sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Coisas que uma pessoa aprende, em escrevendo num blog

Toda a blogoesfera, em criança, era boa aluna, todos tiravam excelentes notas e todos se sentiam pressionados e frustrados com a consequente busca dos pais pela melhoria de resultados e pela incessante busca da perfeição.
Já aqui a Picante, ao contrário da norma, além de nunca se ter sentido frustrada por a terem incentivado a tirar o melhor de si, é que nem que fosse a lavar pratos ou fazer camas, a coisa lá em casa tinha de ficar feita em condições, temos pena mas era mesmo assim, é a única pessoa da blogoesfera que teve o descaramento e falta de seriedade de inventar uma patranha, em lhe sendo absolutamente necessário. A título de exemplo, absolutamente necessário poderá ter sido dizer ao chefe que tinha comido alguma coisa estragada e passado a noite a vomitar, quando na verdade tinha ingerido álcool que nem uma lontra e tinha uma ressaca daqui até à China, encontrando-se em estado absolutamente impróprio para sair da cama, quanto mais para ir trabalhar. Também já se me avariou a porta da garagem, quando na verdade saí de casa dez minutos antes da hora, em vez dos vinte aconselhados e tive o azar de apanhar trânsito. Em calhando, já terei dito a um ou dois rapazinhos "não és tu, sou eu" por puro dó. Assim de repente, também estarei capaz de me lembrar de ter dito que determinada peça de roupa era gira, face à pergunta entusiasmada de " é o máximo, não é?"... e vai-se a ver e a roupa até era da Zara e toda a gente sabe que eu detesto a Zara. De maneiras que, face a isto, não sei se os meus pecados terão qualquer possibilidade de remissão, a verdade é que eu já inventei desculpas, só não usei a desculpa da dor de cabeça porque toda a gente sabe que ninguém me pega e eu não faço nem ideia do que é isso de um homem. Mas tenho pena, sinceramente que tenho, deve ser o castigo que Deus me deu por já ter inventado uma ou outra patranha. Só pode.

45 comentários:

  1. Epá. Isso de apanhar uma cadela em véspera de dia de trabalho, é que acho de uma grande irresponsabilidade. Se calhar pior que não pôr uma nota/aviso/lembrete no telelé. Mas isto sou eu. E sim, pregar uma peta é o tuga way, e pelos vistos é o aceitável no simpático corporate world. No meu não é. Simpatizo e empatizo mais com alguém que tenha a coragem de admitir que se esqueceu - ou adormeceu - que com alguém que me fale no trânsito. Como se fosse uma surpresa a A5 ou o IC19 terem trânsito, e não fosse previsível que tinham de sair mais cedo. Mas lá está, eu sou uma toleca sem ambição, chupista empregada do Estado, que chega sempre a horas (uma vez atrasei-me. para mim, atraso é serem dez minutos antes da hora e eu prever que vou chegar dez minutos atrasada: já estava a ligar a avisar, e por acaso até cheguei mesmo à hora) que tem de lidar, tantas vezes, com excelsa gente do exctitante mundo empresarial tuga, que me enfia com acidentes na auto-estrada e me faz esperar às meias horas, sem se aperceberem que estão a pagar-nos essas meias horas - eles e mais milhões de contribuintes.

    (esta aprendi quando já estava a trabalhar, e divulgo de borla: boas notas não são nada, a vida é estudar e estamos sempre a tempo de aprender. e no trabalho é assim, estuda-se, investiga-se, e o conhecimento adquire-se. já qualidades como honestidade, lealdade, não as podemos ensinar. mas isto sou eu, que tenho a sorte de trabalhar com uma equipa onde as pessoas às vezes cometem erros, outras vezes se esquecem de coisas, mas nunca me faltaram ao respeito, são honestas e leais, e se isso não fosse incompetência ou falta de zelo da minha parte, até assinava o que me põem à frente sem ler.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora Izzie, foi há tantos anos... E por uma razão tãoooo boa...
      (E não se zangue não? Eu assumo todos os meus erros, que também me engano, é raro mas lá acontece. E valorizo muito a idoneidade e carácter. Isto é só aqui a gente a provocar...)

      Eliminar
    2. Ah, embora não possa parecer, eu raramente me zango. E muito menos por causa de uma diferença de opiniões. Só que, lá está, sou uma invertebrada, uma mole, uma zen que acredita na tolerância, e acha que devemos ser mais simpáticos com os erros alheios porque, vai-se a ver, se calhar já fizémos pior, é tudo uma questão de perspectiva. Como já me disseram lá no blog - se calhar julgando que me estavam a insultar, e eu levo como um elogio - nunca chegarei a jacaré. Que pena, nem durmo a pensar nisso.

      Eliminar
    3. Agora a sério, eu também acredito na tolerância. Mas a exigência é crucial. Já dei por mim muitas vezes a ser exigente a contra-gosto. Mas há alturas em que as pessoas precisam de umas palmadas educativas. Também já me fartei de as levar e só me fizeram bem. Se isto fosse uma entrevista de emprego a miúda estaria automaticamente fora... E não tornaria a ser contactada futuramente por esse empregador.
      (E agora, com a sua licença, vou voltar ao mau feitio habitual)

      Eliminar
    4. Ah, Izzie, gosto tanto de si :)

      Eliminar
    5. Izzie, clap, clap, clap!

      Eliminar
  2. "Já aqui a Picante, ao contrário da norma, além de nunca se ter sentido frustrada por a terem incentivado a tirar o melhor de si, é que nem que fosse a lavar pratos ou fazer camas, a coisa lá em casa tinha de ficar feita em condições, temos pena mas era mesmo assim, é a única pessoa da blogoesfera que teve o descaramento e falta de seriedade de inventar uma patranha, em lhe sendo absolutamente necessário." - para quem tirava 100% a Português, essa frase é uma verdadeira pérola de construção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez deixe de escrever, de tal maneira esse comentário abalou a minha auto-confiança. Ou então não.

      Eliminar
    2. epá estes anónimos das 9h20 parecem as velhas alcoviteiras da terrinha, que andam atrás das pessoas de que não gostam logo pela manhã só para poderem falar mal durante o chá da tarde. Mas o que é que anda aqui a fazer tão cedo? Em não gostando, volte para a cama.

      Eliminar
  3. Eu não acreditava, mas agora j+a acredito. Sem dúvida, a +Picante tem um cargo importante na empresa onde trabalha. É exactamente deste tipo de xico-espertismo tuga que é feito todo o qualquer cargo superior neste país. Começando nas empresas e acabando no governo. Seriedade e honestidade zero. O importante é ir subindo seja como for.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso é. Tem toda a razão, toda a razão. Mas é que tem mesmo toda a razão.
      (não sabe do que estou a falar, não é verdade? Pois...)

      Eliminar
    2. Oh por amor de Deus, começa! Portanto é um xico-espertismo apanhar uma "cadela" a um dia de semana só porque sim? ai que estamos entregues aos bichos por esse motivo. Onde já se viu, chegar a primeiro ministro (e eu nem adoro o actual e nem ele tem ar de quem bebe por aí além) porque se foi beber uns copos??? 10 Aves Marias para a Picante.

      Eliminar
    3. Nada tem a ver com cadelas. Tem mesmo a ver com o assunto do post anterior. A valorização da mentira em detrimento da verdade. Este só vem na continuação e demonstra exactamente o mesmo espírito. E, sim, sei perfeitamente o que está a falar. A Picante acha-se mesmo a mais esperta, não é?

      Eliminar
    4. Anónimo, o post anterior não tem rigorosamente nada a ver com valorização de mentiras, aquilo é um pequeno aparte. Lamento não me ter feito entender, obviamente que a culpa é minha.
      É isso e as pessoas fixarem-se no excerto que lhes interessa, descontextualizá-lo e vir dizer que eu digo que defendo a mentira. Nem a defendo, nem a uso. Mas já inventei meia dúzia de desculpas ao longo da vida. E não me parece que tenha sido a única pessoa a fazê-lo. Pelo menos na vida real... já na blogoesfera...

      Eliminar
  4. Mentira tem pé curto. Eu sou TÃO atabalhoada que quem me conhece descobriria imediatamente a peta e eu tenho a certeza que iria saber que eles sabiam, o que seria uma vergonha dos diabos...

    ResponderEliminar
  5. Pipocante Azevedo Delirante7 de fevereiro de 2014 às 11:24

    se a Picante assume que mente, engana e prega petas, como podemos saber se este post redentivo não é m si mesmo uma mentira?
    Mentir acerca de uma mentira será dizer uma verdade, ou dizer a verdade sobre uma mentira não será uma mentira pos si só?
    Nota: este comentário foi escrito sob a lei do menor esforço. Espero que ninguém se importe ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipocante Azevedo Delirante7 de fevereiro de 2014 às 11:59

      Eu disse redentor. Deve ter lido mal... nunca me engano nas teclas e raramente tenho dúvidas ortográficas. Ou se calhar não devia ter comido aquele chau min de ontem ao pequeno-almoço.

      Eliminar
  6. É tão fácil meter os pés pelas mãos! Saiu-lhe ao lado o outro post não? E olhe que este para se redimir também não está melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora Anónima, nunca nada me sai ao lado. É tudo sempre exactamente como quero.

      Eliminar
  7. Já comentei no outro post sobre este assunto ,que estou 100% do lado da Picante. (anónima 6 de fevereiro, 16 24 ) .Parti do princípio que o "esquecimento" que desencadeou todos os comentários, não tinha sido acompanhado de um pedido de desculpas eloquente, que poderia dispensar a "patranhita" . Os olhos, a voz , os gestos, etc. Sem isso,só vejo a arrogância ou a estupidez .
    Quanto aos posts em questão, deram ocasião a uma opulenta exposição de comentários e pontos de vista muito interessantes, que mostram que as Jaquinas são a parte menor.
    Com as divergências que nos separam e as tolerâncias que nos unem, bom dia a todos.

    ResponderEliminar
  8. Compartilho consigo o não gostar da roupa da Zara. O que eu gostava mesmo era da Macmoda, onde encontrava sempre uns casaquinhos tão jeitosos com botões dourados e que me ficavam tão bem. Sentia-me um almirante.

    Joaquina Silva ( que deixou de encontar Macmodas e vai encaminhar-se para a modista do bairro )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dona Joaquina, obrigada pela valente gargalhada. Que maravilha de comentário. Sério que ri alto.

      Eliminar
    2. De topo se cai num instante,
      Por isso do topo sempre fujo
      Mas se não vestir de almirante
      Também fica bem de marujo !
      ( espero não interromper a prova)

      Eliminar
  9. bom dia perfeitos-amores.. não são as mães q são picantemente perfeitas ... são as empregadas. as mães dizem sim e as empregadas não. Dá trabalho é verdade...

    ResponderEliminar
  10. Eu sei que vou parecer uma santa, mas raramente minto. Muito raramente. Nem me lembro de o fazer... aliás, minto, no trabalho, quando querem que eu me chibe sobre os meus colegas, e eu me limito a dizer que não sei de nada. Não quero saber dos problemas dos outros.

    ResponderEliminar
  11. Uma vez perguntaram ao Herman José porque ele trabalhava sempre com os mesmo actores, ele respondeu que preferia trabalhar com actores medianos mas que fossem as melhores pessoas do Mundo do que trabalhar com os melhores actores do Mundo, mas que fossem uns filhos da puta.

    A ambição desmedida não é saudável.

    ps: se ninguém lhe pega será derivado ao elevado peso, logo precisa é de conhecer homens com mais substança!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedrinho deixe-me dizer-lhe que além do Herman se ter rodeado de excelentes actores, aqui ninguém falou, nem em ambição desmedida, nem em filhos da puta. Diga-me lá onde é que eu digo que gosto de me rodear de filhos da puta dispostos a tudo para ter sucesso.
      E deixe estar o meu peso, muito obrigada, ele recomenda-se, isto é cá uma coisa entre mim e as donas Joaquinas, nada temais.

      Eliminar
    2. Pois que o pedro almeida faz falta, faz sim senhora. Pespineta ou não, faz falta

      Eliminar
  12. Picantita, já bebeu o seu chazinho Lipton hoje? Justiça seja feita, acho que é o primeiro publipost que vejo assinalado como tal em todos os blogs...
    Não leve a mal a provocação...
    M

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só li dois ou três blogs, daqueles que não fazem publicidade, mas fico muito satisfeita com as mudanças
      (a mim ninguém me manda nada, uma tristeza, é o que é, os senhores da Veuve não há meio de se decidirem...)

      Eliminar
  13. Isto é um post a explicar outro post? Mas... Mas... Não é isso que o Arrumadinho faz?! Está tudo bem consigo, Picante?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem a certeza de que sabe ler? Não me lembro de ter explicado rigorosamente nada. Apenas enumero o que eu aprendi, tenho o estranho hábito de tirar ilações de todas as experiências.Haveria de fazer o mesmo, é enriquecedor.

      Eliminar
  14. Apraz-me dizer que lamentavel nem é dar uma desculpa ao chefe para justificar um atraso. Lamentavel é ter que dar essa desculpa, existir a necessidade de receber o perdão e o conceito materializado na cabeça das pessoa que tudo esta bem se o chefe esta bem, enquanto ninguém sabe muito bem o objectivo do trabalho. Ja agora, o facto de ter chefe ja de si é desprestigiante, porque quem teve educação da boa e ouviu muitas vezes não, não vai ficar satisfeito com essa posição subalterna que isso até é mais coisa de quem se contenta com 90% num teste de qualquer coisa. E eu a pensar que na vida real (e não na blogoesfera), todos eram chefes (pelo menos de si proprios) e com muy dignas e desafiantes carreiras remuneradas de acordo com os mais altos padrões de Palo Alto...

    Em calhando, até podiamos dizer que isso de ser chefe é muito uma questão de sorte, mas também é certo e sabido (para os que ouviram não) que a sorte é muito mais uma coisa de dar muito trabalho.

    Parto do pressuposto portanto, que isso das desculpas inventadas foi (porque so pode) apenas uma desinspiração de juventude, que isto de gente respeitavel e interessante so responde por objectivos e nunca perante horarios.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que será isso de objectivos?

      (Foi há tanto tempo...)

      Eliminar
    2. Isso do objectivo é como a genitalia, cada um(a) tem as seu.

      Portanto, não sei, mas era coisa boa para ter perguntado ao chefe.

      (mas se foi ha tanto tempo...)

      Eliminar
    3. E olhe que a minha escassez de assentos se deve (em muito) ao teclado francês e ao sofrtware inglês (antes que me diga que seria excluido de uma qualquer entrevista por si escrutinada).

      Eliminar
    4. É um bom ponto, esse, mandar as pessoas escrever um texto antes de as admitir.

      Eliminar
  15. Que confusão de texto !!
    A desculpa (ou a sua ausência) nem tem que ser ao chefe, pode ser à empregada do dentista, que andou por acaso a fazer um jogo de agenda para encaixar alguém, que, contactado por não aperecer, diz apenas ESQUECI-ME (o que era verdade).

    ResponderEliminar
  16. A blogosfera está cheia de pessoas perfeitas, extremamente bem sucedidas, inteligentíssimas e com vidas ultra-mega-requintadas. Não há cá gente frustrada, nem insegura, nem com a necessidade de se afirmar a todo e qualquer custo. Não, nada disso. Por cá, nem se visualiza o número de visitas diárias (aumento ou redução) nem se escrevem posts que possam gerar "polémica" e, consequentemente, muitos comentários e visitas. Não, nada disso. Muito menos se perde tempo a escrever posts sem sentido, para se afirmarem enquanto pessoas. Até porque, toda a gente sabe, principalmente as do meio da blogosfera que, quem escreve posts sistematicamente em horário laboral, é gente muito trabalhadora, aplicada e atarefada. Um exemplo de verdadeiro perfeccionismo e aplicação, diria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora Anónimo... Há uma opção fantástica, aqui no blogger, que permite agendar posts. Mesmo que assim não fosse, um post demora cinco minutos a ser escrito. É menos que o equivalente a uma pausa para café.

      Eliminar
  17. Eu vinha cá dizer que gosto da roupa da zara mas depois lembrei-me de uma breve história. Quando andava no primeiro ano, fazia os trabalhos de casa com o meu pai. Quando eram os de português e tinha que fazer as cópias o meu pai corrigia e se ele achasse que a minha letra podia ser mais bonita ou que eu já tinha feito melhor, apagava tudo e tinha que fazer novamente. Lembro-me de me ter acontecido repetir algumas vezes. E lembro-me de uma vez ter chegado a rasgar a folha do caderno, tantas foram as vezes que apaguei e rescrevi.

    De qualquer modo, nunca fui aluna de 100% ou 20.

    ResponderEliminar
  18. Eu não minto, não faz parte da minha natureza. Cá pelo office dizem que eu sou bruta que nem um calhau e sem papas na lingua! Se mentisse no blogue, não seria eu. Para quê? As pessoas deviam escrever por gosto próprio e deixarem-se de merdinhas.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.