segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Os problemas dos homens #32

Faltar-lhes a argúcia e sensibilidade para perceber que, entre carteiras, casacos e calçadas Portuguesas, uma vez por outra, poderemos precisar que nos dêem a mão.

15 comentários:

  1. O nosso ponto de equilíbrio: físico e emocional.

    ResponderEliminar
  2. Nisso sou uma felizarda! O meu não sofre dessa deficiência.

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. A porra da calçada já me deu cabo de tanto stiletto...
      (e quando o salto fica preso entre as pedras? Não é bonito...)

      Eliminar
  4. Não sofro desse mal. Raramente andamos na rua sem darmos a mão (ou o braço, quando está frio e ele é um viciado em ter as mãos nos bolsos), mas mesmo que não tenhamos as mãos dadas, se estivermos a andar em calçada ele lembra-se que eu preciso de ajuda para nao me esbardalhar dos saltos abaixo. Uma pérola, este meu homem

    ResponderEliminar
  5. Ahhhhhh! Eu bem me parecia que vinha a caminho a resposta ao Salgado....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é o Salgado de que tanto.falam?....

      Eliminar
    2. Então? Não publica? Não responde? Não é a menina que se diverte com interactivinãoseiquê e que acha de mau tom deixar as pessoas a falarem sozinhas?

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Duvido que isso equilibre alguém.... Em a coisa sendo feita como é suposto ser feita, ainda dará azo a algumas tonturas.

      Eliminar
  7. Mas afinal com que raio de homens é que a menina se mete?

    ResponderEliminar
  8. Mas é mesmo a mão? Só a mão?
    Entendi que está em causa uma questão de equilibrio, mas é perfeitamente combatível de várias formas... dependendo das horas a que se passa na calçada!
    Um beijo, um abraço e um encosto à parede, se forem na hora H, cheio de paixão... fico na dúvida se retomam o equilibrio ou se o fazem perder de vez!

    Beijinho

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.