quarta-feira, 19 de março de 2014

Dia de heróis

Março é o mês dos homens da minha vida, de alguns deles, pelo menos, de um dos melhores, sem dúvida. Muito do que sou lho devo, aqueles finais de tarde estivais, anos a fio, à frente de um tabuleiro, ensinaram-me a planear, a antecipar, a intuir, a confiar. Aprendi a aprender com erros, que errar faz parte da coisa, a reconhecer e tirar partido do erro, aprendi a alegria e adrenalina de ganhar por mérito próprio.
Mas, acima de tudo, este homem cá da minha vida, ensinou-me a tranquilidade de me deitar satisfeita, de dormir de um só sono, ainda hoje, se dúvidas tiver, acerca do que é correcto ou incorrecto, basta-me pensar no que decidiria o meu pai. 
Durante anos, ele orientou-me, abraçou-me, amparou-me, deu-me pernas para correr e ensinou-me a paixão pela vida. Mais tarde, fui eu que o amparei, que lhe dei a mão e o vi olhar-me com os mesmos olhos com que eu própria o olhava, há tantos anos atrás. Hoje, já não pode ouvir-me dizer-lhe o quanto o amei, o quanto o amo, o quanto ele é, porque nunca deixará de ser, determinante naquilo que sou. 
Março... o mês dos homens da minha vida, do melhor, sem dúvida.

10 comentários:

  1. Tenho a dizer que está bonito, mas acho que a querida tinha bagagem para fazer isto sem ter que copiar do mais salgado, mas lá está, as coisas são como são e o resto são tretas.
    Mas agora é que estou a reparar que as suas picantetes não veio nenhuma, ao contrário do Salgaria que já foram lá as Salgadetes enxugarem-lhe as lágrimas e choraarem com ele.
    Tem que pôr mais emoção nestas coisas,
    beijinho Quiducha linda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónima, não diga disparates, não? É que até me dá dó... essas tentativas inúteis de amachucar o ego. Puro desperdício de energia.

      Eliminar
  2. Olha, o lado doce da Picante! Muito bom! ;)

    ResponderEliminar
  3. E não há mais nada como o nosso pai =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu pai é o melhor do mundo, essa é que é essa.

      Eliminar
  4. Minha querida... Toma lá um abracinho meu! Com amizade (assim mesmo, com as letras todas).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afilhada mai linda do meu coração.
      (Obrigada, considera-te abraçada de volta)

      Eliminar
  5. Grande post. Fez-me vir as lágrimas aos olhos. O meu pai também já se foi há catorze anos mas, para mim, continua a ser o maior. Saudade imensa!!

    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um beijinho Maria. É uma saudade que não passa. E ainda bem.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.