terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Este ano...

Fui jantar a Soldeu e voltei para ver morrer alguém próximo, abracei alguém indigno do meu abraço e consolei quem se apercebeu, tão cedo, do que é isto da perda. Voltei aonde já fui feliz e tornei a ouvir as cassetes que diziam Serra Nevada, agora em cêdê, e que tantas horas me acompanharam lá atrás. Guiei os mais pequenos por encarnadas difíceis e consegui dar indicações calmas quando um se aventurou por um fora de pista negro e teve de saltar, à minha frente, até atingir de novo a pista, ante o meu pânico mudo. Verifiquei que os mexillones ainda me sabiam ao mesmo e esquiei ao lado de grandes amigos, 15 anos depois,  mas agora todos rodeados de gente pequena. O cabrão do alemão tornou a falhar-me e troquei-o por um francês. 
2013 foi o ano em que a puta da austeridade me entrou portas adentro, o ano em que poderia ter ganho mais que em qualquer outro mas em que acabei por mal atingir o breakeven, o ano em que achei mais seguro cortar os Alpes em Dezembro, e que falta me fez, caramba!... É na montanha que me encontro, que faço balanços e planos, que renovo energias. 2013 foi o ano em que uma das minhas pessoas me decepcionou e descobri, na primeira pessoa, que as palavras podem doer muito mais que um murro no estômago, em que olhei alguém nos olhos e disse, calma e friamente, não te quero mais na minha vida, fechando definitivamente uma porta que teimava em manter entreaberta. Foi o ano em que me acomodei e a vida me deu um abanão, o ano em que me enrolei em posição fetal, tive vontade de voltar a ser criança e chorei, até as lágrimas se me esgotarem. Mas foi também o ano em que me levantei, em que engoli o orgulho e pedi ajuda, o ano em que tive a certeza de que tenho razão quando digo que tenho meia dúzia de grandes amigos, e que amigos, caramba! Foi o ano em que percebi que tinha de fazer grandes mudanças, a todos os níveis, em que fiz planos e refiz estratégias.
Foi o ano em que enganei alguém que admiro, vesti-me de Egas Moniz e fui perdoada, foi o ano em que uma "indulgência" foi um fantástico presente de Natal, o ano em que os abraços das minhas verdadeiras pessoas me fizeram muito mais feliz que o desatar de fitas de cetim em caixas bonitas, o ano em que troquei tardes de compras por horas a ver o mar, quando precisava de desanuviar, o ano em que afinal não fiz compras e não me importei porque não uso metade do que tenho nos armários.
2013 foi um ano de merda, possivelmente o ano mais difícil que já tive, mas dou Graças a Deus. Se o meu pior ano me permitiu tanta gargalhada, tanto abraço, tantos momentos realmente felizes, então as coisas não serão assim tão negras, é questão de tornar a ver o copo meio cheio e abrir as janelas, porque eu sou mesmo assim, uma optimista sempre à procura do melhor ângulo. Hoje, ao contrário de todos os anos, não tiro o vestido comprido do armário, não tenho o cabelo impecavelmente arranjado, escrevo-vos equipada para correr, porque é isso que vou fazer agora. E é a correr que vou agarrar 2014. Ou corro o risco de o tempo me fugir sem que me aperceba.
Bom ano!

37 comentários:

  1. Já não tenho paciência para tanto balanço...já balancei de mais. Ainda bem que faço curtos balanços diários. Mas este está digno e diferente. Um bom ano Picante.

    ResponderEliminar
  2. Como o meu centro de gravidade nem sempre concorda com o meu eixo de suspensão , também acho que mais balanço não é de arriscar. Um beijinho . D

    ResponderEliminar
  3. Feliz 2014! :) gostei do teu balanço! Espero que seja um óptimo ano para todos

    ResponderEliminar
  4. E eu que ia jurar que tinha sido um grande ano...
    Um grande beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi grande mas não foi grande coisa. O que dignifica que só poderá melhorar.
      Bj e obrigada

      Eliminar
  5. Está um texto muito bonito, obrigada Autora.

    ResponderEliminar
  6. Não a conheço, mas senti-me comovida e agradecida por ter partilhado este etexto connosco.

    ResponderEliminar
  7. Obrigada Anonimo (a) e Filipa. Que 2014 seja muito feliz.

    ResponderEliminar
  8. Picante, muito sincera e digna. Gostei. Espero que 2014 te traga então o aumento salarial que mereces... e que a vida seja repleta de felicidade!

    ResponderEliminar
  9. Ó (autora da) picante... Caramba... Gosto tanto de ti!...
    (Dá-me o devido desconto pela lamechice, ok? É mesmo verdade, mas não te esqueças que ando hormonalmente descontrolada, o que me leva a verbalizações estranhas... :D )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gosto muito de ti querida NM
      (E vou já voltar ao meu registo habitual antes que digam que abichanei ou amoleci ou coisa que o valha)

      Eliminar
  10. Bom ano! Continua Picante e assertiva! Gosto de coisas que picam!

    ResponderEliminar
  11. Polo Norte, es tu? Os seus posts no ultimo mes deixaram-me confusa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acha mesmo que isto tem alguma coisa a ver com o Quadripolaridades?
      (Ainda que tivesse, também não seria coisa que envergonhasse, posso não gostar de tudo o que escreve mas é inquestionável que escreve bem.

      Eliminar
    2. Sim, acho. O registo e muito semelhante ao do balanco do ano 2013 da Polo Norte. Acredito que não tenha sido intencional, mas de qualquer forma e um estilo delicodoce que não me agrada particularmente.

      Eliminar
    3. Anónima, por favor... Agora obrigou-me a ir lá. É que nem sequer consegui encontrar um balanço de ano, há lá um post sobre pessoas e uns 3 ou 4 sobre meses, com links para os respectivos posts. É que não tem rigorosamente nada a ver.
      Isso do estilo, nem vou comentar, cada um escreverá como escreverá.

      Eliminar
    4. A sério que ficou ofendida? Desta é que eu não estava à espera. Realmente houve aqui uma mudança qualquer...

      Eliminar
    5. Não fiquei nada ofendida, estaria desgraçada se fosse de me ofender por pontos de vista diferentes. Só não concordo é que tenha nada a ver, a não der o facto de ser um texto pessoal. As semelhanças acabam aí.
      Mas é a diferença que faz mover o mundo. No hard feelings

      Eliminar
    6. Hoje admiro a sua paciência para tantas respostas. Mas gosto de as ler.A Picante é mesmo muito inteligente e sagaz ,com a resposta ao segundo, e a sua caixa de comentários é bem especial. Viva o ano novo,a começar com os piquinhos de champagne e à espera dos temperos mais piripirizados.

      Eliminar
  12. Ia a dizer isso mesmo. Parece o estilo de coisa que criticaria nos outros. Tá a cara da Ursa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, então vou responder como ela responderia. Larguem-me a braguilha, caramba!
      Alguma vez eu critico este tipo de coisas?

      Eliminar
    2. Então não se fartou de criticar a mudança de registo e do teor dos posts da PN quando ela deixou de ser brejeira e passou a ser delicodoce pós-maternidade? Será que estou no blogue errado? Sou a anónima ali de cima.

      Eliminar
    3. Eu só sou responsável pelo que escrevo, não pelo que lêem. Tampouco serei responsável pelos dizeres dos comentadores, limito-me a rejeitar todos os que acho impróprios, hoje em dia com um buraco de agulha muito mais estreito, é um facto.
      A única coisa que disse foi que gostava mais do estilo non sense. Disse-o em comentário, não em post. E não mudei de opinião. Se quer saber exactamente a minha opinião sobre o Quadripolaridades eu até lha poderei dar, mas não aqui, seria totalmente impróprio.

      Eliminar
    4. Teria muito gosto em saber a sua opinião.

      Eliminar
  13. Pipocante Azevedo Delirante2 de janeiro de 2014 às 10:12

    Pipoca,Pipoca.. posso chamar-te Pipoca? Em vez de te queixares da austeridade, e do b rutal aumento de impostos e do Camilo Lourenço, faz-te à vida, entrepeneura-te. Tens (posso tratar-te por tu?) um blog com milhões, ou quiçá até milhares, de leitores, porque não usá-lo para ganhar algum? Mete aí uns posts a recomendar produtos (tipo as melhores especiarias para queimar a língua, ou brinquedos para apimentar a relação entre um macho sensível e uma pipoca doce), que os sponsors aparecerem às caixas.
    Bom ano!

    ResponderEliminar
  14. O post até pode ser de um estilo quiçá diferenciado, mas chega-se a caixa de comentários: saran, estamos no sítio do costume, para o bem é para o mal. Excelsa PMP, um bom cabernet sauvignon tinto é o que lhe desejo sempre é quando sentir que as coisas estão a ficar pra' lá do suportável. Vai um smile?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai uma gargalhada. Que nunca nos falte o cabernet, não há roriz nem touriga que se lhe aproxime.
      (Posso contar sempre com os do costume para me animarem a caixa, já me tinham dito muita coisa mas esta foi uma estreia, há que dar valor às estreias)

      Eliminar
  15. Querido Pipoco... ai, Pipoca!
    desejo-lhe um ano em bom porque você merece.
    Gostei da partilha, da humildade e de se ter conseguido encontrar.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.