segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

E de novo...

Se volta ao tempo em que os mais pequenos têm de ser consolados, em que não há abraços suficientemente fortes para lhes restituir sorrisos, em que pensamos que isto, às vezes, é mesmo uma merda.