terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Coisas que devia saber e vai-se a ver, até sei

Sei a que sorte não tem nada a ver com o acaso, que nos apanha a planeá-la se quisermos que nos bata à porta, que não nos conhecemos verdadeiramente a nós próprios, quanto mais aos outros, que isto da felicidade está ao alcance de praticamente todos e é, em boa verdade, uma questão de perspectiva, que aquilo que nos parece devastador pode não passar de um contratempo aos olhos de outrém, que quando achamos que não aguentamos mais a vida se encarrega de nos fazer ver que sim, que afinal a nossa capacidade de aguentar é praticamente ilimitada, que se relativizarmos as coisas elas perdem logo metade da importância que inicialmente lhes damos, que ele há coisas que realmente não têm solução e, como tal, não vale a pena perdermos tempo a pensar nelas, que aquilo que parece nem sempre é e será de valor olhar a coisa sob várias perspectivas, que princípios e valores são um bem escasso mas não há dinheiro que pague uma consciência tranquila, que não devemos desistir de acreditar nas pessoas, por mais que demos com os cornos da parede, que aquilo que hoje é amanhã pode não ser, que isto das palavras deve ser olhado com pragmatismo, nisto dos blogs podemos ser o que quisermos, raramente seremos tudo o que mostramos.

17 comentários:

  1. Verdade! Ainda na semana passada falámos nisso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As coisas que eu sei... Até a mim me surpreende..

      Eliminar
  2. Anónima, temos pena. Esse seu discurso já me começa a cansar. Passou da inveja e falta de vida para o copy paste. Lamento, mas eu escrevo mesmo assim. Escrevo bem, não é verdade? Olhe... Aguente-se.

    ResponderEliminar
  3. E num post se resume a verdade e a essência da Blogolândia! :)
    Não costumo comentar mas hoje apetece-me dar-lhe um clap clap clap cá do fundo.

    Com o respeito de um primeiro comentário, deixo um beijinho, sim?

    ResponderEliminar
  4. não é só nos blogs que se pode ser o que se quer. nos blogs potencia-se a coisa. mas "cá deste lado" há muitos que também vivem e fazem-se viver na sua bolha. e com relativo sucesso. o que se quer ser também depende mtº do que os outros querem aceitar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade Mónica, mas cá fora é muito mais difícil passar uma imagem que não corresponde em nada à realidade. A exposição é totalmente diferente...

      Eliminar
    2. Ainda assim... basta que se seja dotado de um super-ego e até chegam ao ponto de acreditar nas suas próprias mentiras.. conheço uns quantos assim...
      E a verdade, é que há quem compre...

      (fico sempre espantada quando vejo isso acontecer)

      Eliminar
    3. Verdade Palmier. E quem compra muitas vezes sabe, bem lá no fundo, que é mentira. Mas não aceita que a outra pessoa possa ser tão intragável quanto os seus receios lhe afirmam que são.

      Eliminar
    4. Deus nos proteja dos super-egos, é disso e das sonsas, ninguém merece.

      Eliminar
    5. adoro sonsas. porque, tal como as baratas, sobrevivem e com sucesso.

      Eliminar
    6. Verdade. Mas elas normalmente só se safam com as espécimes do sexo masculino. Fico sempre a sorrir e a pensar por que razão é que aquilo que é tão óbvio para mim lhes é totalmente invisível...

      Eliminar
  5. Fiquei com falta de ar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah ah ah ah ah
      Escrevi de enfiada, só agora me apercebi que não há um único ponto, a não ser o final. As minhas desculpas...

      Eliminar
    2. Não tem nada que se desculpa. A casa é sua. Eu é que ando com pouco fôlego. É dos brônquios...

      Eliminar
  6. Eu bem tento fazer-me passar por prima de alguém importante (tipo rainha de Inglaterra ou isso) mas não pega…ninguém me leva a serio…
    (E raramente mostramos também tudo (ou o tão pouco) o que somos)

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.