segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Nunca digas desta água não beberei

De todas as coisas da vida que me surpreendem, uma das que me mais poderia surpreender é um dia dizer que concordo integralmente com Daniel Oliveira. Hoje é o dia.

"Não vou aqui escrever uma palavra sobre o essencial do caso de Bárbara Guimarães e Manuel Maria Carrilho. O ex-ministro é acusado de um crime público e essa é a única coisa que não está no domínio da privacidade dos dois.........
Mas se não tem ele a decência de se calar, caberia a nós, a quem escreve nos jornais e fala nas televisões, a jornalistas e comentadores, não o ajudar na divulgação da infâmia. Não repetir uma única das acusações que faça a outras pessoas. Nem sequer para criticar o facto dele as ter feito. Não lhe dar voz neste indecoroso comportamento. Compreendo que o espírito voyeurista se divirta com tão degradante espetáculo. Mas ele só é público porque supostos jornalistas querem que o seja. Porque a comunicação social resolveu exibir o esgoto a céu aberto que esta espécie de homem lhe ofereceu. O problema não é apenas de Carrilho. O problema não é principalmente Carrilho. Homens perturbados e sem carácter sempre os houve. O problema é de quem cerca Bárbara Guimarães e os seus filhos, à porta da sua casa, para a questionar sobre o que apenas pode ser privado. É de quem divulga informação irrelevante para as nossas vidas, destruindo, através da repetição de acusações nojentas, a vida de pessoas. Pessoas de carne e osso.
Claro que o problema também é das figuras públicas que, quando casam, quando vão de férias, quando os filhos nascem, quando os namoros começam e acabam decidem abrir uma frincha da janela e dividir com a imprensa cor de rosa e com os fãs o que é e só pode ser intimo. Coisa que o casal Carrilho e Guimarães fez várias vezes. O que não impede que eu repita que o meu principal asco vai para quem se planta, com uma câmara, um microfone e uma máquina fotográfica à porta de alguém para, contra a sua vontade, chafurdar na sua intimidade. A exibição que as figuras públicas fazem da sua suposta felicidade não pode ser um salvo conduto para mergulharmos nos mais sórdidos recantos das suas vidas. Quem está de fora é que não tem desculpa. Os jornalistas que repetem cada vergonhosa "revelação" íntima que este senhor faz não estão perturbados. Não procuram vingança. É apenas a forma que têm de ganhar a vida. Porque a falta de ética é a sua profissão, são muito piores do que Carrilho."

O  artigo completo aqui. Leiam que vale a pena. Alguns dos membros que integram a classe dos jornalistas são um verdadeiro lixo em forma de gente.


18 comentários:

  1. Este Domingo saiu uma reportagem na Notícias Magazine com a novela Carrilho-Bárbara...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não li mas a bem dizer também não sinto vontade de ouvir mais nada sobre o assunto.

      Eliminar
  2. Concordo. Como disse na semana passada, uma palavra se que escreva sobre o assunto, seja de condenação seja de apoio, é uma palavra a mais do que se deve ter, pois é trazer a público um assunto que nunca devia ter saído da esfera privada do casal.

    ResponderEliminar
  3. Até se pode não concordar com as suas opiniões políticas, mas o Daniel Oliveira é um homem intrinsecamente honesto e decente, pelo menos sempre o tive nessa conta - e ainda mais quando bateu com a porta no BE.
    Já quanto ao outro assunto, tudo o que ultrapasse uma discussão pública - e sempre necessária - quanto a violência doméstica, as suas causas, etc, é lixo, e deve ter o mesmo destino.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não gosto dele, nem tanto pelas opiniões políticas mas pela demagogia da qual eu acho que abusa. O homem irrita-me.

      Eliminar
  4. Ai Pipoca, a menina agora assustou-me... É que, quando li, de relance, o nome Daniel Oliveira a minha mente pensou logo no "apresentadeiro"... Sendo assim, está desculpada.

    Concordo inteiramente com o que Daniel Oliveira escreveu. Pior do que o Carrilho só mesmo quem lhe dá trela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pensei exactamente a mesma coisa! Mas ha mais Marias na terra, que alivio!

      Eliminar
  5. É assunto do qual nem gosto de falar, para não lhe dar protagonismo. Desde que ele veio dizer na praça pública que o padrasto dela a tentou violar... que nojo de gente.

    ResponderEliminar
  6. E a Barbara é uma Santinha que não faz mal a uma mosca, claro.
    Todas umas santas que deviam estar no altar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas tem 10 anos? Que argumento é esse???!!! Quem é santo e qual o interesse desse comentário???

      Eliminar
    2. Pronto! É desta que eu inauguro a rubrica da pérola da semana.

      Eliminar
  7. "Com uma montra dessas, imagino como é o armazém."
    Da série: "Um Piropo Por Dia Nem Sabe O Bem Que Lhe Fazia" - #37

    ResponderEliminar
  8. Como em todas as profissões há bons e maus profissionais, os jornalistas estão mais expostos do que por exemplo uma secretária que é incompetente mas só no escritório dela sabem disso. Já o trabalho dos jornalistas pode ser visto pelo país inteiro e sujeito a críticas. Quanto a Carrilho não há palavras para tanta falta de carácter e mal formado. Agrava ser uma pessoa culta e por isso podia ter uma melhor educação. Acho importante noticiar-se que ele é suspeito de um crime violência doméstica tudo o resto não é noticia. Se ele fosse suspeito de assaltar um banco, ou matar alguém, ou bater em alguém na rua durante seis meses também seria noticia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente cultura nunca foi sinónimo de solidez moral ou ética. O homem é um nojo em forma de gente (pelo que diz que isso já não pode negar)

      Eliminar
  9. Quase todos os jornalistas vampirizam as notícias até as deixarem exangues e secas, destruídas tantas vezes...

    ResponderEliminar
  10. "A história do filósofo e da apresentadora tem posto muito bom português a comer arroz com pauzinhos. Comem mas dizem que não se deve remexer muito na comida."

    Lido há pouco no Correio da Manhã.
    Aplica-se a bloggers que dizem que não comentam, mas comentam e a Anónimas que fazem o mesmo. Hipocrisia colectiva é o que eu chamo a isto tudo.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.