quarta-feira, 26 de março de 2014

Verdades Picantes #41 ou regras de educação, módulo para principiantes

Não achincalharás os teus sogros em público. Por mais risíveis que eles sejam, não esquecerás que são os pais do teu cônjuge, que o teu cônjuge, supostamente uma pessoa de quem gostas e que te deveria merecer respeito, não haverá de gostar que fales assim dos seus pais. Há limites para fazer rir o público, sabes? Gozar despudoradamente a família, não só é falta de educação, como muito revelador do teu carácter e do que te move. E lá voltamos novamente àquilo de uma juventude inteira em modo de "bad clothing day, everyday". E à vergonha alheia.

(E se a vida for irónica, às vezes é, sabes?... E te reservar uma nora ou genro tão engraçadinha(o) como tu? Seria interessante não seria?...)

63 comentários:

  1. Infelizmente vê-se coisas dessas com alguma frequência e é impossível não me chocar. Os meus sogros não são perfeitos (e o namorado poderá dizer o mesmo dos sogros dele...), mas nunca os gozaria em público. É falta de respeito pelo homem com quem partilho a vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só por acaso, por via de ter lido o blog da senhora sua irmã, também sei que os sogros dela não são flor que se cheire...folgo em ver que a menina é mais sensata ;)

      Eliminar
    2. Já agora, e porque isto não é só apontar o dedo aos outros, seria também interessante saber o que o senhor seu cunhado pensa de ver os pais retratados no blogue da forma como a senhora sua irmã o faz e a menina S* reforça.

      Eliminar
    3. Anónimo das 13:30, já que me imitou o estilo tão bem, partilho consigo o seguinte: o cunhado até deve saber (quem sabe se não concorda também), e os sogros não devem ler o blog, não vá por aí. Além de que o que se critica no post é a outra gozar abertamente os sogros, não dizer que eles são pessoas que não prestam. Por isso escusa. Foi só uma alfinetadazinha aqui na amiga S*...

      Eliminar
    4. Caros anónimos, não falo do que não fui eu a escrever. Mas há uma grande diferença entre constatar um facto (se as pessoas valem muito ou pouco) ou fazer comédia com o facto. Poderia, por exemplo (e se fosse verdade), dizer que a minha sogra é uma peste - que não é, é uma santa. Mas gozar, fazer piadas, achincalhar... ultrapassa-me.

      Eliminar
  2. Verdade. Tudo verdade, cá em casa nem eu nem o meu marido admitiríamos certas conversas, muito menos num blog. Passa todos os limites do respeito e da educação.
    Mas a culpa também é dele, que não se impõe e exige respeito pelos pais. Se calhar não lêem o blog, mas é até um dia... Afinal ela já antes fechou um blog por causa de posts que fazia sobre a própria mãe e quando a senhora descobriu, ofendeu-se.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E no dia em que a filha conseguir ler as cartas mimimimi que a mãe lhe escreve, também lerá o que disse a mesma mãe dos seus avós.

      Eliminar
    2. E sobre a sua vida intima. Aqui é tudo um regalo, de uma ponta à outra.

      Eliminar
  3. Pronto, chegou a tontinha dos números...
    Ora vamo lá ver, 50% do material genético do marido é cópia do ADN da mãe e os outros 50% do ADN do pai... A filha é, portanto, 25% cópia da sogra e 25% cópia do sogro... Verdades mendelianas meus caros... Os nossos filhos são da mesmíssima massa dos nossos pais... Metade-metade, sem tirar nem pôr. Não é só respeito pelos sogros ou pelo conjuge, é respeito pelos nossos filhos também...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas ele há ADN mais forte, não há? Há, não há?

      Eliminar
    2. Pá... Lamento desiludir...

      Eliminar
    3. Eu sou eu mais a minha circunstância.
      E isto, parecendo que não, explica muita coisa.

      Eliminar
  4. Bom senso e educação. Duas coisas que o dinheiro jamais comprará (e isto serve para a maioria da blogesfera)

    ResponderEliminar
  5. Tenho para mim que a má educação revela sempre um carácter frouxo.

    ResponderEliminar
  6. Yes! Esta eu apanhei.. por vezes não é fácil! também li o post... que post tão "frouxo"....

    ResponderEliminar
  7. E agora a sogra faz-lhe "macumba" para ter pêlos... Ridículo

    ResponderEliminar
  8. A verdade é que, depois de muito correr, só um filho de um frouxo (frouxo também) lhe pegou. Homem a sério e aquele post já tinha sido apagado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois isso é que me faz uma imensa confusão. Ele dá a cara em todos os eventos, caramba! Não lhe fará urticária ver os pais publicamente achincalhados?
      Que tipo de pessoa é que permite isto?

      Eliminar
  9. Essa é parte pessoal... houve uma altura em que o achicalhamento era na parte profissional com o pessoal que lhe enviava CV's respondendo a anúncios. Ou era o nome que ela achava motivo de chacota ou eram as habilitações e as actividades extra-curriculares que ela achava ridículas. Enfim, um manancial de galhofa para ela explorar no blog. Profissionalismo acima de tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão Pedro. Mas pelo menos ela fazia as coisas de maneira a ser impossível identificar a pessoa em questão.
      Aqui é diferente, além de que o marido dá a cara em todos os eventos.
      Que tipo de homem é que permite o achincalhamento público dos pais? E que tipo de mulher é que o faz só pelas gargalhadas das fãs? É isto que a filha vai ler, mais tarde, juntamente com as cartas "look at me I'm so sensible"
      Não. Para mim isto define o carácter de uma pessoa. Ou a falta dele.

      Eliminar
    2. Já não me chama de Pedrinho???
      Já não me ama não é? Trocou-me por outro qualquer comentador, não foi?
      Porque me odeia tanto, porquê???

      Eliminar
    3. Se eu lhe chamar Pedrinho, promete que vem aqui todos os dias dizer-me o quão linda, fabulosa e inteligente sou? Promete? Promete?

      Eliminar
    4. Não faço promessas. Apenas digo que a mulher que merecer esses meus elogios diários, será uma mulher feliz e realizada.
      Agora, está mesmo disposta a ser feliz, minha querida? Está?

      Eliminar
    5. Ora, Pedrinho... E não é para isso que cá andamos? Para sermos felizes?

      Eliminar
    6. É sim, minha querida piripirinha.

      Eliminar
    7. Obrigado, querida Mónica. Vamos casar e ser felizes e tudo e tudo!
      Enquanto ela vai esquiar eu vou à bola e coiso.

      Eliminar
    8. Homessa pipinha... Isso é que não que depois nós não viamos nada e eu ando DELICIADA aqui com o casalinho... (É que me farto de rir...)

      Eliminar
    9. Onde já se viu? Um amor tão puro e platónico e vocês com isso do room... pfff

      Eliminar
    10. Minha mais que querida Picante, é melhor ficar já a saber e colocar todas as cartas na mesa. É certo que sou muito liberal de costumes, pois que sou mesmo, mas existem limites. Fique já sabendo que não faço nada ao ar livre...sou tímido, não funciona. Não faço questão que seja um room, mas as quatro paredes são fundamentais.

      Eliminar
    11. pedro almeida, timido! frase da semana!

      Eliminar
    12. Querida Mónica, não negue à partida uma timidez que desconhece.

      Picante Querida, finalmente temos algo em comum.
      É de frente ou fazemos conchinha?

      Eliminar
  10. Isto dos blogs meus amigos é para divertir, mas assuntos sérios é outra coisa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já pensou em escrever um livro? Olhe que o Paulo Coelho tem imenso sucesso e a nível de pensamento acho-o tão parecido consigo.

      Eliminar
    2. Eu já li um livro do Paulo Coelho (até ao fim). E se concordo consigo quanto à singeleza de pensamento, não concordo quanto à forma da escrita. Bem sei que um tem revisores e a outra não, mas mesmo assim.

      Eliminar
    3. Muito bem, anónimo,bazinga essa grande expressão popularizada pelo Sheldon Cooper e normalmente, usada no final de uma piada ou brincadeira; quanto a vocês meus amigos Pedro e Ernesto podia, eventualmente, ter colocado uma vírgula entre os meus amigos, ou substituir o mas pelo agora, porém isto dos blogs é para divertir, pronto, agora voltem lá para a vossa felicidade!

      Eliminar
  11. Pipocante Azevedo Delirante26 de março de 2014 às 18:29

    se ela acha bem... o pessoal ri-se... e o visados não se importam...
    é o denominado crime sem vítimas.
    Podemos sentir pena, masnão chamamos a polícia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas quem é que diz que os visado não se importam? O marido pode não se importar, mas os sogros não me parecem que leiam o blogue.

      Eliminar
    2. Eu não acredito que o marido não se importe. Desculpem lá, quem é que não se aborrece por ver os pais serem achincalhados assim em público?

      Eliminar
  12. Se eu tivesse tido a pouca sorte de o meu Quinito, rico filho da minh' alma, ter topado com uma mulherzinha daquelas, não levava menos que meia dúzia de estampilhas na tromba que lhas dava eu...não se cria um filho para destas.
    Joaquina Silva ( que não é sogra porque o Quinito não desampara o lar)

    ResponderEliminar
  13. Na semana passada deixei um comentário no blog em questão, que não foi publicado, num tom algo agressivo, mencionando (para além do assunto a comentar) a questão do constante arrastar na lama dos sogros. Espero não ter contribuído para acordar a questão do frouxo. Não fica bem, não fica mesmo nada bem, ainda por cima pessoas de uma terra pequena, se alguém descobre, se eles descobrem, vai-lhes doer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o vale tudo para fazer o público rir... e o público ri.

      Eliminar
  14. E não serão só piadas? Há pessoal com um sentido de humor diferente do nosso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim. E por essa razão a pessoa em questão aceita tão bem críticas (piadas) que lhe são dirigidas. Tal como certamente aceitaria bem se fizessem "piadas" com a sua filha...

      Eliminar
    2. Claro que para ela é piada, para os sogros duvido.

      Eliminar
    3. É.. ainda me lembra o escarcéu que fez por ter aqui escrito que a manteiga era muito melhor que a margarina. Aceitar críticas é com ela. Já gozar com os outros, sejam eles quem forem pode.

      Eliminar
  15. Depois daquele post sobre o ex-namorado no facebook, em que só faltou mostrar-lhe a cara, já nada me surpreende. É um humor muito à frente, nós é que não temos sentido de humor nenhum.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu achar que era engraçada... toda uma vida enganada, é o que é.

      Eliminar
  16. Desconfio que a coisa mais frouxa que lhe apareceu à frente não foram as cuecas dessa Meca do consumo, que é a Primark, nem o sogro mas sim o marido e se calhar é por isso que ela gosta dele. Não entendo como ele admite uma atitude dessas, ainda para mais quando ela escreve posts delicodoces a dizer que os olhos dele se enchem de lágrimas, quando vê os pais a descerem a rampa do aeroporto, é sinal que gosta deles e permite que sejam enxovalhados no blog? Não entendo.

    ResponderEliminar
  17. Ele, o marido, alguma vez se queixo a vós? Então, deixai-o em paz e não o condenem. Cada um é como cada qual e o que ele faz, ou deixa de fazer, não é crime.

    ResponderEliminar
  18. Só uma pergunta que me inquieta, a Picante conhece pessoalmente a pessoa de quem se fala? Já conviveu com ela? Teve algum tipo de relação com ela? É que eu conheço, e por conhecer percebo o seu blog e a sua maneira de escrever. Mas ok, também percebo que o objetivo do seu blog é mesmo este! Lá diz o provérbio... "Cada macaco no seu galho".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónima, independentemente de este blog ser crítico, que é, na maioria dos posts, há coisas que quanto a mim definem as pessoas. Se é certo que cada um terá as suas idiossincrasias, também é certo que certas coisas têm a ver com princípios éticos e educação. O facto de uma pessoa poder ser mais ou menos "gozosa", descontraída ou desbocada, particularidades que reconheço à pessoa, não atenuam certas atitudes. Vai desculpar-me mas acho este achincalhar público uma enorme falta de chá, ela chega a revelar pormenores íntimos. Da mesma maneira que acho falta de chá uma pessoa, homem ou mulher divulgar alto e bom som pormenores da sua vida sexual. É a minha maneira de estar na vida, acho que há limites para a ironia. Quando ultrapassados deixamos de estar a falar de ironia.

      Eliminar
    2. E que é que define esses limites? É a Picante? Quem é que lhe deu essa autoridade?

      Eliminar
    3. Ai, com essa é que me calou, não haja dúvidas!
      Já terá ouvido falar de bom senso e educação? Ou de liberdade de expressão? Já viu que eu consigo emitir opiniões educadamente? Sem ofender as pessoas? Pelos vistos não está ao alcance de todos, uma pena.

      Eliminar
  19. Por portas e travessas, mostraram-me três perfis no facebook da dita cuja: um com o nome que usa no blogue e mais dois com o primeiro nome real, sendo que o sobrenome é um num perfil e outro no outro perfil.

    Pergunto eu: o que se passa com esta criatura?

    (No meio disto, chegar ao perfil da sogra foi num instantinho...)

    ResponderEliminar
  20. Também acho de mau tom. Para não dizer pior.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.