainda bem que não é o caso que isto deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer...
Pronto, agora que já fiz o mea culpa, tenho de lhe dizer que isto de usar fotografias de outras pessoas para ilustrar o que é nosso e não as creditar não é bonito. Mas, ainda que não seja bonito, não é de perto nem de longe tão feio como fazer textos que levam a crer que aquilo são as suas coisinhas, textos que descrevem as fotografias não creditadas que usa, tudo muito branco, muito rústico, muito inspirador e isso. Mas, e pasme-se, aquilo que é realmente mesmo muito feio e revelador de falta de transparência, é aperceber-se do buzz, ir a correr editar posts e inserir os créditos à socapa, só assim a ver se passa... só assim como quem não quer a coisa....
Sabe, Gracinha? É que, às tantas, as pessoas poderiam pensar que a menina não passa de uma vitima, que isto não passa de uma cabala contra si. Eu quero crer que a menina, em passando a vida a pregar que temos de ser transparentes, honestos connosco, reconhecer erros e começar de novo, caramba... a menina ensina isso tudo às pessoas, não é? Ensina-as a ser felizes e tudo, usa aquelas mantras bonitas e impactantes, aquelas coisas motivadoras do género "yes I can", não é? Sendo a honestidade e transparência o caminho para a felicidade, a menina seria incapaz de enganar os seus leitores, pois seria? Jamais passaria a ideia de uma vida que não tem, não é? Ora, que cabeça a minha, claro que não, pois se a menina gere um negócio, de certezinha que joga limpo.

(e era tão simples, bastava explicar que tinha esquecido os links... não haveria buzz nenhum, agora assim...)

Palmiereeeeerrrrrrr

Aqui está o meu I love Palmier, tirei só para si!!


(ai não era isto?...)

É para comentar, não é?

Não sei se gosto mais da gravata, se da poupa. Ou se do ar de matador, de quinta categoria, que me faz  sorrir condescendentemente. E a gravata, senhores? A gravata clara por cima da camisa preta... os tipos acham que as camisas pretas lhes dão estilo, a verdade é que não. E a gravata, não sei se já tinha falado da gravata, às tantas já falei, eu gosto muito de gravatas, dizem muito sobre quem as usa. Mas o que eu queria mesmo dizer é que fiquei impressionada com o nó da gravata, aquilo tudo tão fininho, tão caidinho, tão mal enjorcadinho, tão pequenino... Já vos falei da gravata?

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Coisas que uma pessoa descobre, guardadas por uma das nossas pessoas, e que deixam uma pessoa a sorrir e a pensar que (também) era por isto que se davam tão bem



Quando o gelo se parte

Recebes um telefonema, um dos teus que se foi, um ataque cardíaco fulminante, ficas ali um par de horas meio aparvalhada, queres chorar, precisas de chorar, não tens lágrimas, gaste-as com contratempos, coisas estúpidas que se resolvem, só agora te apercebes como eram estúpidas, agora.. enquanto recordas os jogos de polícias e ladrões, os trabalhos de grupo e as noites na Kapital. Ainda há uns dias falaste com ele, não tens idade para perder amigos, não aqueles que cresceram contigo, ninguém morre aos quarenta anos com um filha da puta de um ataque cardíaco. Ficam para trás dois filhos pequenos, uma mãe, não imagino o que é isso de uma mãe perder um filho, ficamos nós. Vais ao facebook, o mural já está cheio de mensagens, amigos comuns, não te habituas a isso de escrever para quem nunca mais poderá ler,  sais da página e recebes uma mensagem, era aquilo que te incomodava há dois dias a resolver.se. Finalmente choras as lágrimas que te lavam a alma. O carrossel não pára.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Coisas que uma pessoa aprende em escrevendo blogs

Nunca mais fazer posts que gerem buzz a um dia em que efectivamente tenha de se trabalhar. Nunca mais fazer posts que gerem buzz a um dia em que efectivamente tenha de se trabalhar. Nunca mais fazer posts que gerem buzz a um dia em que efectivamente tenha de se trabalhar. Nunca mais fazer posts que gerem buzz a um dia em que efectivamente tenha de se trabalhar. Nunca mais fazer posts que gerem buzz a um dia em que efectivamente tenha de se trabalhar. Nunca mais fazer posts que gerem buzz a um dia em que efectivamente tenha de se trabalhar. Nunca mais fazer posts que gerem buzz a um dia em que efectivamente tenha de se trabalhar. Nunca mais fazer posts que gerem buzz a um dia em que efectivamente tenha de se trabalhar.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

E um pano encharcado nas trombas?


Perfect matches ou pares boho-slam-chic cheios de pinta #9... ou decomo Glittering significa banha da cobra*... ou descubra as diferenças

A casa que afinal é de outra qualquer mas atenção que o vaso foi oferecido pelos miúdos dela (vou evitar a piada fácil)


Olha... Afinal a casa é no estrangeiro... mas atenção, os miúdos ofereceram~lhe o vaso.
 (Daqui)















































* A ironia não é uma coisa verdadeiramente maravilhosa?

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Gracinha

Venha cá Gracinha, chegue-se aqui à minha beira, não... não se sente que não há necessidade, serei concisa, não a demorarei muito, alminha de Deus. Oiça a sua velha tia, se quer que alguém a oiça... Pois a menina ensandeceu? Então passa anos a fio a aborrecer as pessoas, que se levanta às cinco e meia da madrugada, que é a essa hora que faz lá os seus escritos ou lá o que é, que aproveita e faz o pequeno almoço, passeia o cão, em calhando ainda tem tempo de dar uma corridinha... e agora vem dizer que afinal ficava na ronha até mais não poder? Que levantar cedo era tipo passa ao outro e não ao mesmo? Mas afinal em quê é que ficamos? Daqui a poucochinho está a dizer que afinal a casa branca e limpa não é sua, que não come gojis e sementes de linhaça, ao invés enfarda panquecas e scones ou, e Deus nos livre de tal coisa, que afinal os workshops que dá não trazem felicidade a ninguém, afinal a menina está ocupada a dormir até tarde, sabe lá o que é isso da felicidade? Tenha tento, sim, minha querida? Que Deus Nosso Senhor a ilumine.

Ah... e já me esquecia... aquela porcaria a que chama pão parecia um nougat. Estragado.

E nestes dias...

... seria avisado as pessoas não se armarem em engraçadinhas comigo, raios me partam se lhes acho alguma piada, seria avisado não marcar reuniões de trabalho daquelas que exigem diplomacia, se eu quisesse ser diplomata teria seguido letras, o tipo a quem eu disse, calma e friamente, para parar de dizer disparates que compromisso era palavra que não me assistia, que este caso específico só tinha cedências e não seriam minhas, que dentro da minha casa mando eu, há-de lembrar-se que eu não estou nos meus dias.

O que vale é que passa.

Há dias...

.. em que acordo com um humor de cadela, tão irritada com a vida que me sinto capaz de beliscar bebés fofinhos, morder cães pequeninos, pontapear qualquer ser humano que tenha a ousadia de se cruzar comigo. Em calhando ser fim de semana, nesses dias, fecho-me à chave a ler e a comer porcarias. Ontem não foi fim de semana, e raios partam isto, hoje também não é.

O que vale é que passa.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Coisas que uma pessoa aprende, em lendo blogues

Os Portugueses eram bastante mais íntimos de Mandela, chamavam-lhe Madiba, que de Garcia Marquez, não vi ninguém a despedir-se dele, chamando-lhe Gabo.

(Entretanto, na Fnac, vi alguns dez títulos dele com um destaque brutal... Ironias, não é verdade?)

E então isso foi só cultura, Picante? Não te tornarás uma nerd?

Deixa cá ver... Quinta feira, almoço no Jockey. Sexta feira, almoço numa das minhas praias de sempre, jantar com as amigas de uma vida. Sábado, jantar num dos restaurantes da minha vida. Domingo, almoço de Páscoa, o qual acabou pelas seis da tarde... Acho que vou aderir àquela coisa da sopa verde e fria ou ao plano alimentar da doutora não sei quê ou às duas, ambas as duas...

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Ah... O jejum da quaresma... Ou o que vês da tua não janela, Picante?

E agora, coisas verdadeiramente importantes

Hoje é sexta feira. E é feriado. Derivado de hoje ser sexta feira e ser feriado, temos um fim de semana prolongado. Não é tão bom?

(digam lá... já sentiam falta de alguém vos dizer que era sexta feira, não é verdade? Por vocês.. tudo!)

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Note to self

Por razões cá da minha vida, estou a desmontar duas casas de gente idosa, aquilo é uma trabalheira, nem vos passa pela cabeça a quantidade de tralha inútil que uma pessoa consegue acumular ao longo de uma vida, mas o que eu queria mesmo dizer é que tomei a decisão mais importante da minha vida, hei-de lembrar-me, aí quando fizer uns sessenta anos ou assim, de mandar fora todo e qualquer objecto que possa ser susceptível de provocar gargalhadas ou caretas de horror em terceiras pessoas que, por qualquer razão tenham de mexer nos meus pertences.

(e os posts que isto não daria? daqueles de rebolar a rir? mas não... feliz ou infelizmente os meus valores não o permitem, se vos dissesse teria de vos matar e seria um aborrecimento)

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Não sonho com Lamborghis roxos mas tenho um Aston Martin, azul bebé, com jantes douradas na garagem

E de repente lembrei-me que, ao invés de adoptar o cão que quero adoptar, poderia ser diferente, afinal eu quero tudo o que os outros têm, desde sempre que tenho a ânsia de pertencer à malta, mas também quero ser diferente, a psicologia explica. Mas dizia eu que estou para aqui na dúvida se adopte uma carraça, seria tremendamente fácil, tenho uma ou duas Anónimas perfeitas para o papel, ou se adopte uma melga, as mesmas Anónimas, pois está claro, mas vai daí que me lembro que bom, bom, seria adoptar um animal do jardim zoológico, digamos um leão, assim como assim dá menos trabalho, fica lá na jaula ou na gruta, ou onde é que eles ficam, eu baptizo-o e a coisa está feita, tem é de ser um nome iniciado em eme, já sei, vou chamar-lhe Malion. Gostam?

GRAAAUUUUU

terça-feira, 15 de abril de 2014

E por falar em maravilhosas comentadoras

Sô donas Xaxia e Mirone, há muito que as leio, há muito que vos acho piada, Há muito que se deveriam ter juntado ali, aos ilustres da direita. A coisa tarda mas não falha, agora não venham cá reclamar se as minhas donas Joaquinas vos forem "acarraçar" o juízo, declino toda e qualquer responsabilidade sobre o assunto, talvez se vierem aqui desancar-me se safem. Talvez..

Se isto fosse um blogue Rosinha (IV)

Eu teria de recomendar livros de outras bloggers, ainda que não os tivesse lido, ainda antes de a autora os publicitar, ainda que antes tivesse gozado à descarada com o facto de haver quem fizesse livros de blogues, caramba... ainda que antes tivesse gozado as próprias bloggers. Mas lá está, o quê é que uma pessoa não faz por uma amiga de toda uma vida, não é verdade?

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Se isto fosse um blogue Rosinha (III)

Eu não poderia pesar cinquenta e cinco kilos, mais coisa, menos coisa, toda a gente sabe que a felicidade engorda*, também... a comer assim não há sopa fria e verde que lhes valha. Assim sendo sou magra. E inteligente. E divertida. O mundo é muito injusto, não é?

(não desesperai, queridas donas Joaquinas, posso muito bem ter oitenta anos ou ser feia como a noite escura, ou ambas as duas**... ou então não)

(*o dito não é meu, é de uma maravilhosa comentadora que eu não identifico já, por razões cá minhas)

(**sim, eu sei... é um pleonasmo vicioso...)

Se isto fosse um blog Rosinha (II)

Era aborrecido como o caraças, uma verdadeira maçada.

(além de que eu vestiria Lanidor em vez de Prada e Armani, outra maçada...)

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Se isto fosse um blogue Rosinha...

Hoje é 6ª feira! Estou tãaaaaaaoooo feliz... Amanhã é sábado, dia de programa em família, pequeno-almoço de panquecas e compota de frutos silvestres, iogurtes com gojis e sementes de linhaça... Depois vamos até à praia, cão e tudo, somos tãooooo felizes... Amêijoas e tostas em pão de Mafra ao almoço, scones e chocolate quente ao lanche, um jantar qualquer na nossa casa zen, muito branca e acolhedora, afinal ninguém a usa. Uma ceia leve antes de me deitar ao lado do homem da minha vida, talvez  bolachas de manteiga.e capuccino sem cafeína... Sou tãoooo feliz.... Hoje é 6ª feira, não sei se já disse.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Quando o aprendiz supera o mestre ou os melhores comentadores são os meus

"Um é um wannabe opinion maker, o outro é um wannabe de um wannabe, o que faz dele um neverbe"

Tão bom, senhores, tão bom... 

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Que fazes agora, Picante?



Uma mulher pode habituar-se a isto....

Picante pergunta a si própria...

Quantos posts conseguirá a mesma pessoa fazer, alternando a temática dos mesmos entre sexo e de como as pessoas são tão aborrecidas, que não param de nos surpreender pela negativa?

terça-feira, 8 de abril de 2014

Surpresas, a minha vida continua a ser só surpresas

Uma mulher lê um post sobre caixas de comentários, fica intrigada, resolve abrir uma determinada caixa de comentários, eis senão quando constata que as que gostariam de praticar o amor, com o Clooney cá do sítio, são as mesmas que gostariam de o fazer com quem escreve onde diz que não tem onde escrever. Uma mulher sorri e pensa que afinal não é necessário que eles escrevam bem ou tenham sentido de humor, eles têm a tarefa facilitada, a eles basta-lhes ser eles ou, pelo menos, dizer que o são. 

Que estás a fazer, Picante?


Até parece que estou de férias, mas não, ainda não...

Surpresas, a minha vida é só surpresas

As tipas que dão esses workshops, onde nos ensinam a ser felizes, acham que é em falhar que está o ganho. Isso explica tanta coisa...

domingo, 6 de abril de 2014

Ele inventou o optimismo

Foi-se o único homem que conseguia ver o copo cheio, quando eu o via a setenta por cento. E puta que pariu se a merda do copo não estava vazio. Voltaremos a ver-nos, mais tarde que cedo. É uma promessa.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Era só um jantar

Coisa calma, sem saídas, nada impeditivo de levar o automóvel, até porque não havia meio de se conseguir chamar um táxi. 
Uma mulher estava cansada, andava a dormir pouco, vai daí que uma mulher se esquece que o álcool faz mais efeito, em uma mulher estando cansada e acaba por beber dois copos de vinho no tal jantar. Pois que uma mulher é parada num auto-stop, uma mulher até vê o auto-stop e nem faz inversão de marcha porque uma mulher está descansada, afinal está habituada a beber e só bebeu dois copos de vinho, para além de água e café, está visto.
Indo directamente ao cerne da questão, a coisa é que recebo uma notificação com a decisão do tribunal ou lá o que é, trinta dias sem carta ou a frequência de um curso a expensas próprias. Uma mulher já nem sabe viver sem o automóvel, vai daí e pensa que talvez seja melhor sacrificar dois sábados para fazer a tal formação, eis senão quando lhe dizem que a dita custa duzentos euros. Uma mulher pensa que o jantar custou cinquenta euros, a multa duzentos e cinquenta e, se bem que não tenha melhor destino a dar a duzentos euros, para além do erário público, a coisa acabaria por ficar em quinhentos euros. Uma mulher diz um palavrão enquanto pensa que, no dia em que tiver de pagar quinhentos euros por um jantar, vai querer tudo aquilo a que tem direito... com jeitinho e sem pressas, quinhentos euros, não sei se já disse, é capaz de ser um bocado puxadote para a coisa ser feita assim à bruta. Uma mulher diz outro palavrão e resolve entregar a carta, enquanto pensa que pelo menos ajudará a economia, sempre gastará os duzentos euros em taxis. 
De maneiras que é isto, um mês inteiro a viajar de taxi, em me apetecendo pode ser que me decida a misturar com o povo e experimentar apanhar o metro, na loucura o autocarro. Mas lá está, isto em me apetecendo e duvido que me apeteça....

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Pergunta para queijinho

Os cachorros são os novos cupcakes e gojis da blogoesfera, não são?

Quereis postar todos os dias, várias vezes ao dia, mas não tendes o que dizer? A Picante explica...

Toda a gente sabe que mais posts, significam mais visitas, a vida é como é, a verdade é que a maioria das pessoas vai aos blogs sempre que há posts novos, daí que haja quem tenha a imensa preocupação em publicar cinco ou seis posts diários, afinal mais views significa a manutenção de publicidade ou, nalguns casos, a aspiração a essa mesma publicidade. Acontece que publicar cinco posts por dia, sete dias por semana, não é fácil, exige criatividade, ao fim de algum tempo fala-se de quê? Nada temeis queridas Picantetes, a vossa Picante explica.

Façam reposts, é aposta segura, se forem buscar posts mesmo antigos as pessoas não se lembram. Afinal, além de não ligarem nenhuma ao que vocês escrevem, a probabilidade de os leitores serem outros é grande.

Usem posts de outros bloggers, copiam o post integralmente, rematando com um "escrito pela admirável Picante", com link para o post. Com tanto blog por aí, são uma imensidão de posts, prontos a ser publicados. O facto de nós os podermos ler nos blogues originais não interessa nada.

Adquiram um cachorro ou um gato bebé. Toda a gente se derrete com animais pequeninos e indefesos, entre as coisas que lhes compram, as tropelias que eles fazem, até ao modo como vos completam e tornam felizes, é assunto para mais alguns cem posts.

Se puderem, tenham um filho. Bebé humano é ainda melhor que bebé cão.

Tenham um desgosto de amor. Nenhum homem fica indiferente a uma mulher fragilizada, além de que as outras mulheres adoram dar conselhos ou dizer que já se sentiram assim.

Em sendo homens, digam que sabem o que querem as mulheres. Em sendo mulheres, mostrem-se desorientadas com os homens.

Escrevam o mesmo post, mudando-lhe títulos e palavras, só um ou outro leitor mais atento dará por isso, na verdade voltamos ao primeiro ponto e ninguém liga grande importância ao que escrevem.

Comprem um livro de citações e lancem uma rubrica "frase do dia".

Informem-nos de como estão contentes por ser sexta feira. E de como as segundas feiras vos deprimem. E de como são fortes e dão a volta à depressão pós fim de semana. De caminho, informem-nos que é fim de semana.

Publiquem fotografias dos vossos brunch e maravilhosos petit déjeuner domingueiros. De quando em vez informem-nos do que estão a fazer, nós queremos mesmo saber. A sério.
(esqueçam lá isso da música da semana... já nos dão música suficiente ao longo do dia)

Façam posts a propósito de todo e qualquer dia, desde o dia da mulher, passando pelo dia da árvore e nunca esquecendo o dia do escaravelho dourado da Mesopotâmia.

Se conseguirem ter uma escrita escorreita e não dar erros ortográficos tanto melhor, não precisam de agradecer, eu estou cá mesmo para isto, Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Lolita

A propósito daquele engraçado concurso, em que as leitoras elegem um blogger com quem gostariam de praticar o amor, apenas a partir daquilo que vai escrevendo, como se uma pessoa tivesse vontade de praticar o amor com um qualquer camafeu, só porque escreve umas coisas bonitas, que fazem sonhar as mentes mais incautas, enfim... Mas dizia eu que a propósito desse bonito concurso, ocorreu-me que, se aqui a Picante fizesse um concurso, lhe poderia muito bem chamar BILK, blogger I'd like to kill, não fisicamente, está claro, mas para o mundo das letras. Não era engraçado? Os veneráveis leitores virem aqui dizer-me quais são os blogs que acham tão irritantes, mas tão irritantes, que estariam capazes de pagar cinquenta cêntimos por um bug cibernautico, uma coisa assim mesmo em bom, desaparecia o blog, dava um ataque de amnésia ao blogger e nós a rir. Podemos encarar a coisa como uma limpeza blogoesferica, há quem faça limpezas de Primavera, nós limpávamos a blogoesfera de maus blogs.
Seria bonito, não seria? Seria...

terça-feira, 1 de abril de 2014

Não sou eu... és tu

E lá estávamos nós, a conversar e rir, à volta da mesa, quando, de repente o pequeno de aproximou e iniciou as suas queixas. E depois vieram os nossos, que era mentira e que não eram obrigados a brincar com o pequeno mal educado. E, ainda antes de abrirmos a boca para os repreender, que não estavam a ser simpáticos ou generosos, apareceram os pais do pequeno, que vestisse o casaco, que iam embora. E lá ficámos nós, de boca aberta, a ver o pequeno levantar a mão à mãe, enquanto gritava com o pai e lhe chamava estúpido, que lhe trouxesse rapidamente o casaco e os sapatos. E lá se foram eles, pais e filho, todos a precisar de uma valente palmada, enquanto os nossos nos confirmavam que tinham razão, que o pequeno era um ditadorzinho mal educado.