sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Que vais fazer amanhã Picante?

Isto. Pode ser que me apeteçam blogs, durante a semana. Mas lá está, também pode ser que não apeteçam e, este ano, ao contrário dos outros anos, não tive vagar para agendar posts, de maneiras que ficamos assim... eu a fazer esqui, vocês a desejar que me apeteçam blogs.
Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe.

De modo que ficamos assim

Alguém que avise as dos baby blogs que as criancinhas, apesar de extraordinariamente inteligentes, verdadeiramente avançadas para a idade, sobre-dotadas, até... ainda não sabem ler. Caramba, é que já não se aguenta, as putas das cartas, as crianças não as leem pá!

(eu avisaria, mas a vida é como é, depois viriam aqui as donas Joaquinas, dizer que isto é só inveja, que eu queria era ter filhos para lhes escrever cartas, ainda que eles tivessem só dois dias, ou dois meses, ou dois anos...)

A Picante explica, ou tenta... vá..

Quereis saber qual a indumentária ideal a usar na praia, imediatamente depois de dardes à luz? Esse maravilhoso momento em que a barriga fica com pregas e parece querer ir cumprimentar a púbis? A Picante explica, minhas pequenas Picantetes, não tem mesmo nada que enganar, escolhi dois modelitos, mas há em várias cores. Podereis usar à confiança, com a certeza de que não ofendereis a concepção alheia de estética e elegância.
Ah, não se preocupem, todos os anos há Verão, será uma coisa puramente temporária, até as coisas voltarem a ser como devem ser.

(em fechando a boca e mexendo o rabo, claro)


quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Queridos Engenheiros, será pedir muito?

Se vocês constroem estradas, pontes e aquedutos, furam montanhas e fazem túneis, erguem prédios com cem andares... porque raio é que não conseguem alinhar a porra dos tampões na estrada? Serão capazes de explicar?
Se a vossa Picante fosse mulher de usar vernáculo, agora usaria um ou dois. Quatrocentos euros, senhores, ele há gente que vive com isto...

Quereis ter muitos comentários?

Falai de relações amorosas, há pouca coisa que estimule tanto a conversa quanto o falar de lugares comuns, de preferência baseando-se na vossa própria experiência. Em não tendo experiência também não será  complicado, basta comprar uma ou duas revistas femininas, há por lá, amiúde, artigos dedicados a como prender o homem dos seus sonhos. Ao fim de uns quantos posts ficareis conhecidos como o guru das relações humanas e começareis a receber mails pedindo ajuda, respondei a todos, ainda que não tenhais ideia do que dizer, mas fazei-o em post. Ah.. espera.. já há um blog que faz isso. Que desatenta sou...

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Só desilusões, é isto a minha vida

Uma mulher faz um post, deixa ali uma pérola de fino humor, uma verdadeira preciosidade, e que fazem vocês? Alguém por acaso veio dizer ah e tal mas tu também te chamas Pipoca? Nada de nada! Em vez disso começam a explicar-me a razão de ser dos vossos petit noms. Como se eu me interessasse... Sois uns desnaturados, é o que é.

Só interrogações

De todas as coisas que me intrigam, nisto dos blogs, mais que querer conhecer bloggers, mais que os anónimos maldizentes que afirmam que os dos blogs também são anónimos, mais que o desenrolar de histórias da vidinha, mais que postar fotografias de prendas manhosas... Mas dizia eu que, de todas as coisas que me intrigam, a maior de todas será a escolha de petit noms. O que levará alguém a chamar a si próprio coisas como gatinha ronronante, macho latino, moranguinha gostosa, bomboka, ou até pipoca? De coração vos digo que isto escapa completamente à minha compreensão, logo a mim que até sei umas coisas.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Os problemas dos homens #36

As constipações são doenças perigosas e mortais.

Leva-me ao colo

Mostra-me os clássicos que faltam, não... Eça já li, os russos também... Ensina-me os cê dês, Bach e Vivaldi não são todos iguais, sabias? Escolhe o vinho, sabes que prefiro cabernet a touriga, verdade? Marca fins de semana surpresa, reservei o de Berkeley Street, gostas não gostas? Vai à minha frente e escolhe as pistas, sem problemas eu abrando... Mas leva-me ao colo, levas-me sempre ao colo...

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Como perder dois kilos, em doze horas

Experimentar comer comida de senhora que vende o corpo. Escolher a única salsicha estragada. Esperar pacientemente os efeitos ignorando a dor, é psicológica. É possível que não se consiga trabalhar no dia seguinte, de manhã, não desesperai, os dois kilos a menos, mais que compensarão a noite de trabalho que vos esperará.

A vida é como é..

Uma mulher vai religiosamente à missa das sete, ao Sábado, lá faz o acto de contrição, confirma que sim, que crê, comunga e a verdade é que sai sempre de lá com a alma lavada, cheia de benevolência e tolerância para com a fraqueza alheia. 
Acontece que essa tolerância não lhe dura a semana toda, como era suposto, e vai daí que Domingo à noite, quando se senta na velha poltrona e dá a volta do costume, pelos blogs do costume, constata que as dos gojis e panquecas ao pequeno almoço, só os devem comer ao jantar que isto a vida é como é e os malvados dos chefes não se compadecem dessas mariquices. Em lendo as cartas escritas aos filhos, apercebe-se de que os filhos nunca as irão ler, afinal a vida é como é, os filhos ainda não sabem ler, vai daí que as cartas afinal são para nós que também somos filhos, que somos, mas é da nossa mãe que, em vez de nos escrever cartas, nos abraçava e dizia o quanto nos amava. As das crianças com laços, vestidas de branco, lá se aguentam para a fotografia, meio nano-segundo antes de os laços lhes caírem e fazerem uma valente birra, que não querem, que já estão fartinhas de tanta fotografia, que isto a vida é como é, e elas também se sujam e fazem birras. Os que que não deviam ter blog, mas vai-se a ver e afinal têm, lá continuam, desalmadamente a falar de sexo, que isto a vida é como é, compra-se uma Maria e sai um post. As das selfies, lá continuam a tirar selfies, vestidas de Zara e H&M, que isto a vida é como é, quem nasce para lagartixa não chega a jacaré.
Uma mulher encurta a volta pelos blogs e pensa que, às tantas, haveria de dar a volta pelos blogs ao Sábado, antes de ir à missa, afinal poderia ser que isto da tolerância lhe durasse pelo menos até segunda feira.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Coisas que uma pessoa já tem idade para saber mas se poderá esquecer, em acordando às seis e meia da manhã

Em uma mulher passando toda uma manhã, de perna cruzada, sentada a uma mesa de reuniões, a saia tende a subir. Em a saia tendendo a subir, e sendo a mesa de vidro, poderá acontecer que haja alguma dificuldade em que uma mulher seja olhada nos olhos e não nas pernas.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Se isto fosse um blog rosinha

Hoje poderia mostrar-vos uma mesa posta a preceito, serviço da avó, faqueiro de christofle, copos a brilhar, toalhas de linho e guardanapos a condizer. Mostraria travessas cheias de iguarias deliciosas, de fazer crescer a anca só de olhar, pudins de gemas e ovos moles caseiros, ainda melhores que os de Aveiro, vinhos de qualidade servidos em garrafas de cristal, enfim... um deleite para os sentidos. Mas não é, como tal, em me apetecendo, talvez ponha aqui uma imagem dos restos. Pensando melhor, duvido que sobre alguma coisa. Esqueçam lá isso, até amanhã, ficai na paz do Senhor.

Hoje

Corre, pequeno, corre, agarra o mundo, um dia ele será teu.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Picante esclarece sobre o que eles procuram nisso do "on line dating"

Um pirafo.

Ah... e elas importam-se se eles tiverem uma deficiência, que isso de querer ter relações sérias, afinal elas não dão pirafos, com tipos a quem falta uma perna é coisa que não existe, a menos que a elas lhes falte um braço, claro está.

Não têm que agradecer, eu vim ao mundo para iluminar a vossa simples cabecinha, sempre que tiverdes dúvidas é perguntar à tia Picante, estarei sempre cá para vos ajudar meus tesoirinhos.

Volta à blogolândia em 180 segundos

Hoje deu-me para isto, comi gojis e panquecas, descobri uma linha que divide as crianças que usam laços das outras, as que fazem birras e se sujam, alguém me explique a utilidade disto, por favor, eu não sei, logo eu que sei tudo, vi de passagem um homem de fato às riscas, fugia de um cão com uma saia amarela na boca, dar-me-ia jeito a saia, afinal ando com a mesma roupa há três dias, uma maçada, isto dos aeroportos, parecem o triângulo das Bermudas, sempre a fazer desaparecer os cartões de embarque, vou conquistar o mundo e obrigar as gentes a amar-me, mas primeiro vou só ali comer um rissole.
Não perceberam, pois não? Está bem, eu explico o post...

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Gracinha

Gracinha, minha querida, há quanto não não falávamos, não é verdade? Chegue aqui à minha beira que tenho uma coisa a dizer-lhe. Feche a porta, se não for incómodo, não quero que a criadagem oiça, isso mesmo. Sabe, minha querida? Eu sempre tive jeito para isso dos números e da lógica, já o seu tio Bernardo era um homem de letras e não gostava nada de matemática. Eu bem dizia, a quem me queria ouvir, que sim, que o tio Bernardo tinha queda para os números... Acontece que não tinha. E acontece, também,  que o facto de eu dizer que tinha nunca alterou em nada a falta de jeito notória, a qual, aliás, estava à vista de toda a gente.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Os problemas dos homens #36

Mas eles têm problemas?

Coisas estranhas de que me lembro no dia de S. Valentim

Nunca mais as dos blogues nos lembraram das sextas-feiras, hoje em dia uma pessoa tem de pôr um lembrete no telemóvel ou correrá o risco de se olvidar de que vem aí o fim de semana, mas acontece que esta, é uma sexta-feira especial.
Sê bem-vindo pequeno Y, vais ver que isto da vida é uma maravilha, se a souberes aproveitar dar-te-á muito mais gargalhadas que lágrimas ou sorrisos tristes, sabias que os homens também choram? Ouve os teus pais, mesmo quando te parecer que o teu tempo é completamente diferente e, quando não os puderes mesmo ouvir mais, eventualmente há-de acontecer, uma ou duas vezes... vá, lembra-te das sábias palavras da tua velha tia, ela já sabe umas coisas da vida... Mesmo que não pareça, é fácil ser-se feliz. Agarra a vida com força, ela será aquilo que fizeres dela, só depende de ti, pequeno Y, só depende de ti...
Sê, pois, bem-vindo e dá um abracinho bem apertado à tua mãe, está bem?

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Pardon my French mas..

Metem o despertador exactamente onde? De repente fiquei confusa, uma mulher não está habituada a estas coisas de ficar confusa, afinal está acostumada a perceber das coisas e agora é isto, que desassossego senhores... vou ficar o resto do dia a pensar nisto...

(e nem vou falar disso do oral e não sei quê, ele há caminhos do demo que é melhor uma pessoa abanar a cabeça e sorrir condescendentemente enquanto dá meia volta, que é como quem diz, dirige o rato até à abençoada cruzinha do lado direito superior)

Picante diz umas coisinhas sobre dietas

Fechem a boca, levantem esses rabos do sofá, larguem o sushi e os chocolatames, mais as batatas fritas e as bolachas, é sempre só mais uma, não é? Façam uma corridinha, ou duas, vá... e verão como emagrecem. É que é um instantezinho enquanto perdem dois números de roupa. Em não fazendo batota, demorarão mais tempo a dizer supercalifragilisticexpialidocious. 

E é isto, em começando agora, ainda apanharão o Verão,

(e ao menos digo isto rapidamente e não vos aborreço. Ah! o poder de síntese...)

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Quase me esquecia disto

Há uns tempos, enviaram-me isto. E é verdade, não há provocação sem alguma dose de sacanice. Mas de repente, uma pessoa põe-se ali a olhar para as malaguetas e aquela disposição lembra-lhe a cabeça de uma vaca, não sei que pense disto...
Obrigada Pedrinha mai linda!

Não é que interesse muito mas...

Eu escrevo os posts todos de rajada, normalmente ao Domingo à noite agendo os posts da semana, por vezes, durante a semana, lá tenho de os reagendar, algum assunto que me desperta a atenção... Mas o que eu queria mesmo dizer é que os escrevo todos de rajada, cada post não leva mais de cinco minutos a ser escrito, alguns não chegarão a um minuto, mas os maiorzinhos, os tais dos cinco minutos, são escritos do princípio ao fim, de um só fôlego, como se estivesse a contar uma estória, no fim releio e altero as vírgulas que ficaram fora do sítio. Por vezes acontece que isto é só vírgulas, atiradas para aqui, e dispostas conforme as minhas vontades, sem pontos ou interjeições. As minhas desculpas se vos tiro o fôlego, é que isto sou eu a falar.

(sim, falo depressa... a vossa sorte hã? só me leem...)

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Acabei de constatar

Que o número de "os que seguem as sábias palavras de Picante" tem aumentado à razão de um por dia. Quando chegarmos aí aos... quinhentos, vá, cometo uma loucura e faço um giveaway. Não precisam de me agradecer meus tesoirinhos, por vocês.. tudo.

Os problemas dos homens #35

Por mais inteligentes que sejam, vão sempre na conversa das sonsas.

(e uma pessoa fica para ali, sorriso condescendente nos lábios, a pensar que a vida é como é, há coisas que não mudam...)

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Como os 100% podem ser causa de ovos mexidos

Aquilo de uma pessoa gostar de ultrapassar limites pode dar nisto, ignoram-se as queixas do corpo, afinal o que é isso? É só dor, toda a gente sabe que a dor é psicológica, ignora-se o cérebro que nos diz para parar, estamos quase a conseguir, só mais um esforço, faltam quinhentos metros, não é nada, já vamos em onze mil e quinhentos, não pares agora, tu não és mariquinhas, não podes parar, ignora a dor, muda agora para uma power song, está quase.... Conseguiste. És a maior, o esforço compensa sempre, estás a ver? Conseguiste..
É verdade, conseguiste fazer uma micro rotura num dos quadriceps, lixaste um joelho, ias dando cabo de uma semana inteirinha de ski, leva a taça, estúpida!
(há um limite das coisas que uma mulher consegue cozinhar, com uma canadiana numa mão, enquanto apoia a perna na outra, teremos, pois, ovos mexidos com batatas fritas o resto da semana...)

Ainda a propósito disso do S. Valetim

Ontem, o jantar foi ovos mexidos com salsichas e batatas fritas. Achei que gostassem de saber.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Se eu quisesse explicar-vos isso do dia dos namorados, que não quero...

Dir-vos-ia para o esquecerem, que os restaurantes estão cheios nesse dia, aquilo é para ali uma confusão que não se aguenta, que se o tiverem mesmo de celebrar façam-no em casa. Esqueçam lá isso das prendas e mariquices, também não é disso que estamos a falar, têm outros trezentos e sessenta e quatro dias do ano para nos oferecer bens materiais, nós saberemos agradecer efusivamente, não se preocupem. Se eu quisesse mesmo explicar-vos como pôr uma mulher em estado de desvario, que obviamente não quero, diria para a acordarem de manhã, com um bom dia carinhoso que a faça sorrir, para lhe ligarem rapidamente a meio do dia, que estão com saudades de lhe ouvir a voz, para lhe irem enviando mensagens, cada vez mais provocadoras, que isso de realmente agradar a uma mulher tem tudo, e só, a ver com conquistar-lhe a cabeça. Se eu quisesse mesmo mostrar-vos o caminho do sucesso, diria que essas mensagens nos iriam desconcentrar das reuniões, ou do que estivéssemos a fazer, que começaríamos a ter os sentidos à flor da pele, que têm mesmo de se certificar que teríamos todos os sentidos ao rubro, que o saberiam no exacto momento em que recebessem uma mensagem, dizendo que não imaginamos outro sítio para estar a não ser nos vossos braços e à porta fechada, e que, é essa a altura em que nos devem pedir para irmos depressa para casa, que é urgente e não podem, é-vos impossível, esperar mais.
E depois? Depois é convosco, façam acontecer a magia...

(mas, pelo sim, pelo não, talvez seja boa ideia encomendar o jantar, embora possam sempre mexer uns ovos.. é comida de puta mas até poderá ser apropriado)

Coisas que uma pessoa aprende, em escrevendo num blog

Toda a blogoesfera, em criança, era boa aluna, todos tiravam excelentes notas e todos se sentiam pressionados e frustrados com a consequente busca dos pais pela melhoria de resultados e pela incessante busca da perfeição.
Já aqui a Picante, ao contrário da norma, além de nunca se ter sentido frustrada por a terem incentivado a tirar o melhor de si, é que nem que fosse a lavar pratos ou fazer camas, a coisa lá em casa tinha de ficar feita em condições, temos pena mas era mesmo assim, é a única pessoa da blogoesfera que teve o descaramento e falta de seriedade de inventar uma patranha, em lhe sendo absolutamente necessário. A título de exemplo, absolutamente necessário poderá ter sido dizer ao chefe que tinha comido alguma coisa estragada e passado a noite a vomitar, quando na verdade tinha ingerido álcool que nem uma lontra e tinha uma ressaca daqui até à China, encontrando-se em estado absolutamente impróprio para sair da cama, quanto mais para ir trabalhar. Também já se me avariou a porta da garagem, quando na verdade saí de casa dez minutos antes da hora, em vez dos vinte aconselhados e tive o azar de apanhar trânsito. Em calhando, já terei dito a um ou dois rapazinhos "não és tu, sou eu" por puro dó. Assim de repente, também estarei capaz de me lembrar de ter dito que determinada peça de roupa era gira, face à pergunta entusiasmada de " é o máximo, não é?"... e vai-se a ver e a roupa até era da Zara e toda a gente sabe que eu detesto a Zara. De maneiras que, face a isto, não sei se os meus pecados terão qualquer possibilidade de remissão, a verdade é que eu já inventei desculpas, só não usei a desculpa da dor de cabeça porque toda a gente sabe que ninguém me pega e eu não faço nem ideia do que é isso de um homem. Mas tenho pena, sinceramente que tenho, deve ser o castigo que Deus me deu por já ter inventado uma ou outra patranha. Só pode.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Verdades Picantes #40

Toda a gente sabe que a minha única função é fazer os outros felizes, é do fundo do coração que vos digo que "não" é o melhor presente que podereis dar a um filho. Não é complicado, repitam comigo N Ã O, não. Muito bem, agora começai a praticar, mais tarde, eles irão agradecer-vos.
E escusam de agradecer.

Como é que eu sei isto? É a vida, estúpidos!

Se o meu pai não me tivesse perguntado onde é que eu tinha errado quando chegava a casa com testes de noventa e nove por cento, talvez eu nunca tivesse tirado um cem por cento na vida, aquilo aborrecia-me, que aborrecia, nem adiantava dizer-lhe que tinha tirado a melhor nota da turma, limitava-se a perguntar-me se seria capaz de fazer melhor, eu sabia que sim, que era, afinal só me tinham descontado uma porra de um erro ortográfico, era questão de rever o teste antes de o entregar, foi assim que comecei a tirar cem, foi assim que saquei vários vintes, a matemática, e aprendi a escrever decentemente, e também foi assim que, no fim do curso, entrei para a empresa e lugar que queria.
Hoje, a minha mentoree deu-me uma real de uma banhada, já não me lembrava de alguém me ter dado uma banhada, provavelmente algum namorado teen, ou um projecto de namorado, não sei. Sei que depois de lhe ter ligado ela me respondeu um "esqueci-me, peço imensa desculpa mas esqueci-me", é que ao menos poderia ter tido a destreza de espírito de me dizer que tinha rebentado um pneu, que lhe tinham bloqueado o automóvel, que tinha partido um salto na porra da calçada, qualquer coisa, em que eu não acreditaria, mas que me fizesse ver que ela até tentava sair dos trabalhos em que se metia, mas não, ela disse "esqueci-me". E eu, fiquei para aqui a pensar que ela, no Verão, me vai pedir um estágio e eu não lho vou dar, e depois pensei que os pais dela não devem ter feito como o meu, às tantas davam-lhe os parabéns e um grande abraço, quando chegava a casa e dizia que tinha tirado setenta por cento nos testes.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Coisas que eu não sei e, vai-se a ver, até será melhor nem saber

Está certo que aqui a Picante é um hate-blog, adoro falar de mim na terceira pessoa, dá um certo ar blasé, mas dizia a vossa Picante que, de quando em vez, se atreve a dar umas gargalhadas à conta de workshops que vendem felicidade, de casas onde nunca há roupa para lavar, de crianças sempre perfeitas em Gap e Ralph Lauren, ou de fins de semana nas termas que vai-se a ver e não são normais fins de semana nas termas, não que a vossa Picante tenha alguma coisa em desfavor de termas, que não tem, acontece que sempre lhe dá mais prazer enfiar-se num avião e rumar até Londres, nem é por nada, mas em Lisboa não há Gap, é mesmo só por isso. Isto é uma maçada, lá me perdi eu outra vez, hei-de tomar a nota mental de me inscrever num workshop de gestão de poder de síntese, repararam que introduzi aqui o termo "gestão" a despropósito, sempre dá um ar mais elaborado à coisa, mas o que eu queria mesmo dizer e ainda não disse, embora vá dizer já de seguida, é que está certo que as dos hate-blogs são umas invejosas, que não têm qualquer vida própria e se limitam a viver a vida dos outros, que não têm um homem que lhes dê os bons dias ou que lhes proporcione tórridas sessões de sexo selvagem alternando com mimos e delicados beijos no pescoço, será quase seguro afirmar que elas não sabem de todo o que é isso de um homem. Está muito certo e isso tudo é perfeitamente claro aqui para a vossa Picante. Aquilo que realmente me intriga é o que serão as pessoas que passam a vida a falar de sexo, é que às tantas uma mulher até se confunde e acha que abriu uma página daquelas eróticas, para gente que vive no pecado da luxúria, não sei se é dos meus olhos, pode ser que seja, mas de repente uma mulher apenas lê blablablablabla... sexo, nheca nheca nheca vibrador, rónhónhó preservativo, zzzzzzzzzzzzzzzzzzz orgasmo... e uma mulher não consegue ler mais, afinal de contas não sabe o que é isso de um homem, limita-se a dirigir o rato até à cruzinha do lado superior direito, enquanto reza apressadamente dois Pai Nossos e três Avé Marias, mas a verdade é que fica meio intrigada a pensar o quê é que isto quererá dizer sobre essas pessoas. Ou então não, e vai à sua vidinha...

Note to self

Lembrar-me de nunca mais atender um número de telemóvel desconhecido. Em calhando poderá ser um antigo colega de colégio que não vês há uns quinze anos, em calhando és bem capaz de passar dez minutos a tentar despachá-lo sem qualquer sucesso, enquanto te passa pela cabeça que poderia ser pior, a última vez que te cruzaste com ele foi ao vivo e a cores, quase que tiveste de virar costas e deixá-lo a falar sozinho. Em calhando lá está ele, a falar como se fossem grandes amigos e não se vissem há uma semana, tudo para te pedir uma valente cunha, que obviamente não vais meter, em calhando lá tiveste de começar a dizer "estou! estou!" cada vez mais longe do telefone, o qual acabou por se desligar e ficar sem rede, em calhando quando o tornaste a ligar tinhas oito tentativas de contacto do mesmo númer e, em calhando, dás Graças a Deus pela tecnologia, hoje em dia há essa possibilidade fantástica de bloquear números de telefone.
E agora vou só ali matar a pessoa que, tendo a lata de se dizer minha amiga, deu o meu número de telefone a esta simpática e faladora pessoa, para a próxima não te esqueças de dar também o fixo, sim?

Se a Picante sonhasse seria assim

"Sonhei contigo, eu, nem me lembro sequer do que sonhei, nem sei bem por que razão o fiz, sei que sonhei contigo, como se alguma vez soubéssemos porque sonhamos o que sonhamos. Espera, recomeço, sonhei contigo, dizia eu. Talvez por nunca termos rido em simultâneo, de uma piada só nossa, por nunca termos falado sem palavras, verde no castanho, nunca senti a tua mão na minha nem o calor do teu abraço, não sei a que sabem os teus lábios ou o cheiro do teu cheiro, não cheguei a encaixar a cabeça no teu ombro ou a deixar-me adormecer nos teus braços. Ficaste-me por conhecer, foi por isso."

(Post adaptado)

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Coisas que talvez não devesse saber mas olha... sei

É um duplo, estúpido!

Coisas que devia saber e vai-se a ver, até sei

Sei a que sorte não tem nada a ver com o acaso, que nos apanha a planeá-la se quisermos que nos bata à porta, que não nos conhecemos verdadeiramente a nós próprios, quanto mais aos outros, que isto da felicidade está ao alcance de praticamente todos e é, em boa verdade, uma questão de perspectiva, que aquilo que nos parece devastador pode não passar de um contratempo aos olhos de outrém, que quando achamos que não aguentamos mais a vida se encarrega de nos fazer ver que sim, que afinal a nossa capacidade de aguentar é praticamente ilimitada, que se relativizarmos as coisas elas perdem logo metade da importância que inicialmente lhes damos, que ele há coisas que realmente não têm solução e, como tal, não vale a pena perdermos tempo a pensar nelas, que aquilo que parece nem sempre é e será de valor olhar a coisa sob várias perspectivas, que princípios e valores são um bem escasso mas não há dinheiro que pague uma consciência tranquila, que não devemos desistir de acreditar nas pessoas, por mais que demos com os cornos da parede, que aquilo que hoje é amanhã pode não ser, que isto das palavras deve ser olhado com pragmatismo, nisto dos blogs podemos ser o que quisermos, raramente seremos tudo o que mostramos.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Coisas que devia saber e vai-se a ver, não sei

Afinal que raio vem a ser isso da Violetta? Alguém me elucida?
Agradecida.

O Wasabi é Picante, não é?

Wasabi é um tempero em pasta utilizado na culinária japonesa, feito da planta wasabia japonica, sendo cultivado nos frescos planaltos de Amagi, na península de Izu, Shizuoka, Hotaka e Nagano. A Wasabia japonica pertence à família das Brassicaceae e é conhecida também como raiz-forte japonesa ou wasábia.
A raiz-forte japonesa selvagem parece ter sido utilizada como planta medicinal e antídoto para envenenamentos.
 
In: wikipedia