terça-feira, 22 de outubro de 2013

A lucidez de Mário Soares ou não tem de quê Anónimo(a)

Mário Soares, num dos momentos de lucidez que ainda vai tendo, veio chamar a atenção do Governo, na última semana, para a voz da rua.
A lucidez, uma das suas maiores qualidades durante uma longa carreira politica.
A lucidez que lhe permitiu escapar à PIDE e passar um bom par de anos, num exílio dourado, em hotéis de luxo de Paris.
A lucidez que lhe permitiu conduzir da forma "brilhante" que se viu o processo de descolonização.
A lucidez que lhe permitiu conseguir que os Estados Unidos financiassem o PS durante os primeiros anos da Democracia.
A lucidez que o fez meter o socialismo na gaveta durante a sua experiência governativa.
A lucidez que lhe permitiu tratar da forma despudorada amigos como Jaime Serra, Salgado Zenha, Manuel Alegre e tantos outros.
A lucidez que lhe permitiu governar sem ler os "dossiers".
A lucidez que lhe permitiu não voltar a ser primeiro-ministro depois de tão fantástico desempenho no cargo.
A lucidez que lhe permitiu pôr-se a jeito para ser agredido na Marinha Grande e, dessa forma, vitimizar-se aos olhos da opinião pública e vencer as eleições presidenciais.
A lucidez que lhe permitiu, após a vitória nessas eleições, fundar um grupo empresarial, a Emaudio, com "testas de ferro" no comando e um conjunto de negócios obscuros que envolveram grandes magnatas internacionais.
A lucidez que lhe permitiu utilizar a Emaudio para financiar a sua segunda
campanha presidencial.
A lucidez que lhe permitiu nomear para Governador de Macau Carlos Melancia, um dos homens da Emaudio.
A lucidez que lhe permitiu passar incólume ao caso Emaudio e ao caso Aeroporto de Macau e, ao mesmo tempo, dar os primeiros passos para uma Fundação na sua fase pós-presidencial.
A lucidez que lhe permitiu ler o livro de Rui Mateus, "Contos Proibidos", que contava tudo sobre a Emaudio, e ter a sorte de esse mesmo livro, depois de esgotado, jamais voltar a ser publicado.
A lucidez que lhe permitiu passar incólume as "ligações perigosas" com Angola , ligações essas que quase lhe roubaram o filho no célebre acidente de avião na Jamba (avião esse carregado de diamantes, no dizer do Ministro da Comunicação Social de Angola).
A lucidez que lhe permitiu, durante a sua passagem por Belém, visitar 57 países ("record" absoluto para a Espanha - 24 vezes - e França - 21), num total equivalente a 22 voltas ao mundo (mais de 992 mil quilómetros).
A lucidez que lhe permitiu visitar as Seychelles , esse território de grande importância estratégica para Portugal.
A lucidez que lhe permitiu, no final destas viagens, levar para a Casa-Museu João Soares uma grande parte dos valiosos presentes oferecidos oficialmente ao Presidente da República Portuguesa.
A lucidez que lhe permitiu guardar esses presentes numa caixa-forte blindada daquela Casa, em vez de os guardar no Museu da Presidência da Republica.
A lucidez que lhe permite, ainda hoje, ter 24 horas por dia de vigilância paga pelo Estado nas suas casas de Nafarros, Vau e Campo Grande.
A lucidez que lhe permitiu, abandonada a Presidência da Republica, constituir a Fundação Mário Soares. Uma fundação de Direito privado, que, vivendo à custa de subsídios do Estado, tem apenas como única função visível: ser depósito de documentos valiosos de Mário Soares. Os mesmos que, se são valiosos, deviam estar na Torre do Tombo.
A lucidez que lhe permitiu construir o edifício-sede da Fundação violando o PDM de Lisboa, segundo um relatório do IGAT, que decretou a nulidade da licença de obras.
A lucidez que lhe permitiu conseguir que o processo das velhas construções que ali existiam e que se encontrava no Arquivo Municipal fosse requisitado pelo filho e que acabasse por desaparecer convenientemente num incêndio dos Paços do Concelho.
A lucidez que lhe permitiu receber do Estado, ao longo dos últimos anos, donativos e subsídios superiores a um milhão de contos.
A lucidez que lhe permitiu receber, entre os vários subsídios, um de quinhentos mil contos, do Governo Guterres, para a criação de um auditório, uma biblioteca e um arquivo num edifico cedido pela Câmara de Lisboa.
A lucidez que lhe permitiu receber, entre 1995 e 2005, uma subvenção anual da Câmara Municipal de Lisboa, na qual o seu filho era Vereador e Presidente.
A lucidez que lhe permitiu que o Estado lhe arrendasse e lhe pagasse um gabinete, a que tinha direito como ex-presidente da República, na... Fundação Mário Soares.
A lucidez que lhe permite que, ainda hoje, a Fundação Mário Soares receba quase 4 mil euros mensais da Câmara Municipal de Leiria.
A lucidez que lhe permitiu fazer obras no Colégio Moderno, propriedade da família, sem licença municipal, numa altura em que o Presidente era... João Soares (seu filho).
A lucidez que lhe permitiu silenciar, através de pressões sobre o director do "Público", José Manuel Fernandes, a investigação jornalística que José António Cerejo começara a publicar sobre o tema.
A lucidez que lhe permitiu candidatar-se a Presidente do Parlamento Europeu e chamar dona de casa, durante a campanha, à vencedora Nicole Fontaine.
A lucidez que lhe permitiu considerar José Sócrates "o pior do guterrismo" e ignorar hoje em dia tal frase como se nada fosse.
A lucidez que lhe permitiu passar por cima de um amigo, Manuel Alegre, para concorrer às eleições presidenciais uma última vez.
A lucidez que lhe permitiu, então, fazer mais um frete ao Partido Socialista.
A lucidez que lhe permitiu ler os artigos "O Polvo" de Joaquim Vieira na "Grande Reportagem", baseados no livro de Rui Mateus, e assistir, logo a seguir, ao despedimento do jornalista e ao fim da revista.
A lucidez que lhe permitiu passar incólume depois de apelar ao voto no filho, em pleno dia de eleições, nas últimas Autárquicas.
No final de uma vida de lucidez, o que resta a Mário Soares? Resta um punhado de momentos em que a lucidez vem e vai. Vem e vai. Vem e vai.
Vai... e não volta mais.

Texto tirado daqui 

46 comentários:

  1. Muita lucidez sem dúvida. Lucidez de biltre e poltrão.

    ResponderEliminar
  2. Ah pois é, bebé.

    Há quem tenha memória curta ou muito selectiva.

    ResponderEliminar
  3. Eu que fui militante socialista durante algum tempo (mau) da minha vida,concordo com muitos dos pontos desta carta. Socialismo da mãozinha fechada, "Jamé"!

    ResponderEliminar
  4. Para este Grande Senhor, o Estado funciona (bem demais, convenhamos), já para os funcionários públicos ordenados de 600€ são uma loucura, e então, vá de cortar, não vão os gajos/as viver acima das possibilidades.

    Sílvia

    ResponderEliminar
  5. Plágios, a minha vida são plágios...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não seja burra. Eu por acaso digo que o texto é meu? Isso é imbecilidade a mais, ninguém merece.

      Eliminar
  6. Como é óbvio isto não é da Clara ferreira Alves e mais grave é reproduzir aqui estas mentiras como sendo. Pobre país que não reconhece quem lutou por ele e ainda manda abaixo , difama e humilha. Gente que não faz nada por Portugal e ainda faz acusações mentirosas, manipuladas e mesquinhas. Triste

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já emendei.
      Não sei se tudo o que ali está é verdade. Asseguro-lhe que muito do que ali está é verdade. Como por exemplo tudo o que se refere à fundação ou à Emaudio, assim como o livro de Rui Mateus. Se procurar encontra nos jornais a confirmação da maioria das afirmações do texto.

      Eliminar
  7. A Clara ferreira Alves já desmentiu várias vezes a autoria deste texto antes que leve um processo é melhor retira-lo.

    ResponderEliminar
  8. Como é mais do que óbvio para quem o ódio não tolhe a capacidade cognitiva, a Clara Ferreira Alves jamais escreveria semelhante vómito.
    Se querem propagar a ofensa ao menos não incluam terceiros a cuja ofensa (in)voluntária ainda maior será.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já está corrigido. Não é ódio o que sinto pela personagem mas sim desprezo.
      E lamento que a verdade (não sei se será tudo mas a maioria do que está acima escrito é verdade) ofenda. Acredite que preferia fosse tudo mentira, seria sinal de que Mário Soares não vigarizou os Portugueses.
      (e falta ali o episódio da multa por excesso de velocidade em que o senhor educadamente disse que os portugueses que a pagassem, só pérolas!)

      Eliminar
  9. Não foi a Clara Ferreira Alves quem escreveu este texto, faça a devida pesquisa antes de repetir erros!

    ResponderEliminar
  10. Já tinha lido. Muito bom!! Vamos ver se permanece onde está....

    ResponderEliminar
  11. O texto nem sequer é da Clara!

    http://expresso.sapo.pt/o-lixo-da-internet=f768424

    Francamente, Picante, devia ter mais juízo. E sobretudo vergonha nessa cara!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vergonha de quê? Explica? Eu deveria fazer pesquisa se fosse jornalista e estivesse a escrever um artigo. Isto é só um blog.

      (mas teria vergonha de comentar assim em blog alheio)

      Eliminar
    2. E só aos jornalistas compete não espalhar mentiras? Só os jornalistas devem ser sérios? Por ser um blogue pode dizer-se todo o tipo de disparates inconsequentes?

      É para isto que se apregoa ser tão culta, informada e séria? E depois eu é que tenho que ter vergonha pelo meu comentário?

      Tenha um pingo de bom senso! A Picante fica cega e perde a capacidade de ver mais além quando se trata de assuntos/pessoas com quem não atina. Agora foi com o Soares, normalmente costuma ser com as bloggers a quem não perdoa o sucesso.

      Note que eu também não gosto do Soares. Também sou de direita, tal como a Picante. Mas um mínimo de razoabilidade (que ainda tenho) nunca me permitiria divulgar este texto, que carece, no mínimo, de fundamentos nas acusações que são feitas. Nada ali está explicado ou provado. São acusações avulsas e gratuitas que valem o que valem. Recebo diariamente centenas de mails de info-lixo, pessoas que se ocupam a inundar a internet com textos deste tipo, acusando personalidades ora de direita ora de esquerda, geralmente sem qualquer fundamento. Nunca reencaminho tais parvoices. Porque entendo que não devo espalhar mentiras ou meias verdades.

      De si, seria de esperar outra atitude, já que gosta tanto de se mostrar superior. No fundo, revela-se a cada dia. O seu argumento, aí mais acima, de que parte do texto é verdade porque está em todos os jornais, então, só mesmo para rir. Desde quando o que está nos jornais corresponde à verdade só porque sim?

      Tenha mais cuidado com o que escreve!

      Eliminar
    3. Ora vamos lá por partes:
      Deveria ter vergonha de espalhar mentiras se soubesse que eram mentiras ou se deturpasse factos para tentar influenciar alguém. Não é o caso. Assumi que o artigo tinha sido escrito por ela, porque ele assim o dizia e porque quem mo enviou não é propriamente burro ou ignorante.
      Reconheci o erro e prontamente o emendei. Portanto repito: vergonha de quê?
      Quanto às minhas fontes de informação, obviamente que são os jornais e televisão. Dado que eu não sou jornalista nem detective, onde é que me deveria informar? Tenho de contar com os meios de comunicação social para isso, não lhe parece?
      Finalmente, quanto à veracidade do artigo, digo e repito, não sabendo se tudo o que lá está é verdade, sei que muito do que lá vem é. Só assim de repente:
      - Carlos Melancia foi nomeado governador de Macau e veio da Emaudio
      - A Emaudio financio, de facto, a campanha de Mário Soares
      - A Fundação Mário Soares não acrescenta qualquer valor à sociedade
      - Mário Soares desloca-se em automóveis do estado, tem segurança paga pelo estado e pôs o estado a pagar-lhe o gabinete na sua própria fundação
      - Viajou que se fartou à nossa conta. Eu vi-o na televisão montado em cima de uma tartaruga, em visita às Seichelles, olha que destino tão importante para a economia Portuguesa!
      - O processo de descolonização foi vergonhoso e sei-o porque conheço várias pessoas cujas famílias passaram por ele, ficaram sem nada.
      - Lixou Manuel Alegre
      - Fez obras no Moderno SIM, enquanto João Soares estava na CML.

      É preciso continuar? Não me parece.
      Ao contrário do que diz o ódio não me cega, apesar de ser pessoa que desprezo. Mas sabe que mais? Também não simpatizo com Eanes e acho que é uma pessoa de uma honestidade inabalável. Baseio-me em factos, não emoções.

      Como tal, agradeço o seu conselho mas não tenho mesmo de ter mais cuidado com o que escrevo. Até porque digo que isto não é da minha autoria.

      Eliminar
    4. Tem razão: erro meu: não é cega: é teimosa como um burrrrrro. Com tudo o que de mais pejorativo a palavra "teimoso" conseguir ter.

      Eliminar
  12. Excelente texto! Gosto muito da actitude da CFM. E ainda bem que puseste isto aqui. Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é dela. Mas nada mais muda para além do autor

      Eliminar
    2. Eu não conhecia o texto, mas achei-o logo muito bom. E continuo a dizer que gosto da forma de estar da CFM. Os programas televisivos que tem feito têm uma dinâmica muito própria exactamente por serem com ela.

      Eliminar
  13. Aparentemente, o texto não é da autoria de Clara Ferreira Alves.

    "Enquanto diretor do Expresso tive de desmentir umas cem vezes um suposto texto de Clara Ferreira Alves sobre Mário Soares que circulou por tudo quanto é sítio..."

    Ler mais: http://expresso.sapo.pt/o-lixo-da-internet=f768424#ixzz2iTwrmdOJ

    ResponderEliminar
  14. Um canalha com ar de velhote fofinho. Não gosto dele.

    Há uns anos, tinha eu 20 anos, no meu primeiro estágio, fui fazer um trabalho à Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Ele estava lá, como conferencista, e no final foi "atacado" por jornalistas para comentar sei lá o quê. Nada de muito relevante. A falta de educação e o ar de superioridade que aqueles olhinhos azuis deram a uma colega da TSF fizeram-me começar a perceber o canalha que é.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhinhos azuis????????????????

      Obrigada pela gargalhada

      Eliminar
    2. Ó S*, de certeza que era o Mário Soares?
      O homem não tem olhos azuis!

      Sempre certeira e a demonstrar a alta craveira intelectual

      Eliminar
    3. " a uma colega"?
      A S* é jornalista? Ou tirou jornalismo?

      Eliminar
    4. Para jornalista tens uma perspicácia danada... Olhos azuis??????

      Eliminar
    5. Uma "colega" da TSF? COLEGA? A sério?

      Eliminar
  15. Perante isto:
    http://quadripolaridades2.blogspot.pt/2013/10/must-have-da-estacao-mummy-matchy-matchy.html
    ...eu lá consigo opinar sobre Soares?

    Digam-me que não está na moda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ah ah ah ah ah ah ah ah ah
      Eu achei graça ao post.
      (está na moda, está, há muita mãe a pôr laços gigantes às filhas)

      Eliminar
  16. "Se queres ter lucidez vem para a cama de vez"
    da série um piropo à maneira escorregas pela ladeira.

    ResponderEliminar
  17. Tendo em conta tudo isso. Dele e de outros. Tenho plena consciência que nada neste país mudará enquanto esses senhores não começarem a aparecer nas valetas das estradas...Nada os faz parar; ninguém lhes faz frente. A nossa democracia é somente uma visão - parece que lá está mas na realidade não existe.

    O texto revela muitas verdades, muitas mesmo. Secalhar a pessoa que o escreveu em breve "desaparecá" ou fisicamente ou será chantageada de outra forma. O problema de muitos com vontade de expor a verdade é que tem filhos e familia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sou tão drástica mas temo que tenha razão. Boys geram boys e a maior parte são uns grandes vigaristas.

      Eliminar
  18. A política aborrece-me e os políticos enojam-me. Tenho a ideia que gente séria não se mete na política, ou se por acaso o faz rapidamente a abandona tal é o tamanho da podridão, só os biltres é que adoram "servir o povo".

    ResponderEliminar
  19. Pois eu sou professora de história política, passei por alguns momentos relatados pois tenho alguma idade, e garanto a todos aqueles que duvidam, de que os fatos aqui relatados sobre Mário Soares são verdadeiros, a maioria relatados em artigos de jornais da época, já sem a censura, basta consultá-los. Não importa quem escreveu o artigo, pois o que está em causa é a veracidade dos fatos, o emissor é irrelevante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é uma resposta mas sim constatar um facto do Sr. Mário Soares. Havia na Faculdade de Letras um professor, Joaquim Barradas de Carvalho, que era compadre do sr. mario soares e que foi tratado de forma grosseira pois ele fez pressão para que, o Barradas de Carvalho, não fosse considerado efectivo, por não ser militante do partido socialista.

      Eliminar
  20. Há uma interessante. Algum tempo antes do 25 de Novembro de 1975, esse sr. mário soares,chegou-se ao pé de um dos dirigentes do Grupo dos Nove e disse-lhe que já tinha arranjado armas em Inglaterra, tendo-lhe o outro respondido para as meter no cu. A tudo esse senhor se prestava.

    ResponderEliminar
  21. Caramba este post já é tão antigo... Como é que foi dar com isto?
    (tipico, no fundo não passa de um ditadorzeco arrogante)

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.